MENU

segunda-feira, 30 de abril de 2018 - 23:32F-1

SOBRE ONTEM DE MANHÃ

RIO (já foi) - A lista de fotos que eu poderia escolher como “imagem da corrida” para marcar o GP do Azerbaijão é grande. Poderia ser o carro de Alonso todo estropiado no começo. Ou o pneu de Bottas voando no fim. Ou ainda os sorrisos largos e abertos de Pérez e Leclerc. A freada mal calculada de Vettel, talvez. E, claro, o óbvio registro da batida de Ricciardo em Verstappen, acidente pelo qual será lembrado eternamente esa corrida de Baku.

Mas fico com outra. A imagem da solidariedade. Hamilton se atrasou para ir ao pódio receber seu troféu de vencedor improvável porque, antes, fez questão de passar pelos boxes da Mercedes para dar um abraço em Bottas. E, lá no degrau mais alto, não comemorou com muito entusiasmo o resultado que, sabia, não mereceu. Assim, fiquemos com o abraço. São raras essas demonstrações de afeto na F-1.

sobrebaku18

Lamento, amigão: Hamilton abraça Bottas, vítima de um pneu furado a duas voltas do final em Baku

“Vida de piloto é assim”, falou o desafortunado finlandês. “Tem dia bom, tem dia ruim, e tem dia muito ruim.” Sábias palavras. Seria uma ótima frase para este glorioso rescaldão, mas tenho preocupações estéticas com a seção e não vou repetir a cara triste de Bottas, não. Ela já está aí em cima. No lugar do lamento do piloto da Mercedes, vamos dar uma canja a Fernando Alonso, El Fodón de la Puntuación. Ele tem sido bom de declarações nos últimos tempos. A de ontem:

A FRASE DE BAKU

sobrebaku183

Alonso: persistente e dedicado

“Corri pela honra. Qualquer piloto abandonaria se seu carro estivesse todo arrebentado como o meu, só com duas rodas, bico e assoalho quebrados. Não é qualquer um que faria o que eu fiz, não. Foi a melhor corrida da minha vida”

Fernando Alonso, que se envolveu num acidente com Sergey Sirotkin logo na primeira volta, se arrastou com dois pneus furados até os boxes, consertou o que deu, voltou e terminou em sétimo

Foi, de fato, uma atuação heroica do espanhol. Que, entre os 20 pilotos que começaram o campeonato, agora se coloca ao lado de Hamilton e Vettel como os únicos que pontuaram nas quatro corridas disputadas até agora. É o sexto colocado na classificação do Mundial com 28 pontos.

Fernandinho está tirando leite de pedra numa McLaren que melhorou com a Renault, sim, mas ainda está longe de se colocar como candidata a pódios, por exemplo. O motor não quebra tanto quanto o da Honda e não é ruim. Mas também não é bom o bastante para fazer frente aos Mercedes e Ferrari.

O carro é mais ou menos. Em classificação, não paga placê. Quando começar a frequentar o Q3 com assiduidade, poderemos esperar alguns showzinhos do asturiano. Por enquanto, ele está mesmo é pagando de piloto guerreiro.

Em menor escala, Brendon Hartley também mereceu cumprimentos calorosos da Toro Rosso. Afinal, conseguiu marcar um pontinho com a décima colocação, o primeiro de sua vida. O que nos leva ao…

NÚMERO DO AZERBAIJÃO

338…pilotos fazem parte da lista dos que marcaram pontos na história da Fórmula 1, lista que ontem recebeu o neo-zelandês Brendon Hartley após o décimo lugar em Baku e o monegasco Charles Leclerc, sexto colocado. Desde o GP da Espanha de 1976 que um piloto da Nova Zelândia não pontuava. O último fora Chris Amon, quinto colocado em Jarama. E o último monegasco tinha sido Louis Chiron, no GP de Mônaco de 1950. A estatística foi surrupiada do blog do Rodrigo Mattar. Com o resultado no Azerbaijão, apenas dois dos 20 desta temporada estão zerados: Grosjean e Sirotkin.

Bom, estou rodeando, rodeando, e chegou a hora de falar sobre os meninos da Red Bull. Notei, de ontem para hoje, que a imensa maioria dos seguidores da categoria está jogando nas costas de Verstappinho a culpa pelo acidente, ainda que Ricciardo tenha batido atrás. E, normalmente, quem bate atrás é culpado.

Meu amigo Alberto Sabbatini, da “Autosprint”, escreveu até uma “carta aberta” ao jovenzinho holandês, defendendo uma curiosa teoria: ele precisa que alguém o agarre pelo pescoço e mostre que é preciso ter juízo, que lhe ensine a correr como adulto, que lhe explique que não se pode fazer o que der na telha na F-1. Segundo o jornalista italiano, Senna viveu esse rito de passagem quando ainda corria pela Lotus e Mansell lhe deu uma dura em Spa. E o mesmo Senna faria algo parecido com Schumacher em Magny-Cours anos depois, explicando ao então imberbe alemão da Benetton que um certo código de conduta deveria ser respeitado naquele universo de fodões.

Sabbatini atribui também ao pai de Max, Jos Verstappen, o comportamento arrogante, competitivo e “estou cagando pra todo mundo” que seu filho desenvolveu desde os tempos de kart. É uma boa tese para papo de bar.

Eu mantenho minha opinião de ontem. Acho que Ricciardo se precipitou. O vácuo daquela reta enorme “chupou” seu carro e ele não conseguiu frear quando Verstappinho assumiu a linha de dentro para fazer a curva. O holandês mudou de direção duas vezes? Há duas maneiras de ver o movimento. Para culpá-lo, é só dizer que sim. Para absolvê-lo, pode-se argumentar que ele mexeu para a direita, apenas; quando foi para a esquerda, o objetivo era fazer a curva porque ela era para a… esquerda, ora bolas!

Enfim, discussão eterna, muitas vezes conduzida pela simpatia ou antipatia que se tem por um ou por outro. Eles não se culparam mutuamente em público. Acho que ambos perceberam que fizeram cagada.

Ricciardo sabe que poderia ter tentado depois, de uma forma menos arriscada. Afinal, sabia com quem estava lidando. E Max sabe que a leve guinada para a esquerda poderia ser interpretada como uma segunda mudança de direção. E que era desnecessário defender de forma tão agressiva uma posição não muito importante, num momento em que seu companheiro estava claramente mais rápido. Poderia ter dado o lado de fora da curva. Poderia sair da frente, retardar a freada e deixar Ricciardo passar direto. Poderia fazer um monte de coisa. Preferiu correr o risco de levar um tranco na bunda e se submeter ao tribunal da opinião pública. Todo mundo se deu mal nessa história.

Cartum Baku_SCE o passado recente de Max o condena, além de tudo. Entendo aqueles que, por isso mesmo, enxergaram nele o culpado exclusivo pelo sinistro. Paciência. Verstappen paga pelo que já aprontou. Neste ano, inclusive.

Mas voltemos à corrida. E o safety-car, hein? Foi decisivo mais uma vez. O que não passou despercebido, obviamente, por nosso cartunista oficial Maurício Falleiros. A pergunta do garoto aí do lado, acredito, se referia a todas as intervenções do Mercedão para neutralizar a prova. Afinal, chamar de quê a batida de Ocon em Raikkonen? E o sanduíche de Sirotkin entre um Renault e uma McLaren, tudo isso na primeira volta? E Hülkenberg, então? Se bem que ali não teve safety-car… Que voltaria apenas no final, após a mega-cagada da dupla rubro-taurina.

E encerraria de forma sublime sua participação graças a outra cagada monumental, de Grosjean, sobre quem falaremos abaixo. Porque é hora da nossa inconfundível seção…

GOSTAMOS…

sobrebaku182

Leclerc: sorriso de moleque

…muito do sexto lugar de <<< Charles Leclerc, que com uma atuação exuberante levou a fraquíssima Sauber ao sexto lugar, tornando-se o primeiro monegasco a pontuar na F-1 desde Louis Chiron, terceiro colocado de Maserati no GP de Mônaco de 1950. Apadrinhado da Ferrari e campeão da F-2 no ano passado, o menino vem deixando uma ótima impressão no ano de estreia.

 

NÃO GOSTAMOS…

sobrebaku185

Grosjean: vergonha inenarrável

…da batida ridícula de Romain Grosjean >>>, que fazia uma corrida brilhante, de último para sexto, quando deu no muro ao aquecer pneus atrás do safety-car — fazendo com que ele ficasse mais tempo na pista e abreviando as emoções das voltas finais. O francês da Haas assumiu a culpa. Disse que mexeu sem querer num botão que jogou a carga do freio para trás e as rodas travaram quando ele brecou. Aff.

