MUNDINHO BESTA

SÃO PAULO (assim é) – Acho que todos aqui acompanharam os acontecimentos envolvendo o deputado Jair Bolsonaro (PP-RJ) nesta semana. Entrevistado pela cantora Preta Gil no programa CQC, da Bandeirantes, deu respostas atravessadas expondo mais uma vez, publicamente, sua homofobia e suas convicções de cunho racista.

Aqui, antes de entrar no assunto propriamente dito deste post, um parêntese. É deprimente saber que esse cara seja, há seis legislaturas, pago com o meu dinheiro. Deprimente. Basta uma olhada rápida em sua folha corrida para saber de quem se trata. Militar, defende a ditadura, a tortura, espancamento de usuários de drogas e homossexuais, ataca negros, gays e índios. Alguns anos atrás, disse que o então presidente Fernando Henrique Cardoso deveria ser fuzilado. Está aqui, não estou inventando nada.

No meu mundo ideal, que jamais existirá, eu não pagaria o salário deste ser desprezível porque ele estaria preso. No Brasil, homofobia e racismo são crimes previstos em lei. Se a lei fosse cumprida, ele seria processado, julgado, condenado e, portanto, não poderia ser candidato a nada. Mas nada acontece com esse tipo de criminoso aqui. Nem os bananas de seus colegas de parlamento têm coragem de cassá-lo. Eu jamais conseguiria conviver com alguém assim em ambiente algum. Jamais trocaria uma palavra com ele. Tem gente com quem não vale a pena perder tempo. Gente que não precisava existir.

Mas ele existe e é candidato em todas as eleições, e se elegeu deputado federal pelo Rio no ano passado com 120.646 votos. Num universo de 9.572.486 eleitores, teve os votos de 1,3%. É um alento saber que no Rio apenas 1,3% da população é idiota o bastante para eleger um sujeito desses. Mas se elegeu. E o alento acaba aí. E assim fecham-se os parênteses.

Eu estava dando uma sapeada no Twitter hoje à tarde e Bolsonaro tem sido assunto recorrente de vários usuários da rede social, tamanha a indignação que suas declarações causaram. O cara é indefensável, e nessas horas não há espaço para ser tolerante com a intolerância. É uma contradição, ser intolerante para combater a intolerância, mas é assim que é. O mundo jamais vai melhorar enquanto houver uma pessoa, uma só, que pense como esta ameba engravatada.

Pois lá pelas tantas pinga uma mensagem respondendo a alguma postagem que eu tinha colocado antes comentando o caso Bolsonaro — no Twitter, para quem não sabe, qualquer pessoa pode se dirigir a você se colocar, na mensagem, seu “endereço”. No meu caso, @flaviogomes69. Assim, você acaba lendo mensagens mesmo se elas tenham sido postadas por quem não faz parte da lista das pessoas que você segue.

Foi o caso. Veio assinada por @veterancarclub a seguinte mensagem: “Bolsonaro talvez seja o melhor deputado do Brasil”. Me assustei, na hora. O Veteran Car Club, nascido no Rio, é uma entidade supostamente séria, que agrega colecionadores de carros de todo o país e tem seus braços regionais espalhados por alguns Estados brasileiros. A “tuitada” elogiando o deputado homofóbico veio de uma conta “jurídica”, por assim dizer. Não foi a opinião de uma pessoa, mas sim de uma entidade, de um clube respeitável. Entrei na página deste Veteran no Twitter e descobri que ela pertence à seção de Novo Hamburgo (RS) da entidade.

Imediatamente, perguntei ao emissor da mensagem, pelo Twitter, se aquela opinião tinha sido emitida em nome do Veteran ou se era uma “idiotice própria”. Sim, porque às vezes tem gente tonta o bastante para acessar uma conta institucional e escrever bobagens como se falasse em nome da instituição. E a instituição nem sabe. A resposta veio rapidamente: “Em nome de clube de macho… Não temos medo da mídia.” Não adianta procurar essas respostas na página. O clube de macho apagou. Mas na imagem aí embaixo, gravada na hora por blogueiros-tuiteiros atentos, dá para ver o tom do diálogo.

Assustei-me de novo. O Veteran pensa assim? Havia outra mensagem na sequência da “time-line”, “retuitada” (ou seja, de autoria de outra pessoa, mas “espalhada” pela conta do Veteran), que dizia: “Tem muita gente assustada com o dep. Bolsonaro exatamente porque no Brasil estamos perdendo o costume de ouvir cabra macho opinar”. O autor era um tal de @LUIZGAMA. Foi quando perguntei quem é que estava escrevendo ali em nome do Veteran de Novo Hamburgo. A resposta: Diogo Boos.

Conheço esse rapaz. Colecionava, ou coleciona, DKWs. Alguns anos atrás o encontrei no Sambódromo. Trocávamos e-mails, afinal tínhamos algo em comum, os carros. Muito simpático, boa gente, mesmo. Tenho até uma foto ao seu lado e de outros amigos. E por isso assustei-me mais ainda. É dirigente do Veteran de Novo Hamburgo, certamente. Presidente ou vice, talvez. Pelo site do clube, não consegui descobrir. Mas fiquei besta. Será que os sócios do Veteran de NH compactuam de suas opiniões? Dão a ele, via Twitter, o direito de expressar sua opinião como se fosse a do clube? Esse cara, com seu raciocínio distorcido que faz apologia de alguém como Bolsonaro, o defensor de espancamentos de gays e de índios, propositor do fuzilamento do ex-presidente FHC, representa os demais associados do clube? O clube, em última análise, defende a homofobia e cultiva o racismo como Bolsonaro, defendido pelo emissor das mensagens?

Boos, segundo uma entrevista concedida ao portal Autoclassic em 2007, é advogado e ligado à Defesa Civil, entidade nobre, voluntariosa, importante. Se define como alguém que tem “como característica ser uma pessoa que adora fazer amigos e conviver em sociedade”. Há negros no Veteran de NH? Há homossexuais? Eles são aceitos pelo dirigente Boos, que reputa Bolsonaro, o defensor do fuzilamento de FHC, como um dos melhores deputados do Brasil? Alguém que admira as ideias de Bolsonaro pode se considerar apto a conviver em sociedade? Negros, índios e homossexuais fazem parte dessa sociedade?

