MENU

Tuesday, 14 de March de 2017 - 18:18Publicidade, Rádio Blog

RÁDIO BLOG

Uma semaninha rodando de Chevette, bateu uma saudade imensa dos anos 80/90. E fiquei completamente apaixonado de novo pelo melhor jingle já feito para a publicidade de automóveis no mundo — que não escutava havia algum tempo. Grande Zé Rodrix… Por que ninguém faz mais nada parecido hoje em dia?

28 comentários

  1. Pablo Vargas says:

    Andávamos de carroças.
    E éramos felizes.

  2. Cesar E Dias says:

    A Caravan é de longe a melhor perua que ja apareceu no Brasil! Perdi as contas de quantas vezes andei na cachorreira da Caravan do tio Manuel….

  3. paulo says:

    dessa galerinha aí, só não tive a Marajó.

  4. João Paulo Toledo Piza says:

    A nostalgia é florida, tantas lembranças boas ,que deu um nó na garganta, opalas (4) e A-20`s(3) que meu Pai teve, sempre a álcool ,os carros perderam sua identidade própria ,dentro das montadoras , são todos parecidos ou iguais, mudando de tamanho e só !!

  5. Marcos Aldred Ramacciotti says:

    Por incrível que pareça, os carros de hoje não tem a mesma durabilidade de antes e parece que aquela paixão que temos por carros ficou pra trás, hoje em dia o interesse é outro.

  6. Arlei Vieira says:

    Pois é…………como dizia o nosso “presidente” Fernandinho Collorido, nossos carros eram carroças, mas tinham um charme e identidade que nem de longe os atuais têm. E falando de publicidade, como é bom quando os profissionais do ramo fazem algo realmente inspirado não ?

  7. Eduardo Britto says:

    Sim, lembrei muito do Zé Rodrix nessa semana… Sá e Guarabira anunciaram show e novo disco em matéria do Estadão, falaram da parceria com o Zé, e de como ficaram chateados quando ele deixou o grupo… Outro dia me peguei cantando Eu Quero Uma Casa No Campo… Pra fechar revi esse jingle… super!

  8. Clébio Junior says:

    Diferente de hoje em dia que as propagandas se fixam mais em divulgar promoções pontuais e curtas, além de refletir a voracidade de consumo de informação dos dias atuais, antigamente uma peça tinha como objetivo fixar a qualidade e a força de uma marca ou produto, não á toa campanhas assim como essa duravam anos.

    Não sei se você já viu Flávio, tem essa outra peça da Chevrolet do fim dos anos 70, com Louvação do Gilberto Gil de música de fundo: https://www.youtube.com/watch?v=qobqMGknK5w

    • Eduardo Britto says:

      Valeu pela dica Clébio! “Louvando o que bem merece, deixo o que é ruim de lado” é das coisas mais lindas da MPB… A letra é do poeta Torquato Neto, musicada pelo Gil… E me digam: não é um casarão da avenida Paulista ali pelos 1min30seg da peça??

  9. Iz Kariotz says:

    Foi. Não será mais. Esqueça.
    Depois do Mercedes Classe A (lelek lek lek), vê-se que o fundo é inalcançável.

  10. lucPeq says:

    Saudade do Zé, foi um gênio em jingles.
    Essa eu escuto quase todo dia quando estou vindo para o trabalho https://www.youtube.com/watch?v=WgqXEugkEYQ

  11. Vander says:

    Que época! Saudades dos opalões….

  12. Ricardo Sandri says:

    Zé Rodrix fazia vários jingles…. Essa da GM enchia de emoção uma criança de 9/10 anos que hoje tem 38. “Dentro de um chevrolet…”

    Outro comercial que a música é dele, apesar de não ter relação com automóveis, mas é muito legal é o da pepsi… “Hoje existe muita gente que quer nos modificar, não quer ver nosso cabelo, assanhado sem jeito….. Só tem amor quem tem amor pra dar, quem tudo quer do mundo, sozinho acabará…..

  13. askjao says:

    Bem legal mesmo, mas para mim, a melhor propaganda de carros foi da pálio Weekend, e seus peixinhos.

  14. GArlet says:

    Ok mas os anos 80 tinham coisas ruins também. Carro a alcool, tinha que puxar afogador, esperar esquentar. A durabilidade das peças eram bem inferior também. Óleo lubrificante, não era aquilo tudo. Lembro uma vez que minha mãe e eu estávamos em um PASSAT 1981 com 26 mil km rodados e a 120 km/h a roda dianteira travou, do nada, estourou a junta homocinética. Podemos até incluir nisso os anos 90. Meu gol 1.8 1996 consumia óleo mineral, cerca de 1,5l cada 5000 mkm, desde 0km. Tem coisas que vão deixar saudades, por exemplo, os carros tinham uma identidade visual,, tinham personalidade, hoje parecem todos chineses. Mas evoluimos em muitos aspectos, como durabilidade de motor, segurança etc. O que eu acho que estamos piorando é no design. Me parece que a industria se perdeu. Os carros estão ficando muito parecidos, e mudam de visual o tempo todo, deixando o cliente perdido. Isso é $$$$$$$$$$$$$$$$$$$, lucro, obsolescÊncia visual programada, porém, é o exemplo de mal design. Por exmplo, a BMW que é referência nisso atualmente, nunca modifica totalmente seus carros, inclusive a coluna do vidro traseiro tem o formato de C, em todos os modelos, a marca faz leves retoques mas não perde a identidade. Nunca se deve ficar mudando totalmente a forma das coisas , como por exemplo faz a FIAT. OU como faz a CHEVROLET, que consegue ter os carros mais horrorosos do mercado. Ou como faz a FORD, colocando uma frente de FUSION em um FORD K, para o carro parecer grande (mas só de frente). Enfim. TEria que parar tudo e recomeçar do 0. O Design inglÊs DANIEL SIMON já sujeriu isso.

  15. Marcos Tavares says:

    Excelente lembrança, Flavio!
    Talentoso Zé Rodrix.: – Mestre na Música e na Literatura!
    Faz muita falta nesses tempos sem graça…

  16. antonio seabra says:

    O Ze Rodrix faz muita falta….

    “Meu caminho pro trabalho
    é um pouco mais comprido
    eu vou sempre pela praia
    que é muito mais divertido
    chego sempre atrasado
    mas eu não corro perigo
    quem devia dar o exemplo
    chega atrasado comigo”.

  17. Marcelo mpgArte says:

    Será esse sentimento natural da meia idade, ou as coisas eram mais interessantes décadas atrás? As campanhas publicitárias destinadas a TV eram campanhas fantásticas, a publicidade brasileira foi muito rica nessa época, não que não seja hoje, penso que ainda fazemos o que há de melhor no mundo, mas penso também que o nível está nivelado um grau abaixo.

  18. Helton Fernandes says:

    Acabou a criatividade. Ninguém mais procura uma boa referência, ninguém pensa em algo novo. nonguém entende que para fazer algo novo é necessário ter uma grande base do que já foi feito. É sempre mais do mesmo e todo mundo se endeusando.
    Lembra que vivemos a época do “meu pau te ama”.
    Mundo está ladeira abaixo e parece que o processo é irreversível…

  19. Luis Felipe says:

    Tive dois Monzas.. O “carro” dos anos 80

  20. moisesimoes says:

    – O mundo perde a bola, mesmo. Hoje, temos o “tá tranquilo, tá favorável” da Renault. Uma marca que dispensa apresentações, tem uma bosta dessa.
    Me lembrou o comercial do Kadett que toda vez o “pessoal lá de casa” queria imitar a voz do Edson Cordeiro e eu tocava guitarra invisível, que, afinal, era bem mais fácil:
    https://www.youtube.com/watch?v=v27KRpm6DYw

  21. Erasmo says:

    Deu saudades do Zé Rodrix e do Joelho de Porco…. essas propagandas são incomparáveis perto das feitas hoje.

    • Marcelo says:

      Depois da morte do Tico, o Zé ficou muito abalado.
      Acho que ali acabou o encanto.
      Ele nunca mais fez nada de espetacular até ir encontra-lo.
      Eles eram como Lennon & McCartney

  22. Batista Lara says:

    o mundo devia ter parado nos anos 80

  23. Sérgio Santana says:

    Monza, Caravan e Opala. Era uma frota de respeito e muita elegância.

  24. Almir A. Zago says:

    Tive vários , Chevette, Monza, Vectra GSI. Mas o que mais me deixou saudades, foi uma Caravan Comodoro 1987, 6 cilindros à álcool.. Nunca me esquecerei de quando era dada a partida com o afogador puxado ( só os mais antigos sabem o que é isso ) o balançar do carro era como um verdadeiro orgasmo. 4 marchas que valiam por seis. A tecnologia dos carros atuais jamais irão se comparar ao prazer de dirigir os carros daquela época. Bons tempos. Quem viveu aquêles anos, não esquecem.

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *