SILVERSTONE, 1975

SÃO PAULO (caos total) – Quase deixamos passar batido o 40º aniversário da 14ª e última vitória de Emerson Fittipaldi na F-1. Foi em 19 de julho de 1975 em Silverstone. Ontem, portanto. Mas o resultado só foi homologado três dias depois, tamanha a confusão na corrida.

Foi um GP marcado pela despedida de Graham Hill das pistas, antes da largada. Tom Pryce, da Shadow, largou na pole com Pace ao seu lado na primeira fila. Emerson, na McLaren, defensor do título, estava em sétimo no grid. Silverstone teve seu traçado original, velocíssimo, alterado com a criação de uma chicane. Foi a primeira das muitas mudanças pelas quais a pista passaria ao longo dos anos.

A prova teve chuva, pista secando e, no fim, temporal. A coisa ficou tão complicada que seis carros bateram na mesma curva, um subindo em cima do outro. As imagens do vídeo abaixo mostram como a coisa era maluca nos anos 70, com carros de serviço e ambulâncias circulando em meio a competidores que ainda não tinham se estatelado em algum lugar.

Até que a direção de prova resolveu parar tudo. E Emerson foi declarado vencedor, com Pace em segundo e Scheckter em terceiro — embora ambos tivessem batido um pouco antes. Seis carros, apenas, estavam andando quando a bandeira vermelha encerrou a corrida. Na volta do líder, apenas… o líder! Dos seis primeiros na classificação oficial, os que pontuavam, quatro sofreram acidentes. Mesmo assim, como valeram as posições da volta anterior à da interrupção, acabaram ficando na frente de Brambilla, o sexto, que estava uma volta atrás.

Para ter uma ideia da zona que foi, é só dar uma olhadinha nos momentos finais daquele GP da Inglaterra. Fittipaldi, como aconteceu em muitas corridas na sua carreira, foi um sobrevivente. Se você tiver mais tempo, veja este compacto de meia hora aqui, enviado pelo Alessandro Neri com narração em português de Luciano do Valle — espetacular, diga-se. Era uma F-1 muito, mas muito diferente da de hoje — não há juízo de valor aqui, apenas uma constatação. O pódio, para se ter uma ideia, foi montado em cima de um caminhão e o vencedor recebeu seu troféu sem a presença do segundo e do terceiro colocados.

Outros tempos, tempos doidos.

Subscribe
Notify of
guest
13 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments
Carlos Roberto da Silva Junior
6 anos atrás

Foi a última vitória do Emerson e do Brasil na F-1 naquele GP da Inglaterra de 1975, porque depois ela só voltaria cinco anos depois em Long Beach 1980 com Nelson Piquet.

Antonio
Antonio
6 anos atrás

Lembro desta corrida e que o Emerson ganhou porque entre as chuvas e períodos secos, ele não entrou nos box para trocar os pneus, enquanto os adversários faziam isto.

Marcos
6 anos atrás

Interessante, quem faz os comentarios no inicio deste video e’ o Jackie Stewart. Ele parou de correr em 1973 e pelo visto fazia comentarios na BBC. A voz dele e’ inconfundivel. . Depois na parte final e’ o Murray Walker que era uma especie de Galvao Bueno da BBC ate’ a sua aposentadoria em 2001.

Ricardo Cardoso
Ricardo Cardoso
6 anos atrás

Caramba… quanta história nesse VT… E um misto de constatações e dúvidas:

1) Como o Luciano do Valle tinha uma narração “serena” na época. Enquanto de fundo se ouvia alguns gritos mais exaltados quando o Pace e o Fittipaldi tinham boas manobras o Luciano se mantinha “britânico” em sua narração.

2) Impossível (eu acho) saber, mas não custa perguntar: O Luciano do Valle e seu comentarista estavam fazendo a prova in loco? Ou estavam em algum estúdio compartilhado com outras emissoras? A barulheira no fundo não atrapalha mas deixa essa curiosidade.

3) Independente de estar in loco ou num estúdio aqui no Brasil, como era difícil para os narradores e comentaristas darem informações sobre a corrida! Logo no começo o Luciano é traído pela informação de problemas com o Regazzoni e depois que consegue corrigir. Mais tarde os problemas com o Pace onde ficaram na dúvida se ele estava ainda na corrida ou não. Nesse ponto a tecnologia ajudou e muito.

4) Os carros dessa temporada de 1975 eram muito bonitos. Destaques para a Brabham BT44B, Ferarri 312T, Tyrrell 007 e Shadow DN5. E uma menção honrosa para o Fittipaldi FD03.

No mais somente a agradecer pelo VT e parabenizar (atrasado) o aniversário de 40 anos dessa última e tumultuada vitória do Emerson na F1.

Carlos Pimenta
Carlos Pimenta
6 anos atrás

Flávio, outros tempos não é. Quando o Moco ganhou aqui no Brasil. Um fuzuê danado, e ele se dirigindo ao pódio. Só que ao pódio antigo pois ele não sabia que o local já não era o que ele conhecia, ai o pessoal avisa que o local havia mudado, uma correria danada. Isso tudo ao vivo e em PB. Como diz a canção do Roberto: Velhos Tempos, Belos Dias.

Paulo Sergio
Paulo Sergio
6 anos atrás

Pode ser a memória da infância falando mais alto, mas eu achava esses carros dos anos 70 lindos demais. Continuo achando.

Alessandro
Alessandro
6 anos atrás

Muito mais emocionante que hoje, sem dúvida.
À propósito, alguém sabe quem estava comentando durante a narração do Luciano do Valle?

Otávio
Otávio
6 anos atrás

Meninos, eu vi!

Assisti a essa corrida pela TV (tô veio, não?). O que não foi falado no post, é que essa foi uma daquelas corridas de chove e para. Na primeira ocorrência, enquanto muitos pararam para colocar os biscoitos, Émerson continuou com os slicks. Imaginem a vantagem quando os os demais tiveram que retornar aos pneus de pista seca.

Quando a chuva voltou, o número de carros que bateram demonstram que não havia mais condição para os slicks. Aí sim, o Rato colocou os pneus para molhado, demonstrando um faro aguçado para essas situações.

Com relação ao comentário do Ubaldir Jr. : sim, a F1 mudou muito. Ela sempre foi chamada de circo. Apenas , dos anos 50 aos 70, era uma circo mambembe, tamanha a precariedade. Com relação aos alambrados, eram telas como as de galinheiro (putz, tô veio mesmo). Elas eram colocados em sucessão para reduzir a velocidade dos carros nas áreas de escape.

Sérgio Santana
Sérgio Santana
6 anos atrás

Quase inacreditável que uma coisa que era uma zona federal, um bundalelê do cacete, se transformou em um dos mais organizados, dinâmicos e lucrativos campeonatos do mundo!

Mas que o barato era loko e devia render muita diversão (quando nenhuma merda rolava), isto devia!

Danilo Candido
6 anos atrás

Alguém alí se deu muito mal aos 1min03 do vídeo, não ?

Everson Abreu
Everson Abreu
Reply to  Danilo Candido
6 anos atrás

Um cara atropelado por alguém, isso? Notei também. O Stewart até dá uma engasgada. Espero que tenha ficado bem, e conte essa estória para seus netos, hoje em dia.

João
João
6 anos atrás

Estava vendo as perguntas e respostas e só reforçou a tese que tenho faz tempo: deveria haver um canal a cabo apenas para você e o Mauro Cezar, eu trocaria os 7 de esporte atuais por este. Não sei como vocês aturam tanta enchição, mas estão de parabéns pela coerência e conduta.

Ubaldir Jr.
6 anos atrás

Esses alambrados em volta da pista… impressionante como o automobilismo como um todo, e a F-1 em particular, evoluiu nessas 4 décadas.