Convivo com colecionadores de carros antigos há muito tempo. Em geral, são pessoas mais velhas, conservadoras, se parecem muito pouco comigo politicamente, mas já me acostumei. Eu comecei cedo, comprei meu primeiro antigo aos 23 anos, sou uma espécie de mascote das minhas queridas turmas de velhinhos, apesar de já estar perto dos 47. Evito discussões ideológicas para não me aborrecer. Nossos encontros são sempre amistosos, divertidos, falamos de carros, da vida, contamos histórias. Me conhecem, sabem o que penso, há um respeito mútuo.

Este Boos, no entanto, é mais novo que eu. Tem 40 anos, é um garoto, quase. Me parecia gentil, afável. É engraçado que quando nos relacionamos com certas “tribos”, tendemos à condescendência, por nossos gostos em comum. Assim, se um cara tem um DKW, só pode ser boa gente. Se torce para a Portuguesa, idem. Se tem o mesmo pensamento ideológico que o meu, também. Claro que não é assim. Ter um DKW não impede que o sujeito seja um filho da puta. Torcer para a Portuguesa não impede que seja um escroto. Votar no Lula não significa que seja um vestal. Mas a gente acaba idealizando um pouco nossos pares, e por isso fechamos os olhos para muitos comportamentos que, em “estranhos”, condenaríamos.

Ocorre que não se pode mais fechar os olhos para algumas coisas. A internet tem escancarado personalidades. As pessoas, agora, se manifestam para milhares, suas opiniões e posturas são compartilhadas e multiplicadas. Duvido que todos no Veteran de NH pensem e ajam como este Boos, o fã de Bolsonaro. Eu, se pertencesse ao clube, pediria explicações. Ou me desfiliaria. Como disse lá no início, compactuar com os ideais do deputado homofóbico é algo definitivo. Em algumas questões, o mundo é dividido, sim, em bons e maus. Não há meio termo. Uma coisa é discutir posição política, ideologia, gosto musical, religião. Pode-se ser de esquerda ou de direita, liberal ou conservador, pode-se achar que Luan Santana é melhor que Pink Floyd, pode-se professar o catolicismo, o budismo, o ateísmo. O mundo é feito de diferenças, ainda bem. Mas alguns temas são por demais claros, algumas atitudes são por demais inaceitáveis, não dão margem a discussão. Nazistas, racistas, torturadores, homofóbicos, estupradores, pedófilos não podem ser defendidos em hipótese alguma. Quem defende Bolsonaro se inclui em algumas dessas categorias. Não há meio termo.

O Sul, às vezes, me assusta. Recentemente, houve o caso do atropelamento dos ciclistas em Porto Alegre. Não foram poucos os que acharam que aquele animal acéfalo fez o que tinha de fazer. Tais reações se reproduzem, sim, em outros Estados do país. Mas de uma forma menos ostensiva, talvez. Não estou dizendo, aqui, que o Sul é racista e homofóbico. Estou dizendo, apenas, que alguns episódios localizados são muito preocupantes — e peço a quem é do Sul que comente essa impressão, se for possível. São Paulo também padece do mesmo mal, falo disso toda hora, aqui. As recentes agressões a homossexuais na avenida Paulista e adjacências envergonham quem vive nesta cidade.

Vivemos num mundo cheio de intolerâncias, hostil, agressivo, violento. Elogiar alguém como este deputado indefensável só piora as coisas. Fazê-lo em nome de uma comunidade, como foi o caso de Boos na condição de representante dos colecionadores associados ao Veteran de NH, piora ainda mais — e se estes não concordam com as posições de seu porta-voz no Twitter, que se manifestem.

Da minha parte, tudo que posso dizer é que viver, ultimamente, tem sido um intenso acumular de decepções com os seres humanos. Quando meu primeiro filho nasceu, escrevi para ele. Dei-lhe as boas vindas ao mundo, um mundo que não era exatamente um bom lugar para se viver, mas era o que tínhamos.

Acho que tem saído bem pior que a encomenda.

Comentários

  • É impressionante como esse texto, mesmo com 7 anos, ainda é completamente atual.

    E é deprimente pensar que esse ser abjeto, que era só um embrião em 2011, hoje possa ser eleito presidente.

    As tampas dos bueiros foram definitivamente abertas.

  • Comentário atrasado, mas acho que ainda vale. Neste post você foi preciso, perfeito. Bolsonaro cometeu um crime, e por isso não deveria estar apto a ocupar um cargo como o que ocupa. Você tem absoluta razão quando diz que é preciso ser intolerante com a intolerância, seja de que natureza for.

    É por esta razão que fiquei tão inconformado com um comentário feito pelo Rubem Rodriguez González naquele post sobre o TU-144. Segue abaixo o comentário:

    “Inclusive Sergio, ficou constatado que na primeira investida contra o Iraque em 19 de janeiro 1991 o primeiro avião abatido foi um F-18 do Ten. comndte Speicher por um Mig -25 Foxbat pilotado pelo cap. Zuhair Dawood, é claro que os reis da propaganda encobrem esses fatos, assim como os israelenses encobriram as dezenas de perdas aéreas frente aos Migs egipicios e sírios, desde sempre descobriram que a propaganda é a alma do negócio….. leia a revista ASAS n° 37 aonde estão os detalhes desse combate aéreo e outros sobre o Iraque e ainda como os russos criminosamente entregaram até os códigos fonte para os americanos… O que a humanidade não faz em troca do papel que os americanos imprimem a torto e a direito……
    A mentira dos americanos e dos judeus ja é bem conhecida nos teatros de guerra, aonde eles querem pintar um retrato de eficiência total que na realidade não existe, a última querra em que forma para o pau a pau sem os outros países entrarem de sola e até adversários históricos como a Russia entregarem toda a rapadura para eles foi o Vietnã e deu no que deu… tape o nariz e tente assistir um programa da History Channel chamado combates aéreos aonde só se assistem verdadeiros massacres promovidos por pilotos judeus e americanos. A revista ASAS dismistifica essa propaganda toda de forma avassaladora. é uma boa fonte de informação imparcial em detrimento das mentiras propagandistas americanas”.

