MENU

quarta-feira, 22 de maio de 2013 - 12:40F-1

CEVERT DANS LA TÊTE

SÃO PAULO (preciso de um novo) – Nesta era de capacetes mutantes, é em Mônaco que a pilotaiada mais viaja na maionese. Mas Vergne escolheu um grande cara para homenagear: François Cevert.

Acertou na mosca.

vergnecevert

55 comentários

  1. Cranio disse:

    Você ouviu essa do vô Bernie querendo proibir o Raikkonen de usar seu capacete com homenagem ao Hunt, alegando que é propaganda do filme?

    Daqui a pouco ele proibe o Massa de usar cuecas vermelhas e o Alonso de comemorar fazendo o coelhinho…

    Cada uma…

  2. Ricardo Fulgoni disse:

    Tem vídeos do aciodente fatal do Cevert? Se tem, acho que nunca vi…

  3. Ricardo Bigliazzi disse:

    Tenho certeza que o Cevert seria Campeão Mundial. O Stewart ficou devastado com a morte dele… vamos ver o que Ele falará sobre essa homenagem.

    Imperador

  4. David Felipe disse:

    video interessante onde Stewart da dicas a Cevert antes do acidente fatal, detalhe ele falava a Cevert sobre a curva a qual ele perderia a vida.
    http://www.youtube.com/watch?v=i4bO74WE5Ak

    • Paulo Emilio disse:

      Na realidade o inicio do video mostra o Stewart no carro , com a Cevert ao lado, em Silverstone 1971, conversando e dando dicas sobre a utilização de marchas no circuito inglês e não em Watkins Glen 1973, quando do acidente fatal do françes ! Menos drama ! A realidade da epoca já era dura o bastante !

      • Thomas Graef disse:

        Não sei se é de 1973, mas é sim em Watkins Glen, pois o Cevert fala dos “S”s, e Watkins Glen possui essas curvas.

      • Guru da F1. disse:

        Não é drama não. De fato ocorreu esse fato. O Stewart alertou o Cevert sobre a zona conhecida como The Esses, no circuito de Watkins Glen. O escocês disse ao jovem amigo, para não entrar na zona conhecida como Esses na 5 marcha, porque era muito instável o carro naquela zona e poderia sair da pista. Segundo o Stewart era melhor entrar em 4ª, mesmo que perdesse um pouco do rendimento do motor, entraria mais devagar, mas estaria fazendo uma escolha segura. Fato constatado por Stewart horas mais tardes do acidente, quando ele, tentando entender a causa, saiu em busca de uma resposta. Quanto a esse vídeo, de fato já ouvi dizer que não se passa em watkins glen. Mas eles só colocaram para tentar ilustrar o que o Stewart falou (que de fato aconteceu). Embora até hoje não se sabe as causas exatas do acidente, porque segundo testemunhas ele saiu do nada da pista, as pessoas não entendiam o porque ele saiu da pista. Provavelmente foi isso que o stewart constatou. Segundo o Stewart a combinação de direita, esquerda, somado com a 5ª marcha nessa zona, foi crucial para catapulta-lo aos guard rails. O Cevert queria bater a pole do sueco Ronnie Peterson, era muito importante a conquista da pole, porque caso conseguisse, o faria ficar mais perto do vice-campeonato. Isso explica o porque ele resolveu entrar na curva em 5ª. Além disso, era a última corrida do ano. Então…O desespero era grande.

  5. Maurício MV. disse:

    Nota 10 p/ homenagem.

  6. Ylan disse:

    E o Suttil, que vai meter uma bandeira uruguaia no capacete, nacionalidade de seu pai.
    E pelo que entendi, não apenas em Monaco, mas para sempre.
    Já temos para quem torcer.

  7. disse:

    Deveriam levar uma Tyrrel e fazer o Vergne dar 10 voltas seguidas no mesmo traçado, sem errar marcha, passar de giro, e no pau, para honrar o uso do casco.
    Se não acharem uma Tyrrel, aqui perto de casa tem uma.
    A Fórmula 1 está começando a querer viver, ou buscar público nas antigas, pois esta palhaçada de hoje é o preço de não terem guardado a memória e hisória do automobilismo, principalmente no Brasil.

  8. Mario Gasparotto disse:

    Muito legal! Bem lembrado!

  9. muito legal a iniciativa
    deveria ser uma constante
    em GP como o de monaco,
    como exemplo, belgica, siverstone ou seja
    pistas que foram e ainda sao
    classicas na historia da formula 1,
    tao classicos quanto os grandes pilotos,
    desta epoca que seriam homenageados.

    talvez seria uma forma , mesmo que por
    ‘osmose” tentar entrar na cabeça destes pilotos
    atuais um pouco de talento e coragem.

  10. fabiano disse:

    flavio estou indo para monaco, qual e o lugar ideal para assistir a corrida ?

    abs

  11. Paulo Emilio disse:

    Aproveitando a deixa a Bruswick Films de Londres irá lançar neste verão europeu um documentário com imagens inéditas chamado François Cevert – Contract with Death , com 90 minutos de duração. Pena que é quase impossivel que seja lançado por aqui ! Quem já viu outros videos da Brunswick sobre Formula 1 anos 70 conheçe a perfeição das imagens a cores e do som !

  12. Roberto Martinez disse:

    Muito legal….se todo ano for assim, melhor , tem tanta gente boa no passado pra homenagear…Peterson, Stewart; Fittipaidi ; Hulme…

  13. Felipe Toniato disse:

    Salut FG,

    Desculpa eu ser o chato de plantao, mas o titulo esta gramaticalmente errado. Se a sua intençao foi dizer: “Cevert na cabeça”, a traduçao correta em frances é: “Cevert dans la tete”.

    Fora isso o blog é fantastique! Pit-stop diario para mim.

    Um abraço do amigo francophone,

    F.

  14. Celso disse:

    Bela homenagem, se pilotar 10% do que o Cevert pilotava, já ta no lucro…………

  15. Marcelo disse:

    François Cevert coloco no nível do Mark Webber, a diferença é que o australiano nunca admitiu ser capachão, já Cevert muitas vezes fazia jogo de equipe não atacando Stewart na pista. O GP da Alemanha 73 abaixo é de dar sono! As Tyrrell dominaram a corrida, Cevert tinha equipamento para brigar pela vitória, mas em nenhum momento peitou o companheiro! Pista fantástica, carros maravilhosos, mas briga pela vitória não existiu, prevaleceu o favorecimento ao primeiro piloto na Tyrrell.

    1973 F1 Nurburgring Nordschleife
    https://www.youtube.com/watch?v=IhI7ah4nKwQ

    François Cevert ainda vibrou com o segundo lugar na bandeirada!!! Esse coloco no time do Berger, Barrichello e Massa, tudo pau mandado!

    • Paulo Emilio disse:

      Desculpe, mas se o comentário acima não for mera provocação é de quem não sabe do que está falando ! Cevert era claramente o segundo piloto da equipe e o primeiro era nada menos do que Jackie Stewart, tricampeão naquele ano ! Cevert não tentou ultrapassar Stewart em Nurburgring porque o escoçes disputava o titulo com o Emerson e o françes sabia que era o ultimo ano do Stewart na Formula 1 !1974 seria o ano dele Cevert , não fosse o que lhe reservava Watkins Glen ! E mais , eram acima de tudo amigos e tinham uma relação de mestre – discipulo entre eles ! Nada, mais nada a haver com as coisas que acontecem nesta coisa artificial e comercial que chamam de Formula 1 hoje em dia!

      • Ronaldo disse:

        Assino embaixo com o Paulo. Cevert tentou e mais de uma vez superar Jackie, que intimidou o companheiro a ponto de ele simplesmente para de tentar. E a intimidação não era recadinho via rádio, nem xororô com a equipe; era na pista! A história da temporada de 1973 deixa isso muito claro. Certamente 74 seria o ano dele.

      • Mauricio disse:

        Deaculpe, mas não vejo diferença. Piquet não chegou na Brahbham tratando o então bicampeão Lauda como mestre. Nem Senna tratou o então bicampeão Prost como mestre. Nem Hakkinen fez isso com Senna. Chegou na McLarem entubando o brasileiro logo na primeira classificação.
        Essa história de que “o próximo ano seria dele” é bem ao estilo de Barrichello.

      • Burn Baby Burn.. disse:

        Na verdade Cevert seria o substituto de Jackie na equipe, e Stewart o estava preparando com muito esmero para isso,ela gostava muito do rapaz, como era possivel perceber na época, pois jackie pretendia abandorar as corridas em breve.. Mas infelizmente o destino assim não o permitiu..http://www.youtube.com/watch?v=NzvRz7hWdFA

      • Nelson disse:

        Mauricio, sinto muito, mas todos que você citou já eram primeiros pilotos ou tinham o perfil de campeões. É até injusto comparar um Barrichelo ou Cevert com estes caras.

      • Guru da F1. disse:

        Leia o que eu escrevi abaixo, que você vai ver que sua analogia é estúpida. Fora que o Piquet nunca foi um piloto boa praça, arrogante, cretino, e totalmente desrespeitoso, embora era O CARA acertando carros. O Macgayver da F1. Só que no Caso do Senna e Prost deve se lembrar que a relação entre eles durou pouco, inclusive pelo fato do Senna, não aceitar muito o Prost e nem o Prost entubar o estreante na equipe querendo ser o FODA. Mas ambos nesses casos pode se comparar. Fora que o grau que todos eles levavam de seriedade da categoria era bem alto. O Cevert era um cara bon vivant, o típico francês BON VIVANT, no folha de São Paulo você pode ler várias matérias sobre ele, onde ele dizia, que não via a F1 com a seriedade que o Stewart e outros pilotos levavam, ele falava que não conseguia ser assim. Levava o esporte com descontração, uma coisa notada por stewart quando ele morreu: Ele era um dos 5 pilotos mais brilhantes do mundo, poderia ser o primeiro, se levasse a profissão mais a sério. O negócio dele era mulheres, corridas e farras.

      • Alexei disse:

        Mas Cévert sabia que no quesito “pegar mulher”, dava 5 voltas de vantagem em qualquer piloto de seu tempo…

      • Guru da F1. disse:

        kkkkkkk e nos de agora. O cara era considerado um dos 5 homens mais bonitos do mundo, segundo as mulheres. Ainda pegou a gostosa da Brigitte Bardot, é mole o quer mais…

    • Nelson disse:

      Existe uma diferença: Cevert foi contratado como 2º piloto mesmo, como era comum em todas as equipes da epoca. Não era capachão, simplesmente cumpria sua missão e bem. Foi bem diferente de outros pilotos posteriores que tambem tiveram um professor e ganharam um lugar numa equipe de ponta com um carro super acertado e ao contrario de Cevert que era grato por isto e tinha bom carater, não ficava choramingando nem dizendo que era quem acertava(sic) o carro.

    • Guru da F1. disse:

      Marcelo, você o coloca no time do Berger, Barrichello e Massa, porque é um ignorante que fala as coisas sem conhecimento. Em primeiro lugar sua comparação é idiota, que nos evidência a total falta de conhecimento. Quem levou o Cevert para a Tyrrell, foi o Stewart, que já tinha corrido com ele na F2 (detalhe: na época muitos pilotos da F1, corriam também na F2, inclusive o mitológico Jim Clark, morreu na F2), quando o Stewart correu na F2 em 69, ela já era figurão, estava rumo ao título com a Matra e batendo recordes. Ele ficou muito impressionado com o Francês na F2, devido sua habilidade, tanto que o ameaçou várias vezes durante uma corrida, se não me engano na Alemanha (não sei se foi em Nurburgring ou Hockenheimer). De qualquer maneira, quando o Johnny Servoz-Gavin deixou a equipe Tyrrell com medo de virar CHURRASCO, o Stewart indicou para Ken Tyrrell (Chefe e Dono) o Cevert para o time, isso no ano de 1970, nesse ano Stewart estava já na equipe do Ken Tyrrell, que já era a Tyrrell, pois o Ken Tyrrell era da Matra, e como houve uma quebra de acordo entre ele e a equipe ele saiu da Matra e o Stewart foi junto. Agora vamos fazer uma aula de matemática: O stewart nasceu em 1939, já Cevert em 1944. a Diferença de idade de 5 anos entre eles, já é um pouco alta na f1. Sem contar que o Stewart ingressou na F1 em 1965 o Cevert na metade do campeonato de 70. No quesito experiência, o Jackie Stewart estava anos-luz, já era campeão mundial, e um piloto respeitado, já com seus 31 anos. Cevert com seus 26 era um principiante na categoria, tanto é que ele via o Jackie Stewart como professor, e várias vezes dizia isso. O Stewart, além de muito amigo dele, considerava o um aluno. E a relação de amizade entre eles era extremamente alta, a ponto, como você sabe (imagino), do Stewart deixar a categoria de vez por causa de sua morte. O que eu quero dizer com isso tudo? Nada disso que você falou, pode ser usado como comparação ao caso Cevert-Stewart. A amizade deles era tão grande, que ele era fiel. O próprio Stewart dizia: Ele era um amigo Fiel, em várias corridas podia me passar, mas em respeito não passava. Ele fazia o tipo de cavalheirismo que não se faz nos dias de hoje em nada, que é o respeito. Me diz agora os casos que você citou, quem desses se enquadra? O Massa além de ter a idade próxima do Alonso e de ingressar praticamente junto com ele na categoria, chegou primeiro na Ferrari e depois que o Alonso entrou virou limpador de capacete dele. O Webber, além de ser mais de 10 anos mais velho que o Vettel, já estava na F1 300 anos. Quando foi pra RBR, deixou um MOLEQUE engoli-lo. O Berger não foi ‘pau-madado’ do Senna, porque o Senna era FODA mesmo e ele um estreante, e realmente não tinha como ele querer fazer frente ao cara. Fora que ele nunca se mostrou grande piloto, mesmo sendo segundo, bem diferente do Cevert. Por favor, cara! Não fale coisas sem conhecer a fundo, porque você irrita pessoas como EU, que conhece a história da categoria. E a soberania da equipe não foi tão grande assim, veja as tabelas do campeonato daquele ano de 73.

  16. Alvaro Ferreira disse:

    Tô velho mesmo, vi o original na cabeça do Cevert, em Interlagos, 1973.
    O cara tinha muita técnica, do retão a gente via o traçado dele pela Curva do Lago, Sol e Sargento, o carro na mão, aceleração bem dosada, frenagem precisa, muito rápido. Bem parecido o jeito de pilotar o carro com o do seu companheiro de equipe, um certo Stewart…

  17. Henrique Reis disse:

    Antes, era bater o olho no capacete e reconhecer quem era o piloto. Hoje, já não dá mais para fazer isso.

  18. Nelson disse:

    Ótimo piloto. Aprendeu muito com Stewart e quando estava chegando sua hora morreu de uma forma chocante. é uma cena que não dá pra esquecer !!!. Justa homenagem.

  19. Felipe disse:

    tava pensando nisso. tem cada capacete feio a cada ano em monaco. ai tava puxando pela memoria e so vinha, de legal, o do raikkonen homenageando ao hunt. mas agora, ta ai. o vergne fazendo a dele ao cevert. mto legal e mto bonito o capacete.

    pena que, hj em dia, os cascos parecem mais abadas de carnaval!

  20. Ulisses disse:

    Grande piloto o Cevert!
    Carismático, tremendo “bota”, um dos grandes nos anos 60 e começo dos 70.
    Teve um fim trágico em um Tyrrell, infelizmente.

  21. Eduardo Melo disse:

    Homenagem a uma era de pilotos sensacionais, por falar nisto, alguém sabe a previsão de estréia do filme Rush, ou já estreou e eu estou marcando touca?

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>