Cevert

SÃO PAULO (morria-se fácil) – Emocionante este pequeno vídeo sobre a morte de François Cevert em outubro de 1973 em Watkins Glen. Enviado pelo blogueiro Felipe ABCD.

Jackie Stewart, por causa desse acidente, encerrou a carreira ali, aos 99 GPs.

Comentários

  • em 1973 eu era uma adolescente de 15 anos e fiquei muito impressionada com o falecimento de Cevert pois ele faleceu no dia do meu aniversario; agora graças a era globalizada pude conhecer detalhes.Agradeço se vocês puderem me mandar este video acima que não esta mais disponivel.
    ateciosamente
    regina

  • Fiquei triste. Quem acompanhava a F1desde adolescente lembra de desastres incríveis. Tinha uma turma que lia Autosport (italiana) para saber o que acontecia neste mundo tão distante. Víamos filmes e cópias, fotos e o Clevert era um cara admirado. E (ops) muito bem casado.

  • O Cevert tinha uma personalidade curiosa.
    Enquanto esportistas de alto desempenho dificilmente se interessam por modalidades que não as que praticam, e no máximo acompanham superficialmente um ou outro esporte diferente.
    Cevert parecia se interessar por todo tipo de competição que houvesse.
    Contam seus amigos que quando estava em um autódromo e no mesmo instante ocorria algum evento esportivo importante, tenis, futebol, box, etc. Cevert ficava impaciente atrás de notícias, procurava por reportes, radialistas ou quem quer que pudesse lhe fornecer as informações que desejava. E só ai se acalmava.

  • Melhor do que ver vídeos de F-1 antigos é ouvi-los… na Globo só ouço o Rubinho e o Massa, e o Burti claro… antigamente eles entrevistavam pilotos, antigamente não, melhor, nos putros países… aqui só se ouve uns limitadissimos discursos do Rubinho e Massa…

  • Este vídeo é de botar velho chorando. Impressionante. O Wilsinho Fittipaldi me disse certa vez que na noite anterior jantara com Cevert no hotel, dormiram em apartamentos separados por meros 5 metros, juntos tomaram café da manhã e juntos foram para o autódromo, Wilsinho de carona. Em uma parada de box, pista interditada, um mecânico encostou e disse secamente ” François morreu”. Foram quase 10 minutos, a pé, chorando no maior arraso. Assim era a F-1 em sua fase certamente mais marcante

  • Flávio,

    Você está enganado. Stewart já havia decidido que se aposentadoria ao final de 1973. Em Watkins Glen, faria sua corrida. Mas a morte de François Cevert, um dos acidentes mais terríveis da história, fez a Tyrrell optar por abandonar as atividades na pista norte-americana. Assim, Stewart perdeu seu amigo e sucessor e não pôde disputar seu 100° GP.

    A morte de Cevert é um mistério até hoje. Como não há imagens do acidente, várias teorias surgiram. Um delas aponta que o francês teria vomitado no capacete, tese baseada no fato de ter-se encontrado vômito em seus restos mortais. Assim, Cevert teria obstruído a visão e o acidente foi inevitável.

    Mas a hipótese mais aceita diz ele perdeu o controle sobre o carro em altíssima velocidade ao passar por uma ondulação. Lembre-se de que, naquela época, a altura entre o assoalho dos carros e o asfalto era mínima, a fim de se evitar arrasto aerodinâmico. Hoje, por motivos de segurança, uma distância mínima deve ser respeitada. Ao sair da pista, Cevert acertou o guard-rail, atravessou a pista, acertando as lâminas do outro lado, capotou e deslizou sobre elas por alguns metros, sendo cruelmente degolado. Assim, o vômito seria apenas uma conseqüência do primeiro choque, segundos antes de ser degolado. Seu corpo foi cruelmente esquartejado, as pernas foram mutiladas.

    Terminava de forma trágica, em 6 de outubro de 1973, uma das carreiras mais promissoras da F-1. Depois desse dia, a Tyrrell nunca mais foi a mesma. Conquistou meia dúzia de vitória até retirar-se definitivamente da categoria ao final de 1998.

  • De facto, é impressionante. Acho que foi o Emerson que disse, há muitos anos atrás que, no inicio dos anos 70, as hipoteses de alguem morrer na F1 eram equivalentes as de um piloto de Spitfires durante a Batalha de Inglaterra, em 1940… portanto, é verdade: nesse tempo, morrer era fácil!

  • Foi esse acidente que o carro deslizou sobre o guard rail de ponta cabeça?

    Eu tinha esse video, eu tinha também um video de um acidente que um carro atropelou um bombeiro com um extintor na mão., no fim do video mostram o piloto sem a cabeça. video de muito mal gosto por sinal.

  • Um vídeo muito triste, era um futuro campeão , mas naquela época acredito que não existia tamanha preocupação com a segurança. Foram necessárias ,todas as mortes estúpidas de grandes campeões ou futuros campeões , para existir a segurança de hoje . Mortes como Cevert, Peterson , Villeneuve ,Senna e muitos outros que cairam no esquecimento. Cada morte colaborou para uma nova segurança, felizmente e infelizmente,pois perdemos grandes pilotos.

  • Um dos acidentes mais estúpidos que já vi. Morria-se muito fácil mesmo. Mas tb, era uma época muito diferente. Inimaginável hoje em dia 02 companheiros de equipe tão amigos, um mestre e o outro discípulo. Impossível ver alguém tb com comportamente tão ético como o Stewart, dentro e fora das pistas. Triste sinal dos tempos.

    Abraços

    Valmir