MENU

quinta-feira, 15 de julho de 2010 - 17:19Antigos em geral

CARROS DA FIRMA (21)

SÃO PAULO (que tristeza) – Quando vejo carros com adesivo “REPORTAGEM” em São Paulo, atualmente, dá dó. São Celtas, Gols ou Corsas invariavelmente prateados com placas de Curitiba ou Tocantins. Tudo alugado, com placa de fora para não pagar multa. Ou para pagar menos IPVA, sei lá.

Foi-se o tempo em que as empresas jornalísticas tinham seus veículos personalizados. A Bandeirantes, por exemplo, tinha carros e peruas cujas placas tinham, sempre, o número 13, do canal.

Foi-se o tempo dessas duas Rurais (horrível, esse plural) do quase finado “Jornal do Brasil”, que o Jason Vôngoli descobriu em seus arquivos.

Lindas.

Ah, e se confirmou a história do “JB”. Em setembro, sai de circulação e fica apenas na internet, para tristeza do Rio.

27 comentários

  1. Nelson Dantas disse:

    Sou assinante do JB Digital e continuo o processo revolucionário das comunicações, pelo menos é o que a nossa realidade comporta. A Rural além do JB, serviu ao Pietro Bardi como carro diário e era comum em cidades produtoras de banana como Guarujá, Rio Bonito e Caeté uma vez que a produção exigia regiões úmidas comum em áreas íngremes. Curiosidade da lingua portuguesa: nome próprio é inflexível e Ford Rural vira Rurals enquanto zona rural vira zonas rurais. Poode?

  2. Luiz Paulo disse:

    O prédio do Moinho Marilu acaba de ser comprado pela construtora Thisman

  3. Simone Tobias disse:

    Poxa, triste demais!

  4. Orlando Salomone disse:

    Os carros no Brasil estão entre os mais caros do mundo, e no entanto, continuamos comprando, sem questionar a absurda carga de impostos que incide sobre eles, esta sim a verdadeira razão do preço abusivo. Se anunciarem que vai haver aumento, as pessoas correm p’ra trocar de carro. Se for aumento no preço da gasolina, fazem fila no posto. Se for no preço da carne, fazem fila no açougue. Só falta fazer fila no pedágio. E a culpa ainda é do governo…

    • Jason Vôngoli disse:

      Salomone,
      Dizer que automóvel no Brasil é caro por causa dos impostos altos é lugar comum (e os fabricantes adoram que o público creia nisso). Os impostos altos, na verdade, são apenas parte do problema…
      Dá uma olhadinha numa recente matéria da “Época” que mostra que, mesmo descontando todos os impostos estaduais e federais, o Corolla continuaria a ser vendido no Brasil mais caro do que na Inglaterra, nos EUA, na China, no Japão, no México…
      Ou seja: é margem de lucro mesmo – baseada no quanto o consumidor brasileiro se dispõe a pagar. E lembre-se de que nossas fábricas de automóveis estão trabalhando no limite da capacidade.

  5. Tiago Mio disse:

    Gostei da 2 foto,

  6. Neanderthal disse:

    Essa da foto de baixo é horrorosa com esses stencils, parece viatura militar. A decima é bonita sim, com o logo do jornal que modernizou o visual na imprensa brasileira.

  7. Paulo Z disse:

    Amigos

    Em algum ponto dos anos 60 a WILLYS usou o slogan “veículo de utilidade pública” para a RURAL. A frase já era usada no entanto pela RÁDIO JB (AM 780) e resultou em um anúncio.

    VIVA O JB!

  8. Eduardo Britto disse:

    Gostei da singela passarela da 1ª foto. Valeu!

  9. Carlos Tóla disse:

    Galera, eu trabalho na Editora Abril na Marginal Pinheiros e lá temos nossos carros da frota, basicamente Gol, Palio e Logan todos com placa de Belo Horizonte ou Curitiba. Isso ocorre devido aos carros serem terceirizados, isso traz uma redução grande nos custos de manutenção, já que é pago um valor x por mês para y carros locados. E tem mais, não precisamos ficar preocupados com renovação de frota, já que a cada 18 meses a troca a automática.

  10. Diego Moreira Antelo disse:

    A Rural que aparece na Avenida Brasil já tinha o design que os carros de reportagem do JB vestiram por muito tempo. Além da Rural, clássicas foram as Brasílias Creme e, depois, por volta de 88, 89, os Chevettes, também creme, estalando de novos.
    Engraçado é que, justamente hoje, em São Cristóvão, tive o desgosto de ver um carro de reportagem do JB. Um Prisma, com placa do Paraná, com uns adesivos “Jornal do Brasil” e “Reportagem” muito mal colados, tortos, puro improviso.
    A Sede da Av. Brasil 500 foi construída onde era o moinho Marilu, que foi consumido em um incêndio.
    É muito triste ver um jornal que era referência nacional acabando de forma tão melancólica…ver o prédio da Brasil dói demais.

  11. Oldair disse:

    Bom hoje qualquer coisa que transmita por vias aereas ja e chamado radio…aqui em casa fazem quatro anos que e so retirar o fone do gancho para ouvir a indesejada fm fazenda rio grande fm,garanto que pega melhor que nos radinhos onde deveria ser ouvida….

  12. Bruno Oliveira disse:

    Aqui em Curitiba o principal jornal (Gazeta do Povo) tem frota própria, são os carros da RPC (filial Rede Globo Paraná) pois são do mesmo grupo.

  13. Lio disse:

    CULPA DE QUEM ? QUE NÃO TEM MAIS FROTA PROPRIA ? Do Governo JANIO na época aumentou o valor das multas ficou igual ao EUA e Europa só que LÁ ELES USAM O DINHEIRO EM FAVOR DO POVO..aqui eles usam o dinheiro em favor deles mesmo…Não viu o Kabbab falando precisamos atingir A META ACHO QUE É 100 MILHÕES não me lembro mais..É META aumentar todo dia por que não tem meta na educação….na segurança ?..
    Ai com este ENORME ROUBO DE IPVAS E MULTAS E MAIS A S PEÇAS DOS CARROS preço absurdo…as firmas resolveram acabar com as frotas e alugar ..sai muito mais BARATO …quem sabe um dia se aparecer um Governador HONESTO e prefeito e tire os IPVAS ..e force as montadoras abaixarem o preço das peças..ai talvez Eu vote nas eleções e as firmas voltem a ter frotas…

    • Lio disse:

      Esqueci de colocar KASSAB DISSE QUE PRECISA ATINGIR A META DAS MULTAS DE TRANSITO …paa qualquer idiota esta na cara que ficam loucos pelo dinheiro que as multas dão…a ordem é SAI MULTANDO PRECISAMOS ATINGIR A META ….é fim do mundo mesmo pelo menos neste Brasil.

  14. luis da matta disse:

    Sobre as Veraneios da Globo, quando fui prá lá nos 80, ainda haviam muitas Rurais (?) no jornalismo e Kombis bicudinhas na produção. Essas eram usadas em programas de baixo orçamento, tais como Sitio Pica Pau, Caso Verdade eoutros.
    E as Veraneios aos poucos foram sendo limadas, entrando em seu lugar umas Ibizas e Furglaines, que logo se desintegraram, pois eram um lixo só. Depois disso eram somente as Kombis cliper, valentes e duradouras.
    Ainda consegui adquirir uma dessas Veraneios, que está comigo até hoje, mas não é mais prata há muitos anos.
    Ainda é um carro da firma, só que da minha firma.

  15. Andre Decourt disse:

    Na primeira foto, a Rural sai do Av. Brasil 500, super prédio do JB saqueado nas barbas da polícia coisa de 5 anos atrás. O feio Perimetral ainda estava sendo construído, vemos os pilares. Data, por volta de 1975

  16. Moita disse:

    Isso sem contar que a metade dos carros (geralmente Kombis) com adesivo de “Reportagem” no carro são apenas trambicagens de carros de entrega que querem escapar de multas por estacionamento irregular e outras coisas.

  17. Leonardo Luiz Verleun disse:

    A primeira foto foi tirada na saída do antigo prédio do JB na Av. Rodrigues Alves. Sobre o teto da Rural vê-se o prédio do Moinho Marilú (hoje desativado), pertencente ao grupo Bunge.
    A segunda foto parece ser nas imediações da Av. Rio Branco, centro do Rio de Janeiro.

  18. José Brabham disse:

    Putz… fiquei chocado com essa notícia! O JB era o jornal que meu pai assinava no Rio, em (tentativa de) contraponto ao império Global.

  19. Rodrigo disse:

    Sinto uma alegria estúpida cada vez que vejo foto de Rural neste espaço. Agradeço em nome da minha… Eu lembro que ainda criança em passeios com minha família por São Paulo passávamos pelo prédio do Primeiramão, jornal de classificados, onde sempre havia estacionada uma Rural da reportagem (?) do jornal. Há alguns anos que não vejo. Será que ainda existe? Alguém tem informação? Aproveito para deixar outra pergunta. Vendo com meu tio umas fotos antigas aqui em casa, ele insistiu que a primeira Rural de meu pai era 4×4. No entanto nas fotos esta Rural usava calotas. Existiu Rural 4×4 com calota? Abraço Flávio.

    • Leonardo Luiz Verleun disse:

      Que eu saiba não, Rodrigo.
      O último lançamento de Rural 4×4 foi em 1977, e não tinham calotas. O motor também já não era o 6 cil em linha, e sim o 4 cil que equipava os Mavericks e Jeeps, obviamente com outras relações de marcha.

    • Alvaro disse:

      Rodrigo,

      Sim, meu pai teve uma Rural 62 4X4 com calotas, apesar de ser um modelo simples, inclusive de uma só cor, verde claro, era de 3 marchas com cambio no assoalho com as alavancas de tração e reduzida ao lado, como nos Jeeps, foi o 2º carro que dirigi, não dá para esquecer os detalhes.

      Abs,

      Alvaro

    • Sérgio Castro disse:

      Existiu e existe várias por aí, e chega a ser bem curiosa a calota, pois possui um prolongamento central para cobrir toda a roda livre. A Rural que aparece em primeiro plano é 4X2, pois possui calota simples.

  20. YPVS disse:

    Maneiro! Meu pai sempre conta as aventuras com as Rurais do JB.
    Ao fundo, na primeira foto, seria a ponte sendo construída?

  21. Fernando Souza disse:

    Engraçado que aqui em Curitiba os carros alugados têm placa de Belo Horizonte.

  22. Christian - Do Niva disse:

    Pensei que fossem dois Kia Soul (ahahahahahah). São iguaizinhos.

    Quem diria, a Globo que já teve frotas de Veraneios prateadas, tendo inclusive mandado fazer algumas Veraneios M, hoje usa Palio Weekend Adventure (ecaaaa) ou Tucson (ecaaaaaa x 10).

    Abraços

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>