MENU

Monday, 28 de August de 2017 - 18:14F-1

SOBRE ONTEM DE MANHÃ

mickeshumi

Mick Schumacher no carro do pai: momento marcante antes da largada para o GP da Bélgica

RIO (tempo, tempo, tempo) – Escolhi a foto acima como a mais representativa do fim de semana em Spa, porque achei realmente emocionante ver aquele carro de 1994 nas mãos do menino que pode dar sequência à saga do maior piloto de todos os tempos, cujo destino é inacreditavelmente triste. Mick no carro de Michael foi muito bonito de se ver. 25 anos atrás seu pai venceu pela primeira vez na F-1 lá mesmo. Onde também estreou. Há muito significado nessa única volta.

Mas vamos à corrida.

Talvez eu não tenha elogiado o suficiente as últimas dez voltas do GP da Bélgica, Hamilton e Vettel andando em ritmo de classificação sem que um errinho sequer fosse cometido, por um ou por outro.

Parabéns, Hamilton e Vettel, vocês foram incríveis nas últimas dez voltas do GP da Bélgica e não cometeram nenhum errinho, nem um, nem outro.

Pronto. Espero que não tenham ficado magoados com este blog por não ter rasgado elogios a ambos. Não sou dado a elogios gratuitos. Mas eles merecem, é claro. E merecem tanto que Fernando Silva, no Grande Prêmio, considerou a disputa uma das melhores da década. Vocês concordam? Tecnicamente, foi de fato muito impressionante. Dá gosto, sim, ver pilotos de enorme talento fazendo o que Hamilton e Vettel fazem.

Lewis venceu num dia especial, quando chegou à casa de duas centenas de corridas na F-1. Nem parece que já faz mais de dez anos de sua estreia, jovem promessa da McLaren, que praticamente o adotou desde o kart. O primeiro ano foi um estrondo, inclusive. Mas não foi o único, não. Portanto, vamos ao

NÚMERO BELGA

200

 

GPs, certamente uma marca especial esta de Hamilton. Apenas 17 pilotos, na história da F-1, chegaram a ela. O recordista é Barrichello, com 322 largadas em mais de duas décadas de carreira. Dos que estão em atividade, Alonso, Raikkonen e Massa já romperam a barreira. E dois pilotos também venceram no dia em que completaram 200 GPs: Michael Schumacher (na Espanha, em 2004) e Jenson Button (na Hungria, em 2011). No caso de Button, há uma forçadinha de barra na estatística. Para que ele tenha tido a honra de ganhar o 200º GP, é preciso desconsiderar dois anteriores aos quais ele esteve presente, mas acabou não largando — em Mônaco/2003 e nos EUA/2005, este último por conta da desistência de todos os pilotos que usavam pneus Michelin em Indianápolis. Mas está valendo.

Enquanto Lewis comemorava efusivamente sua mais recente façanha, à qual obviamente deve ser acrescida a marca de 68 poles que o colocou ao lado de Schumacher como recordista na categoria, tinha um cara em particular cuspindo marimbondo em Spa: Max Verstappen.

O jovem holandês abandonou uma corrida pela sexta vez no ano e estava inconformado, a ponto de já começar a insinuar que pode deixar a Red Bull no ano que vem.

Tá bom. E vai correr onde? Na Toro Rosso, de novo? Na Sauber? Na Force India? O pai Jos também deu chilique. “Desse jeito não vai durar muito!”, bradou.

OK, e vai correr onde? Na Arrows? Na Tyrrell? Na Brabham?

O fato é que Verstappinho pode reclamar à vontade, mas não tem onde correr para ganhar corridas. Ferrari e Mercedes estão fechadas para o ano que vem. A Renault já pediu desculpas pela quebra, via Alain Prost, e por mais que a Red Bull reclame da fornecedora francesa, é melhor manter uma relação amistosa com a fábrica. Até porque cansou de ganhar corridas e campeonatos com ela. Assim, Max ficará onde está, gostando ou não. Não adianta fazer biquinho e chamar o papai.

Treta, mesmo, aconteceu entre Ocon e Pérez. A ponto de o francês disparar seus canhões com alguma virulência em direção ao mexicano. Foi até difícil escolher apenas uma como…

A FRASE DE SPA

beldom173

Ocon (atrás): ameaça de morte

“Estávamos fazendo uma boa corrida até Pérez tentar me matar duas vezes. De qualquer forma, ele não conseguiu e chegamos em nono.”

