MENU

segunda-feira, 7 de fevereiro de 2011 - 18:33Foto do dia

FOTO DO DIA

Não tem nem um mês da tragédia na Região Serrana do Rio e não vejo mais uma linha nos jornais, nem um minuto na TV. Para lembrar, uma foto do Dedo de Deus, em Teresópolis, enviada pelo meu amigo Rogério Gonçalves, dono de pousada em Itaipava. Vocês aí da área, contem como andam as coisas…

31 comentários

  1. Jon Truman disse:

    Alguem poderia dizer a data da foto ?

  2. Leonardo Pires disse:

    Nós, empregados da CAIXA, estamos, diariamente, inclusive aos sábados, trabalhando, como voluntários, num galpão calorento de uma igreja batista, no centro da cidade, para liberar o FGTS dos que tiveram seus domicílios atingidos. Estamos, também, abrindo centenas de contas para que sejam creditados pela Prefeitura de Teresópolis os valores do aluguel social aos desabrigados. As histórias que nos contam são tristes, deprimentes e de tentativa de superação.

  3. Alexandre disse:

    Flávio,
    sou leitor assíduo do seu blog, mas sou de poucos comentários. Sou de Nova Friburgo e como todos sabem a cidade foi muito atingida. E foi atingida de forma geral. Poucos foram os bairros que não tiveram problemas.
    Era inimaginável o que ocorreu por exemplo, em uma rua no centro da cidade que praticamente acabou. Estamos de certa forma acostumados com enchentes que acontecem em nossa cidade todo janeiro, mas ver os morros “derretendo” foi espantoso. (Dá para ter uma noção por aqui: http://www.youtube.com/watch?v=Dkn1vhCFspI)
    Mas o que foi feito até agora? O centro está bem limpo, o comércio está funcionando mas o movimento é baixo. Quando se sai do centro da cidade, muita coisa ainda tem que ser feita: limpeza de ruas, remoção de entulhos, a telefonia ainda está bem prejudicada, etc. O setor de moda íntima, que movimenta bastante a economia da cidade está funcionando bem, principalmente com suas lojas nos bairros da Ponte da Saudade e de Olaria, locais que não foram muito afetados, mas que dependem de turistas que estão escassos por aqui.
    Espero apenas que a verba que está sendo liberada pelo BNDES para a região seja bem utilizada pelos empresários. Que estes cumpram seus compromissos, que não deem “calotes” em seus clientes e não demitam funcionários. E que os governantes aprendam a fazer algo pelo município, coisa que não conseguiram até hoje.
    Obrigado Flávio. Parabéns pelo seu trabalho,
    Alexandre.

  4. Marcio disse:

    Flavio

    Sou de Petropolis e o problema com as chuvas foi em um bairro (Vale do Cuiaba) afastado 30 km do centro, e parte do distrito de Itaipava, no Centro Historico e na Rua Tereza (Maior Shopping ao ceu aberto do Brasil) não tivemos nenhum tipo de problema com as chuvas.
    O unico problema que estamos tendo é com a falta de turistas na nossa cidade que de maneira errada divulgou um arraso da cidade, chega a divulgar como perigosa a estadia na nossa cidade.
    Porem gostaria de usar este blog para ajudar adivulgar que Petropolis esta funcionando normalmente e que a maior doação que se pode dar a nossa cidade é a visita dos turistas.

    Obrigado
    Marcio de Souza

  5. Edu disse:

    Boa Rubem, esta é a verdade, avalisada pelo link de meu post.

  6. Caique Pereira disse:

    As coisas estão voltando ao normal em Terê, mas de forma lenta. Indo para Além Paraíba – MG, dá pra se notar o tamanho da destruição, isso sem entrar na cidade, apenas se olhando por cerca de 30 km na BR, 116, suas paisagens, entre Teresópolis e a entrada de Sumidouro.

  7. Edu disse:

    Gente, infelizmente não se fala mais nada, mas a coisa está muito feia. Em Teresópolis, existe ainda, para piorar, a pouca vergonha dos políticos que expulsaram a Cruz Vermelha de lá. Fala-se de muito roubo, contratações escandalosamente ilegais. Posto aqui um link da gravidade da coisa, que não não sei porque (ou sei?) não é explorada pelos grandes grupos jornalisticos. Vergonhoso!
    http://www.revistadestaquems.com.br/exibe.php?id=64476&cod_editorial=1&url=exibe.php&pag=0&busca=

  8. Otto Jenkel disse:

    Tenho casa em Teresópolis no Bairro do Alto e lá felizmente nada aconteceu. O bairro fica no sul da cidade, próximo ao Soberbo, que é o local da foto do Citroën. Estive em Teresópolis na sexta feira e ficou evidente que o grande estrago aconteceu no norte da cidade. Toda a subida da serra de Teresópolis ( que é belíssima ) para quem vem do Rio está intacta e o centro da cidade também não foi atingido. Mas no norte…Quando fomos avançando de carro pela Rio-Bahia já avistávamos os imensos deslisamentos das montanhas no norte do cidade. Existem vários trechos na Teresópolis-Itaipava e na Teresópolis-Friburgo que estão parcialmente interditados. Pelos últimos números morreram 880 na região serrana, sendo 362 em Teresópolis, e ainda existem 157 desaparecidos. Pelo que eu sei Petrópolis, assim como Teresópolis, não teve o centro da cidade atingido. Já Nova Friburgo o centro foi severamente atingido.

  9. rubem rodriguez gonzalez disse:

    Flávio, entramos em uma era tão descartável que até a máxima do Andy Warhol de 15 minutos de fama para cada ser humano foi adotado até para as tragédias humanas que são vendidas diariamente por uma imprensa que demonstra sempre seu ar falsamente compungido e uma indgnação de araque com reporteres especializados em closes e clichês tendo como tema a tragédia alheia. Depois de alguns míseros dias – ou horas – levantam acampamento e sem nenhum constrangimento acampam seu “circo” em outro local de tragédia e tal e qual uma ópera bufa de péssimos atores continuam a sua infindável tarefa de explorar as misérias humanas, e ao final do dia nada mais “reconfortante” do que assistir a mais um episódio recheado de cultura contemporânea do BBB…..

    Quanto a tragédia em si agora entram em cena os vermes da história, quer sejam os de origem biológica para seguir os ditames da mãe natureza ou os mais perigosos que são de origem moral que seguem as liturgias da roubalheira e dos desvios das vultuosas verbas que se aproximam. Neste momento estão esfregando as mãos empreiteiros corruptos, governantes, funcionários e legisladores da mesma estirpe. Deveriam mandar um general chinês como interventor para a região serrana…….. e não esqueçer de mandar também umas cinco carretas de munição para o mesmo desempenhar com desenvoltura a sua função…….

    • sergio disse:

      Rubens,concordo com as caras e bocas e ar de indignação dos nossos jornalistas,mas… se não fosse isso o BRASIL,não se mexeria,o apoio de brasileiros ricos e pobres nessa tragedia foi por causa justamente da caras e bocas e otimas reportagens da tragedia,infelismente essas tragedias tem que ser divulgadas e o circo tem suA função,só não entendi o porque da munição quem se deve eliminar,a tragedia e de todos eu acredito que o numero oficial deve ser maior,só não é divulgado por causa da politica .Concordando novamente tragedia na televisão dura poucos dias,mas as consequencias delas dura muito e não é um cobertor e uma cesta basica que vai salvar uma familia da miseria

    • rubem rodriguez gonzalez disse:

      Sérgio, eu apaludo o trabalho jornalístico de cobertura de tragédias. O que não dá para aguentar é o lado novela da globo, aonde há a necessidade de mostrar o desespero das vítimas e o afã de sempre procurarem “heróis” no melhor estilo americano, aonde a mania de endeusar apenas um ou outro e sepultar o trabalho anônimo de milhares que no final das contas é o que realmente resolve.
      Não precisamos de heróis ou produtos para a mídia sensacionalista, precisamos de profissionais bem treinados, bem pagos e com bons equipamentos. O “heroísmo” está no bombeiro que se pendura sensacionalmente na ponta de uma escada magirus ou no humilde gari que do outro lado limpa a rua com uma pá e uma vassoura, cada um está fazendo a sua parte e o heroísmo maior e cada um dar o melhor de si naquilo que faz de melhor, jornalismo é informação o resto é espetáculo cincense de péssimo gosto.
      Quanto a general chinês e os caminhões de munição se destinariam para o famoso tiro na nuca que é a forma mais comum de fuzilamento na China e que contempla todos os corruptos e ladrões do dinheiro público indistintamente. O papel da imprensa séria seria acompanhar com olhos de águia o caminho do dinheiro que subirá a serra e não tenho dúvidas descerá quase imediatamente para as agências de carros importados e mansões a beira mar, para os habitantes que foram vítimas da catastrofe natural ficarão obras de péssima qualidade com valores superfaturados e outras inacabadas ou nunca iniciadas. certo mesmo é o desvio da grana e a malversação do nosso dinheiro público. Palavra de quem conheçe a região e melhor ainda a “qualidade” moral dos seus dirigentes….

      Sergio, pensando bem….. se aceitarem a minha proposta do general chinês é bom mandarem mais uns dois caminhões de munição….. acho que fiz as contas erradas…..

  10. André Grigorevski disse:

    Bela paisagem, belo carro…

    Como já foi dito, quase toda a cidade de Petrópolis está em ordem. Foi a menos afetada. É possível andar pela cidade e nem lembrar do que houve. Mas ouve-se histórias assustadoras sobre aquela noite… Assim como outras regiões, a cidade toda ainda se mobiliza para arrecadar donativos para os desabrigados.

    Quanto a Teresópolis, segundo um amigo que mora lá o Centro da cidade não foi afetado pelas chuvas e a grande destruição se vê em bairros.

    Hoje em dia em 1 semana tragédias como esta ficam velhas e a imprensa não dá mais atenção. Só que as consequências do ocorrido não tem prazo pra terminar.

  11. TOM SEM FREIO disse:

    Nao adianta Flavio, ninguem vai dizer mais nada porque já vem o Carnaval, e isso é mais importante dos que as pessoas que ainda estao desaparecidas ou daqueles que ainda nao tem casa . Pra que isso se nao dá mais ibope.

  12. regi nat rock disse:

    s’o vi o Citroen.
    ai ai ai.
    qto a trag’edia, dizer o que?
    perdeu a gra’ca.
    nao d’a mais Ibope.

    (ainda jogo fora esse comp que se recusa a acentuar)

  13. Rafael disse:

    Tá ainda muito confuso e sem previsão de organização. Uma zona e, como não há mais apelo midiático, as notícias foram-se embora.

  14. Filipe Augustus disse:

    Corrigindo é um 15Cv é isso?

  15. Filipe Augustus disse:

    Não sei se o carro da foto é o mesmo, mais aqui em SCS /São Paulo eu já vi duas vezes um Citroën 2cv bem parecido com esse da foto.
    =D

  16. FabioRogers disse:

    Como os carros e o mundo eram mais bonitos antigamente…

  17. Pedro Henrique Fonseca disse:

    Sou de Petrópolis, e a situação no Vale do Cuiabá ainda é muito triste. Ainda existem algumas pessoas desaparecidas na região. Há cerca de uma semana encontraram cinco corpos por lá. Mas é importante dizer que essa área da cidade é uma área mais afastada. Nada aconteceu no centro da cidade. Todos os pontos turísticos podem ser visitados normalmente. É importante que isso seja divulgado, pois a cidade perdeu muitos turistas. Quem tem a intenção de visitar e conhecer a cidade, pode vir pra cá sem medo.

  18. Ricardo Soares disse:

    Não, não se comenta mais…
    Atualmente gira em torno de 880 mortes, sem falar nos desaparecidos/mortos que não tem estatística e já entraram em decomposição, afetando seriamente o lençol freático das regiões em questão. Provavelmente ainda poderá acontecer algumas doenças ligadas a essa contaminação da água, que algumas pessoas estão tendo acesso sem tratamento algum…isso também não se comenta. Não dá mais ibope, mostrar no JN ou outro qualquer, pois, vida que segue, vida que passa, as pessoas esquecem e…a impunidade continua.

  19. V. Maghetti disse:

    Curioso, hoje de manhã, lendo o jornal, pensei o mesmo: “E as notícias sobre a região serrana do Rio?”. Como sempre, só é notícia quando a tragédia é recente, depois deixa de interessar, e os jornais vão à procura da próxima desgraça…

    Quanto à foto: com é linda esta estrada! Como é linda esta região! Como é lindo este Citroën!

  20. Fowler T Braga Filho disse:

    A imprensa não fala mais porque a desgraça não tem dados as caras. Não tem ninguém mais sendo resgatado, não tem político dando volta de helicópetero e fazendo caras e de consternação. Não há mais ninguém indignado dizendo que o mapa de riscos bla bla bla. mas as notícias diárias que recebo do pessoal que continua resgatando animais diz que o caos continua, Hoje mesmo a casa onde os animais estavam sendo colocados em Teresópolis alagou e os animais ( cerca de 150 cães) tiveram que ser retirados rapidamente e deslocado para um quartel dos bombeiros onde podem ficar até 4a. feira., Neste meio tempo a casa terá que ser limpa e higienizada para os animais voltarem. A Cruz Vermelha tem encontrado dificuldades pois não há mais lugar para colocar donativos e fazer a separação, inclusive, pediram que não enviassem material que não fosse perecível de humanos para lá. Os de animais não aceitam mais pois não tem onde colocar. Há muito a fazer e poucos voluntários. A maioria das equipes que foram para lá, de outras cidades/estados retornaram para suas bases.

  21. Marcello disse:

    Isto é uma foto ou uma pintura?

    Não consigo localizar “mentalmente” esse trecho de pista dupla nesta serra…

  22. Guilherme disse:

    A imprensa está muito ocupada em falar o dia todo sobre o incêndio na Cidade do Samba, onde muitas fantasias que seriam usadas no desfile de carnaval foram queimadas. Ah, ninguém se feriu e nem morreu.

  23. Gustavo disse:

    Oi Flavio!
    Sou fa do seu trabalho. Estava vendo aqui seu perfil e nao esta constando qual faculdade de jornalismo vc fez. Foi aqui em Sao Paulo mesmo? Qual universidade?
    Vc pode me dar esta informacao?
    Um abraco

  24. José Brabham disse:

    Bela foto, com fusquinha azul-calcinha no fundo.

    E realmente a velocidade fast-food das manchetes faz até o mais trágico dos acontecimentos virar “notícia-velha”. Lamentável.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *