ANOTHER SATURDAY

SÃO PAULO (no fim, salvaram-se todos) – Buenas, macacada. Acabei de chegar de Interlagos, onde o bravo Meianov cumpriu mais uma etapa em sua carreira que está apenas começando. Foi um sabadão normal, no que diz respeito às coisas do asfalto e da mecânica.

A segunda etapa da Classic Cup, novo nome de nosso campeonato, teve 28 carros no grid — mais do que a primeira, menos do que podemos. Já sob regulamento novo (três divisões, cada uma delas subdividida em categorias por cilindrada do motor), Meianov foi enquadrado na D2C, a saber: carros com motores originais, mas carburação não-original (não meti uns Weber, ainda, mas vou fazê-lo), até 1.600 cc. Sortudo, eu… É a segunda categoria com mais competidores, nove hoje (a D3B teve dez). Cheguei em sexto, 19º na geral. Necas de troféu!

Não gostei do resultado, nem do desempenho do simpático soviético. Larguei em penúltimo com 2min19s137 (a pole foi do Transformer do Ricardo Malanga, 2min04s323) e a melhor volta na corrida veio em 2min18s311. A nova suspensão melhorou a frente, mas piorou a traseira. O carro destraciona demais, agora.

Em relação ao #96, o Meianov é bem mais veloz, coisa de 20 segundos por volta. Um avanço, sem dúvida. Mas hoje, para andar no bolo da Classic Cup, é preciso virar entre 2min08s e 2min12s. Portanto, precisamos arrancar uns 5s por volta, e logo. Vamos conseguir, acho, trabalhando no peso (tem muita coisa de lata que dá para fazer em fibra), no carburador e, mais tarde, no câmbio. Se nada disso der certo, mexemos no piloto!

A classificação, pela manhã, aconteceu com a pista úmida e alguma garoa. O tempo ficou firme de tarde e largamos com asfalto totalmente seco. Para mim, pelo menos, a corrida só teve alguma emoção nas primeiras quatro ou cinco voltas. Na largada, no Sol, a Brasília do Hugo teve problemas de embreagem e quase parou no meio do pelotão. Todo mundo desviou, foi inacreditável. Ninguém tocou nele, ninguém se tocou. Mais adiante, ainda na primeira volta, no Bico de Pato, o Puma do Waldevino Junior rodou e, de novo, todo mundo passou ileso.

Andei mais ou menos junto do Fiat do José Zuffo, como na última corrida, mas vi que seu motor estava abrindo o bico, e realmente abriu. Depois, passei outro velho conhecido, o Fusca #00 do Fernando Alcoforado, que igualmente teve problemas, porque cheguei muito rápido e passei sem dificuldades. A partir daí, andei sozinho, apenas para chegar ao final.

Ganhou, na geral, nosso querido Sebastião Gulla, companheiro da LF, com seu Puma vermelho #51 em 31min24s813. Alfonso Abrami, também de Puma, foi o segundo, um resultado espetacular. Antonio Chambel, de Passat, ficou em terceiro, com Wanderley Natali (Passat) e Fábio Coelho (Passat) fechando os cinco primeiros. O Malanga, que largou na pole, quebrou.

A blogaiada estava animada, em várias rodinhas espalhadas pelo paddock. Veio até uma louca por Lada (existe, sim!) de São Carlos, a blogueira Raiza, que aproveitou para conhecer Interlagos e ver de perto o glorioso Meianov.

Um sábado sem grandes sobressaltos, enfim. Mas o Meianov precisa andar mais.

Comentários

  • FG, não conheço profundamente motores Lada, mas sei que o Laika trabalha com corrente de comando. Nos anos 70 tinha um preparador que alterava a ordem de ignição do motor corcel, (que também usa comando acionado por corrente) e utilizando um comando com diagramação adequada conseguia uns bons CV . Sugiro verificar se o motor Fiat usado no #69 possui configuração semelhante a do corcel, o que adimitiria essa alteração. E motores com essa configuração realmente vão bem com carburação mais adequada. Apesar da complexidade, o fluxo de alimentação, pelo menos em tese, se dá de forma mais plana quando você usa dois carburadores, mesmo que de corpo simples, ao invés de um único de corpo duplo. E um trabalhinho nos moldes que alguns preparadores faziam nos CHT poderia trazer uns bons cavalinhos a mais(vide a Berlineta do Aguia e o Corcel que corriam na Classic). Abs

  • O mais engraçado foi o seguinte, não pude ir ao autódromo pois tive aula de manhã na faculdade e de tarde iria viajar para Campinas, mas quando estava na Av. Roberto Marinho, já de saída para viajar, quem eu vejo no meu retrovisor, de óculos escuros, em seu Lada? Você mesmo FG! Parece destino, sei lá, quer dizer mesmo eu não podendo ir eu fiquei com isso na cabeça e fiquei feliz em te ver. E ao mesmo tempo não tive coragem de businar ou fazer um aceno com a mão, coisa assim. Até porque no meio do trânsito essas coisas são complicadas.
    Mas é isso, apenas uma curiosidade. Abração.

  • Dú já tem uma pessoa que faz esse trabalho, só que com crianças carentes, especiais e cadeirantes…
    Acompanho desde o inicio…
    Leva para conhecer Interlagos e dar umas voltas na pista !!
    É o projeto “Raciocinando em Velocidade”, segundo Daniel Maso o criador do projeto, é impagavel a alegria de todas as crianças.

  • Vitão, reflexo condicionadio é o caminho da salvação para o piloto do # 69.
    Jonny’O, a danada tem até nome: Josefina.
    Cerega, na madrugada de um sábado desses , te espero de moto no retão, antes da três. Vou te filmar para o deleita da turma.
    Caio, se tá perdendo…o Joca tava impagável!
    Rogério, ainda não foi desta vêz, mas valeu a vitória.
    Dú, tá confirmado o FG não descende dos portugueses, precisamos trocar umas idéias.
    E o Puminha # 23? Que paixão!
    Sabadão pra não esquecer.
    Abs

  • Show de sabado….o bar da Emilia “tomado”de blogueiros….a Porsche do Paulão levando 2 canecos de 3º e 5º……bacana demais.
    Fora todos os xaropes presentes…sempre fantásticos e impagáveis….

    Abração a todos!!!!

  • Aliandro,
    Pista somente sob supervisão de certo Comendador, que abre às 4 da matina.

    Regi e Cerega, desculpem minha ausência e silêncio.
    Tava “de velório” no Memorial.
    Barra!
    Aliás, vizinho, me ligar pra confirmar idas e vindas não atrapalha, é um prazer!
    Poderias ter ido inclusive de “Japonês Tomático”.
    Carta?
    Te escrevo uma…

    Jonny veio?
    Mierda…

    FG, sobre o plano de negócios (vc lembrou minha ex-gerente que falava metade em português metade em inglês) se precisar de apoio e mão-de-bra, grite, estamos sempre a disposição!!!
    Aliás, não será falta de Muzzarella do dia anterior que destoa o acelerador?
    Ou ela acontece sob outras bandas???

    Alex Martins, venha de busão, te pego no Tietê / Barra Funda.
    Ou o LucPeq o pega, se não se importar andar de Vespa!!!

  • MAGAL, estavamos nós (Dú, Jackie) no S, indo em direção ao paddock, quando passa um grupo de pirralhos, no máximo com 11 ou 12 anos, dizendo : “ainda bem que o Malanga quebrou, a corrida tava muito chata, ficou bem melhor depois” !
    Essa molecada é impagável.

  • Tem muita lata? Só tem lata, e véia!

    Aliás, poderia até mudar o nome do Lada Meianov para Lata Veianov.

    Uma dúvida: com esta sua altura toda será que vc consegue cravar o acelerador até o final? Pode estar aí o problema! rsrs

    Ou será que faz como o Barrichello admitiu há muito tempo atrás (nos tempos da Jordan) deixar o pé esquerdo “descansando” sobre o pedal do freio?

    Abs

  • Foi um dos melhores encontros ,acho que só faltou o Caio e o Brandão.

    O Cassio é algo a ser estudado pela ciencia ,3 sorvetes pela manhã e depois uns 4 ou 5 salgados e é muito magro ,teve ter uma solitaria!

    Como diz meu Pai que é portugues ,o 69 continua na rabeira !Falta ainda uns 5 segundos ,é tempo ,parece que vem de carburador novo brevemente para achar mais uns dez a quinze cavalinhos ?

    O Japa e o Rogerio estavam tradicionalmente uniformizados ,disse para eles que ,se a Portuguesa vencer o campeonato ,pago o salão pra torcida comemorar ,é só alugar uma Kombi.

    Depois teve a prova da força livre ,foi uma boa surpresa ,uma corrida bem disputada entre uma Ferrari ,Maserati e um Porsche que conseguiu acompanhar as maravilhas italianas no inicio da prova ,mas depois acabou o folego do fuscão tonado que ficou para trás ,….para o desespero do Eric!

    As coisas podiam ser melhores se os Mavecos estivessem na Classic e a Stock paulista largasse junto com a foça livre ,quem sabe um dia.

  • Acompanhei a largada bem do lado do Malanga, mas fiquei ali onde fica os fiscais de prova, entao deu pra ver o carro todo de cima.
    De puma ali so tem o nome, que buracos são aquelas no capô dianteiro a ponto de conseguir ver todo o asfalto???

    Gostei na hora que ele quebrou, mas tava torcendo mesmo é que o puma vermelho ganhasse a posição na pista, na disputa, o puminha vermelho tava andando demais. Foi a primeira vez que assisti a Classic Cup e curti muito.

  • “business plan”
    Puuuuuta idéia, que aumente o peso, vire em 2:19.
    Calma, 2:16, mas sensacional!
    Sabia que ontem lá, acompanhando a corrida do Paulo, fui fechar o box, pois já viu né.
    Voltando para o pit pensei vendo as arquibancadas.
    Só vejo o Feldman no Roadshow, na Stock, e centenas de crianças gostariam de estar sentadas ali vendo os carros.
    Escola Pública, crianças em casa sem o que fazer, transporte Público gratuito, atividades culturais.
    FG, o maior barato é chegar em Carlos Barbosa para o Brasileiro de Motocross na quinta, e ao final da tarde de quinta e sexta, as escolas trazem os alunos em fila para pedirem adesivos, sentarem nas motos, iteragirem com a coisa.
    Virou tradição, a molecada pergunta se o cara do ano passado veio correr, vão com os bonés que ganharam. Este ano tiro foto, é um momento mágico.

  • “E que porrada que a TL deu, hein? Pior que só vi o acontecido quando a gente tava no parque fechado e o caminhão do resgate passou com ela ali… belo estrago na dianteira…”

    Menos do que parecia… por incrivel que pareça todas as peças de fibra sobreviveram, a mini-frente é facilmente substituível, e a porrada não afetou a suspensão. Michael saiu ileso, aborrecido por ter batido com um carro de outra categoria e estragado um final de semana que até então estava impecável…

    Como no nosso esporte não é questão de “se voce vai bater” mas questão de “quando voce vai bater”… faz parte. Em abril estaremos lá, provavelmente já na quinta antes da etapa.

    [ ]s

  • Um dia li um comentario de alguem famoso que dizia que para o seu carro andar 70% a mais, voce gastara 30% do seu dinheiro, e para andar mais os 30% que faltam voce gastara os outros 70% do seu dinehiro hehehehehe, faz sentido!
    Boa Sorte com a caranga!
    abç.