Esteban Ocon, em postagem no Instagram, depois de ríspida troca de acusações entre os pilotos da Force India.

Pérez gravou vídeos se explicando. Admitiu culpa no toque na primeira volta por conta de um erro na configuração do motor — disse que perdeu potência, viu Hülkenberg de um lado e não notou o companheiro do outro –, falou que o francês foi otimista demais na segunda refrega e que deveria esperar para tentar passar depois da Eau Rouge, e após ambos levarem uma sonora comida de rabo, Ocon aceitou o pedido de desculpas do parceiro e reconheceu que andou falando umas coisas meio pesadas porque estava com a cabeça quente.

Parece óbvio que ambos vão ficar sem conversar por semanas a fio, que se odeiam e se odiarão até o fim dos tempos, mas a prudência manda que tomem cuidado daqui para a frente. A Force India ameaçou até suspendê-los. E ambos sabem que tem fila de gente querendo correr na equipe. Melhor ficarem quietinhos. Mas, sobretudo, seria bom se conversassem vendo os vídeos, para compreender a dimensão que esse incidente poderia ter tido. Não se bate em ninguém a 300 km/h. Como percebeu nosso cartunista oficial, Mauricio Falleiros, com a leitura perfeita da situação:

Falle1ros

falleirosbel

Outro vexame foi da Honda, mais uma vez. Alonso, quando estava sendo ultrapassado por Palmer, dizia pelo rádio, para quem quisesse ouvir: “Embarassing, embarassing”. Precisa traduzir? Embaraçoso, vergonhoso, desagradável, constrangedor. O espanhol afirmou que vai definir seu futuro em duas ou três semanas. Na Europa, comenta-se que ele condiciona a permanência na McLaren à saída da Honda. Um acordo com a Renault deixaria o piloto mais tranquilo.

Curioso é que a Honda não admitiu quebra de motor, nem algum problema específico dentro de seu campo de ação para justificar o abandono do asturiano. No release pós-corrida, os japoneses informaram que os dados não indicaram nenhuma anomalia, e que depois iriam investigar alguma eventual falha. Aí não precisa traduzir: para eles, Alonso abandonou por conta própria.

Fechando nosso rescaldo de Spa, vamos à consagrada “Gostamos & Não Gostamos”:

GOSTAMOS…

bonequinhomassa

Massa: bom 8º

…do oitavo lugar de <<< Felipe Massa, depois de largar em 16º numa pista em que seu carro não andava, e depois de trocar de chassi por conta de uma belíssima pancada na sexta-feira. Era um fim de semana difícil, ele já não tinha corrido na Hungria, a maré não estava pra peixe, e no fim acabou sendo “como uma vitória” — assim o brasileiro definiu o resultado. Gostamos também desse capacete diferente que homenagou não sei quem, nem o quê.

magbel2

Magnussen: mal

NÃO GOSTAMOS…

…do erro bisonho de Kevin Magnussen >>> na relargada, quando chegava à Bus Stop. Pneus frios, freios frios, travou tudo e saiu da pista, quando estava numa ótima posição para levar a Haas a pontuar com seus dois carros. Grosjean acabou fazendo seu papel e foi o sétimo colocado. O dinamarquês pediu desculpas à equipe: “Foi mal aí”.

54 comentários

  1. Alexsandro says:

    Não se faz mais pilotos como o Piquet, que ao invés de ficar reclamando, colocava a mão na massa e ajudava a desenvolver o carro. Esses pilotos de hoje gostam de sentar no simulador e brincar de game.

  2. 200 GPs pro Hamilton com apenas 32 anos, mas como o tempo passa rápido, e fora que ele venceu. Mick Schumacher o herdeiro, vamos ver se ele vai conseguir parte da herança do pai nas pistas da F-1, foi legal ver ele pilotar o Benetton de 94 do pai do primeiro campeonato, uma nostalgia numa única volta!

  3. Alfredinho says:

    A Red Bull tem que parar com essa mania que querer somente pilotos de sua “escola”. A equipe tem que aceitar o fato de que ela não é fábrica de campeões e que Vettel foi um ponto fora da curva.
    Ricciardo é bom piloto mas sempre foi inconstante e isso desde os tempos que esteve na Toro Rosso. E piloto inconstante não ganha campeonato. Verstappen ainda precisa amadurecer e isso leva tempo.
    Porque não contratar Alonso que está disponível no mercado e que conhece bem o motor Renault? Basta que se dobrem e aceitem a realidade. É uma chance de ouro que se apresenta para o ano que vem. Um piloto que, apesar do estrelismo, tem talento e técnica de sobra. E o piloto que sobrasse, seria colocado como terceiro piloto e nada se perderia.

    • moisesimoes says:

      – Quer dizer que Alonso conhece bem o motor Renault. Sei.
      Minha dúvida é saber se ele conhece bem o V10 ou o V8…
      Tem vaga pra um espanhol, mas só se ele tiver muita paciência: Carlos Sainz.

      E Ricciardo é tão inconstante que conseguiu chegar na frente dos melhores carros de 2017 em Spa. Inconstante em 44 voltas. Sei… Cinco ´pódios seguidos em 2017. O único não Mercedes/Ferrari a vencer nesse ano. Nas demais corridas que não houve quebra, chegou no máximo em 5º lugar como pior resultado em 2017. Inconstante? Conte-me mais sobre isso.

      • Alfredinho says:

        Contarei:
        Ricciardo chegou à frente de Kimi porque o mesmo foi severamente punido, e chegou à frente de Bottas porque o mesmo errou bisonhamente. E venceu umazinha este ano porque Vettel foi punido e Hamilton precisou acoplar o encosto do cockpit.
        Cinco pódios seguidos? Hamilton já teve 16 e Vettel, 11 por duas vezes.
        Inconstante, sim! Vettel foi vice no primeiro ano na Red Bull e campeão no segundo ano. Ricciardo está no seu quarto ano na equipe e o máximo que conseguiu foi ser terceiro no campeonato.
        E continuo dizendo que Alonso seria a melhor escolha para a Red Bull. Eu acredito e muito no talento nato do espanhol.

      • moisesimoes says:

        – Muito “graçado” você comparar pódios de Vettel e Hamilton com os pódios de Ricciardo, claramente este ano uma disputa bipolar entre Ferrari e Mercedes. Oh!
        Seja um pouco menos inteligente. Pódios de 2017 : Kimi tem 4. Ricciardo tem cinco até agora.

        Muito hilário dizer que Daniel não consegue ser melhor que o motor Mercedes de 2014 pra cá (apesar de que foi algumas vezes), ao comparar com o regulamento em que Vettel foi tetra pela RBR.
        Mas legal mesmo foi você dizer que Daniel consegui o MÁXIMO. Essa parte eu adorei, por que ele foi simplesmente o melhor do resto ficando apenas atrás de Rosberg, campeão, e Hamilton, vice, ano passado. Na frente de Vettel. Inconstante? E agora? Conte me mais, mas sem ser engraçado, por que não é.
        E faltou contar sobre o ‘conhecimento’ e contribuição do engenheiro e piloto espanhol sobre o Renault híbrido. Perca seu tempo. Tchau.

      • Luigi says:

        Conhecer bem o motor! Torcedor tem cada uma!
        Meu caro, quem conhece bem o motor, são os engenheiros responsáveis pelo seu projeto e manutenção, piloto só conhece o sistema de aceleração do motor (hoje em dia , eletrônico, não mais por cabo,como até o início dos anos 80,)e por melhor que seja o piloto,, não poderá fazer mais do que este motor permita, principalmente nos circuitos onde potência seja determinante. Mas por falar em motor, com Renault ele (Alonso) teria um ganho em relação ao Honda, de uns 30/35Hp mas estaria atrás em uns 15/20 em relação a Ferrari e uns 2o/25 em relação a ,Mercedes.,mas não deixaria de ser um ganho.para Alonso, mas dificilmente ele faria coisa melhor que Daniel Riccardo está fazendo.

    • Cesar says:

      Alonso só ajuda se tiver um carro campeão. Caso contrário a equipe anda para trás com a falta de espírito de equipe dele.

      • Luigi says:

        .Me mostre em toda história dos campeonatos de automobilismo um campeão que tenha sido,,sem ter o melhor ou um dos melhores carros do cá.peonato.
        Circunstancialme um carro não muito bom, pode ganhar alguma prova,mas todo um campeonato,eu acho muito difícil,se não; impossível.

  4. Antonio says:

    Massa parece que já sentiu a água batendo no pescoço e resolveu andar. Realmente foi uma bela prova, no limite da capacidade do carro. Poderia continuar se esforçando um pouco para tentar uma renovação no fim do ano, caso contrário … Olha o Alonso ai geeeeeeente.

  5. Jorge Oliveira says:

    As Ferraris hj, são tão boas quanto as Mercedes, dizer, como o Galvão Bueno, que as MB, são superiores, é coisa de quem não acompanha o campeonato. Obs: Dez voltas finais Hamilton segurou no braço, pois estava de pneus macios e o ferrarista de ultramacios. Mesmo assim o talento de Hamilton foi decisivo para manutenção da posição.

  6. Gabriel P. says:

    Por que ficar xingando e desmerecendo a equipe pelo rádio e publicamente??
    Choronso demonstra assim a canalhice que todos já conhecem.
    Se foi um erro ele ir para McLaren, erro pior cometeu a equipe ao contratá-lo.
    Max em sua arrogância vai pelo mesmo caminho.
    Fim de carreira na F1 para os 2 e que procurem outras “bandas” para correrem.

  7. WBJ says:

    Do jeito que azedou a relação entre o Verstappen e o Dietrich após este GP, não irá me surpreender se no final da temporada ele espirrar com o Kvyat da Toro Rosso (que não diz a que veio mais uma vez), rebaixar o holandês em seu lugar e colocar na Red Bull o Alonso.

  8. Brabham-5 says:

    Max Verstappen está recebendo o troco da realidade e da vida para as bobagens e a arrogância que mostrou ao criticar Vettel e outras idiotices.
    Está passando pelo mesmo que Vettel passou nos 2 últimos anos na RBR. Está andando atrás do colega de equipe – o mesmo Ricciardo – contando com uma sequência impressionante de má sorte por quebras e acidentes e vai terminar o campeonato bem atrás na pontuação em relação ao Ricciardo.
    A DIFERENÇA, CAROS FÃS DO VERSTAPPEN E DETRATORES DO VETTEL, É QUE O ALEMÃO JÁ TINHA 4 TÍTULOS DE F1 COM A MESMA RBR.
    Já o Max Verstappen apenas FALA MUITO. Um idiota veloz, zero humildade (embora muito talentoso). mas ainda muito longe do primeiro título.
    E vai ficar mais um ano atrás do Ricciardo.
    Sebastian Vettel manda um abraço.

    • Igor Dusse says:

      Neste ano o Ricciardo teve 3 azares.
      Um por causa do motor, outra por causa dos freios e a última vez foi porque o Verstappen deu uma de piloto da Force India, e retirou o companheiro nas primeiras curvas.

    • Gabriel P. says:

      Fala demais e faz de menos.
      É um “choronso” II a missão.
      Fim de linha,
      A tal promessa vai desaparecer e sem títulos.

    • moisesimoes says:

      – Ricciardo foi companheiro de Vettel apenas em 2014.
      Três abandonos pra cado lado. Resultado?

      Ricciardo 238 (Uma vitória)
      Bottas 186
      Vettel 167
      Melhor parar com o tema “briguinhas de detratores de fulano contra fãs de sicrano”. Vettel perdeu em 2014. Assim como o australiano perdeu pro russo em 2015 e Ricciardo derrotou Vettel novamente ano passado. Nada mais.

      • Paulo Pinto says:

        Perdendo ou ganhando, Vettel é tetracampeão e Ricciardo não é nada. E será nada se continuar nessa balada.

      • moisesimoes says:

        – É mesmo? “Ser nada” pode ser um anônimo teclando, não é? Uma vez a “balada ” mudando e Daniel tendo o melhor carro, assim como Vettel, o seu discurso simplista de que fulano é, e de que sicrano não é, muda rapidinho.
        Um chá de coerência pra você.

      • Paulo Pinto says:

        O melhor carro está nas mãos dos mercêdicos e o segundo melhor carro, nas mãos dos ferraristas. E essa situação não vai mudar tão cedo.

        Um piloto que herdou o carro de Vettel e até agora nem vice foi, é o quê?

  9. TARCISIO FRASCINO FONSECA says:

    Gostei da charge do Faleiros.
    Espero que o grupo Liberty não a veja.

  10. Elmo says:

    Vejo essas fotos do Mick Schumacher na Benneton de 1994 e o pensamento que não consigo tirar da cabeça é: “Será que a boca de entrada para a mangueira de combustível está adulterada até hoje, ou consertaram?”

  11. TARCISIO FRASCINO FONSECA says:

    O capacete diferente foi ação promocional da Martini & Rossi que patrocina a Williams.
    https://br.motorsport.com/f1/news/massa-capacete-especial-para-retorno-f1-941385/

  12. Wanderson Marçal says:

    Quem venceu o GP da Espanha em 2000, Flavio, foi o Hakkinen. O Schumi e o seu irmão nessa corrida levaram um passão duplo do Barrichello que com aquela manobra subiu ao pódio.

