DE DENTRO

SÃO PAULO (insano) – A dupla italiana Moreno/Bonato vinha logo atrás de Kubica ontem, no Rali Andora. Neste vídeo on-board dá para se ter uma ideia da dificuldade e do perigo do trecho. Aos 3min15s (valeu, Capelli), a chegada ao local onde Kubica havia acabado de bater. O navegador do polonês acena para os italianos, um blogueiro aí embaixo acha que ele sinalizava o pedido de um celular. Não há comunicação de rádio com o piloto e navegador, alertados por uma singela bandeira amarela poucos metros antes do acidente.

Rali é um negócio perigoso demais. Eu adoro, sou fã, mas os protocolos de segurança têm de ser revistos, por mais que se saiba que há 20 ou 30 anos as coisas eram absolutamente primitivas, quase medievais.

Os italianos pararam o carro na hora, claro, para ajudar Kubica. Nota-se que Bonato saca um celular na hora. O que assusta, em ralis, é a falta de coordenação de comunicação, ou monitoramento dos carros de forma que um acidente possa ser reportado imediatamente não só às equipes de socorro como, também, aos outros pilotos. Não me parece algo tão difícil. Mas, igualmente, não devo ser o primeiro a pensar nisso, e é claro que existem esses procedimentos. Só que eles ainda têm falhas.

Com a palavra, meus amigos ralizeiros.

Comentários

  • Não adianta! Os europeus adoram estes tipos de prova, seja de carro ou de bicicleta. Viram aonde fica o público? Nas entradas e saidas de curva, de preferencia num lugar aonde haja a possibilidade de alguma porrada. Vi no Youtube. O carro está lá se desmanchando como liquidificador e o público já está correndo pra ajudar. É a maior farra! Correr com estas máquinas tendo fitas amarelas ou árvores ou pés de uva ou público ou um abismo (ou nada disso) como guard-rails é quase roleta russa. E tem piloto à beça correndo e mais gente ainda assistindo…!!!!!!!

  • Caracas, coisa de maluco… E levou uma hora pra tirarem Kubica do carro, ainda por cima. Um piloto do naipe dele não deveria se arriscar num evento desses. Correr num rali mais organizado e numa pista menos insana, tudo bem. Mas aquilo ali é de arrepiar.

  • A estrada é muito linda, mas chamar de “pista” é sacanagem, parece um corredor, de tão estreito… correr ali…
    Tomara que consigam imagens de dentro do carro do Kubica, para entendermos melhor o que aconteceu…

  • A primeira impressão é de que a organização da prova foi deficiente em relação a resgates emergenciais.
    Na prova de subida de montanha que aconteceu aqui no Paraná, aquela em que um Subaru caiu ribanceira abaixo, o nivel de segurança da prova era alto. Nas curvas mais perigosas havia sinalização especial, extremo cuidado com os locais onde o publico podia ficar, fiscais de pista a cada 200 metros aproximadamente, todos com radios para comunicação em casos de acidente. Quando o Subaru caiu, todos foram alertados rapidamente pelo radio, assim o próximo piloto que subia foi segurado bem antes do local do acidente.

  • Não concordo Flavio… acho que tem que ser assim mesmo… ai destacamos pilotos de pilotos…. quer segurança…. joga Playstation…o rally é na minha visão a unica categoria que desafia a coragem dos pilotos… o resto ja virou uma chatice cheias de regras… a F1 mesmo é uma categoria muito segura… o próprio Kubica mesmo provou isso… mas e ai? Quando vejo um video qualquer de rally sinto muito mais emoção do que na F1, gosto do inesperado, do desafiador…

  • Este acidente foi uma fatalidade.
    Se há culpa a ser atribuída ela recai sobre a autoridade de trânsito de Andorra pela má instalação dos Guard-Rails, nunca vi uma coisa dessas, um dispositivo de segurança ser a causa da gravidade do acidente. Reparem nas fotos que o carro está “inteiro”, não houve recuo da estrutura do paralama dianteiro esquerdo para dentro do habitáculo, nem mesmo da parte mecânica.
    Os carros de rally são hiper seguros, quem fala que a segurança não acompanhou o aumento da performance não segue de perto o esporte. Aqui um exemplo http://www.youtube.com/watch?v=Xc58k3iqB3Q , Latvala desce um enorme morro aos capotes e nada de grave acontece. Inclusive o carro foi inteiro reconstruído e voltou a correr.
    A FIA é extremamente cautelosa com rallies devido ao ocorrido com o grupo B e os graves acidentes que levaram à sua extinção. Todo ano entram em vigor novas normas de segurança mais rígidas é só ler o CDI no site da FIA para ver como este aspecto é levado a sério. Porque tamanha paranóia? Porque justamente em rallies é impossível se conseguir atingir a excelência de autódromos na logística de resgate.

    Apesar de tudo, nenhum protocolo de homologação jamais irá prever um guard rail mal instalado desta maneira. Se fosse em um autódromo aconteceria exatamente a mesma coisa, qual carro é blindado contra esse tipo de objeto cortante?

    Quanto à logistica de resgate, penso já ter sido bem explicada em um comentário anterior.

    Abraços!

  • Se o kubica caisse em algum desfiladeiro como alguem comentou não iria acontecer nada. Veja esse vídeo

    http://www.youtube.com/watch?v=VrRNxB3i9rg&feature=fvst

    Os ralis de alfalto na Europa são sempre assim, estradinhas curtas. O kubica sabia disso muito bem e é por isso que ele, o Raikkonen, Rossi amam esse esporte. E muita gente aqui também. Agora gente que se assusta com as imagens da estradinha é pq nunca viu uma competição de rali da vida. Só assistem o que a Rede Globo oferece com a sua F1 e suas pistas chatas com areas de escape infinita. Ano que vem o Kubica tah de volta disputando esse mesmo rallye.