MENU

sexta-feira, 16 de janeiro de 2009 - 12:01Colunas Grand Prix

COLUNA 1

GUARUJÁ (um pouco mais ao sul) – A coluna do Reginaldo Leme está no ar. Fala da austeridade das festas de lançamento dos carros em 2009 e também do uso do KERS. Terminando com uma previsão otimista para Massa, que segundo o Regi se dá bem em situações novas. Leia lá e comente aqui!

11 comentários

  1. JBCarneiro disse:

    Concordo com o Reginaldo. A Formula 1 será mais sensacional ainda o dia em que as equipes tiverem orçamentos praticamente iguais. Em 2008 os destaques foram BMW e Renault com orçamentos mais próximo das grandes. E STR mais por qualidade técnica e de pilotos do que dinheiro, imagine esta com o orçamento de uma Renault, por exemplo.

    O caminho é a redução dos custos. Cortar superfluos e luxos desnecessarios, chegando até o essencial. Porém não se deve igualar o orçamento de uma Ferrari ou McLaren ao das independentes como FI, RBR ou Williams. O que caracteriza a F1 é o auto nível tecnologico, o uso de tecnologias avançadas que outras categorias não tem. É isso que atrai e cativa o publico ao redor do mundo. Caso contrário ficaria como a Formula Indy e acho que nenhum torcedor quer isso.

    O ideal é reduzir os orçamentos das grandes e aumentar o das pequenas até que se igualem em um ponto que permita a continuidade do uso da alta tecnologia na F1.
    Para isso a solução é fazer o que apregoa a FOTA, através das palavras de Luca di Montezemolo: “Temos um contrato até 2012 e até lá temos muito tempo para melhorar o show e aumentar as rendas. A estrutura da categoria deve ser como a de um triângulo: no topo, ficam as equipes, que investem e inovam; de um lado da
    base, fica alguém que administra o aspecto comercial, como Bernie Ecclestone; na outra ponta, uma entidade política que leve em conta a vontade dos times e defenda a natureza do esporte”

    Essa sim é a mudança profunda que a categoria precisa promover pois permitirá que a maioria das equipes tornem-se competitivas, disputando vitórias, mesmo que sejam independentes. Jackie Stewart é mais radical e acha que tanto Bernie quanto Max devem ser afastados dos comandos da F1.

    As mudanças introduzidas agora, em 2009, são muito bem vindas se realmente facilitarem as ultrapassagens e aproximar as equipes ao longo do tempo. Mas não parece ser isso o que vai acontecer. Parece satisfazer mais aos interesses de Bernie Ecclestone, que já está dizendo que agora que os custos foram reduzidos poderá
    repassar menos verba às equipes, do que satisfazer os interesses das equipes e pilotos. Equivale a uma pessoa trocar todas as suas roupas, por sapatos novos e pensar que será alguem totalmente diferente. Achar que irá mudar. Não irá. Vão continuar as grandes disparadas na frente e as independentes se arrebentando para, quem sabe, ficar a meio grid de distancia. A STR já está dizendo que sem dinheiro não conseguirá acompanhar as lideres que são mais ricas.

    Bernie Ecclestone é um sujeito brilhante. Trouxe as montadoras para a F1 para que elas garantissem o show com seus gastos astronomicos. Tranformou a categoria em um negócio bilionario. Para quem? Alegam que Bernie Eccclestone já era milionário quando criou a FOM. Era mesmo. Parece fácil passar de milionário para bilionário, é um pulinho. Ser milionário por si só não justifica ser um dos maiores bilionários de um pais.

    Só para dar uma ideia de grandezas numericas e financeiras.16.000 minutos equivalem a aproximadamente 11 dias. 16.000.000, que é apenas mil vezes mais, equivale a 35 anos e, portanto 16.000.000.000 de minutos equivale a 35.000 anos, que representa toda a história da espécie humana no planeta, desde que aprendeu a dominar o fogo até os dias de hoje!

    Quem tem 10.000.000 de dolares pode gastar 82.000 dolares por mes durante dez anos, não dá para comprar uma Ferrari F430 por mes. Se tiver 10.000.000.000 poderá gastar 82.000.000 por mes durante dez anos, dá para comprar 100 Ferraris F430 por mes e ainda sobra muito. É uma diferença consideravel, não?
    O maior mérito da FOM foi transformar Bernie num dos maiores bilionarios da Inglaterra, às custas das equipes, dos funcionários das mesmas e, principalmente, dos pilotos que são os que duelam nas pistas e quem realmente garante as audiências e o grande interesse na F1.

    O sr. Bernie Ecclestone deveria ser uma espécie de Diretor Comercial e de Eventos da Formula 1. Claro que precisaria ganhar muito bem para isso. Que ganhe algo como ganhava Michael Schumacher, ou que seja o dobro, mas ser o dono de praticamente todo o lucro gerado é o que inviabiliza a categoria. É o que faz com que sempre duas ou às vezes quatro equipes disputem as vitórias. Aí ele inventa aquela história de medalhas só para enganar e não fazer a mudança que realmente interessa. Supondo que um piloto ganhe cinco corridas no ano e depois só faça do terceiro lugar para tras. Outro piloto ganhe quatro corridas e faça segundo lugar nas outras todas. O que ganhou cinco terá cinco medalhas de ouro e será o campeão, sendo que o outro foi muito melhor e será vice. Tremenda injustiça. Pontos sempre será melhor para a F1. Nas Olimpiadas de 2008 a China ganhou mais ouros. Aí os Norte Americanos passaram a considerar o total de medalhas como mais importante porque assim eles ficavam em primeiro lugar. Chega de Bernie!

  2. Eduardo Mendes disse:

    Acho que o link para a coluna do RL não foi colocada no site do Grande Premio. Consegui ler apenas com o link deste blog.

  3. Arnaldo disse:

    sinceramente…nada a ver esse treco do massa q ele falou…

  4. Crise financeira mundial + lançamentos modestos de carros + implantação ou não do KERS + restrições aerodinâmicas = Felipe Massa favorito?

    A-D-O-R-O os comentários do Reginaldo Leme, mas hoje não gostei não. Ficou uma salada sem sentido.

    A única coisa que concordo é que a BMW realmente não pode abrir mão de algo no qual ela investe há muito tempo. Xiiii, tô achando que o Pato da Cracóvia vai fazer muito quá quá em 2009.

  5. Geraldo Netto Cavalcante disse:

    Se as equipes estão tendo tanto problema com o KERS, a FIA deveria contratar a COSWORTH para fornecer esse equipamento, pois ela fornecia para os carros da CHAMPCAR e funcionam sem problemas.

  6. Guilherme Bezerra disse:

    Não acredito que Felipe seja favorito ao título por se adaptar melhor à situações novas. Acho-o favorito por ter amadurecido muito na última temporada e também por correr em um grande time, com recursos finaceiros suficientes para uma eventual recuperação, com a temporada em andamento. Além disso, ele está motivado por ter terminado o ano de forma positiva e isso conta muito. Mas ele não está sozinho. Raikkonen tem dado mostras de estar bastante motivado. Parece finalmente ter acordado para o fato de que perdeu espaço dentro da equipe e vai querer mudar isso. Ele ainda conta com a confiança da direção da equipe mas, por outro lado, sabe que esta pode ser a sua última chance, visto os rumores da possível chegada de Alonso.
    Se a Renault tiver realizado um bom carro, Alonso poderá ser um osso duríssimo além, é claro, de Lewis Hamilton que conforme já avisou, não vai aliviar por já ter conquistado um título. O cara quer mais. Acho que teremos uma grande temporada em 2009.

  7. Pé de Chumbo disse:

    Tó preocupado mesmo é com a situação do Massa na Ferrari, depois desse “imbróglio” diplomático entre Brasil e Itália, por conta do fulano que o Ministro da Justiça não quer extraditar lá pra justiça italiana. Já tão falando em boicote aos produtos brasileiros, não sei se o Massa não entra nesse pacote. Se bem que, boicote por boicote, eles têm muito mais a perder do que nós…

  8. CorredorX disse:

    A coluna também está magra.

  9. Rodrigo Tossato disse:

    onde escrevi: avhei que o gasto seria menos (erro grotesco de minha parte)

    deve- se ler: achei que o gasto seria menor…

  10. Rodrigo Tossato disse:

    Bom, acho que Felipe é tão favorito quanto os outros das equipes grandes, os campeonatos estão mostrando muito sobe e desce de piltos na temporada. o KERS não entendo o funcionamento dele, entendo o conceito, pra que serva, mas como funciona? não faço idéia, achei que o gasto seria menos, se o desempenho sem ele for o mesmo as equipes que tem dúvida não devem usa-lo.

    PS. Flávio vc viu o que a Honda va fazer no Japão? demitir 3 mil funcionários, isso prova sua tese defendida por mim e tantos outros, não é a F1 que onera a Honda…é a má administração mesmo, a cara do CEO dela também não me enganou….

  11. Eric disse:

    Festa contida para lançar carro?

    Vixe…tá feia a coisa mesmo….

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>