  • Cheguei meio tarde para os meus padrões, porém, deu tempo para ver não só as melhores carangas do automobilismo paulista, mas encontrar os velhos amigos com gasolina na veia… valeu bastante o sábado, mais uma vez…

    E que porrada que a TL deu, hein? Pior que só vi o acontecido quando a gente tava no parque fechado e o caminhão do resgate passou com ela ali… belo estrago na dianteira…

    Mais tarde é capaz do Poppi aparecer por aqui relatando do êxtase de uma molecadinha com essa quebra do Transformer do Malanga, foi engraçado, hahahahahaha…

    Ah, e só um detalhe: a torcida da Lusa em Interlagos ontem estava grande, hehehehe…

  • Another race, another victory??? Nooo??? Shame on you, lousy driver!!! Putz, Flavinho, o “Frankenpuma” do MALA Malanga não pode estar na mesma categoria do MEDIANUEV, cara!! Pobre herói siberiano, vai ter que fazer muita dieta para baixar os tais 5 segundos…o piloto tambem! Quem sabes tu fazes a dieta que o Barrica fez pra andar de F-1???Hein?? Será que uns aerofolios aqui, umas asinhas ali, tira a suspensão aquosa, quem sabe? Quem sabe uma bolha da STOCK?? Rsrsrsrsrs!

  • Teve corrida ontem? Então ainda não começaram a montar o palco do show do Iron Maiden?
    Domingo que vem finalmente vou conhecer Interlagos pessoalmente. Não será vendo uma corrida, mas será legal ver o Iron Maiden mais uma vez e de quebra conhecer Interlagos!

  • 1- foi muito bom reencontrar a quadrilha, principalmente ver o Cerega na pilha. Grandes planos comendattore. Ala jact est .
    2- o assunto dos carbs parece correto, porque na saída do S o motor demora a encher. Folgo em saber que você vai de Weber e não de algo exótico como uns Stromberg de fluxo horizontal !
    3- sobre redução de peso, além das peças de fibra, dá para aliviar o monobloco também. Deixa o Cerega solto com um serra copo e uma tico-tico que você vai ver (o churrasco e cerva pra diversão eu garanto )
    4- E você tornou-se cobaia de um experimento pavloviano do Cassio; sempre tem um gatorade geladinho no paddock; se parar antes não ganha refresco !

  • Show de bola o fato do Meianov ter terminado sem problemas a corrida. Resistencia já tem, Flavio e já é um passo bom.
    Pena eu morar tão longe SP. Mas moro perto de Ribeirão Preto e se o tal circuito sair mesmo naquela cidade, seria muito legal se voces viessem por estas bandas…
    Até lá, bem que voce podeira dar um jeito de colocar a sua camera “on board” e postar no Youtube pra galera. O lance da Brasa com problemas e a pilotaiada desviando deve ter sido o bicho!

  • Pela primeira vez percebo você bastante crítico com o #69. É isso aí não dá moleza pra ele! Meu irmão sempre jogou no gol e eu no ataque. Quando eu tava meio desligado ele me provocava, dizia que eu não era de nada, que tava dormindo em campo… Aí eu ficava mordido e arrebentava com o jogo… Bata e depois assopra! Tenho certeza que vai dar certo.

  • realmente o Meianov precisa melhorar sua velocidade… esse tempo é pior do que os tempos que Hatchs médios 2.0 de rua conseguem em Interlagos…

    esse alívio de peso deve ajudar, mas é necessário mais potência para rasgar a subida dos boxes

  • Pôxa, na quinta você não praticou na Isetta? Gostaria de ter ido conhecer o Meianov de perto, mas justo hoje tinha uma droga de exame…Na proxima não escapa. Ah, se precisar tenho um motor de Wyllis (com dupla carburação) e cambio de dodge pronto para corrida. Não mexa no piloto não.

  • Peguei o Regi 6:20 da manhã. Entramos lá pelo portão kartodromo. No lugar de virar à esquerda e contornar pelo lado de fora a 1 e a 2, “sem querer querendo” fui direto, entrei pelo portão do retão, virei à direita e descemos até a curva 3. Contornei com o Regi já babando, entrei pela 4 e ferradura: Ninguem na área.
    Então foi entrar pelo laranjinha e dar umas voltinhas no asfalto úmido… Depois o Regi conta.
    Quando chegamos no box, flagramos a nova suspensão ativa construída pelo Jorjão e Nenê fazendo aqueles movimentos esquisitos pra cima e pra baixo sozinha, como a Williams do Mansell… Brincadeirinha… É um novo triangulo inferior com ball joints que permite regular a cambagem por baixo, gostei.
    Ficou tão melhor que pregou a frente e a traseira escapa, é nítido. Mas nada que um pouco de quilometragem e treinos livres para acertos de equilíbrio não ajustem. Tá melhorando o bichinho.
    Mas o melhor do dia foi matar as saudades do pessoal e conhecer o Francis “Poeira na Veia” Trennepohl, que veio lá dos mares do sul, com seu filho. Mais um apaixonado de carteirinha pra turma, que conheceu toda. Seu filho então, de máquina fotográfica em punho não perdeu nada, e fizemos juntos aquela “excursão padrão” pelo Templo, andando por caminhos e curva e pontos de vista que poucos conhecem.
    Quem tava lá? Se não esqueci de ninguem: Regi, Saloma, Tohmé, Magalhães, Nipo-Luso, Cassio Missiroli, Ciro Margoni, Belair e seus filhos, Nazar, Du Cardim, Eric, Vitão, Joaquim, Jackie Della Barba, Pablo e Pablete, Popp, Johnny ‘O e vários outros que esqueci.
    E passamos mais um belo dia de corridas com nosso amigo Paulo Aidar de Porsche, junto do Fernando Monis de Spyder Race na Força Livre.
    Quanto ao Meianov e seu pseudo-piloto-jornalista, ano que vem o russo vai andar muito de reta.
    Vou empurrá-lo de Opala.
    Para os bandeirinhas, a gente combina que vinha embutido no vácuo. Não vai prestar.

  • To besta até agora com o ritmo de prova que o Gulla tocou a corrida toda… e para voce ver, aguentou, enquanto que o “bixo verde” quebrou…

    Pena fica pelo Seu Hugo e a MINHA Brasilia 71..mas carreras san carreras… e, bem, nós que acompanhamos a Classic desde os tempos mais primórdios, sabemos que o Gulla mesmo, para atingir o vivel de performance que tem hoje, pastou bastante.

    Outro que teve um desempenho muito bom foi o Marcelo Chamas. Está mantendo boas voltas com constância, e creio que mais um pouco e pode vir para a briga.

    E, de resto, vale salientar a boa participação do Marcelo Giordano, que infelizmente teve uma pane seca, e ficou em 2º na categoria. Faz parte.

  • FG na última corrida do ano voce poderia fazer uma promo igual a rbr ou toro rosso fez de colocar o nome da galera do blog so que voce cobra uns R$ 10,00 contos por espaço tipo aquela promocao do pixel, quem tem grana compra maior eu que so probre,feio e moro longe (goiania) compraria um menorzinho mas compraria. um abraço

    RESPOSTA DO FG:

    No “business plan” do Meianov isso está previsto para breve. Mas a grana arrecadada será doada a uma instituição que cuida de crianças com câncer. Aguardem novidades.

  • “Vamos conseguir, acho, trabalhando no peso”

    Tens razão FG, com seu Manager revoltado e eu falando.
    Tirar o peso do braço, e treinar de quarta………
    Cássio, era de plástico o Gatorede? Não tinha mancha na cabeça do FG. Deu na cabeça ou para beber?
    Foi show o dia .
    Como o Gui, Pai do Ratinho diz, é nós na FIta.

  • Estive hoje em Interlagos e sai de lá animadissímo para montar um carro e entrar na brincadeira. Sou fanatico por carros e corridas desde pequeno, já fui a Interlagos várias vzes mas sempre para F1 ou Stock, e hoje realmente gostei de estar lá e ver muita gente normal (não as estrelas carimbadas), mas apaixonados por automobilismo.
    O Flavio tem razão, esta categoria pode ter muitos carros mais.
    Luiz.