MENU

quinta-feira, 2 de julho de 2015 - 18:53Automobilismo internacional

E-ECOS

SÃO PAULO (já é alguma coisa) – Ninguém em sã consciência deve ser dar o trabalho de comparar a Fórmula E à Fórmula 1 medindo as duas com a mesma régua. Eu diria que são modalidades do mesmo esporte, mas de natureza bem distintas. Como comparar futebol de salão (me recuso a usar “futsal”) a futebol de campo, ou vôlei de quadra a vôlei de praia, ou ainda tênis a squash.

A proposta da F-E é bem clara: carros elétricos, uma nova tecnologia, circuitos de rua, maior proximidade com o público, melhor compreensão do evento por quem está assistindo. Não faz barulho, é bem mais lenta, os pneus são parecidos com aqueles que gente encontra na Rede Zacharias (as lojas fecharam, acabei de descobrir, só existe agora o comércio eletrônico, como pode?).

A F-1 é o topo do automobilismo, a tecnologia é outra, corre em autódromos, custa dez milhões de vezes mais, enfim, não preciso ficar explicando aqui.

Mas uma coisa legal foi hoje em Silverstone os pilotos da F-1 terem mencionado a categoria, ainda que sem nenhuma paixão. De alguma forma, dão uma espiada de vez em quando.

Até porque podem acabar por lá, em algum momento. Vários de seus ex-colegas estão ganhando a vida com os elétricos. E não têm muito do que reclamar. Aliás, não é só a F-E que desperta alguma atenção da elite da F-1. Nunca é demais lembrar que o WEC tem atraído gente graúda, como Webber e, neste ano, Hülkenberg — sem falar em Alonso, que adoraria disputar a prova.

Tem espaço para todo mundo, em resumo. E existe vida fora da F-1.

7 comentários

  1. Alfredo disse:

    Futsal é diferente de futebol de salão, no salão a bola é pesada e não pula ao contrário do futsal , “parecidos” porém muito diferentes.

  2. RENE FERNANDES disse:

    Claro que existe vida fora da F1 ! Cabe também , a mídia em geral, divulgar mais e mostrar a fundo sem precisar da muleta do patrocínio. A Notícia, o Fato, o Evento, sem restrições mercadológicas. Pode financiar, não pode restringir e limitar.. A F-E é uma realidade e pode ter certeza que evoluirá rapidamente, pois tem todos os ingredientes ( menos o som, ok. ) A F1 já teve décadas gloriosas e, hoje, é xoxa, elitista e empolada. Faz mais sucesso pelos seus buxixos e regras estúpidas que pelas corridas em si.. Fofoca 10, Competitividade e Circuitos 5,5.

  3. Flavio, acho “mucho loco” o grande público LEIGO, como sou e tantos outros também, confundirem a “eletrizante” F-1 com a “elétrica” F-E, putz… Quer assistir, assista, mas saiba o que está assistindo. Tenho amigos que, sabendo o quanto eu gosto da F-1, vem querer discutir comparações com a INDY. Pô cara! Fala sério. E agora vem a história desta nova, necessária e maravilhosa competição. Circuitos de rua e muita coisa para se desenvolver, como tudo o que é novo! Ao invés de troca de pilotos, temos troca de carro! Legal, inovador, ainda é necessário, e daí? Agora, comparar com F-1 / F-3 / F-qualquer coisa, pode parar, né? LEIGOS DO BRRRASIL VARONIL: VIREM O DISCOOOOO…
    ACIDENTE DO KIMI X ALONSITO: revendo a gravação da SKY HD (perdão, não é propaganda…), na câmara de bordo do carro do Kimi, passando quadro-a-quadro, a roda dianteira direita da Ferrari faz um movimento como se quebrasse a ponta de eixo, ela vira SOLITARIAMENTE para a esquerda, provocando um descontrole da barata-vermelha italiana. Só me admiro por ninguém ter visto isso ainda! É bem nítido.

  4. Marcelo disse:

    Se o Roberto Merhi da Manor ganha em torno de 50 mil euros por ano, quanto será que ganha um piloto da Formula E?

    Segundo estimativas de um estudo publicado anualmente pelo Business Book, esses são os salários dos 20 pilotos da Fórmula 1 (em milhões de Euros) na temporada de 2015. Ainda existe a possibilidade de alguns pilotos ganharem um valor extra por pontos marcados, vitórias ou título, dependendo dos arranjos contratuais de cada um.

    Os salários da Fórmula 1 – 2015

    1. Fernando Alonso (McLaren): 35,0
    2. Sebastian Vettel (Ferrari): 28,0
    3. Lewis Hamilton (Mercedes): 25,0
    4. Kimi Raikkonen (Ferrari): 18,0
    5. Nico Rosberg (Mercedes): 13,5
    6. Jenson Button (McLaren): 10,0
    7. Felipe Massa (Williams): 4,0
    8. Nico Hulkenberg (Force Índia) 4,0
    9. Sergio Perez (Force Índia): 4,0
    10. Romain Grosjean (Lotus): 4,0
    11. Pastor Maldonado (Lotus): 4,0
    12. Valtteri Bottas (Williams): 2,0
    13. Daniel Ricciardo (Red Bull): 1,5
    14. Daniil Kvyat (Red Bull): 0,75
    15. Max Verstappen (Toro Rosso): 0,25
    16. Carlos Sainz Jr (Toro Rosso): 0,25
    17. Felipe Nasr (Sauber): 0,20
    18. Marcus Ericsson (Sauber): 0,20
    19. Will Stevens (Manor): 0,15
    20. Roberto Merhi (Manor): 0,05

    http://joseinacio.com/2015/06/03/os-salarios-da-formula-1-2015/

  5. Celio Ferreira disse:

    FG a tecnologia avança a passos largos , eu diria que em uma decada
    um FE vai atingir 300 Km P/H , a sim e ecologicamente correto , ajudando
    de alguma forma esse planeta que se degrada a olhos vistos.

  6. pedro afonso scucuglia disse:

    Também não consigo. E nem vejo sentido em dizer futsal.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>