MENU

Wednesday, 6 de November de 2013 - 12:00Motoland

MOTOLAND

SÃO PAULO (faz falta) – O Dú Cardim e a legião de motonautas deste blog vai adorar o vídeo enviado pelo Fernnanndo Zimmermmann. Trata-se do 3° Festival Hollywood Motocross, realizado em 1985 no Motódromo Imperial (adoro o nome) de Petrópolis. Motocross teve um momento de enorme popularidade no Brasil, nessa segunda metade dos anos 80. Tinha cobertura ampla da mídia, com TV mostrando ao vivo e tudo. Boas lembranças. E é bastante claro, sempre que a gente coloca vídeos antigos aqui, como a indústria do tabaco era importante no financiamento dos chamados esportes radicais — automobilismo incluído.

E o que tinha de gente vendo…

39 comentários

  1. Lincoln Almeida says:

    Galera

    Eu ando de modelismo RC eletrico e combustão, vou realizar o campeonato SULBRASILEIRO aqui em Curitiba. E como organizador me lembro claramente que pelos idos de 1995 tinha aqui em Curitiba etapa do SUPERCROSS que era em arena ao ceu aberto com tamanho menor que as pistas grandes de motocross. Entretanto tinha antes da largada das provas uma musica que era sensacional como se fosse batidas do coração e ia aumentando a adrenalina.

    Alguem sabe me dizer que musica seria esta… alguem lembra?

    Obrigado LINCOLN

  2. Sabugo says:

    Só por curiosidade, Toni Elias, (ex)piloto da motoGP e ex-campeão da GP2, é sobrinho de Jordi Elias, piloto da equipe Hollywood, que correu uns bons anos no Brasil.

    Outra curiosidade, Gene Fireball, filho de uma lenda da Nascar, Edward Glenn Roberts, Jr. ou simplesmente Fireball Roberts, vive hoje de fazer demonstrações de saltos em rodeios, entremeadas com músicas de sua carreira de cantor country.

    http://www.youtube.com/watch?v=a8arjYFlLw4

  3. João Paulo Toledo Piza says:

    Valeu Du Cardim e Flavinho Gomes ,voltei no tempo ,época muito boa…………abraços

  4. Adilson Barreto says:

    Sensacional, na mesma linha do Enduro das Praias, tempos bons

  5. Ron Denis says:

    O Moronguinho não correu nessa etapa não ?
    Acho que ele foi o primeiro vencedor nesta pista tavez um dois anos antes

    Teve a fase do Morongo, Paraguaio, Paraibinha e Nivanor e Boetcher

    Depois vieram a garotada Saçaki, Negretti, Rogerio Nogueira Guido Salvini, que melhoraram a técnica
    e junto com eles o Rodney Smith e Kenny Keylon que eram muito superiores ajudaram aos garotos a aprimorarem a técnica.

    E por último veio o Gene Fireball e depois acabou o Hollywood, que pra mim era muito melhor que as provas de Supercross que tem muitos saltos e pouca corrida.

    Naquela época tinha o campeonato estadual, o Hollywood, enduros de moto duas vezes por ano pelo menos.

    Acabou tudo. Virou só exibição em feira agropecuária

    Depois t

  6. Rafael says:

    Estive uma (ou duas vezes) nesta pista por essa época.
    Acompanhava de perto o motocross, pois meu pai corria neste tempo.
    Disputou alguns “hollywoods” Brasil afora. Corria com uma Yamaha MX 180cc.
    E eu ainda moleque… Bons tempos mesmo!

  7. says:

    Esta pista lembra o Paraibinha..
    1986 , João Pessoa, prova de despedida do Nivanor. Cássio Garcia, Rogério Nogueira eram moleques, toda trupe lá. Com Paraguaio nos divertimos, Jairo e Paraibinha na maior festa e recepção, afinal eram da terra. Nivanor veio no carro comigo até Recife e voamos para São Paulo juntos, sem dormir e ele contando das 24 horas de Yamaha TX, de como despertou para o motocross vendo o Tony, aquele que fazia show em Santos, que foi fazer exibição no Paraná, e que tomava muitos remédios desde que pegou uma árvore no Latino Americano. Niva se foi, assim como Yltinho em Campinas. Por estas, cada vez que encontro o Tucano, o reverencio lembrando Nivanor dizer: O Walter é o piloto mais completo que temos, anda no asfalto, na terra, de 2 e 4 rodas sempre disputando os 1ºs lugares.