58 comentários

  1. CRSJ disse:

    Toto Wolff não ficou absolutamente feliz com a vitória do Hamilton: “O primeiro motivo é que faltou o ritmo e o segundo motivo é que o ‘cara’ mais rápido na pista não terminou em conta de um furo causado por destroços na pista faltando três voltas para o final.” 338 pontuados até aqui, com essa zona de pontuação gigante daqui a pouco sobe pra 350. Enquanto o Charles Leclerc surpreende com sua nanica Sauber chegando em sexto o Romain Grosjean fica numa posição frustrante sem pontuar até agora e errando de forma melancólica na última bandeira amarela perdendo o seu sexto lugar. Realmente o Alonso virou bonito chegando em sétimo depois de reparar o seu carro no Boxe no início da corrida. Quem vem rindo por último nessas duas últimas corridas é o Vovô Räikkönen que conseguiu dois pódios consecutivos devido as mancadas da própria Ferrari e do parceiro Vettel.

  2. Hassan disse:

    Oi Flavio,

    Desculpa, nao sei em qual email mandar, encontrei esse artigo sobre um jornalista da BBC que avaliou o carro do Alonso pra mostrar o quão ruim ele estava e mesmo assim conseguiu levar até o final e em sétimo lugar… Ele compara com Senna no Brasil em 91, e com Schumacher na Espanha em 94… Muito interessante vale a pena conferir!

    https://www.bbc.com/sport/formula1/43973625

    Um Abs,
    Hassan.

  3. CHAGAS disse:

    Bottas venceria, teria 65 pts contra 64 de Vettel e 63 de Hamilton.
    Evidente que o fato de ele ter o pneu furado a 2 voltas do fim, foi algo fora do comum, mesmo em uma corrida tão maluca como essa. Hamilton fez questão de deixar claro que a vitória era de Bottas.
    Muitos aqui tratam o piloto como Bostas, teve um até o comparou a Frentzen. O Lito comentarista da Sportv zomba desse piloto quando tem oportunidade.
    Bottas vai terminar esta temporada entre os 10 pilotos que mais pontos fizeram na história da F1. Ele bateu todos os seus adversários internos até o ano passado quando disputou pela primeira vez contra Hamilton, que além de ser um piloto excepcional, já esta na Mercedes a 6 anos.
    O finlandês dificilmente erra, é rápido nas classificações e tem ritmo forte nas corridas. Esse ano tirando a Austrália, teve chance de vitórias nas outras 3 corridas.
    Desde o ano passado Bottas está em um carro campeão, no ano passado ele mesmo confessou que pilotou abaixo do que pode. Este ano não, deveria estar ponteando o campeonato, e está fazendo por merecer disputar o título.
    Temos que ver esse piloto com mais atenção, pois no final da temporada pode acontecer de não termos um pentacampeão.

  4. charles disse:

    Qual piloto em atuação teria culhões para dar uma catracada em Max e ele ouvir? Massa (ano passado), Vettel, Hamilton já tentaram e falharam miseravelmente

  5. Leandro Batista disse:

    A minha impressão é a de muitos aqui. Verstappen mudou de direção duas vezes. Ricardo se perdeu, foi tragado pelo vacuo e encheu a traseira do menino tal qual um zé ruela que fica olhando o celular enquanto está dirigindo e não percebe que o transito a frente parou. Do Grosjean, ele cagou quando bateu no muro. E sentou em cima quando resolveu colocar a culpa no Ericsson. Era melhor falar que estava bebado.
    Ja a Ferrari, tudo bem que o imponderavel aconteceu, mas ja dava pra arriscar o ultramacio quando Vettel parou. Nao entendi porque optaram pelo macio. E no fim, ele arriscou. Podia ter dado certo como podia ter dado merda, Deu merda, fazer o que.

  6. Michael Esdren disse:

    O safety car foi o que decidiu QUASE TUDO na corrida…. só não foi a causa da cagado do Vettel….mas foi a causa do pneu furado do Bottas pois depois de tamto tempo com safety car como ainda havia sujeira na pista???? foi mal limpado….ha se fosse no Brasil……
    Bottas foi de sortudo a maior azarado do dia em poucos minutos…. sortudo porque o safety car lhe caiu no colo e fez só uma parada ficando à frente do Vettzel e o mais azarado pois foi ele que achou aquele caco de pedaço de carro e furou seu pnue, qualquer um dos 15 carros +- que ainda estavam na prova podia ter tido esse azar mas foi na cabeça dele que a merda caiu…… Vettel fez uma cagada sim, forçou na hora errada e pagou o preço….acho que ele estava puto da vida a Ferrari devia ter deixado ele mais umas voltas e parar junto com o Bottas e voltar com ultramacio pra umas 15 voltas mas nao a equipe chamou e ele perdeu a primeira posição tão perfeitamente conquistada ja com a pole, largada, corrida, ou seja, estragaram tudo!!!! e ele deve ter pensado “deixa que eu mesmo resolvo essa merda””” e o resto todo mundo viu né……. Sortudos: hamiltinho que até então tava condenado a ficar em terceiro atras do Bottas numa corrida em que ele não fez nada demais e acabou lhe sobrando uma vitória de mao beijada pois ele nao fez nada mesmo por merecer, e raikonen tambem teve sorte…depois do azar na qualificação e no inicio da corrida, segundo lugar herdado de RBRs e Vet…… parabens ao Peres e ao Leclerc, entre erstapen e Riccardo minha opniao coincide com a Do Flavio: Ricardo forçou e não conseguiu evitar o toque então se ha alguem culpado é o canguru risonho…..
    Baku imprevisivel mesmo, gosto das provas ali, achei um pouco lento os safety cars que roubaram muiot tempo de corrida…..
    O campeonato ficou dificil pras RBRs agora…. teriam que ter superdesempenho e torcer por tropeços dos 4 primeiros, Bottas teve tremendo prejuizo, poderia ficar proximo a hamilto ou ate ultrapassar ele e ser o segundo , acabou caindo pra quarto trinta pontos atras…. recuperavel sim, mas tem Vet e hamilt com grande vantagem e superar esses dois não é tao simples assim além dele ter agora o kimi a sua frente…….mas o kimmi não deve ter muitas pretenções ao titulo pois Vettel o sufoca : no bom sentido, mas se ele ficar proximo o suficiente, vencer pelo menos duas provas pode dar trabalho no final do campeonato…….. e parece que o duelo ficara mesmo entre Sebastian e hamilto, no fim provavelmente teremos um PENTACAMPEÃO só resta saber se será branco ou preto: Black or White ??? this is the question!!!! Vettel estava perfeito: pole, boa largada, controle da corrida…. até o segundo safety car…….. e hamilt tava fraco provavelmente perderia a segunda posição….até o fatidico segundo safety car……… COMO AS COISAS MUDAM NÉ!!!!!

  7. Rafael Rego BH disse:

    Grosjean em 2016 fez cagada parecida em Interlagos, indo pro grid. Ta certo que tava tudo molhado, mas…
    Schumacher abandonou o gp da china de 2005 ao rodar atras do SC, quando tentava aquecer os pneus.
    Essas merdas acontecem.

  8. Tales Gaede disse:

    FG Você é piloto e sabe que a tomada para uma curva à esquerda é pelo lado direito da pista. Portanto fica claro que Verstappen não voltou para à esquerda para fazer a tomada. Foi um segundo movimento com a intenção de bloquear.

  9. Plinio disse:

    Fiquei tão cismado com o entrevero na RBR que vi insistentemente o replay da batida e não tem jeito. Não consigo ver o que o Ricciardo poderia fazer. Vestappen é muito culpado. Não dá pra um piloto ziguezaguear na pista. Você mencionou a tomada da curva, mas não foi isso nem de longe.

  10. Rafael N disse:

    desculpa Grosjean, mas botão no volante de C é R

  11. Plinio disse:

    Você tem razão quando diz que simpatias e antipatias podem guiar opiniões. É bem isso mesmo. E gostei da abordagem sobre o chacoalhada que se faz necessária no jovem e talentoso piloto. Com isso fica a questão mor. Contra um piloto assim, até que ele melhore, é necessário jogar duríssimo. Ricciardo demorou, mas começou a fazer isso. Tomara que continue. Isso não o torna inocente na batida. Mas, Max estava sendo Max. O que se pode fazer nesse caso. Se outro piloto está disposto a bater ele é melhor que os outros ou é apenas inconsequente? O que Max faz é colocar o oponente em situação de, pra me passar só batendo. Em situação contrária é, ou me deixa passar ou eu bato. Esse risco assumido, e está claro que Max guia assim, o torna uma espécie de infrator na F1. Volta a grande questão. O que um piloto como Riccardo, com o mesmo carro, mas com um rendimento um pouco melhor pode fazer? Partir pro tudo ou nada. Pode dar certo ou não. Isso não o torna inocente e a FIA agiu bem em atribuir responsabilidade aos dois. Porém, em tudo há uma subjetividade intrínseca e o que Max faz lhe atribui maior culpa.

    • Boca disse:

      Cara,
      Onde assino?

      Você foi PERFEITO no seu comentário.
      Parabéns pela explicação cirúrgica.
      Max é desse jeito.
      Tb acho que a culpa pela batida em si foi “meio a meio”, mas há outras nuances que devem ser consideradas, como você bem frisou.

  12. J.Soares disse:

    Flávio, eu sempre leio o blog, gosto muito do seu texto.
    Mas está semana a sua leitura da corrida foi excepcional !!!!!!!!!!
    Fica um parabéns!!!!
    Acho que o Rio te faz bem! Traz os DKV’s e agregados prá cá!!! Rs rs rs!!!
    É acho também que não ter brasileiro correndo talvez (muito talvez…) ajude a melhorar a percepção sobre este esporte.
    Abraço!

  13. Cicero disse:

    Cara, vc é idiota assim ou só está se fazendo? Sendo ou não torcedor ou fã do cara… respeito sempre é bom.

  14. Paulo Leite disse:

    Flavio, ótimo texto para uma temporada de corridas ótimas, até agora. Sem brasileiro no grid, alguém sabe como está a audiencia das corridas ? Eu sinto que tanto faz ter ou não ter brasileiro, povo gosta mesmo é de boas corridas.

    Sobre o Paradoxo de Alonso, O Coitado, é o questionamento sobre a existência (ou não) de carros de corrida de F1 competitivos para Alonso em outros planetas e galáxias do Universo. Alonso, quando senta num carro de corrida, o torna imprestável..

  15. Clodoaldo lelli disse:

    Fg é fod… Fica falando que el picon das galáxias denovo foi o destaque da corrida maior zueiro kkkkkk

  16. Mansell disse:

    Cada vez que falam ou aparece o Jos Verstappen na tv eu lembro que o Rubinho dava couro nele

  17. SandroKaram disse:

    Essa lista de pilotos que pontuaram cresceu em 2 numeros só nessa corrida. Pois além do Hartley teve o Leclerc

  18. Macario disse:

    A culpa foi do Ricciardo. Simples assim. E essa opinião seria praticamente unânine se no carro abalroado não tivesse um piloto chamado Max Verstappen. Sinceramente não consigo entender tanta virulência contra o moleque. Pergunte ao Toto Wolff ou ao Arrivabene se eles não queriam o fedelho guiando seus carros. Pergunte ao Marko porque eles correram pra renovar com ele. Será que ainda não está claro que esse moleque é fenomenal? Claro que ele comete erros, mas suas qualidades são indiscutíveis. Pra quem não consegue ‘engolir’ o holandês: aceite, que dói menos, porque Verstappen está fadado a ser o maior de todos.

    • Wesley Andrade disse:

      O senhor tem absoluta certeza que o Verstappen será o maior de todos os tempos? Para mim, ainda é cedo para definir esta questão, e somente o tempo se encarregará de confirmar a sua afirmação. Passe bem.

    • Amaral disse:

      Não sou fâ do Verstappen. Mas acho ele um puta piloto, rápido, ousado, claramente acima da média. Pra idade que tem, é constante, rápido e se adapta bem às situações. Tem plenas condições de ser campeão do mundo.
      O grande problema é que ele não se acha um piloto acima da média. Se acha o maior piloto de todos os tempos, a última bolacha do pacote, o santo graal do automobilismo. E muitos compram essa ideia cegamente.
      Ah, ainda é novo? Sim. Mas já tem três temporadas na categoria. Não é mais um novato. E tem um pai que foi do ramo, mas que parece que incentiva as atitudes destemperadas, tipo “sou assim mesmo, e daí, aceita que dói menos”. Não é por aí. Arrogância só diminui o tamanho do mérito.
      Desse jeito que ele leva as coisas hoje, ele acabará sendo “só” um Nigel Mansell. Só ganhará com um carro de outro planeta, se não tiver isso, ficará no “quase”. Com a diferença de que Nigel nunca se achou o maior de todos, sabia que não era, ainda mais na época galática em que correu.

  19. Bola da Vez disse:

    Concordo com a opinião do Flavio Gomes, que é a mesma que a minha. Ricciardo tem tanta ou mais culpa que Verstappen. E volto a dizer, se Max fosse totalmente culpado, os comissários o teriam punido.

  20. Joao disse:

    Excelente texto, como sempre.
    Ainda acho que os pilotos desta geração não tem o mínimo de juízo ao disputar posição. Não dão espaço, jogam o carro pra cima e que se f….
    Na “quase” decolagem do Gasly, haja halo pra proteger. Um dia alguém vai morrer com esses comportamentos.

  21. Wesley Andrade disse:

    Eu gostei e eu concordo com a análise.

    Na minha visão, a falha do Ricciardo foi resultado da mistura do seu próprio otimismo com a imprevisibilidade do Verstappen.

    Bom feriado a todos.

  22. Paulo Fonseca disse:

    Prezado F&G: Hoje o seu texto foi além de coerente, foi honesto,há mais de cinco anos,venho acompanhando as melhores impressões depois de relatos dos fãs ,e comentaristas amadores na qual me encaixo .Seu texto foi exata fotografia da melhor corrida da temporada até agora .A corrida foi sensacional . Vamos apostar uma Pizza, não vai ter outra corrida com tantas emoções nesta temporada.

  23. Brabham-5 disse:

    A dupla Alonso-McLaren está igual ao meu São Paulo FC.
    O mesmo discurso: “Jogamos (corremos) como nunca, mas perdemos como sempre”.
    Sempre está em “evolução” e não sai da situação medíocre em que se encontra.
    “Melhor corrida da minha vida”, “Jogamos muito bem”…e no final do campeonato, só DERROTA e do meio da tabela pra baixo.
    Alonso deveria ficar calado.
    Esta´ficando ridículo.

  24. Brabham-5 disse:

    Discutimos as atitude de Grosjean e Verstappen, mas vocês viram o que o Magnussen fez com o Gasly nessa corrida?
    Dá uma olhada nisso:

    https://www.facebook.com/f1videosalltime/videos/2018757975007798/?hc_ref=ARQbb8rEVXwnszMhWWSIsQIHX715W8EPYyNOx4rlUSkxEQ1AmgChIF9gh2yz28yKY88

    Esses pilotos da Haas (Grosjean & Magnussen)…
    O Capitão Nascimento já avisou. #VaiDarMerda #loucos
    São uns psicopatas.

  25. Valter disse:

    Alonso, el Fodon de lo mershandesing personal.

  26. Roberto disse:

    Prezado Flavio,
    Você sempre procurou ser rigoroso com a noticia. E isso é que faz você ter tantos leitores. A informação vem separada da opinião.
    Na matéria da redação de Porto Alegre:
    “Hamilton relata infração de Vettel durante safety-car no Azerbaijão e pede punição: “Ele acelerava e freava”
    A uma informação inverídica.
    No GP de 2017, Hamilton não fez bresk test como a matéria afirmou. Os dados da telemetria mostraram que ele não pisou no freio.
    E isso foi discutido aqui. A impressão tinha sido essa.
    Peço a correção da matéria.
    A propósito, acabei de ler seu livro. Dois cigarros. Apesar de não fumar, foram muito bons os dois cigarros.
    Parabéns. Escreve mais.

    • Brabham-5 disse:

      Lewis Hamilton é mais um que vai no modelo Tite e Neymar, de imagem de bom moço, mas que APELA quando ninguém está vendo.
      Se realmente tentou isso ao reclamar do Vettel diminuir a velocidade antes da relargada, ainda mais em Baku, um ano depois do que houve entre ele e Vettel ano passado, é o CÚMULO DA HIPOCRISIA.
      E o pior é que os fãs desses duas caras sempre acabam chamando os rivais de anti-éticos, “dick vigaristas”, trapaceiros, o carro do rival sempre está “com algo irregular que lhe dá mais vantagem”, etc, etc.
      Podem reparar. Essas coisas se repetem na F1 desde 1992/93…
      Coincidência?
      Aliás, Feliz PRIMEIRO DE MAIO á todos.

      • Segafredo disse:

        Teu recalque é escandaloso, kkkkkkk! Os pilotos que vc julga serem os melhores, nunca receberam/receberão elogios do tipo que receberam Senna, Alonso e Hamilton.

        …………..e sabe por quê?

        porque só sabem/souberam vencer com grande vantagem de equipamento, ou seja: #PILOTINHOSFAKESDEMERDA, heheheheheheh

      • Alfredinho disse:

        Entendi, finalmente, porque Hamilton é tão fã de Senna.

        Disse tudo sem rodeios, Brabham-5!

    • McLaren-12 disse:

      Se ninguém está vendo, como sabe que eles estão apelando?

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>