DÁ-LHE, BERNIE!

SÃO PAULO (lucidez há) – Muitas vezes lasco a lenha em Bernie Ecclestone por suas ideias malucas. Outro dia, falou em dar dez pontos para o vencedor e dez pela pole. Parece que faz de propósito para acharmos que está gagá.

Mas, de vez em quando, Bernie fala o que tem de ser dito. Como nesta entrevista ao “The Guardian”. E toca no ponto em que mais me bato: a complexidade dos atuais motores da F-1, algo absolutamente caro e desnecessário. “Precisam ser mais simples”, diz o chefe, lembrando da Cosworth. “Temos de ter uma Cosworth de novo”, falou.

E vai além, esculhambando a qualidade do espetáculo, hoje. “Não somos um campeonato de economia de combustível”, diz. “Os pilotos não estão felizes nesses carros.”

Como acontece em algumas oportunidades, concordo com tudo.

Subscribe
Notify of
guest
29 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments
Acarloz
Acarloz
6 anos atrás

Apenas o óbvio….

rodrigo
rodrigo
6 anos atrás

Acho engraçada essa crítica aos motores complexos da F1.
Na WEC os motores são ainda mais complexos e ninguém critica.
Desafio alguém aí explicar o funcionamento do motor da Audi.

Eduardo
Eduardo
6 anos atrás

A receita é simples : simplificar o motor que representa o item de maior custo no orçamento anual das equipes e colocar 2 dias
de testes depois de cada gp com liberdade para as equipes atualizarem seus carros nestes dias.

Brabham-5
Brabham-5
6 anos atrás

O Ecclestone criticando a F1 atual parece o Parreira falando do vexame da seleção dos 7 a 1 como se ele não estivesse lá.
“Fala muito, fala muito!” Como se não tivesse culpa “no cartório”.
Nem vou dizer mais nada.

Razor
Razor
Reply to  Brabham-5
6 anos atrás

Entenda uma coisa, Brabham – 5: NÃO é o Bernie quem faz os regulamentos, eles são responsa do Todt.
E principalmente do Charlie Whiting.

Diferente do Parreira, Tio Bernie pode sim espinafrar à vontade, já que ele não estava em campo nos 7 X 1, estava era atrás das câmeras faturando com a mídia.

Paulo Fonseca
Paulo Fonseca
6 anos atrás

Prezado F&G :
Bernie perdeu a mão do negócio, de uma Equipe de F-1 ,uma temporada-U$$500.000.000,00 dois carros, simplificando , não dá mais. Velhos tempos de garagistas,motores v8 ou v10 v12,limitados à 550HP, sem eletrônica, com trocas de pneus e abastecimento nos moldes da F Indy,mais equipes mais pilotos,mais espetáculo.

Luiz Felipe
Luiz Felipe
Reply to  Paulo Fonseca
6 anos atrás

Perfeito! Só acrescentaria o retorno de pistas clássicas: Paul Ricard, Estoril, Imola. E porque não corridas especiais em pistas lendárias, Nürburgring Nordschleife, La Sarthe, Mount Panorama. Levar a categoria às pistas que o público quer ver!

Danilo Junqueira
Danilo Junqueira
6 anos atrás

Não concordo. A tecnologia evoluiu e o regulamento mudou. E custou caro pra mudar. Bola pra frente…

João
João
Reply to  Danilo Junqueira
6 anos atrás

Normal, sempre tem o pessoal ” do contra”, é legal ser do contra, flavinho é assim!

Henrique
Henrique
Reply to  Danilo Junqueira
6 anos atrás

Eu até acho a tecnologia uma coisa boa. Tem muita coisa na F1 que é bom. Mas transformar carros de corrida em híbridos é uma coisa que eu estranho ao máximo. Em 2013 a F1 ainda usava injeção eletrônica nos motores. Poderia muito bem passar a usar injeção direta com o sistema KERS que o carro iria consumir menos e ganhar potência. Gosto de todas as inovações da categoria, mas esses motores é difícil de engolir,

Flavio Bragatto
Flavio Bragatto
6 anos atrás

Eu acho que F1 é tecnologia.
Cambio de borboleta, comando de valvulas variável, suspensão ativa, controle de tração e outras técneras, são coisas que nasceram na F1 (talvez nem todas). Sem a tecnologia, a F’1 seria uma Indy européia.
Estes novos motores, goste ou não, são um salto no desenvolvimento, são eficientes e econômicos, que é tudo o que eu queria no meu carro.
Claro, numa competição de automóveis de corrida, ficar levantando o pé para economizar combustível, é uma sacanagem. O negocio é pé no fundo full-time.
Até dou o braço à torcer, sobre o ronco destes motores V6, então porquê não fazem um V8 ou V10 com a mesma tecnologia? Teria muito mais eficiencia, e muito menos consumo que os tradicionais.

Melquíades
Melquíades
Reply to  Flavio Bragatto
6 anos atrás

Gostei da sua colocação. Mesmo que F1 custe caro, não pode deixar de trazer inovações, coisas que sempre acontece desde que ela existe. Mas há outros meios para desenvolver um carro sem ter tanto investimento (Dinheiro perto da Ferrari, Mercedes…), foi o caso da Willians, cujo vem aperfeiçoando sua aerodinâmica sem mexer em partes internas do carro, como o Motor.

Ricardo
Ricardo
Reply to  Flavio Bragatto
6 anos atrás

Discordo de sua opinião.
Primeiro, que as inovações referidas por você foram todas em prol de um melhor desempenho do carro, e visando conferir ao piloto uma condução o mais próximo do extremo do equipamento, coisa que não se vê nessas unidades de força. Pelo contrário, elas estão dando menos desempenho nos carros, que são mais lentos que os de outrora, e por isso, diminuindo o desafio de pilotá-los (inclusive há várias declarações de pilotos nesse sentido).
Aliás, se fossem tão econômicos como mencionado, os pilotos não precisariam tirar o pé para economizar combustível, e nesse ponto concordo com você.
Em relação às unidades de energia, a F-E tá aí pra aprimorar os equipamentos dessa natureza.

Razor
Razor
Reply to  Flavio Bragatto
6 anos atrás

Desculpa discordar, caro Bragatto.
Pelo contrário, a F-1 NUNCA deu origem a NENHUMA tecnologia automotiva.
Se vc disser “Ah, a Fórmula 1 desenvolveu muitas tecnologias!” , eu vou ser obrigado a concordar.
Mas lançar coisas novas, inventadas por um engenheiro da F-1, nunca houve.

Rubens
Rubens
6 anos atrás

Não só os motores que são complicados. É regra demais. Tem que deixar o regulamento mais flexível.

Até o tamanho e altura do escapamento os caras determinam. Assim não rola.

Maurício Filho
6 anos atrás

É, dessa vez é impossível discordar dessa múmia.
Se ele tivesse realmente esse poder, e fizesse o que diz que tem vontade de fazer, certamente teríamos uma F1 melhor.

Jimy Hendrix
Jimy Hendrix
6 anos atrás

Ele inclusive disse que se pudesse rasgaria o regulamento e começaria do zero, mas, tem muita gente que acha que a Mercedes foi competente e deve seguir como está, caso contrário é “golpe” como afirmou o Lito Cavalcanti.

Saulo Caram
Saulo Caram
6 anos atrás

Também concordo, Flavio. Confesso que depois de 35 anos, tenho assistido a F1 por inércia.

Espero que entre as idéias do velhinho também esteja o retorno aos autódromos tradicionais da Europa.

Rafael
Rafael
6 anos atrás

Algumas regras da F1 atual ou que já foram adotadas anos atrás também acho um saco: obrigação de trocar pneu, de reabastecer, uso de asa móvel, limite absurdo de testes…

Mauricio Alves
Mauricio Alves
6 anos atrás

Até que enfim alguém que manda no esporte falou algo que preste!!

Jonny'O
Jonny'O
6 anos atrás

Eu vou rasgar ainda na tese que é preciso tirar o downforce e deixar o motor livre, um peso minimo de 800 kg…….. vai ser um show…… derrapagens e potencia a vontade……. mas vai precisar de piloto pra domar.

Mas alguém vai dizer, vai ficar lento!!!…os carros vão decolar!!!!….pelamor gente!……alguém não gosta da motogp? …..já viram alguma moto sair voando?? elas tem algum downforce ?….. olha os pneus delas ….fino em se comparado a um Fornula 1 …..são lentas?

Acho que Jean Todt faz parte de um plano maligno pra destruir a F1 em pró Le Mans !!!….só pode!!

Antonio Seabra
Antonio Seabra
Reply to  Jonny'O
6 anos atrás

Jonny,

Como na maioria das vezes concordo com voce.
É preciso fazer algo pra deixar a potencia mais livre e a aerodinamica mais limitada. o negocio é um campeonato mundial de pilotos (que é o que interessa pra nós, os fanaticos) e não de tecnologia.
Ir para um tipo só de pneus mais duraveis e de perfil mais baixo, para obraigar suspensões que trabalhem de fato; nada de DSR; menos controle de tração; fim da regeneração de energia que complica as freadas, etc. Deveriam ficar as coisas cujo desenvolvimento agregou velocidade, como o cambio robotizado com troca por borboletas, e os motores turbo de baixa cilindrada ( lembremos que os 1,5 litros da Renault e BMW de anos atras chegavam a 1000-1100 HP !)
Algo deve ser feito para se evitar o “corte por cima das zebras”, para desespero dos espertos, que so conseguem virar tempo cortando caminho. (isso pra mim é uma verdadeira praga, lembro das aulinhas do curso de pilotagem, o instrutor me dizendo: ‘Cara, vai por cima das zebras na tangencia do S e do Bico de Pato, senão o tempo não vem….”)
É so fazer algo nessa linha e nos vamos ver quem é Gilles Villenuve e que é Eliseo Salazar. Hoje a gente não sabe mais….

Antonio

Leonardo
Leonardo
6 anos atrás

Podem até não concordar comigo…..mas tinha que voltar o abastecimento.
Os carros andavam com o mínimo de combustível possível o tempo todo…..era pé em baixo a corrida toda sem esse papinho de vamos diminuir o ritmo por causa do consumo. Ridículo isso!!!

Leonardo
Leonardo
Reply to  Leonardo
6 anos atrás

Corrigindo…… reabastecimento.

Daniel Ramos
Daniel Ramos
6 anos atrás

Larga os V6 Turbo, e taca um V10 com uns 1000cv, que treme o chão até dizer chega, e ferre-se o Mundo. Eu ia gostar ver aqueles som alucinante dos V10 de volta :D

Gustavo Segamarchi
Gustavo Segamarchi
6 anos atrás

O tio Bernie, nem sempre acerta, mas agora ele ACERTOU em cheio. Esse Jean Todt é um BOCOMOCO que só sabe ficar em cima do muro e pouco faz. Quando o Bernie sugeriu a volta dos V8 aspirados, mas com 1000 HP, a Mercedes começou chorar e disse não. Já que não querem abandonar os V6 turbo híbridos, permitam então uma paridade entre V6T e V8 aspirado, assim como era em 1988.

Allez Alonso!
Allez Alonso!
6 anos atrás

Honestamente, acho que o Bernie fala isso pois tem medo dos fabricantes na f1, os motores atuais são imposição dos fornecedores, Renault, Mercedes, Ferrari e que atraiu a Honda. O problema não é o que empurra os carros, é a falta de testes.. Eu ainda prefiro ter um ers no meu carro, mesmo que daqui a muito tempo, do que saber que nunca terei um carro com difusor soprado, isso sim é inútil,

Paulo F.
Paulo F.
6 anos atrás

De gaga e louco o Bernie não tem nada.
Sabe que sua máquina registradora diminui o ritmo. Não entra din din na conta dele como entrava antigamente.
E não esquecer que o Bernie não é um ET. Sabe muito bem o que uma equipe de F1 necessita, foi dono de equipe campeã do mundo e esta em cena desde os anos 50!

Moa Canadá
Moa Canadá
6 anos atrás

Quem diria!! O Bernie não tá gagá mesmo!!! Que rasgue esse regulamento mesmo!! Melhor dos mundos: Que abra as regras e deixe os motores livres!! Já falei e repito, meu sonho era ver novamente cada fabricante com uma configuração diferente!

Se a Mercedes quer ir de V6 Híbrido, deixa ela! Bota Ford de V8, Ferrari de V12 e Honda de V10!