MENU

domingo, 24 de maio de 2009 - 16:50F-1

MONEGASCAS (12)

SÃO PAULO (e olhe lá) – O desempenho de Kimi e Massa em Mônaco trouxe enorme melancolia à Ferrari, foi o que me contou Gola Profonda, em telefonema desanimado agora há pouco já da fronteira com a Itália, em Ventimiglia, bebericando um Segafredo curtíssimo num café que fica logo na entrada da cidade.

“Não tinha ninguém da imprensa no nosso motorhome depois da corrida”, disse o Gola. “E olha que o Luca pediu para a gente arrumar as mesas e colocar umas garrafas de tubaína para os jornalistas. Até os copinhos eram da Nadir Figueiredo. Tinha coxinha de catupiri e brigadeiro. Tudo coisinha simples, caseira. Nada de champanhe. Para a gente mostrar que está na luta para reduzir os custos. Mas só veio um repórter finlandês, e ele queria vodca. Foi embora quando falei que só tinha tubaína. Ele disse que não ia beber qualquer coisa.”

Perguntei por quê, já que deu pódio, troféu e tudo mais, não era para ser um dia de festa, imprensa italiana, brasileira, todo mundo trocando abraços e apertos de mão? Tudo bem, entendo, um terceiro lugar não é nada disso, mas depois daquele começo de temporada está de ótimo tamanho, não? Ao menos o Raikkonen, não estava feliz?

“Estava puto. Porque o Bourdais pontuou. A gente não falou no rádio, porque senão ele não ia buscar nem o troféu. Foi lá, ficou olhando as pernocas da filha da princesa, esvaziou a garrafa e quando chegou nos boxes é que lembrou do Bourdais. E o vesgo?, perguntou. Quando contamos que chegou em oitavo, jogou a taça na parede e chutou o bico do carro. Mas era o carro do Felipe. Aí o Felipe deu um bico no carro dele, também. E ficou tudo por isso mesmo.”

Mas, afinal, por que essa obsessão com o Bourdais?, perguntei. “Acho que tem a ver com o motor. O Kimi tem certeza que a fábrica dá um motor melhor para o Bourdais do que para ele por causa dos óculos.” Dos óculos? “É, tem um cara no departamento de motores que usa uns óculos muito grossos, e um dia o Kimi passou por lá e perguntou como é que um quatro-olhos daquele podia montar motores de F-1, e o cara ficou doido e chamou ele de bebum e foi uma bruta confusão, e o cara jurou que não ia ficar assim, e desde então o Kimi tem essa implicância com o Bourdais.” Entendi, finalmente.

Bom, mas e a equipe, não ficou animada com com a reação, o carro não voltou a ser competitivo, a brigar na frente? “Nada, o Felipe estava muito irritado o fim de semana todo ainda por causa da Espanha, descobriram que ele tinha gasolina no tanque no final, que não precisava economizar nada, que perdeu duas posições à toa, e exigiu mudanças para a Turquia, ele quer ganhar de qualquer jeito, porque só ele ganha lá e tal.”

E quais mudanças?, perguntei. “Maior autonomia, um tanque maior para não correr riscos, ele não confia mais nos caras que calculam o consumo e a quantidade de combustível, e vai ter um chassi novo, um pacote aerodinâmico bem diferente. Já tenho foto. Vou desligar e te mandar pelo celular.”

Já chegou.

53 comentários

  1. beatriz disse:

    adooooro o raikkonen sempre tô ligada no mundial de rally

  2. Otto Lima disse:

    Com esse novo tanque da Ferrari, Kimi não vai mais precisar fazer como no GP de Mônaco de 2006, quando abandonou a prova e foi tomar um goró no iate de um amigo. O novo tanque tem autonomia para abastecer carro e piloto durante toda a prova.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *