MENU

sexta-feira, 9 de março de 2018 - 20:00F-1

2018, DIA #8

RIO (empacota tudo) – Terminou a pré-temporada, com a Mercedes tirando o pé e a Ferrari mostrando força, assim como a Red Bull. Raikkonen fechou na frente o oitavo dia de testes de Barcelona, com sol e calor para os padrões de inverno na Europa — a temperatura chegou a 20°C, nem parecia que semana passada estava nevando, maluquice total. Seu melhor tempo hoje foi cronometrado em 1min17s221, e Fernando Alonso foi o segundo.

Um alento para a McLaren, que de manhã teve problema no turbo e fez o espanhol ficar esperando a troca de motor nos boxes. Mas um P2 para encerrar os trabalhos sempre anima os envolvidos. Sainz Jr. em terceiro também fez a Renault abrir um sorriso, assim como Ricciardo em quarto.

Nada, nada, três motores franceses entre os quatro primeiros no último dia. É animador, embora seja de bom tom todos fincarem o pé na realidade, porque os prateados tiraram os dois últimos dias apenas para simular corrida, e nessa condição Hamilton virou muitas voltas na casa de 1min19s usando pneus mais duros que a maioria.

A Mercedes, aliás, não se entendeu muito bem com os compostos mais macios, que fizeram bolhas indesejáveis. Mas com os compostos menos gosmentos, o ritmo do carro é muito forte e constante. Algo que o time terá de tentar entender nas duas semanas até a abertura do Mundial, dia 25 na Austrália.

Foi bem de novo a Toro Rosso, com trocentas voltas completadas e sem relatar nenhum problema de motor. Um milagre, quase, pois é o início de trabalho com a Honda, problemática nos últimos três anos e agora, aparentemente, navegando em águas mais tranquilas sem a pressão de time grande que a McLaren impunha.

A esquadra de Faenza, ao lado da Haas, que se recuperou bem na última semana de um início claudicante, foi a surpresa da pré-temporada. A Force India, muito discreta, também surpreendeu, mas negativamente. Não dá pinta de que vá repetir o incrível quarto lugar entre os construtores que conseguiu em 2017.

Na rabeira, a Williams parece ter gostado das últimas posições e será um espanto se conseguir algo notável em Melbourne. O mais provável é que brigue com a Sauber para não segurar a lanterna. Parte da responsabilidade por isso é da escolha dos pilotos. Muito jovens e inexperientes, Stroll e Sirotkin não têm muito a oferecer quando se fala em desenvolver um carro. O preço será pago ao longo das 21 etapas do campeonato, podem ter certeza.

E as cartas estão na mesa. Agora, é contar os dias.

36 comentários

  1. Cranio disse:

    Opa… Vou colocar alguns dados sobre testes desse ano em comparação com anos anteriores…

    Barrichello – BrawnGP – 12/03/09 – 1.18.926 (recorde até 2017);
    Raikkonen – Ferrari – 10/03/17 – SSoft – 1.18.634;

    Nesse ano…

    Vettel – Ferrari – 08/03 – HSoft – 1.17.182 (recorde atual);
    Raikkonen – Ferrari – 09/03 – HSoft – 1.17.221;
    Alonso – Mc Laren – 09/03 – HSoft – 1.17.784;
    Ricciardo – Red Bull – 07/03 – HSoft – 1.18.047;
    Sainz Jr. – Renault – 09/03 – HSoft – 1.18.092;
    Magnussen – Haas – 08/03 – SSoft – 1.18.360;
    Gasly – Toro Rosso – 08/03 – HSoft – 1.18.363;
    Hamilton – Mercedes – 07/03 – USoft – 1.18.400;
    Grosjean – Haas – 09/03 – USoft – 1.18.412;
    Bottas – Mercedes – 07/03 – USoft – 1.18.560;

    Portanto, 6 equipes fizeram tempos mais baixos que o recorde anterior, mesmo (em alguns casos) usando pneus menos rápidos que o HyperSoft. Certamente, os carros estão muito mais rápidos nesse ano.

    Por equipes (Comparação entre pneus iguais):
    Ferrari – Vettel – Soft – 1.19.906 – 2017;
    Ferrari – Vettel – Soft – 1.19.541 – 2018.

    Haas – Magnussen – Soft – 1.21.676 – 2017;
    Haas – Grosjean – Soft – 1.20.237 – 2018.
    Haas – Magnussen – SuperSoft – 1.22.204 – 2017;
    Haas – Magnussen – SuperSoft – 1.18.360 – 2018.
    Haas – Grosjean – UltraSoft – 1.21.110 – 2017;
    Haas – Grosjean – UltraSoft – 1.18.412 – 2018.

    Mercedes – Bottas – SuperSoft – 1.19.310 – 2017;
    Mercedes – Bottas – SuperSoft – 1.19.008 – 2018.
    Mercedes – Hamilton – UltraSoft – 1.19.352 – 2017;
    Mercedes – Hamilton – UltraSoft – 1.18.400 – 2018;

    Red Bull – Verstappen – Soft – 1.20.432 – 2017;
    Red Bull – Verstappen – Soft – 1.19.842 – 2018;

    Renault – Hulkenberg – SuperSoft – 1.21.213 – 2017;
    Renault – Hulkenberg – SuperSoft – 1.20.758 – 2018;
    Renault – Hulkenberg – Medio – 1.24.784 – 2017;
    Renault – Sainz Jr. – Medio – 1.20.042 – 2018.

    Sauber – Ericsson – SuperSoft – 1.21.670 – 2017;
    Sauber – Leclerc – SuperSoft – 1.20.919 – 2018;

    Toro Rosso – Sainz Jr. – Soft – 1.21.872 – 2017;
    Toro Rosso – Hartley – Soft – 1.20.834 – 2018;

    Williams – Stroll – Soft – 1.20.335 – 2017;
    Williams – Sirotkin – Soft – 1.19.189 – 2018;
    Williams – Massa – SuperSoft – 1.19.726 – 2017;
    Williams – Kubica – SuperSoft – 1.19.629 – 2018;

    Outro detalhe para confrontar a tese de que “nos testes os pilotos não andam forte”:

    Pole de 2017 – Hamilton – 1.19.149; Teste de 2017 – Raikkonen – 1.18.634
    Pole de 2016 – Hamilton – 1.22.000; Teste de 2016 – Raikkonen – 1.22.765
    Pole de 2015 – Rosberg – 1.24.681; Teste de 2015 – Rosberg – 1.22.792.

    Bons números para serem analisados.

    Abraços!

  2. LuizFernando disse:

    Stroll e Sirotkin são jovens e inexperientes? Ok!! Mas será este o problema? Hartley e Gasly são tão jovens e mais inexperientes! E a equipe esta de motor novo!! Quem deveria, então, estar com mais dificuldades? Acho que temos aqui um pouco de paixão na análise… A questão é tecnico-financeira! Pode chamar Massa… Piquet, Prost ou Lauda que não vai mudar nada. Williams vai sofrer até firmar acordo com VW/PORSHE/AUDI, ou outra montadora, que esteja disposta a gastar dinheiro em um projeto vencedor!

  3. Leandro Batista disse:

    Williams vai pagar caro por ter dois pilotos(?) novatos e pagantes. Vamos ver o que os patrocinadores pensam duma equipe que anda atrás do grid e não faz nada de relevante num GP.
    Enquanto isso, a Mercedes crava 1.6seg acima do melhor tempo dos testes usando pneus médios. Ou seja, mais do mesmo.

  4. Ricardo Bigliazzi disse:

    Essa foto da Ferrari é bem legal, estava reparando nas sombras, é incrível a simetria entre os dois lados do carro, a foto deve ter sido tirada bem no meio do dia, mas que é difícil se conseguir esse efeito de simetria isso é.

  5. Paulo Rickli disse:

    Felipe Massa já está fazendo muita falta na Williams . Com ele a equipe teria mais chances de brigar no meio do pelotão . Como disse Flavio , vão pagar caro por essas escolhas equivocadas..

  6. Paulo Pinto disse:

    Tudo igual, antes e depois do Carnaval. Mercedes, Ferrari e Red Bull comendo o prato principal. As demais lamberão as sobras do banquete até o final.

  7. randy disse:

    Flavio será que o KUMBICA podera auxiliar a willians? Se fosse há alguns anos não teríamos duvidas nenhumas mas como ele ficou muito tempo fora e não pegou a transissão para as atuais “unidades de potencia” acho que acontribuição dele fica reduzida né…. não tem a ver com habilidade de piloto mas sim com experiencia a esses motores atuais, etc….

  8. Ricardo Bigliazzi disse:

    Li que houve o primeiro rádio irônico do Idiota Veloz Espanhol: “motor… 5 voltas”

    Precisa???

    Não sei se é verdade. Mas não precisa. Tenho dó da Renault a conviver com essa “prima dona”

  9. Celio ferreira disse:

    Tudo como dantes …Mercedes nadando de braçadas , e Ferrari , Redbull , brigando
    pelo segundo ….e o resto completam o grid…com Williams na rabeira , sem problemas
    financeiros né Stroll..

  10. Luiz Carlos Barbosa disse:

    Acho que problema da McLaren não vai ser muito fácil de resolver, pois parece que o carro é muito estreito na parte traseira o que esta causando uma falta de refrigeração no motor…

  11. Fernando disse:

    Flavio, acha que o Felipe Massa teria mais capacidade de desenvolver o carro do que Stroll e Sergey?

  12. Júlio Mendes disse:

    É surpreendente a Honda! Mas ainda acho que as montadoras do Japão não têm capacidade para fazer bons motores como os europeus da BMW, Mercedes, Renault, VW, Ferrari etc.

  13. JPMARCHINA disse:

    Como não sermos saudosistas Flávio com equipes sustentadas por crianças ricas e nem sempre pilotos

  14. Bob disse:

    Bom dia,
    Discordo que parte do fraco rendimento da Williams seja dos pilotos inexperientes, o Kubica esta lá pra dar essa experiência.
    O projeto esta engatinhando ou é ruim mesmo, como a equipe tem apresentado nos últimos anos.

    • Anselmo Coyote disse:

      Com quase mil sensores eletrônicos nos carros não vejo como o piloto poderia contribuir muito. De qualquer forma a Williams fez a escolha dela há muito tempo e andar no fim do grid foi uma opção. É óbvio que para ter sucesso são necessários cérebros talentosos, pilotos talentosos e sobretudo gastar dinheiro a rodo. Não parece ser essa a opção desta equipe. Se fosse ela saberia exatamente o que fazer, pois já trilhou esse caminho.
      Abç

  15. clodoaldo lelli disse:

    na australia o alonco não completa 5 voltas

  16. Fernando disse:

    Muitos dizem que antigamente o piloto tinha que entender muito mais de mecanica para desenvolver o carro do que atualmente. Stroll e Sirotkin não têm muito a oferecer quando se fala em desenvolver um carro. Por outro lado trazem dinheiro pra contratarem engenheiros e mecanicos competentes. A pergunta que fica é até que ponto este dinheiro compensa e qual a responsabilidade do engenheiros x pilotos no desenvolvimento do carro.

    • Giovanni disse:

      Concordo com o raciocínio só que para o engenheiro tomar a melhor decisão depende do que o piloto diz/acha que é o melhor para si. Por exemplo: se um piloto campeão diz que a opção A é melhor que B, e o Stroll diz que B é melhor que A, qual opinião o engenheiro segue? Como tanto o Stroll quanto o Sirotkin não têm experiência e não parecem ser pilotos com potencial para ser campeão mundial, significa que as suas opiniões não devem ser as melhores do mundo pois se fossem, estariam andando melhor, seja por talento ou por feeling para setup do carro.

      • Anselmo Coyote disse:

        O que o corpo técnico da equipe deve fazer na seguinte situação?

        1. Schumacher e Kimi Raikkonen preferem, sempre preferiram, o carro saindo de traseira. Teve um piloto que andou no carro do Schumacher e na primeira curva tirou o pé, cortou caminho no circuito para chegar logo ao box e saiu assustado dizendo que o carro dele era inguiável e perigoso.

        2. Hamilton, Alonso e Vettel preferem o carro saindo de frente.

        3. Stroll diz que prefere o carro equilibrado, ou seja, se tiver de sair que seja com as quatro rodas.

        Na minha opinião o engenheiro deve fazer o que o piloto quiser, pois afinal quem vai pilotar não é ele.

        Se ele tiver os dados mostrando a performance do piloto andando com o carro “traseiro”, “dianteiro” e “equilibrado” e em uma situação ele for muito melhor é óbvio que deve mostrar ao piloto, mas a decisão deve ser sempre deste.

        Abs.

  17. Alexandre disse:

    Parece q o Sirotkin tem graduação engenharia, até disse q o TCC dele foi voltado pra área do automobilismo (reportagem no UOL). Então contribuir pro desenvolvimento do carro ele até pode conseguir, só não sei se vai ser rápido na pista. :v

  18. Ilmar disse:

    Carros de Fórmula 1 feios que nem o cão, e que nem fazem mais barulho…
    Sistema de pontuação complicado pra p…
    Pistas com curvas mais pontudas do que redondas…
    Um presidente americano fanfarrão e um presidente-ditador norte-coreano mimado e igualmente fanfarrão, tocando o terror no mundo…
    Um presidente brasileiro pedante, elitista, e, segundo muitos, malandro e golpista…
    O maior futebolista brasileiro atual mimado, que nem faz mais gols quanto antigamente, de caráter duvidoso, e, dizem, arrependido com o time atual em que joga, e querendo retornar para seu time anterior…
    A outrora ”cidade maravilhosa” do Rio de Janeiro cada mez mais chafurdada na pobreza, na violência e no pânico…
    A também outrora excelente tv brasileira, hoje em dia, só passando coisa ruim e coisa chata, só jornais com morte, roubo, assédio e tragédias, programas de fofocas e de saúde (ou de doença, mesmo), novelas brasileiras e estrangeiras com raivas, gritarias e às vezes tiros e mortes (não que as antigas não tivessem, também tinhas, mas bem menos, principalmente as nossas novelas), passando no meio da tarde, e com a agora parca programação infantil e cada vez mais simplista e estupidificada…
    Estou me sentindo tentado a concordar com o nobre dono deste blog: ”venha, meteoro, venha”…

  19. José disse:

    Flavio, você acha que pode ser algo relativo com o chassi da McLaren os seguidos problemas com o motor da Honda? E digamos que o chassi da Toro Rosso seja mais “amigável”? Sei lá, uma construção mais hardcore dos ingleses ?

  20. Alexandre Dubourcq da Costa disse:

    Questiono: quanto será o impacto em tempo de volta com Halo, acredito que aumente o tempo em uma volta, haja visto estarmos tratando de disputas por centésimos, então torna-se significativos em se tratando das quebras de novos recordes que virão, será justo com este apêndice aerodinâmico?

Deixe uma resposta para Luiz Carlos Barbosa Cancelar resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>