    Não lhe nego o direito de criticar as políticas dos governos americano e israelense. Mas quando ele fala em “judeus”, está exercitando intolerância religiosa. Ele fomentas o ódio aos judeus do mundo todo. E esta intolerância já causou mortes demais (não falo apenas do holocausto, mas da Santa Inquisição, dos pogroms em toda a Europa, etc.).

    Fiquei tão revoltado ao ler o que Rubem escreveu quanto ao saber do episódio do Bolsonaro. No meu mundo ideal, nenhum dos dois existiria. Como você mesmo disse, é preciso ser intolerante com a intolerância. É por isso que o comentário dele deveria ser, no mínimo, bloqueado pelo moderador. Um blog não pode se prestar a reverberar um comentário racista (pela Lei, o racismo não engloba apenas o conceito de raça, que aliás está cada vez mais ultrapassado).

    Rubem costuma ser bastante intolerante em seus comentários. Mas na maior parte das vezes emite apenas opiniões políticas. Desta vez, no entanto, foi além. Exagerou. Cometeu, ao menos em tese, um crime. Você, como eu, não tem o poder de calar Bolsonaro. Mas pode fazer esse pequeno gesto em nome da tolerância religiosa.

  • Flávio,
    Inicialmente quero dizer que não concordo em nenhum grau, ou direção o que o Bolsonaro disse, com o que ele fez ou com o beócio que ele é.
    Gostaria de lançar um outro olhar do que tenho visto no Brasil. Acredito que temos vivido uma HETERO fobia. Hoje qualquer opinião que seja contrária ao aceite da normalidade do homossexualismo é rechaçado e motivo de ameaças físicas ou judiciais.
    Homossexuais, gays, pederastas, (ou o termo que desejar) existem desde que o mundo é mundo e porque agora, o pessoal vem fazer corrente para falar que é normal ser homossexual. Normal não é porque existe 2 gêneros Masculino e Feminino, na minha opinião ser homo é aceitável no sentido de não punir ou segregar, e não normal, mas isso não quer dizer que os homos são melhores ou piores que ninguem, ou seja SÃO PESSOAS NORMAIS COM OPÇÂO SEXUAL ANORMAL (diferente).
    Se a coisa continuar como está, daqui a pouco será obrigatório ser homossexual no Brasil.

  • Flávio Gomes.
    Vamos combinar também que esse tapado do Bolsonaro tá aí só p´ra fazer graça (claro, mesmo que seja de forma sem graça … quanto a isto, irretocável seu texto). … aliás, ele fez bem o joguinho do CQC, que adora gerar essas situaçõezinhas aí pra criar uma polemicazinha engraçadazinha … deram mais 15 minutinhos de prorrogação na fama do cara. Convenhamos que botar a figuraça desencanada da Preta Gil pra fazer perguntinha pro Bolsonaro é dar milho p´ra bode, né ?
    Mas eu vejo o Bolsonaro mais como um Pedro de Lara da política. Fanfarrão, mesmo que seja com coisa séria, mas é um fanfarrão.
    Não deixa de ser representativo. Há imbecis … fato … e eles precisam de alguém para depositar seus votos.
    Com democracia consolidadada, essa forma pobrezinha de fazer humor (eu vejo a TV Pirata e não me conformo como viemos para aqui ???) e visibilidade a qualquer preço, pode se acostumar que a pegada vai ser sempre por aí, mesmo.

  • Caro Flávio.
    Não te assusta tão especialmente conosco, não. A despeito do ufanismo e das qualidades que os gaúchos adoram ver e proclamar em si mesmos, sabemos ser tão idiotas e cretinos quanto o vivente de qualquer outro estado deste país. Às vezes mais, às vezes menos.
    Ademais, sempre que essas considerações regionais vem à tona, só o que se consegue medir é o tamanho do meu-umbigo-é-o-centro-do-mundo de cada um. Perdemos todos.
    De resto, continua manifestando tua indignação com essas barbaridades que nos assolam; ajuda, oxalá, que os bons tomem coragem para reagir. Saudações.

  • Parabéns pela coragem e atitude ao publicar este texto!

    Acho que ultimamente inventaram barreiras para se discutir estes assuntos mais polemicos, principalmente nas casas e escolas onde inicia a formação do homem!

    Percebi que alguns amigos meus não sabem muitas vezes que estão agindo de forma preconceituosa, assim como outros não percebem que estão sendo discriminados, venho percebendo também o aumento de fatos inaceitáveis na sociedade, com destaque para o desporto, onde as autoridades e pessoas são complacentes com os atos e omissas em não dar uma resposta para as crianças!

    No futebol percebi que estão maiores os atos machistas, racistas ou homofóbicos praticados por alguns profissionais de imprensa! Em transmissões são feitos comentários preconceituosos sem que narradores ou ouvintes percebam, mas que são muito ofensivos principalmente para as mulheres e homosexuais, tanto nas transmissões de TV quanto radio.

    Estes comentários estão mascarados em piadas, onde muitas vezes os narradores ou comentaristas não percebem a “mensagem” ou ofensa que ela passa aos telespectadores.

    Em arquibancadas e gramados o número de crimes praticados durante uma única partida é vergonhoso!

    Mas como disse no inicio do comentário, vejo que, como o assunto não faz parte da eduação de muitas crianças de hoje e não sei se vai melhorar!

    Você esta sendo uma inspiração para mim de que não posso ignorar um comportamento de discriminação de alguem apenas pela amizade!

    Nem tão pouco temer quem faz apologia a prenconceitos como este vereador de m…!

    Abraços.
    David

  • Flávio, sou eu de novo, amante de carros preparados, e consequentemente de arrancadas. Leio sempre seu blog, tu sabe disso. (e agora sabe que sou do sul, especificamente de Novo Hamburgo)

    Tempos atrás, encontrei em Líndoia o Boss, me apresentei como um patrício, já que somos da mesma cidade. Esse cidadão me tratou mal, foi grosso, mal educado e prepotente. Falou que o Veteran Car de NH é o MAIOR CLUBE de antigos da América…e por ai vai.

    Hoje moro em Americana/SP. Quando vou para o Sul, falo que o churrasco de lá é ruim comparado com o daqui, que a carne de lá é inferior e que eles não sabem preparar mate. Não resolve a questão, mas consigo deixar eles bem irritados. E isso as vezes já ajuda.

    Abraço!

  • Sanguanel,

    Ninguém está falando mal do sul. As pessoas apenas estão relatando suas experiências nesta região do Brasil. Isto não significa negar que o racismo/preconceito não ocorra em outros lugares. Não seja ingênuo, estou lendo a maioria dos comentários e ainda não encontrei quem generalizasse a questão como você sugere.

  • Acredite, Flávio: muitas pessoas, mas muitas mesmo (pelo fato de vc ser um profissional conhecido) acham suas idéias políticas tão abomináveis quanto as do Bolsonaro, mas, mesmo assim, reconhecem seu bom trabalho. E até acham vc uma pessoa legal, mesmo não te conhecendo pessoalmente.

    Não acho que as pessoas sejam decepcionantes. Acho que são apenas complexas, sempre foram.

  • Será a minha única opinião sobre os acontecimentos deste parlamentar cujo nome nem merece ser citado aqui, por tamanha pequenez de pensamento desde que fora entrevistado pelo CQC nesta última semana. A direita conservadora sempre se valeu pelas suas opiniões extremistas e seu posicionamento reacionário ao que não é pertencente ao seu campo ideológico, simples assim. E ao analisar a técnica do discurso e da retórica do mesmo se encaixa exatamente neste perfil: Militar, disciplinado, discurso previamente ensaiado, não expressa emoção e nem altera o tom de voz ao falar quando está no controle da situação. Quanto as polêmicas, se para nós (na verdade alguns) pode soar absurdo, para ele é perfeitamente coerente ao seu discurso, o que desencadeia sentimento de hipocrisia, pois dentro de muitos há os mesmos pensamentos que os dele justamente por ser um discurso conservador, centrista e, portanto, cristalizado e ideologicamente concreto e bem definido para a maioria, já que é alinhado ao ideário capitalista da liberdade individual e da livre iniciativa, do estado mínimo e da propriedade privada. E como as políticas sobre homossexuais, índios, gays e cotas raciais são para minorias, ou seja, que fogem dessa centralidade, ele consegue assim exatamente o que precisa e declarado há 11 atrás numa entrevista quando ainda era mero parlamentar na AL do RJ, ESPAÇO POLÍTICO, que agora ele já o tem no Brasil inteiro, ou seja, ele é inteligente e ao mesmo tempo um grande filho da puta! Pra que então continuar a dar audiência para o país todo as idéias de uma pessoa dessa? Na França, berço da democracia moderna oriunda lá do século XVIII, há dez anos isso desencadeou uma onda sombria que se espalhou por toda a Europa por conta de um tal de Le Pen e até hoje assusta. Nos EUA, outro tal de Bush há dez anos, causou um estrago desde que houveram os atentados as torres gemeas que jogou um mundo em guerras contra o terrorismo e numa recessão econômica sem precedentes na história desde a crise de 1929, e ainda vamos dar bola para um parlamentar carioca metido a sabichão que acha que poderia assassinar chefe de estado? Deixe ele falar sozinho e morrer politicamente isolado, como os presos políticos que seus pares que ele tanto defende e apoia torturaram nos porões da ditadura há quatro décadas atrás, que fique então por muitos “mandatos” numa solitária com um único buraco no chão, o da latrina, e que discurse apenas para ela!

    FG,
    é o mesmo comentário que postei na minha página do Facebook, onde te add como amigo há algum tempo. Assim poderá ler meus artigos lá também. Um abraço!

    Prof. Alexandre Silva
    São Paulo/SP

  • Flavio, desta vez você bateu todos os recordes!
    Nunca se manifestou tão bem, com uma posição tão clara e esclarecida!
    Tenho orgulho de ser carioca e de fazer parte dos 98,7 % que não votaram nessa aberração que é o bolsonaro, assim mesmo, minúsculo!
    Neste ponto, vivam os paulistas e seu Tiririca! Eu votaria 100 vezes nele e 1000 vezes contra o “representante” do povo carioca. Numa hora dessas, dá vontade de ser chinês ou qualquer coisa, menos carioca. Mas depois passa… afinal, não faço parte daqueles 1,3 %…
    Assim como nossos amigos gaúchos, que não são o Boosta. Ele também é minoria. E nem que não fosse. Nossos verdadeiros amigos gaúchos – e temos vários, inclusive em São Leopoldo. Que não têm culpa de serem conterrâneos do Boosta. Assim como os cariocas não têm culpa de serem conterrâneos do bolsonaro.
    Mas que dá até vergonha, ah, isso dá!
    Parece haver uma infeliz coincidência que reza, quanto mais desenvolvimento tecnológico, mais desenvolvimento também da imoralidade!
    Conte sempre comigo, em tudo que estiver ao meu alcance!

  • Sou contra a qualquer tipo de discriminação, só não acho certo querer ter certas prerrogativas por causa do opção sexual, raça ou credo …. Certa vez perguntei a um amigo Juiz de direito se os afrodescendentes podemusar aquelas camisas 100% Negão, 100% Preto … e se eu poderia usar uma camisa 100% Branco ou 100% Branquelo se isso era racismo ele disse que sim de ambas as partes … vivemos num Pais mesquinho, vivemos numa falsa democracia, temos que aprender a respeitar opiniões seja ela qual for, enquanto votamos em Tiriricas o Brasil vai virando uma imensa Tiririca.

  • Concordo com tudo o que vc diz, mas, como sulista, não posso entender quando diz que o sul te assusta: Bolsonaro, homérica anta, é do Rio e agressões a homossexuais também acontecem em São Paulo. Cretinos existem por todo o Brasil. Gente como esse Boos não é exclusividade do sul.

    • Bolsonaro é de Campinas. Claro que a estupidez não é privilégio de nenhum Estado. Apenas chamei a atenção para o fato de que alguns episódios muito rumorosos têm acontecido no Sul.

  • Discordo fortemente do Bolsonaro, mas ele tem direito a emitir sua opinião. E quanto ao sul, bom, é uma cultura diferente da sua, FG. Não é a toa que tem tanto separatista aqui. Não é questão monetária, racial, nada, é cultural. Tolerância é uma via de duas mãos.

  • Falando sobre o sul, você tem razão. Sabe o que se passa? O inconsciente coletivo que existe na região diz que as pessoas são melhores que no restante do país, em todos os aspectos. No sul o ar é mais puro, o mato é mais verde, as mulheres são mais bonitas e os homens são mais machos, se trabalha mais e melhor. Hoje em dia, obviamente, esse comportamento existe de maneira isolada, em pequenos grupos, sejam familiares ou organizados pela sociedade civil, sendo perfeitamente camuflado fora deles. De vez em quando algum integrante deixa a máscara cair e expõe a face horrível que possuem, intolerante e violenta, que não contribui em nada, absolutamente em nada para o desenvolvimento. Nasci em Curitiba, cresci no interior do PR (que é muito bom), voltei para a capital aos 15 – na década de 80 – e saí de lá, para nunca mais voltar, aos 19, por achar a sociedade muito metida à besta, não propriamente racista, mas altamente seletiva e intolerante. Não erre em Curitiba, pois muitos dedos serão apontados em sua direção. É um julgamento silencioso, pesado, que faz jovens perderem a estrutura e a identidade, obrigando-os a se adaptarem. Muita coisa mudou, mas é mais fácil encontrar “bolsões-com-pessoas-metidas-à-besta” no sul do que em qualquer outro lugar do Brasil.

  • Tem uma piada que diz assim: Perguntaram para o Gaucho qual o melhor estado da federação. Diz, o Gaucho, de fala bem grossa: É Santa Catariana! Mas como Gaucho? Sim, porque nos ‘separa’ do resto desta M. Claro, é só uma piada, mas no RS, tem Negro, Indio, Alemão, Italiano, Japones, Polones, Holandes, é uma mistura fantastica. (Que alias, resultou nas mais belas mulheres deste Pais, para sofrimento do resto dos estados, rsrsrsr) Se temos este jeito de valorizar demasiado nossas coisas, nossa tradição, é só olhar a historia de nossas conquistas, Muita Luta, Muita Guerra no pasado, pela liberdade. A questão Geografica, nos deixou num ponto distante, que no passado dificultou nosso progresso, Isso nos levou a certas atitudes folcloricas, que hoje não passam disso. Folclore. O Gaucho é moderno, inteligente, e levou o progresso à outros estados, como Paraná, Mato Grosso, e muitos outros estados do Norte do Brasil. É mais, TEMOS O AUTODRAMO MAIS RAPIDO DESTE PAIS, onde muito paulista, carioca e paranaense se borra. O Gaucho é Brasileiro, com as qualidades e os defeitos proprios de um povo de personalidade forte. E é claro, com uns trouxas que fazem comentarios idiotas de Cuia na Mão. Ou vcs acham que não tem Paulista e Carioca Racista?

  • Flavio, não desanima não. Vc dá voz a caras como eu, que acreditam num mundo de respeito, honestidade, e bom senso, principalmente! Por favor, cara, continua seguindo o teu chamado… Continua escrevendo aqui nesse espaço o que eu, e mais milhares de pessoas gritamos alto em casa, todos os dias quando vemos um noticiário, mas nossas vozes nunca ultrapassam as portas de nossas casas (por motivos diversos, as vezes até egoístas ou preguiçosos).

    Sigo acreditando no ser humano, sendo otimista. É cada vez mais difícil, eu sei, mas eu sigo assim. E enquanto você tocar alguém com a sua palavra, nem que uma única pessoa, fazendo desse mundinho, meio besta, um pouquinho menos besta, acho que já vai ter valido a pena. Eu prometo sempre estar por aqui… no time do bom senso. Tenho certeza, bem acompanhado.

  • Flávio, gostaria que se puder, me respondesse.
    Esses dias conversando com uma pessoa homosexual, eu opinei à ele que eu acho o estilo de vida dele um estilo errado de se viver, dentro dos parâmetros em que eu fui criado (diga-se Bíblicos), ele me disse para eu me calar e ler a minha Bíblia em silêncio, porque ele poderia se quisesse me processar por homofobia ou algo similar, mas que não o faria por saber que eu não sou disseminador de ódio e ser seu conhecido. Puxa vida, nem opinião eu posso mais dar, é só com isso que fico entalado na garganta. Talvez, não sei, é só suposição, que algumas pessoas explodem falando e fazendo bobagens e sendo rotulados como homofóbicos, a pressão é muita em nós que não concordamos que seja normal ver homem com homem se beijando e se acariciando. Afinal, sou ou não sou livre para falar o que penso? Não sou homofóbico, ou seja, não uso violência nem quero que ninguém se dê mal ou morra por ser homosexual, mas daí não poder me expressar contra contra certos desvalores morais que para mim são errados, ai eu já vejo com injustiça. Da mesma forma que sou contra essa lei que nos amordaça, também sou contra a lei da palmada, acho absurdos!

    Grato.
    Espero que leia e comente, apenas para saber se ando tão errado assim, outros comentários serão bem vindos, à favor ou contra, mas com educação por favor!

    • Você parte do princípio de que a sua interpretação bíblica não cabe discordância. Alguém opina sobre seu estilo de vida? Alguém critica um heterossexual porque sai trepando por aí, ou alguém que segue os preceitos bíblicos a ferro e fogo? Não. Então por que você se acha no direito de julgar quem age e pensa de outra forma? Onde está escrito que ser hetero é “certo” e ser homo é “errado”?

      I am the master of my life.

    • Princípios Bíblicos? Ué, há gente mais intolerante e cega do que os evangélicos e os católicos carismáticos? Não admitem que você tenha outra crença, não respeitam o direito à liberdade de opinião, e rotulam como instrumentos do demônio quem os contesta.
      Até que demorou mais do que eu imaginava a menção à Bíblia. Aliás, canso de ouvir pregadores pelas ruas, no metrô, nos trens de subúrbio, na porta da minha casa, recitando em voz alto trechos do livro sagrado. Mas experimentem perguntar-lhes o significado da passagem que acabaram de emncionar, e quase sempre vocês irão deparar um idiota que decorou otexto, mas ignora seu real conteúdo.

    • Discordo completamente de sua opinião. Na verdade, acho sua opinião bem boba, besta mesmo. Mas não acho q vc mereça sofrer uma punição judicial por ter esta opinião.

      Sei que muitas pessoas não aprovam uma série de condutas minhas. Não posso obrigar que ninguém goste de mim, só exijo que meus direitos sejam respeitados. Não é necessário que novas leis sejam criadas para isso.

    • para elucidar o Flávio e a quem mais possa interessar.
      Onde está escrito?
      Aqui ó:
      I coríntios 6:9:Vocês sabem que os maus não terão parte no Reino de Deus. Não se enganem, pois os imorais, os que adoram ídolos, os adúlteros, os homossexuais,
      10. os ladrões, os avarentos, os bêbados, os caluniadores e os assaltantes não terão parte no Reino de Deus.

      No caso Deus ama os homossexuais, mas não o que eles fazem ou optaram por fazer.

  • O que vem de baixo não atinge, se não for um formigueiro, claro.
    Vi a entrevista e dei boas gargalhadas. Este sujeito, o colega de classe do Tiririca, não deve ser levado à sério, vide seus pares.
    Nenhuma criatura deste mundo pode se sentir ofendido por “ataques” proferidos por quem fala as sandices que foram ditas.
    Muito bem feita a colocação do apresentador do CQC, sobre o esquecimento do Gardenal no jantar daquele dia.
    Minorias e maiorias, sejam superiores e discutam o que realmente importa, questões e propostas reais para melhorar a situação socioeconomica (onde fica o assento deste palavrão agora?) dos que tem menos acesso ao emprego e educação.
    Não deem cartaz a quem não merece, apenas estão fazendo propaganda do que deve cair naturalmente no esquecimento, após os 15 minutos de fama.

    • Prezado Marco,
      entendo seu questionamento, já que estamos numa democracia onde prevalece a liberdade de expressão. Mas liberdade também implica em maturidade e respeito ao próximo. Na verdade a bíblia é uma série de escritos dogmáticos redigidos pelos humanos para orientar os seguidores do Cristo. Realmente, e no meu entender, não se trata de um ponto de vista efetivamente divino, mas de alguém que por uma arrogância qualquer se sentia iluminado pelo divino. O divino existe ou é uma invenção dos humanos para justificar uma série de eventos que ocorrem na vida e sobre os quais eles não conseguem acreditar que haja uma explicação racional? Há quem acredite que a existência de demônios foi mesmo uma invenção humana para contrapor a Deus, já que a vida não era só e sempre boa.

      De fato, a existência de uma passagem como essa na bíblia só nos leva a perceber que desde sempre existiram todos os tipos de gênero – não é algo próprio da modernidade. Aliás, na Grécia Antiga o amor puro só poderia se concretizar entre homens. E aí?

      Os homens (homens, gênero masculino!) que não apenas redigiram mas principalmente escolheram quais seriam os textos bíblicos que regeriam a fé cristã não cometeram impropérios apenas em relação aos homossexuais, mas principalmente em relação às mulheres. Advindos do Judaísmo, todo o poder, toda a voz, toda a força representada pela mulher foi solapada. O cristianismo só fez repetir dogmas judaicos nesse sentido (menos a matrilinearidade).

      Você também deve acreditar que a mulher deve ser submissa ao homem, não é?!

    • Ciana, achei seu texto um tanto feminista, sem precisar.
      Deus quando criou o homem e dpois a mulher (nessa ordem) fez a mulher da costela para que ela esteja ao lado do homem. Submissão quer dizer estar sobre a mesma missão e nãi inferirizada ao homem, justamente o contrário. O lugar dado a mulher é o de ser preservada, ser cuidada (coisa que a maioria das mulheres reconhecem vide 99% dos filmes de romance), simplesmente porque é verdade. Quando as pessoas se casam (homem e mulher) os dois se tornam um só perante Deus. Vemos uma série de lares destruidos por que uma de suas pilastras (o homem a outra é a mulher) é fraca, fraca em posicionamentos, fraca atitudes, fraca em fazer aquilo que se espera que se faça, voltadas a vícios que vão de bebidas, trabalho ou pornografia e por aí vai. A mulher que instintivamente são mais voltadas a família, tendem a assumir as rédeas da família sozinha, mas a verdade é que ninguem, nem o homem e nem a mulher foi criado para viver sozinho, a prova disso foi Deus ter feito Adão perceber que precisava de alguem do sexo oposto para lhe fazer compania. Pensa nisso.
      Agora se o cerne do seu argumento é falar que a biblia não presta porque homens a escreveram, porque os filósofos gregos teriam mais prestígios que os profetas e apóstolos? Seria essa uma forma de discriminação tambem, concorda? Quer dizer o que Platão ou Sócrates diz é sempre levado em conta, já o qe foi dito por ap. Paulo ou ap.Pedro, não. Estranho isso.

    • Caro Adriano (afinal, você é realmente o Osni?),

      percebo que você não entendeu lhufas do que escrevi. Meu texto é feminista? Sou mulher! Demasiado? Acredito que não.
      Ao ler o meu comentário você ficou bem incomodado com a última parte dele, não é mesmo? Eu desmereci a bíblia em algum momento? Releia novamente, por favor! Eu retirei a validade de seus escritos? Não! Eu apenas disse que, em meu ponto de vista, não são escritos realmente divinos pelo fato de que foram escritos pelos humanos. Entendeu? Fazendo uma analogia, eu não esvazio de validade a Constituição Brasileira por ela ter sido escrita por humanos, sacou? De fato eu não acredito no caráter divino desses escritos, acredito sim que se tratam de preceitos, histórias, etc. escritos pela humanidade e para a humanidade. Modo de regimento da vida para os cristãos. Da mesma forma têm grande mérito os filósofos gregos. Você duvida disso? Pode até não concordar com tudo que eles escreveram mas daí a tirar a crédito… Eu não tiro o crédito da bíblia, mas das pessoas que a lêem superficialmente.

      Você acredita MESMO que nós fomos feitas da costela de Adão? O Gênesis é um livro sobre a origem, não passa de um MITO da origem de um povo, e sinceramente é um absurdo que os cristãos ainda o utilizem quando o mito de origem cristão é de fato o nascimento do próprio Cristo. Todo povo tem seu mito de origem, sua história do início. Acreditar em Adão, Eva, Caim, Abel e cia. me leva, por lógica, a acreditar que toda a humanidade (judaico-cristã, claro) foi procriada a partir de um incesto, afinal de contas sendo Adão e Eva o único casal como chegamos aqui sem que seus filhos não tenham cometido incesto? Ou Deus foi retirando outras costelas de Adão, instaurando a poligamia e omitiu isso dos judeus?
      A sociedade não existe sem cunhados! É por isso que você não se casa com sua irmã!
      Agora tenho certeza que você vai apelar comigo.
      (desculpa Flávio, mas eu não aguentei, tem arqueólogo até hoje procurando a costela de adão em eva).

    • Ciana, não vou apelar não com você. a ídéia é debatermos de maneira saudáve por isso l.
      não fique azul de raiva por favor.
      Eu não sou o Osni e nem sei quem ele é ou sequer o estou defendendo. Mas tenho o sentimento ser coagido sempre que se expoe uma opinição contraria ao homosexualismo, contrária no sentido de não ser e de não achar normal, sem que com isso se dê com a lâmpada na cara de ninguem (como aconteceu na av. Paulista).
      Temos sido legislados por quem defende a minoria, o que é contra o princípio da DEMOcracia ou seja em represntação da maioria. As leis brasileiras não são exemplo, e me envergonham muito, mas agora estão querendo mexer onde não deveria. porque a mesma DEMOcracia que fez de homens como o Ulysses Guimaraes e Covas contribuissem para o país, hoje tem Tiririca e Jean Willis que legislam em causa própria (novamente a minoria). Já pensou se a população carcerária eleger o Marcola e o Fernandinho Beira Mar. A democracia com gente burra ou desinteressada dá nisso mesmo.
      Eu apesar de ser homem, não vejo a necessidade de ser machista. Não acho que a mulher tenha que ser empregada do marido e ainda servir apenas para transar. Aliás muito do feminismo fez, (ou tem feito) com que as mulheres adquirissem o que tinha de pior nos homens, vida lebertina, independência e etc. As mulheres com a vontade de ser igual aos homens perderam o lugar privilegiado de serem (no melhor sentido da expressão) o vaso mais frágil onde deviamos ter o dever da preservar e guardar.
      Se você não acredita na bíblia porvavelmente não a estuda, então você fala do que provavelmente leu nos livros de Dan Brow ou qualquer outro. Os filosofos tem o seu lugar no que diz respeito a estudo do comportamento humano, mas não no que diz respeito a estilo de vida que é o caso do Cristianismo.
      Sim eu acredito na bíblia e na orígem do homem e não, não somos todos oriundos de uma suruba ancestral. Adão e Eva diz respeio a criação da civilização judaica ou seja os Escolhidos, quando errarm e foram expulsos do Eden, se misturaram com as pessoas (vide os neandertais e homo sapiens) que já existiam na Terra, por isso que a salvação foi estendida aos gentios. A população terrestre não sobreviveria com muitos cruzamentos cosanguineos que só resultaria em genes fracos e causando a extinção da raça humana. É só um breve resumo.
      Um abraço,

  • Eu, estava tentando, entender por que pessoas , como estas , que se incomodam se fulano esta dando e como está dando.Alem da hipocrisia, a rapaziada acha que A Sandy é comportada demais para o comercial da devassa e fica preocupado se quem ganhou o BBB 11, já fez programa.E somando tudo que aconteceu comigo durante a semana, onde o ser humano politicamente correto me ferraram legal. Fiquei pensando onde poderia viver sem me preocupar com o Zé Povinho, com o deputado e seu seguidores .Encontrei um lugar show, A vila Sesamo, veja este clipe, como quem mora lá está feliz será que existem deputados mala como aqui ? ou defensores da moral e bons costumes , acho que cada um lá deve estar cuidando só da sua vida.Já sei ate de quem eu quero, ser vizinho , do Grover.Experimente, vai fazer muito bem.O link é este.
    http://www.youtube.com/watch?v=ZrqF7yD10Bo

  • FG,
    gente intolerante e preconceituosa eh o que faz o mundo regredir, desta forma nao podemos absorver tudo o que pessoas ignorantes falam, devemos dar um desconto, ignorar parte disso tudo, seguir adiante e procurar ensinar aos que vem por ai que tais posturas nao levam a nada.
    a luta kontinua, kontinua …..

    RL.

  • Flavio, sou leitor assíduo de seu blog, e gostaria de parabenizá-lo pelo excelente jornalista que é, mas desta fez você foi muito infeliz no termo: ” o sul, às vezes me assusta.” Caberia muito mais postar que a nação, às vezes te assusta, assim como me assusta. Afinal não mataram o índio pataxó no sul, não foi no sul que o pai jogou a filha do sétimo andar, nem foi no sul que uma filha matou os pais por ganância.
    Me perdoe o comentário mas hipocritamente seu comentário é tão preconceituoso quanto a causa que este deputado alega ser coerente, ou que o membro do Veterancar defende. Obviamente que não existe maldade alguma em seu comentário, e nem tão pouco quero dizer que seu comentário está ao nível destes outros. Mas por morar no Sul me senti ofendido, e me permita ter este sentimento diante de sua opinião. Afinal de contas não desprezo ninguém por morar em qualquer lugar do Brasil, e ninguém pode ou deve ter pensamento diferente deste.
    Certamente o que nos faz diferentes de outras “grandes nações” é sim nossa pujança, perseverança e fé no futuro, temos que resolver sim nossas desigualdes sociais, e ai então ninguém nos segura. Sejamos feliz e tentemos ser ao menos parecido com nosso querido e saudoso Senna: talentoso, espirituoso, nacionalista e comprometido com um ideal….
    Agradeço pelo espaço que dispõem a seus leitores.

    • O Sul me assusta justamente por reações como a sua. Porque não se pode falar do Sul que imediatamente alguém se levanta para imaginar que é um ataque ao Sul. Leia direito o que escrevi, leia os comentários, inclusive de gaúchos, catarinenses, paranaenses. Apenas chamei a atenção para episódios que têm ocorrido no Sul que me assustam. Os que acontecem em outros Estados, também. Quando algum paraibano atropelar ciclistas, ou um amazonense tacar fogo num índio, ou um marciano atacar um homossexual como aconteceu aqui em frente ao meu prédio, também manifestarei minha indignação. E meu susto.

  • “Se o cara realmente fosse fusilar o FHC, ou se ele se recusasse a atender um homossexual ou negro, aí sim, deveria ser detido. Nosso poder público é bem claro: Só os fumantes são menos cidadãos que os outros e podem ser expulsos de estabelecimentos sem maiores constrangimentos.”

    Rsrsrsrsrrss…esse é zica heim? ai, ai…quer dizer que o negro só tem dignidade se for impedido de consumir algo? Que merda de lógica capitalista de butequim é essa? (“O senhor só pode usar o banheiro se consumir algo”)

    Mais um que acha de liberdade de expressão é um cheque em branco para se disseminar ódio contra grupos marginalizados. Desde quando racismo é ponto vista crível e aceitável dentro de um senso comum de uma sociedade civilizada? Os “Bolsonaros” por ai são só a parte mais escancarada desta sociedade suja e preconceituosa, mas os piores pra mim são esses cidadãos médios com esse nivel de alienação….

  • Que merda de ponto de vista. Você não tem que concordar em nada que diga respeito com quem um cidadão ou cidadã vai pra cama.

    Eles tem o direito de existir tanto quanto você, pagam impostos e trabalham tanto quanto você. Preconceito contra heterossexuais? Que ridiculo! Quem é agredido e morto nesse país por ser heterossexual? Pra beatões como você preconceito contra heterossexual é não ser heterossexual.

    Seu direito de criticar/”moralizar” o mundo termina no direito inalienável de qualquer cidadão de seguir o estilo de vida que quiser desde que este esteja em legalidade juridica e constitucional para tal.

    Ninguém vai pedir permissão pra você para ser gay, lésbica, negro ou o que for…

  • Cara, cada dia que passa fico mais decepcionado com o ser humano.

    O meu futuro com certeza é bem longe dessa porcaria toda, no meio do mato, na minha chacara, com os bicho e as planta…

    Quanto mais eu conheço os homens, mais gosto dos animais.

  • Flavio, não seja tão severo.
    Eu acredito que impedir uma pessoa de falar é sempre uma censura. Independente da imbecilidade que a pessoa fala. Se nossa sociedade realmente quer evoluir no sentido da tolerância, por mais contraditório que seja, devemos tolerar as pessoas intolerantes também. Claro que o ódio delas deveria ficar restrito às palavras: Se o cara realmente fosse fusilar o FHC, ou se ele se recusasse a atender um homossexual ou negro, aí sim, deveria ser detido. Nosso poder público é bem claro: Só os fumantes são menos cidadãos que os outros e podem ser expulsos de estabelecimentos sem maiores constrangimentos.
    Talvez o Boos só esteja adimirado com o fato de um cara que pensa daquele modo “trogloditense” ainda conseguir falar o que pensa. O programa CQC teve muita coragem de exibir a entrevista. No nosso mundo chato, morno e pasteurizado, as falas do deputado não são nenhum saudável sopro de ar fresco, mas uma insalubre lufada do inferno não deixa de ser novidade…

  • Flávio,

    Penso que tudo que acontece, por melhor ou pior que seja, é uma oportunidade de aprender algo.

    Essas reações extrema que vem aparecendo cada vez mais são, em minha opinião, um sinal de que o preconceito vem sendo combatido de forma errada no país.

    Esse “politicamente correto” excessivo e falso que temos hoje em dia apenas mascara o preconceito, ao invés de combatê-lo no interior das pessoas.

    Ressalto que algumas atitudes anti-preconceito são louváveis, mas qualquer atitude que beneficie apenas um grupo isoladamente é inútil.

    No fim, pessoas como o referido deputado podem ser necessárias para mostrar que muito ainda temos a avnaçar no combate ao preconceito.

  • desculpe-me mas tenho que discordar em uma coisa que vc disse… “O Sul, às vezes, me assusta.”… gostaria que vc colocasse claramente que o RIO GRANDE DO SUL te assusta e não SC e PR, pois quem conhece os estados do Sul verifica CLARAMENTE a diferença do RG, povo mau educado e que só eles e o que é deles presta…

    • Júnior, Júnior…… antes de mais nada, o sul no texto de Flávio Gomes foi um ponto de referência, não três estados… pense um pouco…
      Em segundo lugar, não se escreve mau educado, e sim mal educado….
      Em terceiro lugar, como Blumenauense que também sou, acredito que na grande maioria das vezes as pessoas recebem do mundo o tratamento que a ele dispensam, ou seja, os gentis acabam por receber gentilezas, os educados educação, e os mal educados má educação.
      Penso ser muito delicado emitir opinião sobre um povo inteiro, do Rio Grande ou de qualquer outro lugar.
      Ah… é RS, e não RG…
      Quanto ao “nobre deputado”, encaixa-se perfeitamente na categoria dos indefensáveis, como tão bem colocou o autor deste blog.
      O mundo assusta…. às vezes o sul, às vezes o oriente, às vezes o vizinho, às vezes o oriente médio (quase o tempo todo….)