  8. Roger says:

    Nem lembrava mais da moto Agrale, eram nacionais? sei que tinham muitas e hoje nem se vê mais.
    vcs viram o Joselito em 3:43, idêntico…..

    • Rafael Ribeiro says:

      As Agrale eram de fabricação nacional, projeto Cagiva. Tinha modelos de 125 a 200cm3, versões STX, Elefante (tanque maior e acessórios, tive uma), WMX(competição) se bem me recordo… Foi a primeira trail nacional de refrigeração líquida. Pouco torque em baixa rotação, mas levando os giros lá em cima divertia muito…

  9. Marcos says:

    As máquinas evoluíram só que os pilotos tem suas limitações, vemos a cada dia mais pistas em que o objetivo é só jogar o piloto para o alto, um supercross na verdade. E o supercross, virou um freestyle que é uma linha tênue entre uma super manobra e um pescoço quebrado, isso é um populismo esportivo! Naquela época as pistas tinham obstáculos mais naturais e as velocidades eram maiores o que tornava os “pegas” mais emocionantes. O que acompanhamos nos últimos anos foram muitas fatalidades, pois como disse as pistas estão desnecessariamente perigosas.

  10. Celso says:

    Caro Flavio,

    Tempo bom aquele, não havia arquibandas propriamente dita e sim um barranco onde o pessoal assistia as provas. Hoje, infelizmente, é famosa Ferinha de Itaipava, local onde todos sacoleiros se encontram para “agradaveis” compras para revenda…

  11. jorge machado says:

    só faltou o cheiro do M50 da castrol .

  12. Rafael Ribeiro says:

    Eu estava lá, como em outras corridas realizadas neste que foi um dos melhores circuitos de odos os tempos no Brasil. Era arrepiante ouvir o Bolero de Ravel, tocado minutos antes da largada. Depois, o ronco das pequenas 2 tempos arrepiando nas largadas. Alguns pilotos de Petrópolis estavam na prova, como Paulo Lyra e Remy Morgado (com uns 15 anos então), além do (já veterano à época) carioca Márcio Campos. Depois vieram os americanos Rodney Smith e Kenny Keylon.

    Ylton Veloso, o grande Paraibinha, faleceu depois de um grave acidente nesta pista, 3 anos depois, durante os treinos para o campeonato brasileiro 250cc de 1988.

  13. Bob Alex says:

    Estava lá, quase rolei do morro para a pista. Foi no mesmo dia da primeira vitória de Senna na Formula 1.

  14. Marcus Simões says:

    E o locutor ainda era o Zezito. Esse cara que faz a reportagem não foi apresentador do programa Bike Show tb na década de 80, acho que na Bandeirantes?
    Depois do Hollywood Motocross ainda teve o Marlboro Supercross. Teve uma etapa em 7 Lagoas – MG. Nessa, eu fui. Aliás, direto tinha motocross na Serra de Santa Helena e Km de arrancada na pista dupla na entrada da cidade.
    Bons tempos…

  15. Acarloz says:

    Porque acabou? Alguém explica ?

  16. Giovanni Grazinoli says:

    EU ESTAVA LÁ!!!!! E era o sucesso….

  17. Rodrigo Garcia says:

    Belas imagens.. Notei que pouquíssimas motos tinham freio a disco na dianteira.. As que tinham, parecia aquele cilindro mestre das Four, redondo, grandão.. Impressionante como parecem que estão em “slow-motion” se comparados aos dias de hoje… “Xlão” fazia sucesso pelo jeito, mas o barulho do 2 tempos atrás é encantador…

  18. Focastro says:

    Ah, esse eu fui. O que houve com o motocross no Brasil,acabou?
    Hoje no no local é a “feirinha de Itaipava” onde vende roupas….

  19. Gus says:

    Tinha os gringos “importados” para liderar as equipes de fábrica, tinha a Agrale/Cagiva como estouro tecnológico no mercado…tinha tanta coisa, e agora não mais!

  20. Mauro Batera says:

    Eu era amigo do Fábio Boing, irmão do Guilherme Boing que aparece no vídeo.

    Esta época no Motocross foi demais, muita força, e como no esporte a motor em geral, uma época de ouro!!!

  21. Mauro Batera says:

    Eu tenho um poster do Hollywood Motocross acho que de 1987, com o calendário, muito bacana.

    Vou acha-lo e mandar uma foto para você.

    Abraço!

    Mauro Santana
    Curitiba-PR

  22. JONAS says:

    …e os carinhas que dão bandeirada de largada e correm pra sair da frente das motos….esse país já foi mais feliz em esportes motorizados…

  23. Jeff says:

    Hollywood, o sucesso! Eu era pivete e queria porque queria um tênis da Hollywood. E olha que nem assim a marca me influenciou a fumar…

  24. Geraldo says:

    Eu assisti algumas provas do Brasileiro de Cross em 86 … com o “velho” (na época) Nivanor Barnardes arrepiando … inclusive, a Souza Cruz distribuía cigarros Hollywood na entrada da prova … outros tempos …

  25. Valdemir Silva Braga says:

    Foi uma época muito legal, eu acompanhava através das revistas estas especializadas em motos, “feras”como Moronguinho, Nivanor Bernardi (Touro do Paraná), Claudio Assunção, Beto Boettcher, Paraibinha, depois o Paraguaio, estes caras eram verdadeiros ídolos. Assisti uma prova extra-campeonato e foi emocionante estar perto daquelas máquinas fantásticas. O clima, o barulho, os pegas…Tenho saudades daquela época do motocross.

  26. evandro says:

    impressionante a quantidade de pilotos no grid…

  27. Mauricio Alves says:

    Eu estava lá!!

  28. Fernando Zimmermann says:

    pra que tanto n é só Fernando mesmo kkkkk

  29. Carlos says:

    Flavio, teve um Hollywood Supercorss dentro do Pacaembu uma vez. Se não me engano foi em 1989. Eu estive lá, e o Pacaembu estava lotado. Foi muito legal. Se alguém encontrar o vídeo, vale a pena ver.

  30. askjao says:

    Me lembro de uma etapa em Volta Redonda-RJ, minha cidade natal. Eu tinha uns 8 anos, no máximo, e me lembro bem dos pilotos voando. Bons tempos, aqueles…

  31. Gilberto H says:

    Muita gente vendo, eu inclusive! Moleque, ia todo ano (acho que durou até 88 ou 89). Nesse ainda fui com meu pai (Dia dos Pais, né?). Torcia para o Negretti de Agrale (não sei porque, gostava dessas motos Agrale). Ainda tinha um amigo meu correndo, Remy, aparece no vídeo na apresentação dos pilotos. Esse evento era muito legal,mesmo. Lotadaço, mas muito tranquilo, todos na paz, apesar de zero infraestrutura (não tinha bar, banheiro… mas ao menos também não tinha área coxinha). Não imagino isso acontecendo hoje em dia.

    O Motódromo Imperial tinha uma pista ótima, longa, variada. Possivelmente a melhor do Brasil. Hoje funciona ali uma “feirinha” de roupas. Ainda dá para ver restos das subidas no morro.

    Ótimas lembranças.

  32. A.Vandelay says:

    Nossa, Moronguinho e Eduardo Sassaki! Por onde anda o japa loco dos cabelos verdes?

  33. victor freire says:

    eu nasci nesse ano, e da década de 80 mesmo eu só me lembro de algumas coisas de 87, 88 pra frente. mas meu deus, que nostalgia desse tempo. mesmo com toda desgraça envolvida. (sarney no poder, hiperinflação…)

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *