MENU

Friday, 24 de August de 2012 - 13:55Autódromos, Automobilismo brasileiro

RIO, HOT CARS, GALVÃO, 1981

SÃO PAULO (era legal demais) – O trabalho de resgate da memória de Jacarepaguá que tem sido feito pelo Alessandro Neri é de um valor inestimável. Que tal esta corrida de Hot Cars em 1981, transmitida pelo Galvão Bueno na Bandeirantes? O grid não era dos maiores. O público, também não. Mas é demais ouvir o Galvão narrando uma prova nacional com o mesmo pique e entusiasmo de seus primeiros anos de F-1. Giu Ferreira é o comentarista. E Toninho da Matta dá um show, com Egídio “Chichola” Micci em segundo. Aliás, está na hora de alguém na Classic Cup fazer um Passat igual ao do Toninho. Homenagem mais do que justa. Falando nisso, tem corrida no fim de semana em Interlagos. Daqui a pouco dou os detalhes.

21 comentários

  1. Nelson says:

    É uma boa hora de se fazer uma justa homenagem ao Toninho.Ele foi o unico piloto mineiro gênio,foi ele e o resto(me incluo entre o resto),isto sem tentar menosprezar ninguem,mas é a grande verdade.O que tocava os Karts 250cc na chuva era uma barbaridade.Depois com o opala 21 da motorauto fez coisas incriveis inclusive em cima do Cristofaro em interlagos.Deu um show com as P33 em São Paulo em treinos mas deu um grande azar ao quebrar os tornozelos.Depois ficou nos passats e arrasou.Grande piloto e grande pessoa.

  2. BETO says:

    Familia de Campeões :

    Toninho da Matta ( pai )
    Cristiano da Matta ( filho )
    Gu da Matta ( irmão do Toninho )
    Ivaldo da Matta ( primo do Toninho )

    Todos campeões, em diversas modalidades do automobilismo, acho que a única do Brasil ou do Mundo, com quatro integrantes .

  3. ALEX B. says:

    Tem que ser amigo dele pra aturar esta mala sem alça e com fecho éclair emperrado do Ga-ga-ga-galvão! Até antes ele era insuportavel! Estraga até corridas historicas como esta…baaahhhh

  4. Franco says:

    Grande Toninho da Matta! Pilotava muito! E dizem que o bota mais pesada da família é um de seus irmãos, que não correu.

    Morro de vontade de poder competir na Classic e queria fazer um Passat Hot Car. Aqueles antigos, com os paralamas e bitolas bem largos. Mas não tenho grana…

  5. Christian Alves (@chrisalves88) says:

    Desculpem, mas quem foi o Giu ferreira e por onde anda?
    E como era possível fazer essas transmissões tão simples e boas, de corridas tão simples e boas. e agora não ser mais possível?
    pq mesmo com pouco carro e cadeiras vazias, isso passou de tarde na tv aberta? ee pq somos obrigados a ter q acordar cedo pra ver 10min de corrida sem graça de carro bolha!?

    alguem ai tem um deloran à venda com capacitor de fluxo e mr fusion funcionando?
    só pra poder me responder essas e outras perguntas, ao vivo e a cores!

  6. Filipe Pimenta says:

    “Bem amigos da Rede Bandeirantes de Televisão”

    Que estranho ouvir isso! rsrs

  7. Pedro Paiva says:

    Linda prova. Mas a regra do campeonato de somar os tempos das duas baterias não tem nada a ver.

  8. Eduardo Andrade says:

    O Toninho era o cara daquela época. Era técnico e arrojado. Foi um dos grandes. Acho que renderia uma bela reportagem na Warm Up.

  9. Lott says:

    Pais e filhos:

    Toninho da Matta pai do Cristiano da Matta;
    José Junqueira pai do Bruno Junqueira;
    Clemente Faria pai do Clemente Faria Junior;

    Acho que o melhor professor foi o Toninho, por motivos óbvios!

  10. perillo says:

    Torcia muito pelos fuscas de Janton Bruno, preparado pelo Toninho da Grid e também do José Manoel Ferraz, preparado e pilotado por ele mesmo.
    Bons tempos.

  11. Thiago Sabino says:

    Porra, que show do Toninho!!! Passatão nos trilhos em jacarepaguá, e uma tocada limpa, muito muito técnica. Isso que o “autódromo” dele, era o entorno do Mineirão…..imagina se em MG existisse um autódromo naquela época….

    Ah, se existissem microcâmeras naquela época hein.

    Clemente “de” Faria, que andou muito de marcas nos 80, que morreu aproximadamente a 1 mês atrás, num acidente aéreo em Angra….

    Um Galvão, na medida, sem afetações, batendo bola com o Giu Ferreira.

    Passando corrida de carros na Bandeirantes, em plena tarde…. surreal pros dias -surreais- de hoje.

    Agora…..que que fizeram com jacarepaguá hein? Acabou cara….. isso tudo já era…. Automobilismo brasileiro….já era também….

    Teve-se a manha de piorar algo que era razoavelmente bom.

    Foda.

  12. Caca says:

    Giu Ferreira, figuraça, falecido no fim da década de 80, salvo engano. Era marketeiro, mas comentava corridas como ninguém.

    Galvão, um mestre, técnica, emoção, irreverência e uma voz insuperável.

    E a transmissão da Bandeirantes, com 3 câmeras posicionadas em cima da torre de cronometragem? O motivo? Poucos recursos e cabos curtos! Estacionaram a unidade móvel atrás dos boxes e puxaram os cabos disponíveis. Onde terminavam, instalavam a câmera!

    Bons tempos, tudo tão mais simples.

    • Pois é qual autódromo que vc cobre o traçado com 3 cameras …….e que da arquibancada via-se tudo, aliás via-se tudo no teto do box mesmo….. era Jacarepaguá, era porque a ganância do Cesar Maia e seu filhote Dudu destruíram tudo para ganharem dinheiro enfiando uns trecos provisórios para 2016 e depois entregando tudo para a Carvalho Hosken ou outra construtora que vem destruindo a região com a Miami de mentirinha

  13. Allan Sá says:

    Alguém sabe por onde anda o Giu Ferreira…

  14. André Almeida says:

    A gente achincalha, reclama, mas o Galvão foi a voz do Brasil na F1. Hoje não é mais, infelizmente, pois se perdeu em meio ao seu ego.

    Eu gosto do Galvão, mas ele hoje em dia dá raiva.

    Mas estes vídeos mostram o quanto ele foi bom, antes da era “Senna”.

    • Igor says:

      Galvao bom? Para ai! o tempo todo chamando o cara deTUninho, e TOninho! So porque e mineiro o Galvao tem que imitar capiau. E aquela de “mostrar o caminho das pedras”, ja queria adivinhar o que os pilotos e equipes queriam fazer.
      Ja era mala desde de sempre, cara chato.
      O TOninho dispensa qualquer comentario, era o melhor!

      • Danilo Candido says:

        Antes o Galvão “mala” do que o Luís Roberto…

      • Ricardo Sarmento says:

        Concordo Danilo! Lembro de uma vez que o Luis Roberto estava narrando uma prova da stock em curitiba, e disse que no momento em que o piloto apertava “aquele botãozinho”, injetava nitroglicerina no motor, o que fazia com que o carro ganhasse alguns cavalos de potência.

        Puta que pariu! se ele injetasse nitroglicerina no motor, não ia sobrar nem o tal botãozinho inteiro! Aí é burrice demais.

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *