MENU

terça-feira, 23 de fevereiro de 2016 - 18:08F-1

MEODEOS

SÃO PAULO (fumaram) – Leiam vocês mesmos o que estão pensando para definir o grid já a partir deste ano, e depois digam aqui o que acharam.

Parece que todo mundo aprovou e só falta ratificar no Conselho Mundial, dia 4 de março.

Loucura, loucura. Não tenho uma opinião formada, ainda.

157 comentários

  1. Marcelo disse:

    Acho que isso vai prejudicar as ultrapassagens, ao classificar melhor os carros consistentemente mais rápidos, sem surpresas, e já com o carro e pneus de largada. Não cheira bem.

  2. Daniel disse:

    Vai ser uma putaria só… Acho que se não for um carro de cada vez na pista não vai dar certo… Pensa se a equipe quiser fazer jogo é simples o Alonso crava uma volta boa e mandam o Button logo atrás pra andar devagar, 1’30″ às vezes é um pouco mais que uma volta, o cara não tem tempo de recuperar. Vai dar baixaria

  3. Luis disse:

    Prefiro uma corrida emocionante, com ultrapassagens e não creio que este modelo traga isso constantemente. Pode haver, eventualmente, uma mudança no grid, e isso resultar em uma corrida mais interessante. Esta postura “tragam as crianças para casa” adotada pelas equipes ajuda com a monotonia das corridas. Compreendo que os custos de uma corrida são absurdos e por isso minimizar o risco se faz necessário, mas a F1 sempre foi cara, e isso não era regra.

  4. Riacardo Bigliazzi disse:

    Se fosse dono de uma equipe de F-1 ficaria puto.

    Se tenho um carro não competitivo tenho apenas 16 minutos para expor a minha “marca” contra os quase 01 hora que as equipes competitivas tem para expor a marca em um treino classificatório.

    Do jeito que os caras da F-1 estão pensando iriam me “tungar” mais alguns minutos preciosos de exposição… isso chega a ser injusto além do que não iria estimular em nada a competição no Q3, Q2 ou mesmo no Q1.

    Acredito que o modelo atual é interessante, o modelo obriga as equipes a fazerem varias tomadas de tempo ao longo do tempo disponível de transmissão por TV. Para que mudar? Para prejudicar as equipes menores… que já não são previlegiadas na distribuição da grana patronal da F-1?

    De vez em quando mexer demais nas regras acaba por estragar o que não é ruim.

  5. Cláudio F1 disse:

    Pra mim, este é o tipo de coisa que reabre a discussão se a F1 é um esporte ou se, mais do que esporte, ela é um entreterimento. Se o aspecto preponderante for o esportivo em relação ao entretrimento, então, esta é mais uma daquelas medidas que atentam contra a categoria, juntamente com a severa restrição de treinos ao longo do campeonato, pois em qualquer esporte que se preze os participantes devem ter não só a liberdade para treinar como também precisam ver o seu mérito sendo recompensado, portanto, esporte não combina com loteria. O imponderável pode sim ocorrer no esporte, transformando uma classificação em loteria, por exemplo, quando um motivo força maior como uma pancada de chuva inesperada cai na região do circuito apenas durante parte da classificação.

    Por outro lado, se o objetivo é apenas o entreterimento, então, qualquer regra esdrúxula está valendo e quanto mais imprevisível melhor.

    Escrevi tudo isso apenas pra dizer que discordo desta nova regra, que esporte de verdade valoriza a performance, o mérito do conjunto piloto/carro, e que o lugar da pole deve ser ocupado pelo piloto mais rápido e não pelo mais “cagado” do dia.

  6. Alberto disse:

    A favor. Disso e de qualquer coisa que venha para revolucionar a F1. Depois de muitos anos como telespectador, em 2015 me vi pela primeira vez incapaz de prestar atenção em toda a corrida, com preguiça de acordar de madrugada etc. Até a ideia do “esguicho de pista”, cortesia do Gagá Ecclestone, está valendo na atual conjuntura.

  7. Paulo Pinto disse:

    Pra que tanta xaropada se no final vão ficar os mesmos de sempre?

  8. Ulysses disse:

    A ideia é bem legal, curti.

  9. Renato disse:

    Isto vai gerar diversas discussões pois muitos pilotos se sentirão prejudicados por outros mais lentos.

  10. Guilherme Zahn disse:

    Olha, gostei. Aliás, quase qualquer coisa ajudaria na classificação, que andava bem capenga. De quebra, devem acontecer diversas zebras no começo do campeonato, até todas as equipes desenvolverem uma boa estratégia…

    Agora… em lugares como Spa, onde a chuva vai-e-vem, vai virar quase loteria…

  11. Eduardo _SC disse:

    …que sou a favor que deixassem tudo como 20 anos atrás, agora comecei a achar que estão rumando no caminho certo. Deixa galera correndo até que sobrem dois. Demais!

  12. Galba disse:

    Acho isso mais uma cretinice.

  13. Paulo F. disse:

    Sorteia. Fica mais fácil e enche menos o saco dos pobres coitados.

  14. Antoniio Dias disse:

    Eu gostei. Não muda o essencial, que é o carro mais rápido lagar na frente, mas em contrapartida traz mais emoção para os treinos e carros na pista para que quem está no autódromo. Quero ver como vai ficar a questão dos pneus, pois rodando mais nos treinos, talvez seja difícil preservar o suficiente para as corridas.

  15. Cranio disse:

    Acho que vai ser confuso apenas na Austrália. Nas próximas, os caras vão se adaptar e tudo volta a ser como antes. Não vejo tanta mudança. Esquema Nocaute!

    Vantagens: Os caras não vão ficar dentro dos boxes esperando o último minuto pra sair com a caranga. Serão obrigados a virar uma boa volta se quiserem passar adiante. Depois, podem até assistir o resto do Q1 ou Q2 no box; Vai ter equipe colocando pneu super ou ultra macio no Q1/Q2, o que deve dar uma misturada no grid.

    Desvantagens: Se o carro quebrar antes de entrar ou durante o Q1/Q2, já era. Em 7 (ou 6) minutos ninguém conserta nada na F1 de hoje. O mesmo vale para pneu furado, passear na brita, ou até um vacilo durante a volta rápida. Em 90 segundos, dependendo a pista, nem dá tempo de fechar a volta (caso de Malásia, China, Bahrein, Silverstone, Spa, Singapura, Suzuka, Russia, EUA e Abu Dhabi).

    Quero ver como ficam as punições para quem atrapalhar a volta rápida de alguém.

    • Carlos disse:

      Provavelmente vai causar uma ou outra “deformação” no grid, com alguns carros saindo mais atrás do que no esquema de 2015. Portanto, mais briga na pista. Isso só pode ser bom.

      Concordo com você que o efeito vai diminuir, mas não creio que desapareça,

  16. Moisés Pires disse:

    Falando de forma polida, eu acho que comeram “cocô”… de novo.

  17. Igor Dusse disse:

    O problema deste novo regulamento a Pirelli poderá abandonar o seu novo pneu ultramacio, pois ele aguenta somente uma volta rápida. Por este novo método imagino que os pilotos sairão com um pouco de gasolina e fazer 5 ou seis voltas em sequencia.

    Outro problema é após o ultimo ser eliminado e ter garantido a sua classificação, provavelmente ele voltará aos boxes devagar. O que deverá ter de encrencas com estes carros atrapalhando a volta dos outros, não será brincadeira.

    O engraçado é que este método de definir o grid de largada é excepcional para ser implantado nos circuitos ovais da Formula Indy.

  18. Fabio Augusto disse:

    Uma faca para cada um, todos trancados numa sala, apaga a luz… quem for caindo vai para o fim do grid.

  19. Anderson_SP disse:

    O lado bom é que não vai admitir erros e muitos pilotos vão andar no limite e aí alguns podem passar do ponto, poderiam usar esta regra esse ano e aí se não for tudo isso, volta com a atual ano que vem, a F1 tem que se reinventar, pois tá complicado o marasmo.

  20. Flávio disse:

    Também gostei da ideia!
    Se não funcionar é só voltar a antiga.

  21. Sergio Miami disse:

    Amigos, este recursos existe em muitos video games de corridas. Parece legal mas estamos na F1 entre arriscar e bater ou ficar no box por uma posicao .. certamente ficarao no box. Vejam quantos casos de pilotos que vao para o Q3 e nem saem do box, pois sabem que ficaram em decimo ou em nono. Pode ser que na primeira ou segunda corrida acontecam algumas coisas na terceira vamos ver muito da pretensa emocao desaparecer… de toda forma vale tentar.

  22. Antonio disse:

    Achei bom. Os carros vão ter que ficar andando sempre, para não correrem o risco de serem eliminados 90 segundos depois.
    Chega de ficar 15 minutos parado no box e sair para apenas uma volta.
    Acho que os treinos – grande novidade – serão mais emocionantes que as corridas.

  23. Yuri Nehy disse:

    Acho que não muda nada – a Mercedes vai continuar esfolando os rivais, a Ferrari vai ser a melhor equipe do resto e Williams, Red Bull, Toro Rosso e Force India vão brigar no meio do pelotão (com eventuais aparições da McLaren).

  24. Paulo disse:

    De que adianta tudo isso se os dois carros que ficarão para a final são os da…………MERCEDES!

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>