MENU

domingo, 10 de março de 2013 - 17:02F-1

NO RIO

massanorioSÃO PAULO (no limits)Foi bacana a exibição de Massa, bastante gente foi ver no Aterro (se a “Folha” falar em “dezenas de milhares”, teremos de rever alguns conceitos de cálculo de multidão), o dia estava lindo, as pessoas gostam de ouvir o barulho de um carro de F-1, tudo legal, tudo beleza, mas…

– Mas o prefeito do Rio, um fanfarrão, continua tratando o automobilismo com total negligência. Depois de destruir Jacarepaguá junto com seus amiguinhos do COB sem a menor cerimônia, segue mentindo sobre um novo autódromo. Pior: é capaz de dizer sandices como esta registrada pelo Fábio Seixas, na “Folha”. Falou o prefeito que o “pessoal do automobilismo” tem de reclamar, senão a Prefeitura “deita em berço esplêndido”. Um escárnio.

– Mas ao fim da apresentação, que incluiu um desfile de Ferraris de rua, alguém deve ter querido fazer graça, porque só tem tonto dirigindo esses carros nas ruas das grandes cidades brasileiras, e perdeu o controle, porque esses tontos não sabem dirigir, atingindo algumas pessoas que estavam assistindo ao evento. Três se machucaram e aguardamos informações sobre seu estado de saúde.

Sendo assim, creio que o saldo do domingo não tem nada de positivo, apesar do grande barato que é ver um carro de F-1 num cenário tão lindo. Porque não só não vai ter autódromo nenhum no Rio, e essa exibição não vai comover as autoridades, como esse tipo de acidente precisa ser evitado a todo custo. E, para isso, é só colocar profissionais ao volante. E não gente que quer exibir o poder de sua conta bancária sobre quatro rodas.

Mas não se pode acusar os organizadores de nada. Porque o acidente aconteceu quando o evento já tinha terminado, pelo que compreendi.

84 comentários

  1. MARCO ANTONIO disse:

    É importante ressaltar outro aspecto relativo ao autódromo. Jacarepaguá era um dos poucos, senão o único autódromo homologado para a Moto GP. Altíssimo nível de segurança para motocicletas. Ora, Flavio Gomes, o mercado de motos acima de 600CC no Brasil tem crescido muito. A atração pelas motos de pista, equipamentos, etc, tem sido vertiginosa aqui no Rio. Triumph, Ducati, MV Agusta, BMW todas estão entrando fortes no mercado carioca. Aí pergunto: onde o carioca fará cursos e track days com segurança? Assim, todos vão para as estradas e a quantidade de acidentes com mortes de motociclistas de motos esportivas aumentou assustadoramente depois da destruição de JPA. Todos os que frequentavam a mesma mutilada Jacarepaguá e praticavam o esporte com segurança agora nada têm. E a solução encontrada pelo governo é encher de radares as rodovias. Como se isso fosse resolver o problema.

  2. Mello disse:

    O Aterro do Flamengo fecha ao trânsito todo domingo, do início da manhã até as 18h. Isso ocorre independentemente de haver ou não algum evento na pista.

  3. Alemão disse:

    Flavio, não é esta Ferrari (na Nova Dutra) que causou o acidente no RIO? Veja no link abaixo a quanto ela andava….

    .http://www.youtube.com/watch?v=5vAz2fmAvLA

  4. Nilton Lopes disse:

    O evento já tinha acabado? Bom, se a pista já estava aberta para o trafego normal ok, não há responsabilidade nenhuma, mas parece que não. Haviam ainda as grades, os delimitadores e tal, então a responsabilidade é de quem deixou os carros ainda correrem como se tivesse evento.
    Acabou? Cai fora todo mundo, bora para casa, guarda-se tudo, o trafego volta ao normal.
    Salvo alguma outra explicação, os organizadores são responsáveis sim, pois o evento acaba quando termina e se entrega a pista à prefeitura como foi encontrada antes do evento.

  5. askjao disse:

    Eu fui e achei muito bom o evento. Como todo evento de rua, claro que a segurança é mínima e os riscos enormes. Vai quem quer. Só fica a crítica pela falta de informação, pois depois das passagens do Massa, que me levou ao inédito record de 6 orgamos, ficamos a ver navios esperando uma novo desfiles das Ferraris com o piloto se despedindo. Mas nem tudo é perfeito, a começar pelo povo oriundo da dita cidade maravilhosa. Fazer o que.

    • Alexei disse:

      Vai quem quer??????
      Como se quem vai ver um evento desses tem noção da falta de segurança e, principalmente, que o piloto de F1 vai andar a quase 300 por hora. Aí acontece uma merda qualquer e a culpa é do público que foi porque quis??? Ah, peraí que vou chamar a Val Marchiori: HELLOOOO!!!!
      Mesmo com um piloto de F1 ao volante, pode dar alguma merda. Veja o que aconteceu com a Maria de Villota… “Ah, mas o Massa é muito melhor do que ela”… Pode ser, mas quando acontece alguma merda nem Michael Schumacher faz milagre…

  6. Um adendo. Eu estive no evento, fiquei em frente à tribuna (na maldade, é claro, porque eu sabia que o Felipe faria zerinhos em frente aos patrocinadores).

    Antes do Felipe, teve um desfile de 32 Ferraris de passeio. Este cara da Ferrari amarela já havia se atrapalhado antes, acho que deixou o carro apagar, teve que vir alguém para desenrolar e aí sim o carro saiu.

  7. Ricardo Bigliazzi disse:

    Muito bom o texto… melhor ainda ver uma critica aos Amigos do Rei.

    Imperador

  8. Gustavo disse:

    Flávio, já que você mencionou a reportagem do Fábio Seixas na Folha, avise ao nareba que INEA não é Instituto Nacional do Ambiente, mas sim Instituto Estadual do Ambiente. Ainda dá para corrigir. O texto, não o nariz…

  9. Renan disse:

    O video do acidente foi removido, achei este aqui!!!
    http://www.youtube.com/watch?v=m3RDtEkvcpM

  10. Luiz Ronaldo disse:

    No geral, acho que o evento foi positivo SIM. Muito mais pelo calor do público (de verdade) e pela simpatia apresentada pela italianada. A organização foi pífia? Sim. irresponsabilidades? Houveram aos borbotões.

    Mas deixo aqui esse vídeo de uma exibição da RedBull como parâmetro de comparação (embora obviamente um erro não justifique o outro.

    http://www.youtube.com/watch?v=51AAIIlPF1I

  11. Felipe Lima disse:

    festa de caipira

  12. Sérgio disse:

    Só tem tonto dirigindo esses carros? Você conhece todos os proprietários desses carros, Sr Flávio? Cada um que assuma seus atos, não generalize. Eu poderia chama-lo de tonto por escrever tal besteira?

    • Luiz Ronaldo disse:

      Cara, vais me desculpar, mas uma coisa é um F1 dotado de freios imoralmente eficientes pilotado por um piloto com 10 temporadas de F1, outra é um GT que requer uma pilotagem extremamente cuidadosa, em especial no local em que se encontrava, sendo conduzido por um civil. Generalizar é errado, mas TODOS ali estavam errados em andar naquela velocidade, se não tinham conhecimento de causa para tal.

  13. Andre Decourt disse:

    Os cariocas se opuseram, o parque é tombado pelo Iphan e a pista tem caimento de rua normal, com o meio alto caindo para os meio-fios

    • Alexei disse:

      Fora que a inclinação das curvas no Aterro é completamente inadequada para corridas. Acima de uma determinada velocidade, o carro tende a ser jogado para o lado de fora. Por isso aconteceu o acidente fatal com o filho do Tom Jobim em 1998. O garoto de 18 anos entrou numa curva a 140 km/h e foi cuspido em direção aos canteiros, colidindo com uma árvore.
      O limite de 70 km/h até a entrada do retão da Praia do Flamengo se justifica por isso…

  14. Andre Decourt disse:

    O acidente põe água no chope dos que querem transformar o Aterro em pista de corridas

  15. Harry disse:

    Oi FG,
    Parabéns por não deitar no “Berço Esplêndido”, Mestre FG!
    Harry!

  16. Fabio Tust disse:

    Que baita merda hein! Prefeitura de merda deixar um evento desses acontecer num local público, sem segurança. Organização falha pelo acidente de motocross. E um rico de merda fazendo cagada no fim. É pra fuder o cu do palhaço.

  17. Paulo_maffi disse:

    Essa realidade é quase sempre inversamente proporcional: Carro bacana com gente otária na condução (vide Thor, ‘o Batista’ em posse sua marreta prateada com rodas)!

  18. Alexei disse:

    Flavio, desculpe mas dá uma olhada nestes vídeos feito logo depois do atropelamento e verá que há pelo menos duas Ferraris vermelhas por ali, o que desconstrói a versão da Petrópolis de que o atropelador tomou o caminho errado e o atropelamento aconteceu com o evento encerrado. Ele aconteceu durante a parada final mesmo. O atropelador aparece durante um dos vídeos, fora do carro. Poderiam tê-lo linchado mas parece que ninguém tentou fazer isso.
    Os vídeos comprovam a inadequação da estrutura para o evento.
    http://www.youtube.com/watch?v=gS6E-7PJUCU
    http://www.youtube.com/watch?v=z_oBQreBTcM

  19. John McClane disse:

    Imagina a festa aqui no bananal no ano que vem. Estrangeiro vê essas merdas de eventos cheias de gente sem noção e fala que somos uns animais. Aí fica difícil desmentir.

  20. Wolfpack disse:

    Fui um crítico aldaz do Zacarias durante estes anos, mas confesso que hoje eu me dobrei a ele e sua alegria contagiante. O Massa é um bom rapaz, boa pessoa, talvez por isso ainda não foi campeão na F1, pois por lá tem que ter no sangue algo de Dick Vigarista e Tião Gavião. O rapaz tem carisma, e sua alegria transforma a gente. Tomara que neste ano a sorte mude pro seu ladom que ele fique ao menos na cola do Don Fodon, reclamon, e que vença corridas e faça história. Chega de ser o escudeiro. Sonhar não faz mal a ninguém.
    Massa parabéns por esta apresentação no dia de hoje. Por sinal, uma corrida de rua não caberia no Rio?

  21. jose carlos disse:

    se estes ricos falsos e emergentes que realmente gostam de automobilismo do rio trabalhassem em prol do automobilismo o autodromo nao seria destruido pela corja do poder
    nao faz sentido em qualquer lugar serio destruir um autodromo que tem pouco mais de 30 anos em prol de um populismo insano desta corja que ai esta
    suei pacas,passei fome e sede e ajudei com meu trabalho na construcao deste espaco que foi um sucesso nos eventos que la sediou
    porque estes gestores politicos nao gostam de automobilismo,se responsabilizaram em sacrificar e extinguir o que para nos deveria ser um templo
    se os gravatinhas do poder trabalhassem e tivessem real ideal teriamos um lugar dicno para recebermos este evento que e internacional e de grande vulto
    AUTOMOBILISMO NO RIO NUNCA MAIS
    O PINTEIRO PROMETEU QUE SO ENTREGARIA A CHAVE DE JACAREPAGUA COM A CHAVE DO NOVO NA MAO.CADE AS CHAVES????????
    JC SETE LAGOAS

  22. Luc Monteiro disse:

    Estive no evento, Flavio, e de fato o acidente – recuso o termo “incidente” – ocorreu depois do término da programação. Não consegui me despedir da minha contratante, que estava às voltas com as providências que a equipe da organização estava tomando diante do fato.

    O Tiago Mendonça, que é assessor de imprensa do Grupo Petrópolis, informou em sua conta no Twitter, à tarde, que as vítimas estão fora de perigo, relatou um homem que levou pontos na cuca e uma mulher que sofreu fraturas nas pernas, revelou que o motorista que “invadiu a parte fechada do circuito na dispersão responde por lesão corporal”. O Grupo Petrópolis, segundo o Tiago, presta toda a assistência necessária aos feridos.

    Foi um evento bem bacana, de fato, embora o Seixas tenha fugido de pagar a cerveja da tarde. O que me surpreendeu foi não ter havido – pelo menos onde eu pudesse perceber – protestos ou manifestações hostis pautados na extinção de Jacarepaguá.

    • Andre Decourt disse:

      Esse mesmo motorista, junto com outros motoristas de carros italianos, desfilou de manhã por Copacabana, com batedores da Guarda Municipal, e fazendo presepadas numa via pública aberta a todos, num dos desfiles mais bregas e sem noção que a velha avenida já viu. Eu estava lá caminhando e fiquei com vergonha de ver o meu bairro se prestando a isso !!!

  23. Inácio Neto disse:

    Flávio, será que Bernie pretende realizar um terceiro GP no Brasil nas ruas do Rio? O GP das Praias, ou GP das Bundas, ou GP Maravilha. É possível?!?!?!

  24. Ronaldo disse:

    Que M. foi essa? Sim o povo carioca tem o direito e merece muito mais que isso!!! Cade um novo autódromo já que desmancharam Jacarepaguá???

  25. Edegar Belz disse:

    Flavio, como você é chato e ignorante quanto à questão das “dezenas de milhares”.

    1 dezena de milhar = 10.000.
    2 dezenas de milhar = 20.000.
    Qualquer número acima disso contém “dezenas de milhar” de unidades (que podem ser indivíduos, objetos ou qualquer coisa).

    Digamos que no funeral do Hugo Chavez havia exatos 10.000.000 (dez milhões) de pessoas. Isto significa que naquele local encontravam-se presentes 1.000 (mil) dezenas de milhar de pessoas.

    Pelo estudo dos Conjuntos, na matemática:
    10.000.000 contém muitas dezenas de milhar. E muitas dezenas de milhar estão contidas em 10.000.000.

    Portanto o termo “dezenas de milhar” (no plural), mesmo que indefinido, é perfeitamente válido e verdadeiro para qualquer número igual ou superior a 20.000.

    Sugiro que você repense a resposta que deu a um leitor do seu blog, no post do Hugo Chavez, quando você o mandou voltar pra escola se ele entendesse “milhões” onde leu “dezenas de milhares”.

    Para mais informações, sugiro que procure por “ordem dos números” no Google.
    Abraço!

  26. Mauricio disse:

    Brasil, o País da Copa e da Olimpíada!
    O Brasil está dando um show de civilidade e organização em eventos esportivos: morte com sinalizadores, pancadaria em vestiários, em aeroportos, etc… e mais essa agora.
    Na Copa e na Olimpíada o show tem que continuar!

  27. jaime chan disse:

    Estive no local. Achei legal. Teve esse incidente com um cara indo embora do evento, culpa dele, ele que pague o pato. Esse tipo de evento, ja vi varios na internet, sao todos mais ou menos parecido.Tinha duas grades separando o publico e a pista. Seria o suficiente no caso da Ferrari perde o controle ? Logico que nao. Como em nenhum evento parecido eh. O que eu vi de positivo, foi o comportamento de Massa. O box da Ferrari estava montado na parte de tras , longe do palco VIP, E tinha um pessoal gritando o nome de Felipe o tempo todo, e apos a segunda apresentacao , abrirao a parte de tras da lona que servia de box, para o pessoal poder ver o F1 e Felipe saiu para comprimentar todos com o seu gesto tipico, batendo a mao no peito e indicando para as pessoas. Sem televisao por perto. Ganhou um admirador.

    • Luiz Ronaldo disse:

      De fato, não só Massa como A Ferrari e Stefano Domenicalli, que dizem ser tão sisudo, foram super simpáticos com a galera que se amontoou atrás do alojamento preparado pra equipe. Tiveram muita paciência com a bagunça controlada da galera. E arrisco dizer até que o Domenicalli se divertiu.

