MENU

segunda-feira, 29 de abril de 2013 - 17:14Motoland

MOTOLAND

superbikepublicoSÃO PAULO (aí sim) – Reparem nas tribunas de Interlagos. Lotadas. Segundo organizadores da Superbike Series, 35 mil pessoas. Não sei se é isso mesmo, porque não vi fotos do resto das arquibancadas. Mas os relatos de Juliana Tesser e Victor Martins me fazem acreditar que deve ser algo perto disso.

Tudo que o automobilismo não arrasta de público no Brasil aos autódromos o motociclismo tem conseguido.

Não se pode desprezar uma arquibancada assim. Há que se acompanhar esse fenômeno de perto. É realmente impressionante.

36 comentários

  1. Guilherme DTP disse:

    por causa disso

    http://youtu.be/Ha2fy85vCTE

    e isso

    http://youtu.be/r_gkkCp8b0A

    também.

    6 voltas de 60 km, os 20 e poucos de nordschleife não chega a ser pouco, mas é 1/3 do TT.

  2. valter disse:

    35.000 você compra um Gol ou uma 600cc.
    60.000 você compra um Eco Sport (aff) ou uma 1000cc.

    Qualquer Zé Mané pode se sentir um Valentino Rossi.

    Mas pouquíssimos podem se sentir um Alonso.

  3. jose pena disse:

    Volto a escrever para esclarecer o motivo da “vibração ” da torcida. É que no final da corrida o ultimo colocado tomou uma volta dos primeiros . Então quando ele passava o pessoal dava aquela “força” .

  4. Alfredo Junior disse:

    Gomes, moro próximo à regiâo do autódromo e esses dias estava em um bairro próximo, ja na periferia da cidade vizinha de Diadema, e vi um cartaz em um poste anunciando o motociclismo. Se não estiver enganado, foram 2 fins de semana com motos. Quando adolescente, sonhava em ser piloto ( não de F1, mas de qualquer categoria de baixo custo), pensei em ir para o motociclismo pela diferença de custo, quando vi uma matéria que um entregador de pizza corria em uma categoria nacional, com muito sacrificio, é claro. A verdade é que além de caro, e da total falta de divulgação, no motociclismo não se ve picuinhas como a constante choradeira de Cacá Bueno e Cia (salvo alguns bons pilotos como o Thiago Camilo e o Valdeno Brito), um bando de mimadinhos. Além disso, hoje em dia o público gosta de motos, pode sair dali e ter um sonho accecível de ter uma ninja verde 650cc. por uns 30 mil, e com versões de 250cc. por 15mil, que por sinal tem categorias de 250cc nas competições de motos.Agora um carro Okm com a merda de um motor mil custa 31mil só porque tem os obrigatórios abs e air bag. Fazem um campeonato de marcas ( tudo bem,eu gosto, mas podia ser melhor) com um só motor pra todos os carros, que graça para um piloto como os da Porsche correr sem público (se alguém puder tirar essa dúvida, pode ou não se pode assistir uma etapa da Porsche Cup ?) ? O paulista tem ótimas categorias, carros potentes, e algumas categorias estão tentando entrar no Band Sports, mas ainda falta muita divulgação. Gosto da Classic Gomes, mas te pergundo, porque não se juntam à Classicos de competição , aí seria um super Grid ?

    • Talles Almeida disse:

      Alfredo, a Porsche Cup é fechada mesmo, só para o clubinho de playboys.

      Quando tem corrida aqui, torço para que surja um portal no meio da pista que os levem para outra dimensão. Ou sem ser politicamente correto, que explodam todos, mesmo.

  5. James disse:

    O esporte a motor sobre duas rodas é infinitamente mais barato do que sobre quatro rodas. Competi anos em enduro de regularidade, sem muitos recursos. Tudo que eu precisava era uma moto de rua adaptada com baixo custo e facilmente e rapidamente reversível para rua novamente, ao contrário de carros, que quando se adapta para corrida é bem mais difícil andar normalmente em ruas sem muitas alterações. Esse fato faz com que muito mais gente se anime a competir ou mesmo andar “por andar”, fazer uma trilha com os amigos no fim de semana… De carro é muito mais caro fazer track days todo fim de semana. Essas pessoas são potenciais espectadores de corridas oficiais, é uma legião de pilotos amadores que conhece o esporte e que sonha um dia estar ali, junto com os grandes pilotos…

  6. Ulisses disse:

    Viva o Motociclismo Brasileiro!
    Tomara que os egos não se acirrem e acabem por estragar tudo em briguinhas babacas.
    Vamos torcer para a Globo não assinar nada com “as motos”, para não foder com tudo, começando por dividir as arquibancadas somente para os patrocinadores, colocando o público que gosta, paga e assiste (esses 35 mil), nos piores lugares do autódromo.
    Vamos torcer para continuar como está, na próxima serão 35.001, tô lá!

  7. Rod disse:

    O ingresso para arquibancada é gratuito.

  8. Marcio Duarte disse:

    Esse evento é de graça cara, de GRAÇA. Isso explica?

  9. Paulo F. disse:

    a) O motociclismo no Brasil é melhor organizado que o automobilismo.
    b) As corridas são muiito (asim mesmo com dois iis) mais emocionantes que as de automobilismo.
    c) As categorias são mais acessíveis financeiramente que as do automobilismo permitindo a participação de um número maior de competidores.
    d) As motos de competição não tem toda esta parafernália eletrônica que é custosa e que diminui a diferença entre os pilotos. E também são bem mais próximas das motos de rua ( se podemos dizer que uma R1 é uma moto de rua, rs)
    e) Apesar de termos ótimos pilotos agora e que historicamente que disputaram em várias categorias, não só na MotoGP (Adu Celso, Tucano, Barros entre outros), os nossos representantes lá fora hoje sofre de falta $$$!!!!! Vale lembrar que o Brasil tem competidores inclusive no Mundial de Velocidade em Estrada!
    f) Falta uma etapa das categorias internacionais no Brasil ( Superbike, MotoGP), que ao meu ver alavancaria mais ainda o esporte no pais.

  10. jose pena disse:

    Esqueci do record da pista para motos, segundo o locutor . 1minuto 38 segundos 477 milésimos. ESPANTO.

  11. fernando duarte amaral disse:

    engracado, nas revistas especializadas de moto a reclamacao com a motovelocidade eh geral, nao ha pilotos de renovacao, nao ha publico…em geral, apenas o motocross leva publico as corridas….vai entender…

  12. jose pena disse:

    Eu fui ao evento . Corri em interlagos nos anos 80 , vi de perto figuras como “lagartixa, birigui ,Feltrin. Não quero causar nenhum transtorno porem esse publico me deu a sensação de uma mentira. A grande e esmagadora maioria estava lá com entradas grátis e esperando pelo sorteio de uma “motinho “. famílias inteiras fazendo piquenique. Sem dar muita importância para o evento. Gastando o dia com as crianças ,mais preocupadas no sorvete e no seu celular. Isso é mais uma mentira como o “maracanã” dito aqui pelo Flavio.

    • Talles Almeida disse:

      quem dera fosse sempre assim.

      meu pai me levava pro autódromo para vermos kart e corridas diversas, e eu ia sem saber porque estava lá. e sou um apaixonado por isso.

      vai ver automobilismo pelo Brasil pra ver se não tem família, churrasco, dia inteiro no autódromo… isso é a essência perdida do automobilismo

  13. Leandro Custodio disse:

    Assustador mesmo foi o abrulho que essa torcida fez no domingo.
    Estava pedalando pelo anel externo do autódromo (próximo ao kartódromo) e, no fim da prova, deu pra a galera vibrando.

    Ah que bom seria se o automobilismo fosse assim…..

  14. Ricardo Bigliazzi disse:

    Mesma estratégia da Stock… dada a comparação,,, vamos começar a malhar…

    Brincadeiras a parte… é assim que as marcas e patrocinadores envolvidos devem tratar a competição.

    Como diz o Milton Neves, e nesse ponto ele esta coberto de razão, a imprensa de modo geral não noticia os nomes dos patrocinadores envolvidos e depois vive esculhambando as iniciativas que são tomadas no esporte nacional… em São Bernardo mesmo, o Voleibol esta prestes a acabar… o Santander/Banespa não patrocina mais o time (já a um ano) pois nunca teve o seu nome citado pela emissora que transmite os jogos…

    Segue o jogo… que o pessoal da motovelocidade no Brasil tenha todo o sucesso que merecem, é um grande mercado e existem centenas de milhares de entusiastas que adoram o esporte.

    Imperador

    • valter disse:

      É isso aí. Numa semana a globo mostra o Zannetti treinando num ginásio abandonado e reclamando da falta de apoio. Depois manda o piloto da Stock tirar o óculos por causa do patrocínio.

      Hipocrisia é pouco pra essa emissora.

  15. Talles Almeida disse:

    Sempre digo aqui que o autódromo está vazio nas corridas porque não se divulga.
    Pois bem: padarias, postos de gasolina, lojas de auto e motopeças da região e talvez em outros pontos da cidade divulgaram o evento e anunciaram a gratuidade do mesmo (mas quem queria VIP, pagava 40 reais, e eu adorei esse contra-senso, para ficar no paddock).

    Concordo bastante com o que o Luciano Trindade escreveu, e adiciono: motociclista, toma chuva, sol, pega frio, calor, e foi ao evento. Sim, o local era coberto, mas iriam do mesmo jeito.

    Enfim; tratam melhor o público, divulgam o evento, motociclistas podem ter essas máquinas na garagem, há identificação. A MotoGP tem 3 etapas por ano no maior mercado do mundo, a F1 uma só e não leva o mesmo público.

    Existem coisas no ar, e todos fingem que não veem. Fazer o que?

  16. carlos de moraes disse:

    SO TEVE ESSE PUBLICO HOJE POR CAUSA DO ALEXANDRE BARROS QUE VENCEU UMA CORRIDA POREM ESTAO DE PARANBENS POR LEVAR TANTA GENTE AO AUTODROMO

  17. José Morelli disse:

    É impressionante mesmo, NÃO esperava isso, de jeito maneira.

    E isso é um balde de água fria….nada contra o mundo das duas rodas mas como você explica isso? Para uma corrida de motos? Se fosse a Itália, Espanha, sei lá….sei que nesses países há uma base de fãs considerável de motos. Um setor da minha família inclusive é fanática pelas motos e sobretudo competições profissionais, eu sou um dos únicos que foi pro lado das “quatro rodas”. Já tentei gostar de moto, mas não consigo. O meu negócio é carro mesmo, não adianta.

    Eu não me conformo em ver corridas da Porsche Cup, Brasileiro de Marcas entre outras com quase ninguém nas arquibancadas e de repente uma categoria doméstica de Motos fazer isso…..tirando a IndyCar Series e Formula 1 onde o paulistano com certeza LOTA (é o que esperamos pra Indy em São Paulo semana que vem – uma demonstração sincera e até comovente de como o paulistano ama velocidade, pelo menos a julgar pelo que vi in loco ano passado) eu gostaria que pessoas comparecessem mais às corridas das categorias domésticas do automobilismo nacional. Mas é bacana também, de qualquer jeito, tá de parabéns o pessoal das Motos!

    Seria este um indício de que o Brasil é um mercado promissor pro Super Bike Internacional? A ver!

    • Paulo F. disse:

      A Porsche Cup não é feita pensada no público, mas naqueles que pilotam as máquinas de Zuffenhausen. Caso fosse feita à portões fechados ninguém notaria a diferença!

    • Lucas Carioli disse:

      É muito simples. A indústria automotiva está no momento mais babaca de sua história. Logo, isso se reflete no automobilismo.

      Já as motos estão no que eu chamaria de “época de ouro”. Nunca, mas nunca mesmo tivemos tantas motos legais disponíveis no nosso mercado como agora. Aproveitemos.

  18. Jose Carlos disse:

    Flavio, não estive lá, mas um amigo que esteve, me disse que uma dessas arquibancadas cheias éra de grátis, alguem promoveu isso para o público (convidados), não sei se é verdade, nem quem fez, mas acho que deu certo.

  19. Maurício MV. disse:

    A ação feita pelo pessoal envolvido ( Federação, patrocinadores, mídia, etc ) gera bons frutos. A MotoGP é mais interessante de se ver que a F1 com suas ultrapassagens a base de asas móveis e pneus que lembram suspiro ( o doce.rsrs). As pessoas sentem interesse em ver Valentino e cia e por conseguinte os campeonatos de menor expressão. Viva o Motociclismo.

  20. Ferdinandes disse:

    Deve ter relação com o crescimento exponencial do números de motoboys

  21. marcão disse:

    Venho falando a quase dois anos que “”principalmente o regional”” deveria ter umas duas categorias de motos, uma com aquelas antigas 350 da Yamanha, e outra de 450 honda.
    Ou algo do tipo. motos antigas de corrida que estão guardadas….Certamente alavancaria um povo pro templo e pro nosso regional…
    Só que ninguem deu muita bola….Mas a receita é essa mesmo, misturar corridas de carros com motos…E outra organizadores precisam parar de pensar só no próprio bolso…
    Quem sabe agora a coisa vai melhorar….

  22. JOANNIS LYKOUROPOULOS disse:

    SERIA LEGAL SE OS ORGANIZADORES DA PROVA, ACEITASSEM A CLASSIC,TODA VEZ QUE A CORRIDA FOR EM SÃO PAULO.

  23. charles disse:

    FG, por favor, desculpe a minha ignorância, mas eu ouvi uma entrevista com o Cezar Barros, e ele disse que uma pista feita pra motovelocidade comporta tranquilamente corrida de automóvel, mas ao inverso fica “meio complicado”. Procede? E porquê?

    • Minoru disse:

      Simples, apenas pelo fato de que se uma pista é segura para uma corrida de motocicletas, com certeza o será ainda mais para carros pois afinal sobre uma moto não há uma gaiola protegendo o piloto como em um carro.

    • Diogo disse:

      Principalmente no tamanho das áreas de escape. Quando uma moto sai da pista, ela e o piloto “rolam” por uma distância maior. Portanto, é mais espaço para os carros desacelerarem numa saída de pista.

    • Alex disse:

      E tem mais um detalhe, as zebras na motovelocidade estão praticamente niveladas com o asfalto da pista, o que não ocorre no automobilismo onde são praticamente meio-fios (é assim que se escreve?).

  24. Luciano Trindade disse:

    Sou motociclista desde os meus 18 anos (hoje 37) e acredito que esse fenomeno ocorre devido a similaridade das motocicletas de pista com as de rua, que acaba despertando tal interesse. Além da camaradagem existente no mundo dos motociclistas…

    Abs e bons Kms

    • Marcelo Couto disse:

      Concordo com o Luciano Trindade. O automobilismo se afastou do público e não o contrário. Ninguém se reconhece quando vê aqueles carros e pilotos na pista. Ademais, os pilotos de moto são mais “humanos”, mais “gente como a gente”. Tem-se a impressão que os pilotos de carro viraram uns mauricinhos burgueses.

      • Felipe Lima disse:

        ou a GLOBO “vendeu” isso para o publico!

      • Diogo disse:

        Você tem razão. As categorias de automobilismo tornaram-se mais coxinhas, com seus HCs, ingressos caros, gentleman drivers e torcidas compradas pelos patrocinadores com boné e camiseta. A Superbike foi no sentido oposto, com portões abertos, grande número de provas, custos para competir mais baixos e ingressos mais em conta. Aí, o povo passa o dia todo no autódromo, curte um belo evento e traz retorno aos patrocinadores, alimentando o ciclo. No outro lado, quem tem coragem de ir para o autódromo ver apenas 40 min de uma prova da Stock e depois voltar pra casa?

      • Ulisses disse:

        Essa diferença entre automobilistas e motociclistas, pode ser percebida claramente nos dois Salões. Quem foi no do Automóvel, depois foi no das Motos, notou esse abismo de simpatia que existe entre esses dois mundos.
        Não sou motociclista, mas estou pensando sériamente em entrar para esse universo, mesmo depois de “alguma” idade …

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>