AGONIA SEM FIM

SÃO PAULO (inacreditável) – Willi Weber era sujeito frequente nos autódromos nos anos 90, aquele alemão tipicamente cafona de roupas espalhafatosas, rosto vermelho e cabelos penteados para trás com gomalina. Figura que nunca combinou muito com a elegância metida a besta da F-1, daqueles que a gente vê aos montes em cervejarias não muito requintadas das esquinas de Munique.

[bannergoogle] Só que era o empresário do maior de todos, Michael Schumacher. Viviam grudados, eram amigos desde sempre, e só isso fazia dele alguém respeitabilíssimo no meio.

Mas desde o acidente de esqui nos Alpes Franceses, há mais de dois anos, não vê seu pupilo. Corinna nunca deixou que ele visitasse Michael, hoje em estado desconhecido na mansão da família na Suíça. “Sofro como um cão”, falou.

Weber é mais um que não compreende por que pelo menos as pessoas mais próximas não podem pelo menos ver o cara. OK, ninguém quer que a família monte um álbum de fotos no Facebook, ou crie uma conta no Instagram. Deve-se respeitar a privacidade e a decisão de manter tudo em sigilo.

Acontece que Schumacher tinha amigos, alguns com quem mantinha uma amizade fraternal — como Jean Todt, Luca di Montezemolo, Ross Brawn, Massa e o próprio Weber. Privá-los de um contato, ainda que Michael esteja desacordado e nunca mais volte, me parece uma crueldade com essas pessoas.

Aliás, a possibilidade de que nunca mais volte é algo cada vez mais concreto. Num evento na Alemanha em sua homenagem, Sabine Kehm, sua assessora e atual cão de guarda da residência, deu uma rara declaração sobre o piloto. “Nossa esperança é que ele possa voltar a estar conosco”, falou.

É cada vez mais difícil, pelo jeito.

webesch

Comentários

  • Semanas atrás o Domenicalli falou algo sobre o Schumacher, “que as noticias não eram boas”… pronto já tinha gente querendo a carcaça do italiano pendurada no Viaduto do Chá pra servir de exemplo.
    Ou que ele fosse colocado à força na próxima sonda enviada à Plutão.
    Era quase “não se deve invocar o nome do Schumacher em vão”.
    E agora o que dizem? Será que o Willi Weber também quer se aparecer, termo que muitos usaram na época?

  • Por maior que seja a dor que os fãs sentem por notícia e coisa parecida, nada se compara com o que a mulher dele está sentindo, que de uma hora para outra teve que tomar a frentes de tudo. Respeitamos a vontade dela.

  • Acho uma crueldade com o próprio Schumacher a esposa dele não deixar os amigos mais próximos chegarem.

    Não sei qual é o estado dele, se ele consegue ver, mas acredito que a energia positiva destas pessoas em querer vê-lo bem, não faria nenhum mal.

    Realmente não entendo como essa atitude de proibir o mundo de ver ou saber do Schumacher pode ajudar.

  • É praticamente certo que o Schumacher esteja morto, apenas sendo mantido “vivo” por meio de aparelhos.

    Ninguém quer um álbum de fotos dele no facebook, mas apenas noticias pois, como diz um comentário anterior, grande parte da sua fortuna dele foi através dos fãs (não me incluo nessa). Nem que seja uma nota qualquer, dizendo se melhorou, piorou, esta na mesma. Qualquer coisa. Os fãs agradecem…

  • No fundo, todos nós, ainda temos uma breve esperança de que um belo dia ele apareça, sei lá, de cadeira de rodas sorrindo ao lado da família e dando uma entrevista.
    Mas sabemos que essa esperança é extremamente improvável.

  • É um caso complicado. A família está com toda certeza sofrendo muito. Mas eu acredito e muitos médicos também, que nestes casos de coma e lesão cerebral, nada pode ser melhor que o estímulo verbal vido de pessoas com algum vínculo afetivo: Familiares e amigos próximos.
    Em 2001, em uma tacada só perdi meu sogro e minha esposa. Minha filha de dois anos e meio ainda resistiria por sei dias em coma profundo. E o que os médicos me diziam era que eu e os familiares mais próximos falássemos muito com ela na esperança de estimular novas conexões neurais que pudessem traze-la de volta. Mas o edema era gigante e ela não resistiu.
    Mas no caso de Schumacher, ele não vive com auxilio de aparelhos. Não há morte cerebral. Seus órgãos funcionam voluntariamente. Sendo assim, acho que ele deveria ser mais estimulado por pessoas que conviveram com ele durante o auge de sua forma física e mental. Poderia ser bom.

  • Complicado porque a família não diz o motivo pelo qual está agindo assim, mas pode ter algo mais. Afinal, se todos eram amigos mais íntimos porque excluir o empresário ?.

    Procuro entender o lado da família, acho que fizeram uma opção e tem a sua lógica. Privacidade hoje em dia é algo difícil e acho que eles pensam que se resolverem mostrar a situação toda ou permitir visitas mais pessoas será um caminho sem volta.

    Daí a pouco surgirão especulações, teorias conspiratórias e em pouco tempo já terão jornalistas em TV discutindo as decisões tomadas e questionando até a equipe médica.

    Na boa, numa situação dessas não dá para apontar o dedo para quem está lá todo dia, faça chuva ou sol.

  • Além de amigos e parentes, ele tinha fãs, milhões de fãs, exatamente esses que fizeram a sua glória, reverenciando-o, e a sua fortuna também, consumindo os produtos dos patrocinadores, pagando entradas em corridas, etc, etc. Sim FG, não queremos um álbum de fotos do leito convalescente. Queremos respeito e consideração! Minha opinião: é ridícula e lamentável essa atitude da família!

  • O egoismo e a intransigencia de Sabine e Corina parecem não ter fim. Infelizmente a unica noticia concreta dada por elas sera justamente aquela que ninguém quer receber, mas que pelo jeito é a mais provável… “Schumacher esta morto”. Alias alguns comentários acima um cara definiu bem a situação, Schumacher já morreu, seu corpo ainda não. Triste, muito triste, porem é a verdade.

    • Ralf deve ter acesso. Só que é discreto e não vai falar nada por ai.

      Como fazem os filhos, a mulher e o restante dos familiares.

      E tem a sorte da imprensa nem chegar perto dele para ficar perguntando.

      Coisa de alemão, povo educado, respeitador. Fosse um brasileiro , no Brasil…Bom vocês lembram o “espetáculo” do velório de Senna e toda as especulações, BOATOS e “teorias conspiratórias que vieram nos anos seguintes pela imprensa e suas “fontes” sigilosas.

      Lá, a cultura é outra.

      Por isso que muita gente daqui acha “estranho” ou “desumano”.

  • Creio que não seria das coisas mais agradáveis ver o Schumacher na situação em que provavelmente se encontra…
    Triste, muito triste. Muito pior do que se tivesse morrido. Ao meu ver, é uma tragédia muito maior – sem discussões sobre quem foi melhor – do que a morte do Senna.

  • Acompanhei a carreira do MSC desde a primeira corrida.

    E por incrível que pareça, se tivesse que pinçar um “highlight”, seria dessa época de Mercedes:

    Aquela pole em Mônaco 2012., que seria – e deveria contar – a 69ª da carreira.

    Tão recente e tristemente tão distante.

  • Se eu fosse Jean Todt, Luca di Montezemolo, Ross Brawn, Massa ou Weber eu também ficaria com uma gigantesca vontade de ver o Schumacher. Porém, dor da gente só a gente sente. Ah mas os amigos também sentem dor, sim. Mas queiram ou não é um direito dela, uma pena tudo isso, uma pena mesmo.

    Tomara que ela mude de idéia, mas deve ser complicado.

    • Parece que todos dessa lista, com exceção do Weber, já estiveram pessoalmente com o Schumacher. Então, talvez o motivo seja pessoal.

      Alguns que se portam, ou se comprometem a se portar, adequadamente tem permissão da família para visita-lo, enquanto outros não.
      Cada um com sua dor e seus critérios.