  28. Jason Vôngoli disse:

    Aí está, diretamente do plantão do jornal Extra:

    RIO — Patrocinador do evento da Ferrari no Aterro do Flamengo, neste domingo, o Grupo Petrópolis informou que o empresário paulista Adolfo Cardoso de Araújo, que conduziu um veículo envolvido em atropelamento, responderá judicialmente por lesão corporal culposa. Em nota, o grupo anunciou que dois espectadores foram atingidos acidentalmente. Os feridos estão fora de risco, e a empresa está prestando solidariedade e acompanhamento necessários, segundo a mensagem.

    O Grupo Petrópolis informou que o acidente ocorreu quando a apresentação já tinha terminado. Segundo o grupo, todos deveriam seguir para a saída, mas Araújo teria desobedecido as regras e se dirigido para outro lado. Ele teria acelerado e, ao tentar fazer uma volta, perdeu a direção e bateu na grade, atingindo espectadores.

    Leia mais: http://extra.globo.com/noticias/rio/motorista-que-atropelou-espectadores-em-evento-no-aterro-respondera-por-lesao-corporal-7797979.html#ixzz2NBMOBXJd

    • Alexei disse:

      Estranho… as testemunhas disseram que outra Ferrari vinha atrás e quase entrou na batida, mas o motorista conseguiu frear. O acidente, até onde eu sei, aconteceu na parada onde o primeiro carro levava Felipe Massa como passageiro.

  29. Maurício Stork disse:

    Flávio boa noite,

    Estive no evento e o que NIGUÉM comentou foi o acidente grave que houve com o piloto de motocross freestyle numa das rampas…..

    Tenho todo o video do acidente…..

    Ele chegou sozinho na rampa não tinha NENHUMA ABULÂNCIA NO LOCAL!!!!! o rapaz saltou de moto errou o cálculo e caiu fora da rampa caindo no chão IMEDIATAMENTE!!!!! ficou um tempão no chão sem atendimento e a ambulância demorou MUITO tempo para chegar no local!!!! foi triste muito triste!!!!!! espero que ele esteja bem.

    Quanto ao Massa foi fantástico!!!!! ele acelerou mesmo na parte de alta. Quanto ao comentário de fazer uma pista de rua no aterro ESQUECE o asfalto lá é muito ondulado só recapiando pois o carro sofreu com as ondulações na parte mais rápida do circuito montado (onde eu estava).

    Abs

  30. Marcio TM disse:

    No UOL a manchete: “Exibição de Massa no Rio termina com dois acidentes”.
    Aí vc lê a notícia e vê q o Massa não tem BULHUFAS a ver com problemas ocorridos no EVENTO.
    Esse portal furreca precisa manipular tão descaradamente as notícias pra conseguir atenção??… lamentável!
    http://esporte.uol.com.br/f1/ultimas-noticias/2013/03/10/exibicao-de-felipe-massa-no-rio-de-janeiro-termina-com-dois-acidentes.htm

  31. Bastos disse:

    Um absurdo evento deste nas ruas. Foi para isso que o Prefeito acabou com autódromo. Deu sorte ele que os danos causados foram leves. Admiro muito ver Felipe Massa envolvido nisso.

  32. MSM disse:

    Esqueci de dizer no post abaixo: no começo da 2ª apresentação às 12h, na primeira passada do Massa, ele teve que tirar pé, pois na contramão estavam vindo duas motos da PM.

