DJALMA

SÃO PAULO – Conheci em 2002 esse homem elegante, altivo, quando fui buscá-lo em Congonhas para um evento na Portuguesa. De calças brancas, paletó creme, camisa engomada, nó da gravata bem dado, me esperava no saguão anônimo, sem ser reconhecido por ninguém. Normal. Djalma Santos foi o maior lateral da história num tempo em que não havia TV. Nunca foi uma celebridade. Foi, apenas, o maior lateral da história.

Levei-o ao Canindé. Tremendo, eu. Como é que um cara como o Djalma Santos pode entrar no meu carro? Sentar nesse banco aí? Nem preciso dizer que esse carro jamais será vendido. O couro do banco, jamais trocado.

Nunca fiquei tão perto de alguém tão importante. Eu tremia e fingia que estava tudo bem e tranquilo. E ele lá, sorridente no trânsito da metrópole, me agradecendo pelo convite, pela singela homenagem que a Portuguesa faria a ele, pelos 50 anos do primeiro Rio-São Paulo.

Dez anos e duas Copas como jogador da Lusa, mais dez anos de Palmeiras, dois de Atlético Paranaense e mais de uma centena de jogos pela seleção. Muca, Nena e Noronha; Djalma Santos, Brandãozinho e Ceci; Julinho, Renato, Nininho, Pinga e Simão. O maior esquadrão da história da Portuguesa. Dele fez parte o maior lateral de todos. Só isso justifica a existência do meu time e o amor incondicional por ele.

Glória eterna a esse deus da bola.

djalma2

Subscribe
Notify of
guest
47 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments
Gerson Chagas
Gerson Chagas
8 anos atrás

Parabéns, Flávio. Um texto despojado, espontâneo e conciso, que rende a justa e preciosa homenagem a um ser humano de fidalga simplicidade e magnífico talento, eternizados.

Moacyr Lopes
Moacyr Lopes
8 anos atrás

Prezado Flávio,

A Band acaba de mostrar uma homenagem ao Dejalma e creio que este momento de 2002 seja o apareceu nesta reportagem: mostra você entregando uma camisa da Lusa para o Dejalma, duas vezes, uma no início e outra no fim da reportagem. E deve ser em 2002 mesmo, você ainda tinha cabelo.

Hector
Hector
8 anos atrás

Bela homenagem, :`)

Hermann
Hermann
8 anos atrás

Djalma Santos jogou acho que por quase, ou 20 anos e nunca foi expulso, precisa dizer mais…O Palmeiras deveria colocar seu nome em um local na sua nova arena

Marcelo Masili
8 anos atrás

Baita homenagem, Flavio. Parabéns (e o mundo fica um pouquinho pior e com menos classe sem ele por aqui).

Thiago basilio
Thiago basilio
8 anos atrás

O mais triste de tudo isso é saber que Djalma Santos pode ser mais uma vítima do SUS falido.Veja o exemplo de Dominguinhos diagnosticado com Ca de pulmão que viveu mais 6 anos com a doença sendo que o prognóstico para Ca de pulmão é de 6 meses a 2 anos de sobrevida.Já Djalma diagnosticado com pneumonia(doença comum e em sua maioria de fácil tratamento morre em menos de 1 mês).Ambos foram tratados por médicos brasileiros, o que difere os dois persongens é o fato de enquanto Dominguinhos tinha todo arsenal do Sírio Libanes à disposição com rémedios de marca e comprovada eficiência e todos as novidades da tecnologia médica, Djalma Santos tinha a UTI de um hospital dos SUS capenga e para tratar a pneumonia tinha à sua disposição antibiótiocos baratos provavelmente importados da china ou da Índia onde o que importa é o preço para licitação e não a qualidade.Já teve casos no Brasil de hospitais públicos terem de jogar lotes inteiros de medicamentos fora porque não faziam efeito no combate as patógenos.É assim segue a vida e o povo continua a ser tratado como gado pelos políticos que ao invês de resolver os problemas do país arrumam subterfúgios eleitoreiros para enganar a população que não conhece o verdadeiro problema.

J Fernando
J Fernando
Reply to  Thiago basilio
8 anos atrás

PQP, tem cada uma…
Djalma Santos, 84 anos (27/02/1929)
Dominguinhos, 72 anos.(12/02/1941)

Sinceramente, se teve alguma coisa errada aí com o tratamento da doença é com o mais novo (Dominguinhos/Sírio Libanês), não com o mais velho (Djalma Santos/SUS). A eternidade AINDA não é uma conquista do ser humano. Aos 84 anos nosso corpo já não tem mais quase nenhuma resistência às doenças.

Moacyr Lopes
Moacyr Lopes
Reply to  J Fernando
8 anos atrás

Concordo com você. Sou de Uberaba e, segundo o médico pessoal do Dejalma, ele já estava com a pneumonia e se recusou a ir ao médico (palavras de sua esposa), afirmando que era uma gripe. Quando foi, a doença já estava em estágio avançado. E, aos 84 anos, a pneumonia é uma das (se não for a primeira) doenças que mais matam.

Eduardo Daniel
Eduardo Daniel
8 anos atrás

Flávio, outra prova da humildade desse gigante. Há uns anos ele participou de um evento na pequena Capivari de Baixo, ao Sul de Santa Catarina e meu pai, palmeirense e amante do futebol antigo foi conhecer o Djalma Santos. Era época de Páscoa e minha velha pintou em ovo de cerâmica o escudo do Palmeiras. Meu velho presentou Djalma Santos com o ovo, tirou fotos do momento, jantou ao lado dele, etc, etc, etc. Eis que para emoção do meu velho pai, ele vê nesta entrevista https://www.youtube.com/watch?v=MvfKKc8gKrk a sua lembrança entre outros prêmios do maior lateral de todos! Outro desses jogadorzinhos mequetrefes que a mídia produz aos montes todos os dias, provavelmente “esqueceria” o presente no hotel.

Marco Cordobê
Marco Cordobê
8 anos atrás

Flavio:
Grande comentário. Mesmo não sendo torcedor da Luza, o reconhecimento tem que ser feito: Um cara, que entra em uma partida, final de 1958( segundo meu pai), e é eleito o melhor lateral da copa, dizer mais o que??
Seu comentário foi maravilhoso, e confesso, me emocionei.
Grande abraço.

pedro afonso scucuglia
pedro afonso scucuglia
8 anos atrás

Estou com 66 anos de idade. Mas lembro em detalhes quando, aos 11, acompanhando meu pai, fomos de fusquinha de Londrina a Presidente Prudente, para ver o Palmeiras e o Djalma jogar. Espetáculo. O que me impressionou é que ele jogava de cabeça erguida, olhando o campo todo, não a bola. Os passes longos, da lateral para o centro, precisos, milimétricos. Pura maestria. Outro que jogava assim, olhando o jogo e não o dedão, era o Falcão. Mas, como o Djalma, não tinha igual.

Macario
Macario
8 anos atrás

Sou palmeirense e compartilho dessa gratidão e até de sua imagem com a camisa da Lusa. Djalma Santos era muito grande.

edeuardo elias dos santos ((( edu elias )))
edeuardo elias dos santos ((( edu elias )))
8 anos atrás

eu só queria que o lateral direito de hoje que atua na lusa o tal de luis ricardo tivesse pelo menos 10% do futebol do Djalma Santos , DJALMA SANTOS SIMPLESMENTE O MELHOR LATERAL DE TODAS AS SELEÇÕES MUNDIAIS!!!!

Wilson
Wilson
8 anos atrás

E foi treinador do Londrina Esporte Club !!!!!!!

Marcello Dias
Marcello Dias
8 anos atrás

Idolatria à parte, é por estas e outras que o leio.

Vander
Vander
8 anos atrás

Prezado Flávio

Em uma televisão global que destinou não mais de 10 segundos (no Jornal Nacional, Globo Esporte) fica muito justa sua homenagem e lembrança. Tenho certeza que se ele não tivesse jogado na Lusa, mesmo assim seria lembrado aqui.
Um cara que disputou 4 copas: 54, 58, 62 e 66. Ganhou duas: 58 e 62. E a maioria do povo desinformado brasileiro nem sabe de quem estamos falando. Quero ver os “craques de hoje” (Neymar, Pato, Hulk, Daniel Alves e outras porcarias) participarem de 4 copas, ganharem 2 e serem eleitos o melhores da posição!!!

Valeu Djalma!

marcio ximenes
marcio ximenes
8 anos atrás

Meu tio, José Gimenez Lopes, diretor de futebol do Palmeiras. Tivemos uma loja de automóveis na Barão de Limeira, e todos jogadores do Palmeiras compraram carros lá.
Só um pagou. Djama Santos, o integro.Tive imenso orgulho de conhece-lo.

Carlos Tavares
Carlos Tavares
8 anos atrás

A morte é uma sacanagem. Uma merda, mesmo.

Celio Ferreira
Celio Ferreira
8 anos atrás

Uma lenda que se foi, e cá pra nós como dizLuciano do Vale ,como brasileiro
trata mal a suas lendas, e DJALMA é uma delas como diz o comentário acima
êle estava no banco e ninguem o reconheceu. ,

Armelim de Castro
Armelim de Castro
8 anos atrás

Flavio, não pude vê-lo jogar, mas quando o meu pai chegou ao Brasil em 1957, e foi assistir ao 1o. jogo da LUSA no Canindé, e disse para a pessoa que o acompanhava, meu tio e cunhado dele, que o melhor jogador que ele ouviu falar era um tal de Djalma Santos e o meu pai disse que gostaria de assistir ao um jogo dele, e quando o meu tio disse esse lateral direito da Portuguesa é esse tal que você fala, meu ficou estarrecido e encantado com a forma que ele jogava, a elegância, sem faltas, sem chutões. É uma pena que os nossos laterais atuais nunca puderam assistir a um jogo desse senhor simplesmente chamado DJALMA SANTOS. Em nome da torcida da LUSA eu apenas digo, muito obrigado, pelo que fizestes em prol do futebol e da PORTUGUESA.

Nelson
Nelson
8 anos atrás

Assino embaixo tudo que você escreveu. Também tive o prazer de conhece-lo. Porque será que os ótimos são boa praça e os médios marrentos?
Gosto de imaginar quanto valeriam atualmente os passes dele, Nilton Santos,Garrincha,Pelé,Tostão,Jairzinho,Zico e tantos outros. Hoje qualquer coisinha começa de DEZ MIÃO !!!

Banana Joe
Banana Joe
8 anos atrás

Extraordinário jogador.
Não o vi jogar, mas os tios e avôs que viram lembram de sua classe, lealdade (nunca foi expulso!) e vigor físico, incomum para a época, o que o destacava e muito dos jogadores comuns.
Se estivesse em atividade hoje jogaria na Europa, ganhando milhões de euros por ano e seria possivelmente o melhor do mundo na posição.
Um legítimo craque de bola.
Descanse em paz mestre!

jão
jão
8 anos atrás

O semblante dele transmiti seriedade. Bem diferente desses zé ruelas de hoje em dia.

mario
mario
8 anos atrás

Vi ele jogando várias vezes pelo Atlético Paranaense, no final da carreira dele. E o cara era demais. Sempre elegante, humilde, além de ser um dos melhores laterais no Brasil. Respeito total a ele.

Wagner Anunciato
Wagner Anunciato
8 anos atrás

Djalma,o eterno camisa 2, será sempre o nosso maior craque e que honrou a camisa rubro verde nos quase 500 jogos que participou. Obrigado Djalma Santos, você fez a Portuguesa Grande e hj eles querem destrui-la. No coração da torcida será o nosso ídolo pra sempre

Benicio
Benicio
8 anos atrás

Na verdade um monstro do nosso futebol de todos os tempos.

Notem que na foto ele estufa o peito e mostra as cores da camisa e o brasão da Portuguesa. Hoje os jogadores estão mais preocupados em mostrar os cortes de cabelos, brincos e tatuagens. Que lástima.

Reinaldo Bascchera
Reinaldo Bascchera
8 anos atrás

Além do Grande Djalma Santos, perdemos também ontem o não menos importante brasileiro Dominguinhos. Dia triste esse de ontem

João Ferreira
João Ferreira
8 anos atrás

Nossa, nem sabia que o Seu Djalma jogou na Protuguesa, parabéns pela homenagem…realmente merecido.

Ricardo
Ricardo
8 anos atrás

Muitos jogadores, dito “craques” aí, deveriam se espelhar nesse Senhor que ora nos deixa. Exemplo de dignidade e de profissional reto. Não era cafona, brega, exibicionista, vaidoso, petulante, patife, ridículo, alienado, ignorante etc e tal. Missão cumprida, meu velho!

Toninho F1
Toninho F1
8 anos atrás

R.I.P. Grande Djalma Santos!

Claudio La7
Claudio La7
8 anos atrás

Ele e o Nílton dos Santos, os dois melhores laterais da história.

Nelson
Nelson
Reply to  Claudio La7
8 anos atrás

Que dupla!!!

Ulisses
Ulisses
8 anos atrás

Como Palmeirense, assino embaixo!

Thiago Zago
Thiago Zago
8 anos atrás

Visito a família da minha mãe em Uberaba quase todos os anos e encontrei algumas vezes o Djalma no Country Club da cidade. Muito simples, ficava batendo papo com o pessoal, curtindo a velhice. Poucos ali tinham noção do que foi aquele homem no mundo do futebol…

Que descanse em paz.

retka
retka
8 anos atrás

foi idolo tambem no meu time, atletico pr ! descanse em paz.

Rodrigo Tossato
Rodrigo Tossato
8 anos atrás

Fez história em nossa época de ouro, grande jogador, grande pessoa pelo que todos falam, pena que não vi jogar, mas fica a dedicatória!

Obrigado por tudo Djalma Santos!!!!

Paulo Mendes
Paulo Mendes
8 anos atrás

Homenagem para quem merece, e Ele com certeza mereçe. Legal demais.

Nelson Barreiros Neto
Nelson Barreiros Neto
8 anos atrás

Mais uma vez linda homenagem Flávio…

Tempo em que esses caras jogavam muita bola e tinha a humildade de pessoas do povo… Homens iluminados que nasciam com um dom, que se não fosse o dito esporte bretão, talvez fossem pessoas normais, como nós, mas com um gramado e uma bola, transformava-sem em deuses… E humildes, sem toda essa marra asquerosa que vemos hoje. Meninos de 16 anos que mal terminaram de cagar nas calças e se acham alguma coisa…

Com certeza, esse aí tá descansando em paz…

Acarloz
Acarloz
8 anos atrás

Como Palmeirense só posso concordar.

Márcio Rezende
Márcio Rezende
8 anos atrás

Sou palmeirense, mas faço minhas as suas palavras, Flávio. O maior lateral de todos os tempo. Só isso. E simples, educado e discreto. Nunca vi fazer novos penteados a cada mês nem ouvi falar de que participava de orgias, incomodava os vizinhos, faltava a treinos…

Miguel Direito
Miguel Direito
8 anos atrás

De Portugal, uma sentida homenagem a esta enorme pessoa e futebolista da querida LUSA.

Eduardo Freitas
Eduardo Freitas
8 anos atrás

A Lusa perdeu seu maior ídolo e eu como torcedor sinto um vazio como se tivesse perdido alguem da minha familia, espero que os incompetentes diretores façam uma homenagem digna a esse Deus do futebol(um busto no Canindé). Saudades eternas,descance em paz, GRANDE DJALMA!

Scarps
Scarps
8 anos atrás

Estilo impecável.. Na seleção tinha o apelido de Nariz de Fornalha por razões óbvias

Márcio Montechese
Márcio Montechese
8 anos atrás

Tinha certeza que iria haver um “post” sobre ele no seu blog.
Grande Djalma!!

Edson Luis
Edson Luis
8 anos atrás

Uma vez fui a trabalho a Uberaba, fui ciceroneado por um funcionário nascido e criado lá.
Comentei com sobre Djalma Santos que morava na cidade e ele disse desconhecer o tal.
Não deu outra, fui no Bradesco e dei de cara com o grande lateral.
Bati um papo bem legal com ele, humilde que só.
O meu companheiro incrédulo com a minha devoção ainda teve a ousadia de perguntar se eu era doido.
Me calei.

Edson Luis
Edson Luis
8 anos atrás

Uma vez fui a trabalho a Uberaba, fui ciceroneado por um funcionário nascido e criado lá.
Comentei com sobre Djalma Santos que morava na cidade e ele disse desconhecer o tal.
Não deu outra, fui no Bradesco e dei de cara com o grande lateral.
Bati um papo bem legal com ele, humilde que só.
O meu companheiro incrédulo com a minha devoção ainda teve a ousadia de perguntar se eu era doido.
Me calei.
Guardo com muita alegria esse encontro.