Último farnel do ano: mural

SÃO PAULO (não resisti) – Pois é macacada, acho que fechamos o ano com chave de ouro. 35 carros na última prova da temporada da Superclassic! Ganhou na geral o Nenê Finotti com o Topolino (o que lhe daria o título da Divisão 3), mas o Evaldo Luque, da BMW, protestou contra um suposto toque nos metros finais e os comissários tiraram 20s do Nenê. Haverá recurso.

Mas falemos do farnel, organizado mais uma vez por Brandão e Caio, o de Santos, com a ajuda gastronômica e operacional da Doutora Mariela.

Muita gente apareceu, apesar das dificuldades para entrar no autódromo em função das coisas de tuning. Mas no fim acho que deu tudo certo.

O #96 comportou-se dignamente em sua última aparição pública no ano (isso se ele não for chamado para o especial de Natal do Faustão), virando 2min34s9 na classificação, penúltimo tempo. Mas repetindo o seu melhor em Interlagos.

Na corrida, sufoco danado na volta de apresentação. Eu costumo desligar o carro no grid, ainda mais num calor como o de hoje (corremos às 14h20), porque aquelas placas de 5 e 3 minutos demoram muito. Na de 3 fui ligar o carro e vi que a bateria estava fraca. Não virou. Por sorte, como estava na última fila e o grid era longo, meu carro estava naquela parte inclinada da reta dos boxes. Soltei o carro na descida, cruzando a pista, engatei segunda, ele engasgou, fez que ia, não foi, insisti e ele pegou. Aí foi limpando devagar, até que… limpou! Eu passei uns dez carros no grid, que não estavam entendendo nada.

Depois, tudo normal. Foi um corridão de vários de nossos pilotos, como o Gildo, o Adriano, o Furrier, os Carloni, Giordano, Shimura, Brunelli, Lapietra, Magnusson, Bocchi (que voltou em grande estilo com seu Chevette branco), Loco e o duelo espetacular Luque x Finotti, que valia título.

O #96 foi premiado antes da largada no salão do farnel com o troféu de carro mais bonito do ano (eleição direta, sem pressão e com campanha limpa!) e eu finalmente conheci minha tartaruga, que deveria ter sido entregue na F-Speed, mas se Maomé não vai à F-Speed, a F-Speed vai a Maomé e estiveram todos lá para zoar com este que vos fala.

Depois uma turma foi para Aldeia andar no F-Speed de testes preparado pelo Lucca Furquim, mas o cansaço me derrubou e cá estou. Agora, uma noite tranquila depois de um dia bem cheio.

Durante a semana coloco algumas fotos, mas o Caio fará isso no seu blog também. Ah, e antes que me esqueça: registro especialíssimo para o Roberto Zuquim, que subiu de Floripa para SP para checar ao vivo se esses farnéis existem, mesmo.

Existem, sim, e são bem legais.

Depois eu volto. Enquanto isso, usem este espaço como mural de “causos” do último farnel de 2006.

Comentários

  • Que gostosa acolhida os “farneleiros” me dão!
    Muito obrigado!
    Olha, pessoal, fiquei num tesão lascado de correr na Superclassic. Já bolei o carro todo. É inevitável; quando dou por mim, meio distraído, me vejo já “vendo” o carro. Um Chevette motor AP 2000 cabeçote cross-flow 8 válvulas (pois já me falaram que o 8 vira melhor Interlagos pela mais ampla faixa de torque que o 16). Chevette peladinho, com capôs e paralamas de plástico-fibra, pneus Michelin, dois duplos Weber 40 ou 48, álcool, diferencial do Chevette automático pra ficar mais longo, cambagem dianteira negativa… A traseira escorregando bonito na entrada do Miolo e no Bico de Pato… Olha pessoal… eu ia dar trabalho pra vocês…
    Estou tentando um patrocínio aí. Vamos ver no que dá.
    Vontade não falta.
    Nos veremos então dia 25 de janeiro no evento Clássicos de Competição.
    Forte abraço a todos. Estou muito agradecido.
    Arnaldo

  • Bianchini:
    Sugiro que:
    1) Me empreste o Monza.
    2) Calibramos os pneus.
    3) Damos umas voltinhas básicas de madruga num certo lugar, num certo dia.
    4) Depois, posso ser até legal contigo e TE deixar experimentar o TEU carro.
    Essa história de acertar a frente para ficar neutro me interessa sobremaneira… Veja lá, não vou admitir ninguem andando na minha frente dia 25 de Janeiro, hein !
    Grande abraço.

  • Arnaldo, na emoção de ver que você também estava no blog acabei me atravancando com as palavras, era isso mesmo, a instalação do kit do 1600 no Fusca 1300. Aliás, fiz uma experiência que você me recomendou para fazer o Monza ficar mais sobreesterçante por e-mail e conseguí fazer o bichinho neutro. Admito que faltou um pouco de coragem para “brincar” um pouco mais com a calibragem dos pneus e dar um comportamento de carro de ralí, mas já está mais gostoso de entrar em curvas.
    Agora, se para participar do farnel precisa de convite, considere-se desde já convidado (e acho que posso escrever isso em nome de todos os outros blogueiros)!
    Grande abraço!

  • Honra terei eu de participar do próximo farnel. Principalmente para espremer o Brandão que falou que dividiu uma namorada comigo há uns 20 e tantos anos. Acontece que até hoje eu não sabia dessa tal “divisão”. O Brandão era um menino muito levado, como podem ver. E de havaiana só me lembro da que foi generosa comigo em sua própria terra natal. Acho que um dos dois, o Brandão ou eu, está caducando.
    Sobre o pistão do 1600 no motor 1300: não seria a troca do kit completo? Não entendi bem o que o amigo quis dizer.
    Bom, afinal, me convidem pra esse tal de farnel que não quero ficar fora dessa.
    abração
    Arnaldo

  • Muito bom termos o Naldão Keller por aqui.
    As matérias dele no Super Auto são memoráveis, e de muito bom humor.
    Fora as receitinhas deliciosas para melhorar o apetite dos nossos queridos motores a ar.
    Até salvei algumas no meu micro.
    Mais alegria para os próximos farnéis, principalmente se ficarmos definitivamente com a sala Willians, (Platinum para os íntimos).

  • Bianchini,
    Ah, se todos tivessem uma esposaa como asua Alessandra…, sossegada, paciente e companheira divertida dos farnéis.
    Pode contar com Arnaldão Keller nos farnéis para o ano que vem. Eu o arrasto para lá, como fazia com o XK 120 dele. (que, aliás, ajudamos a restaurar, mas ele não emprestava a chave e saia ganhando as menininhas do Alto de Pinheiros.
    Bons tempos, hein? Menores de idade e paquerando de Jaguar.
    FG, assim é que vivem e viviam os ex-ricos, como você classifica.
    Ajudamos a restaurar o Jaguar XK 120 do Arnaldo e o do Kehl, outro amigo de Santa Cruz. Este último ficou inteiro, perfeito.
    Mas, queríamos mesmo era aloprar no Corvetão do tio do Arnaldo.
    Se ele topar, podemos contar das festas do terror, da famosa festa Romana (todo mundo só de toga), isso tudo e ainda não tínhamos 18!
    mais tarde, dividimos uma havaiana (e não era a sandália). Lermbra dessa, Arnaldo? Qual era o nome dela?

  • Prezados!!
    \\
    Bom demais este farnel. O lugar deve ser nosso, sempre!!

    Vamos ajustar um novo encontro paara Janeiro!! Estou dentro.

    Mestre Ceragatti, o próximo troféu da turma de Piracicaba já está sendo montado!!! Aguarde novidades!!
    Forte abraçoa todos os amigos e até 2007!!!

  • Gente, será que no ano que vém teremos a honra de ter no farnel a presença de Arnaldo Keller, um dos mais competentes jornalistas do ramo, emérito conhecedor de big-blocks e apaixonado por Fuscas (para quem não leu, recomendo vivamente entrar no site do jornal Super Auto e ler uma matéria de uns anos atrás sobre por o pistão do 1600 no Fusca 1300, imperdível!)?!?!?!? De qualquer maneira, seja bem vindo, grande Arnaldo!
    Arquimedes, meu caro, prometo tentar não mais esquecer seu nome… mas você há de convir que Highlander é um apelido que combina bem contigo, hein?
    Abração e traga a bengala para os próximos farnéis!

  • Roberto Brandão, amigo de muitos anos que não via há tantos outros. Foi muito bom lhe dar um abraço.
    Me perguntou sobre o Corvetão preto, 1969, motor 427 ci, 435 cv. Meu tio vendeu para um trouxa que não sabia guiar e só o queria para desfile. Pois é, esse camarada trocou o 427 por um 6 cil de Opala!!! No final, há um ano, achei esse carro. Está agora em boas mãos e o dono procurou, procurou e achou o motor original, o “matching number” e o botou de volta. Logo logo vou guiar o bichão pra rememorar as aceleradas que dei no violento. Lembro que tinha uns 17 ou 18 anos e meu tio me jogava as chaves na mão e aí… ai Meu Deus!! Andava pracaramba.
    E lembra que você e outros FDP lá do Santa Cruz escondiam meu Jaguar XK 120 e quando eu saía da escola tinha que sair procurando o carro pelo bairro? Vocês, seus FDP, empurravam o carro pois ele não tinha capota nem trava de direção. Lembra que o carro não valia nada e que vendi pra comprar um Fuscão zero 1974? Burro eu!!
    Bom, é por aí. Agora que o reencotrei você terá outras boas chances de me sacanear.
    Abraço Forte,
    Naldão

  • Blogaiada
    Parece que todo mundo tá esquecendo do evento de Janeiro/07 – Classico de Competição!!!!!
    vamos fazer Farnél só com carro parado, ou não vai rolar aquela regularidade hein Sr. Cerega!!!!!

    Caro Ressucitado, ou Mister Bengalinha, assim como o FG não precisa aparecer, só o #96, manda a bengalinha para o próximo Farnel e vc não precisa vir eheheheh

  • Primeiramente vou pedir desculpas publicamente para o Hélio Carreira. Fiquei de dar uma carona pro aeroporto pra ele no final da corrida. Deveria ter dado o numero do celular pra ele… Mas agora já foi.
    Um acéfalo que tava costurando no chão molhado, tentou colocar uma S10 no porta-malas do Uno que tava dirigindo na sexta-feira, e o pior, se não bastasse destruir a traseira do Uno, acabou com as 2 caixas de Brahma que tinha acabado de comprar. Que raiva!!!
    Eu to com aquele protetor cervical (como é horrível não poder mexer a cabeça), mas meu amigo e eu já estamos bem melhor.
    Lendo os comentários, percebo que foi outro farnel incrível, mas ano que vem to firme e forte pra zoar com vocês novamente. Abraço para todos.

  • Olá, pessoal..
    Desculpem a demora em postar, estava meio ocupado. Mais um grande dia…estava há três meses (desde os 500 km de Interlagos em setembro) sem participar de um Farnel e este não foi diferente. A alegria de ver velhos conhecidos e de encontrar rostos novos. Quantidade não quer dizer qualidade, todos sabemos, e se não batemos um recorde de presença, ganhamos em companheirismo e simpatia dos que estavam lá. Tudo – ou quase – já foi dito, só senti a falta do Máximo, LucPeq, Vitão, Jonni’O, Caio de Curitiba, só pra citar os mais assíduos. Mas a grata satisfação de conhecer o Furquim e a Dra. Mariela. Organização ímpar (entendam, a baderna de sempre…) embora o pessoal do shit-tunning tenha complicado um pouco), mas nada que o fairplay do Ceregatti e o fair-porrada do Caio de Santos não resolvessem.
    No mais o prazer de sempre de estar com esta turma maravilhosa: Cerega, Caio, Brandão, Saloma, Romeu, Guerra, Cássio, Acarloz, Petrus, Nelson, Foresti e familia, Bianchini e esposa, Arquimedes e tutti quanti (aos que eu esqueci de citar ,minhas sinceras desculpas).
    Sou também a favor da Sala Williams, se der vamos nos amesendar no local.
    Bem, pessoal, até janeiro e tudo começa novamente. Abs. a todos.

  • Muito bem.
    Além do meu testemunho, e dos outros, quem ainda não foi e não sabe bem do que estamos falando, reordenei os vídeos do Roger, e pendurei lá…
    Mas que o Brandão está certo, ele está.
    Oh povo desanimado…

  • Mais um encontro fantástico. Poxa, eu uso meu próprio nome e mesmo assim ganhei apelido rsrr. Highlander e ressuscitado foram legais hehe. Valeu. Bom, mas no próximo encontro estarei sem a bengalinha, graças a Deus. Como sempre, ambiente fantástico (apesar do bos.tunning), novas amizades e reencontro com as “velhas” amizades. Grande Zuquim, valeu pela companhia. Sou muito grato a todos vocês por mais um dia fantástico. Bem que poderia ter um em Janeiro mesmo, assim não ficaríamos “tanto” tempo sem estes encontros.