  33. MSM disse:

    Quanto ao novo autódromo, pelo jeito só em sonho, porque não há nenhum interesse nessa idéia. Parece que o Grupo Petrópolis quer ajudar na construção do autódromo, pois já viram que do Governo, sozinho, não vai andar.
    Quanto ao Prefeito, sou servidor da Prefeitura, e posso dizer que não se pode acreditar no que esse picareta fala, só em ver a cara dele, vc percebe do que estou falando. Pior do que ele, só o Sergio Cabral, que tem a mesma índole e vícios do casal Garotinho e Rosinha.
    Pelo evento que aconteceu hoje, perdeu em muito para o que a Petrobrás montou em 2007, trazendo a Williams para andar no mesmo local.
    Só valeu pelas passagens do Massa pilotando a Ferrari, fiquei na parte em frente ao Museu da República no Catete, no local onde seria feito uma das apresentações no Motocross, depois de muita espera, vem o primeiro piloto e erra no 1º salto, caindo no asfalto, demora do socorro, ambulância demorou no mínimo uns 10min, após o procedimento do resgate, apareceram mais 2 pilotos, 1 deles deu uns dois saltos sem compromisso e foram embora. Só para desmontar todo o local do salto demorou uns 40 a 50min. No desfile das 32 Ferraris, pelo menos umas 20 devem ter se perdido pelo caminho, porque aonde eu estava não passaram todas mesmo, sem contar que como as rampas de salto ainda estavam montadas, os carros passavam em câmera lenta.
    Longo período de inatividade, as pessoas esperando acontecer alguma coisa e nada, nenhuma informação por alto-falante durante o evento, quando vi, a Ferrari 2010 já estava passando por mim, como grita a criança, para quem viu e ouviu pela 1ª vez, deve ter ficado arrepiado. Despois de uns 40min após a última passada do Massa, lá pelo 12:00, volta ele de novo, alegrando os poucos que ainda ficaram esperando, pois da parte da organização, não houve informação alguma de que haveria uma segunda apresentação, o que fez a maioria das pessoas saírem sem ver o replay da Ferrari 2010. Ou seja, se houve um evento bom, só aconteceu na parte em frente a Glória, no Museu dos Pracinhas, muito diferente do que houve com a Williams e as outras categorias apresentadas pela Petrobrás, que fez apresentações por todo o trajeto e com períodos curtos de intevalo.

    • Alexei disse:

      Entre os dois “passeios” do Massa houve o show do paraquedista que saltou e caiu dentro de uma Ferrari de passeio conversível em movimento. Havia sistema de som mas só para quem estivesse perto da tribuna dos biutiful pipou perto do Monumento aos Pracinhas. Quem ficou ao longo do circuito pastou geral…

  34. Alexei disse:

    Flávio, eu estava lá. Fui ver as Ferraris no Aterro e posso dizer o seguinte:

    – Não havia dezenas de milhares de pessoas pelo circuito. Em alguns pontos não havia ninguém e em quase toda a extensão não havia nada próximo do que se pode chamar de multidão. Estava bem confortável.
    Muitas pessoas estavam perto, afinal de contas todo o Aterro se transforma numa imensa área de lazer aos domingos, mas muitas nem ligaram para os carros. Papo de marketeiro.

    – Houve uma irresponsabilidade geral nesse evento. Não havia segurança suficiente para um carro de Fórmula 1 circular a quase 300 km/h a poucos metros do público, separado apenas por alambrados móveis destinados a segurar faixas dos patrocinadores. Isso quando havia alambrados.
    Pensei que Felipe Massa limitaria-se a passear pelo circuito como numa volta de desaceleração, mas ele realmente pisou tudo o que podia. Em quase todas as suas passagens, percebi que seu carro estava a mais de 200 km/h. E se acontecesse algum imprevisto?
    Cheguei a ver dois malucos furando a segurança (feita no local apenas por uma mulher, a qual não conseguiu contê-los) e pendurando-se nos alambrados no exato instante que o Felipe vinha muito rápido para fazer festa e fotografar o carro. Ficaram a um metro de um carro de Fórmula 1 a uns 250 por hora!!!! E mais adiante, no trecho em que há um túnel de pedestres sob as pistas, muitas pessoas se penduraram literalmente nesses alambrados a menos de dois metros de onde o Massa passaria sem ser importunadas pela segurança. Aliás, não havia seguranças naquele trecho. Essa cena eu fotografei.

    – Não havia segurança nenhuma, claro, para Felipe Massa e os demais pilotos. Se algum carro saísse da pista, iria para cima das pessoas mesmo. E parece que nenhum deles se importou com isso. Pisaram fundo. Os donos de Ferraris de passeio iam passando a 160, 180 por hora. Iam na maior alegria se exibindo com suas esposas (acho que era isso) ao lado filmando. Algumas estavam até com os braços para fora dos carros segurando as GoPros. Aí, deu no que deu.

    – Não havia nada parecido com uma área de escape nas duas “curvas”, ou seja, nos locais onde o Felipe Massa e as Ferraris de passeio faziam piruetas. Isso acontecia a dois, três metros do público. Foi numa delas que o acidente aconteceu.

    Pode ter certeza de que vivemos um revival do velho circuito da Gávea e que se aconteceu um acidente com apenas três vítimas, nenhuma fatal, Deus olhou para o Rio de Janeiro mais uma vez (o que é uma especialidade pois sempre vivemos na corda bamba). Não sou contra eventos desse tipo mas não precisava ser como foi. O local não estava apropriado e toda aquela velocidade era desnecessária.

  35. davi rocha disse:

    Ter uma Ferrari é direito de quem trabalhou e ganhou dinheiro pra isso. Fiscalizar como ela vai ser utilizada, se como carro de passeio se como arma nas mãos de incompetentes é função do poder público. Aconete que poder público no Brasil não fiscaliza nada nunca e ai as coisas chegam ao ponto de um retardado perder o controle de um carro que obviamente não está habilitado a dirigir e ferir pessoas. Mas poderia ter matado. Dai chamaríamos de fatalidade também como a morte do garoto Kevin? Como a boate do Sul? Aceitamos “fatalidades” demais o tempo todo porque simplesmente achamos normal tudo oque definitivamente não o é. E uma pergunta: Como a organização pode não ter nada a ver com um carro que estava no mesmo local que a Ferrari de Massa? A menos que não estivesse e eu esteja falando bobagem, mas se estava, como foi parar ali?

    • Jr. disse:

      Com certeza, ter uma Ferrari é direito de quem trabalhou e ganhou dinheiro pra isso. Agora, jogar a culpa sempre no poder público já é demais. Esse tipo de coisas acontece porque as pessoas não respeitam as leis de trânsito. O Felipe Massa sabia o que estava fazendo. Os motoristas de Ferraris de passeio é que não deveriam andar da forma que andaram no evento. Por que não vão com seus carrões em um track day da vida?

    • Andre Decourt disse:

      Os babacas saíram com batedores de um hotel em Copacabana se achando super importantes, batedores da prefeitura, pagos com o MEU dinheiro !

  36. Felipe S. disse:

    Realmente, pelo o que li no link, o acidente parece que não foi culpa da organização do evento.
    Flavio, uma vez você opinou no seu blog que deveria existir uma habilitação conforme a cavalaria do carro. Acho que foi na ocasião de um acidente com um Camaro em SP, se não me engano. Eu concordo plenamente, acho uma ótima ideia. Claro que podem argumentar que tem muita gente fazendo loucuras com Uno, Gol, Chevette, etc… Mesmo assim, se existisse uma lei como essa, muitos acidentes como o de hoje poderiam ser evitados.

    • Alexei disse:

      Pode ter certeza que a organização teve culpa, sim, para esse acidente. Eu estava lá (felizmente não no momento do acidente) e o Aterro não oferecia a menor segurança para o trânsito de carros a mais de 200 quilômetros por hora, sobretudo um F1, com pessoas separadas simplesmente por alambradinhos móveis.

  37. willian disse:

    assino embaixo. esse evento foi só pra ter um carro de F-1 passeando por um cenário bonito.

    • Alexei disse:

      Passeando a quase 300 quilômetros por hora, diga-se de passagem… Felipe Massa pisou fundo. Eu estava lá.
      Dizem que Eduardo Paes gostaria de transformar as pistas do Aterro num circuito de rua “Monaco Style”, “divulgando as lindas imagens do Rio”, e só não conseguiu uma prova de Indy lá porque os moradores do Flamengo e os ambientalistas se opuseram.

  38. JP disse:

    O Rio não merece autódromo. Também não merece royalties.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *