FOTO DO DIA

SÃO PAULO (fervendo) – Nestes dias em que a população de São Paulo retomou suas ruas, com blocos maravilhos de Carnaval espalhados por toda a cidade, pingo esta imagem para mim inédita — e obtida no perfil @SPFotos no Twitter. Trata-se de um monumento que, segundo a legenda, foi removido em 1967 para não atrapalhar o trânsito. Essa é a avenida Tiradentes — à esquerda vê-se um pedacinho da Pinacoteca do Estado. Uma avenida linda, então. Hoje, horrorosa. Salvo engano, era aí que aconteciam os desfiles das escolas de samba de São Paulo até a construção do Sambódromo.

Se alguém souber mais desse monumento — como foi removido, onde foi parar, qual seu sentido –, conte.

pinacosp67

Comentários

  • Por que o monumento ficava em frente à Pinacoteca? Porque ali na Pinacoteca funcionou o Liceu de Artes e Ofícios, local onde foi totalmente confeccionado. Mas também porque tinha a ver com a história de Ramos de Azevedo, que passou toda sua vida naqueles quarteirões, como diretor do Liceu e da Pinacoteca e fundador da Escola Politécnica e do Instituto de Pesquisas Tecnológicas; instituições lindeiras à Av. Tiradentes e vizinhas entre si.

    Por que ele foi transposto pra USP? Porque tanto o Liceu, o IPT e a Escola Politécnica também foram transpostos para locais em que o espaço físico não era limitado para expansão de seus laboratórios. Como a Cidade Universitária dispunha de muitíssimo mais espaço, o levaram para lá. Afi9nal, espírito científico de Azevedo permaneceria inspirando os engenheiros em formação. É pra isso que se constroem monumentos.

    Creio, portanto, que não tenha havido um motivo técnico para remoção do monumento em 1967, mas sim uma intenção de preservá-lo no contexto em que foi criado.

  • Vendo essa e outras fotos dá apenas pra imaginar como SP era uma cidade muito mais bonita do que é hj… infelizmente os militares vieram e estragaram tudo em nome do “progresso”…

    E esses desesperados do transito, por favor… isso não é exclusividade de SP, Manhattan é impossível de se trafegar de carro, Tóquio idem, Paris também tem transito e nem por isso essas cidades destruíram suas obras para “melhoria” do trafego…

    Além disso, basta diminuir o número de automóveis, tem famílias hoje em SP que tem um carro por membro residente (e são esses que enchem a boca pra falar de crise) o que é absolutamente absurdo, me perdoa mas essas pessoas merecem passar 2 horas no transito sim… é uma falta de conscientização terrível… eu tinha carro, mas como trabalhava a 7km do trabalho ia e voltava a pé, era saudável e o tempo gasto era o mesmo…

  • Que bobagem os caras escreveram lá hein? O monumento foi removido para a construção do Metro, transporte coletivo, nada a ver com trânsito. Poderiam ter colocado de volta, mas também esta ótimo na USP, me parece até um local melhor para ser apreciado.

  • Morava na Z.Norte e em 1961 passava todo dia por esse monumento. eu era “di menor” e trabalhava numa loja de ferramentas e máquinas, Almeida Land, em frente de onde é hoje o prédio da Receita Federal, não era muito longe dele,
    Comecei a trabalhar com 14 anos e meio, e foi ótimo, me fez aprender o que é responsabilidade, pontualidade, e a dar valor ao dinheiro que ganhava, não gastava em qualquer coisa, me tornei seletivo.
    Me lembro que na linha de ônibus que eu usava tinha uns cavalos mecânicos FNM que puxavam um ônibus imenso, eram chamados de “papa-fila”, viviam lotatos, lotadissimo na verdade.
    A avenida não era mais bonita nem mais feia que hoje, só era diferente, eram outros tempos, outras métricas para medir tudo.

  • O Carnaval foi aí até 1990. Em 1991, a Erundina inaugurou o Sambódromo ainda com alguma coisa faltando de acabamento. Em 1992, estava completo. O monta-desmonta de arquibancadas na Tiradentes ferrava o trânsito todo…

  • Esse monumento mudou de lugar em função da construção do metrô. Mas nas fotos antigas é claro que o monumento também deveria incomodar o trânsito.Ele agora está do lado da Poli, o que é um destino não menos nobre, justo até. Mas poderia ficar mais bonito e exposto se tivessem colocado lá na Praça Campos de Bagatelle, não acham?

  • Flávio, está foto é da década de 60. Já mostrava um trânsito muito grande no sentido para o centro. Isto só reforça a a teoria de que tem que se iniciar urgentemente um processo de ocupação organizado do centro. Esta região é muito bem abastecida de tecnologia e transporte. Infelizmente a ganância colocou as pessoas a quilômetros de distância em condomínios fechados que na minha opinião são ridículos e deveriam acabar o Alphaville é o primeiro deles.

    • Ganância? As pessoas gastam seu dinheiro como acham que devem gastar. Muitos preferem pagar caro por ter um pouco mais de segurança, viver em um local tranquilo, organizado, seguro e sem um emaranhado de fios pendurados nos postes. Boa parte das pessoas que moram em Alphaville trabalham por lá mesmo. Mas na sua opinião, deveriam morar no Centro, certo?

  • SP era linda! Aos poucos foram estragando. E essa ultima gestão então detonou de vez. Alias, estamos bem de prefeito, governador e presidente. Mas é claro, que o Sr. Flavio Gomes por criticar o PT irá se opor. Pra ele SP está uma maravilha. Assim com o Brasil.

    PS: Não sou Petista, nem PSDB, nem porra nenhuma!

      • O arco da 23 de maio onde ele autorizou pichações travestidas de “manifestações artísticas”, o Pqe do Ibirapuera que virou um reduto de nóias com seus skates , tirando finas de idosos e ainda xingando por pensarem que têm razão.. Vá aos banheiros do Ibirapuera e constate as pichações “Legalize a maconha já” que estão ali tem um bom tempo, mas não são removidas pois o prefeitão se amarra em rabiscos em paredes..

        O autódromo de Interlagos tbm está uma maravilha, imagine se as presepadas daquela prova do seu campeonato tivessem acontecido em uma gestão sem ser do PT, será que a sua opinião se resumiria a “tenho certeza que o prefeito, ciente como é, resolverá isso”.. Demitiram até o Chico Rosa..

        Até com o Gigetto acabaram.. Daí vc vai falar “ah, mas Gigetto é restaurante de burguês”.. Mas não é o PT quem diz que hoje o filho do porteiro viaja pra Europa?

      • Só o simples fato de terem reduzido a quase zero os investimentos ao estímulo à cultura, já é o suficiente para eu Felipe Castro deixar de acreditar neste governo, o pior é que eu votei no partido dos trabalhadores.

      • A classe média paulistana não enxerga tons de cinza. É apenas o bem contra o mal ou então acha que não entendeu nada e aponta, per se, o bem e o mal. Essa história de “não sou esse nem aquele” é um eufemismo para deixar obscuro o fato de que o paulista médio acha que pra não ser pobre tem de ser rico e, por isso, cospe nos pobres. No fim das contas, é a mesma burguesia, que, no espelho, não se enxerga e se projeta, num futuro incerto, como os donos dos meios de produção dos quais serão apenas operários. Paulo Freire sempre falava que “o opressor também é oprimido”.

      • Ora, não encha o meu bag, Sr. Baggs!
        Quem começou essa estória do “nós contra eles” foi o Lula, em seus discursos irresponsáveis. Agora segura o rojão, pô!
        E não venha falar mal de paulista, que pelo menos a gente não escraviza o povo sem devolver nada em troca, como fazem os coronéis do sertão.
        Aqui, trabalhou, recebeu.
        Mas tem que trabalhar para receber…de graça é amarrar as mãos de quem não tem como se defender.

  • Foto maravilhosa! Por essas e outras acesso sempre o blog. O Marcelo já disse exatamente onde está. Sim, a av. Tiradentes está horrorosa hoje, quando é simplesmente a principal artéria da cidade na ligação Norte-Sul dessa cidade que está chegando ao LIMITE. O próximo prefeito precisa considerar isso: a cidade está no LIMITE da suportabilidade da queda de qualidade de vida. Pra contornar isso precisará iniciar um processo (i.e. coordenar uma equipe) com muita humildade e sabedoria. Temos alguém com esse perfil?

  • Muitas das obras de arte que ficavam nas ruas de Sp foram retiradas para benefício do trânsito. Uma grandiosa baboseira. essas obras deveria voltar a ter seu espaço na cidade. Pena que o ppovinho é tão idiota que iria fazer pichações que acabariam destruindo essas obras. Pensando bem, melhor esconde-las!

    • Ah sim! Basta construir ciclovias e corredores de ônibus pela cidade para o paulistano-escravo-do-ar-condicionado sair reclamando da piora do trânsito. Se resolvem devolver os monumentos aos seus locais originais, ia ter gente se suicidando.