  13. rodrigo says:

    Flávio, sinceramente não entendo essas notas para pilotos do Ranking GP. Em Silverstone, Hamilton faz a pole (com 7 décimos para o companheiro), lidera todas as voltas, faz a melhor volta, iguala Jim Clark, ganha a corrida. e recebe nota 9.5! Em Spa, Hamilton iguala Schumacher em poles botando meio segundo no companheiro, lidera todas as voltas, ganha a corrida, segura Vetel com pneus mais rápidos enquanto o companheiro dele chega em 5, e ganha nota 9.5! O que o cara tem que fazer para levar um 10 de vocês?

  14. ags says:

    Esse Pig…só tá faltando ele dizer que é mais rapido do que o Costinha..(que o otimo comediante me perdoe..)..O Pig,, anda sem motivação..não sabe ao certo o que ele quer…
    Uma hr ele chora pra voltar pra Monte Carlo para brincar de velocipdes com o Pig Jr..
    Outra hr ele começa a falar que é mais rapido do que qq piloto na atualidade…
    E já manifestou habilidades para ir trabalhar com o Renato 171 Aragão,, pois até o Babão Bueiro da Grobo deu o seu aval..
    Pig..inventa uma outra piada…pega um voo errado e vá lavar suas fraldas geriatricas..plssssss..

  15. Bola da Vez says:

    Essa foi demais! Conseguiram fazer uma corrida chata num circuito emocionante.

  16. Pra mim a Force India deveria inventar que contratou o Alonso para o ano que vem e dizer pros dois gladiadores que quem vacilar estará´fora em 2018.

    Bem até que não seria uma má idéia (dane-se o corretor, acentuam-se os ditongos abertos tônicos, segundo meu professor Raul, há uns 20 anos atrás) a Force India contratar o Alonso. Eles já estão bem e o Alonso com certeza traria algum patrocinador com ele (o vermelho do Santander ia combinar com o rosa). A capacidade da Force India, o motor Mercedes, o dinheiro espanhol e a técnica Asturiana até que poderia dar um bom caldo

  17. Jani says:

    FG. Não tá aparecendo o gostamos é não gostamos pra mim.
    P.s. Senna quase matou Prost há uns 200 e pouco km/h..
    Torcendo por schumachers

  18. Daniel says:

    Corrida medíocre, fora a relargada vetel em momento algum ofereceu risco Lewis.
    Vamos parar com isso de ficar querendo agitar a corrida, porque foi fraca.

  19. PEDRO PAULO POZZOLINI says:

    Embaraçoso é um piloto da envergadura do Alonso ficar de mimimi no rádio reclamando do carro. Chora, chora e chora. Foi assim em sua primeira passagem na Mclarem. Falta de respeito com toda a equipe, Honda, etc. Deveria reclamar internamente. Ele corre com o que fez no passado e se acha mais do que realmente é. Em suma… é um chato de marca maior.

  20. Alfredo Aguiar says:

    Não penso que o vexame seja da Honda, que vem trabalhando duro para tentar entender essa unidade de potência complicada e desenvolvendo a bagaça corrida após corrida. A Renault vem de anos de vitórias da era Red Bull e ainda não entendeu direito o que fazer, no mais trocar Honda pelos motores franceses não deve fazer nenhuma diferença na McLaren.
    Agora vexame é um cara descer a lenha pelo rádio nos caras que preenchem o cheque dele, um cheque bem gordo por sinal e inventar uma quebra para não precisar fazer o trabalho que é pago milhões para fazer.
    Esse espanhol é o que de pior em caráter já se viu na F1.
    A Honda já deve ter deixado bem claro para a McLaren que não vai mais pagar o salário do enrolador na próxima temporada, até porque ele não acrescenta nada ao projeto, e agora o espanhol sujo resolveu fazer o que já fez outras vezes, jogar merda no prato que comeu e morder a mão que o alimentou. O que me deixa abismado é setores da imprensa não entenderem algo tão claro, parece os coxinhas comprando as mentiras dos togados.

    • Marcelo R. says:

      Desculpe, mas três anos e ainda quebrando é vexame sim.

      Outra coisa, que poucos explicaram. Os engenheiros estavam toda volta dizendo qual a distância pro carro atrás e falando pra frear 10, 20 metros aqui ou ali. Duvido que um piloto de qualquer categoria atura alguém no rádio dizendo o que fazer quando todos sabem que o problema é que o motor é muito fraco.

      Alonso foi ultrapassado por Hulk, Ocon e mais um que não lembro antes sequer de ser liberado o DRS !. Isso sim é uma vergonha. Quando liberaram então virou uma festa.

      O motor Renault quebra, claro que sim (pergunte ao Verstapen) !. Agora olha onde a RBR anda e onde a McLaren anda e veja se, mesmo sem confiabilidade, se não é melhor ter um Renault do que a bucha da Honda.

      Não acho falta de profissionalismo dele, acho falta de competência dos japas e isso é uma relação comercial. Alguém paga porque se interessou, no caso a Honda e não adianta dizer que não sabia do desafio, tanto da exigência de engenharia quanto de Alonso.

      • Alexandre says:

        Concordo contigo.

      • Alfredo Aguiar says:

        Você tem razão. Não é falta de profissionalismo. É falta de caráter mesmo.
        A Renault vem de anos a fio de vitórias com a Red Bull, a Honda voltou ontem para a F1. A McLaren não tem ajudado em nada a não ser ecoar o chororô do espanete com aquele Boulier que não entende nada de F1 e só sabe fazer política.
        Se a Honda sabia o que estava assinando, Alonso idem. Existem centenas de funcionários na fábrica trabalhando duro para tentar encontrar o caminho e um estrelão jogando merda no ventilador. Talvez seja o meu tempo fora do Brasil que tenha me ensinado a deixar de ser imediatista e trabalhar em equipe e principalmente respeitar os outros membros do time não importando a posição de cada um.

      • moisesimoes says:

        – Ambos os argumentos de vocês são pertinentes. A Honda de um lado, onde está um trabalho de um monte de gente que deve ser respeitado, mesmo sendo as promessas de melhoria não levadas tão a sério. Do outro, está uma equipe tão importante e tradicional, não só na F1 mas no automobilismo mundial, que dispensa apresentações. E no meio de tudo isso, pensando na carreira, na futuro, levando em conta as decisões que tem tomado, está Alonso, que também dispensa apresentações.

        Erra a Honda por não conseguir executar o desenvolvimento necessário para a complexidade de um motor V6 hibrido e em ser conivente por não dispensar o espanhol logo depois do episódio ” GP2 engine” em pleno Japão – um desrespeito enorme;
        Erra a McLaren onde não não foi realista com o projeto e as pretensões japonesas, e muito menos teve pulso pra domar o espanhol;
        Erra Alonso por que acha que é o termômetro e porta-voz da McLaren e por parecer não entender a complexidade da situação com pensamento imediatista que tem desde 2015! Alonso nao soube recomeçar como fez Shumacher, Button e Kimi Raikkonen. Aliás, nunca ouvi Shumacher dizer que o motor da Mercedes era de Kart. Ou o carro não passa de um destruidor de pneus. Ou desdenhar da equipe em público. Se não sabe fazer, não atrapalha. Ou vai lá e tente fazer você mesmo.

        A situação chegou ao momento em que todos eles comentem o mesmo erro. Querem o passado de glória, (na verdade não o passado recente) mas não tomam decisões necessárias pra mudar. Pra tentar algo novo.

        Então se eu fosse a Honda, pra ontem, já teria fechado com outra equipe, ou mesmo encerrava com a McLaren ou com a F1.
        A McLaren, se tem moral mesmo, encerrava com a Honda e já tava desenvolvendo o carro do ano que vem com outro fornecedor,
        E Alonso, que não é e nunca será maior que a Honda ou a própria McLaren, já teria decidido o seu futuro depois da Indy500, saindo da F1 ou botando o rabinho entre as penas e correr lá na Williams pra ensinar o novato como se bebe uma bebida. No melhor estilo meme, que vem fazendo e muito bem por sinal, aproveitando o seu alto valor no “mercadinho”. Ele está rico. Portanto, “agrega valor”.

        http://grandepremio.uol.com.br/f1/noticias/alonso-preve-definicao-sobre-futuro-em-duas-ou-tres-semanas-e-diz-meu-valor-de-mercado-nunca-foi-tao-alto-como-agora

      • Anderson_SP says:

        A Red Bull anda lá na frente pois o carro em si é muito bom, mas onde anda a Renault e a Toro Rosso ? pra andar lá na frente a McLaren teria que fazer um carro no mínimo igual a Red Bull, que convenhamos é muito difícil, fora que ainda não seria um carro para ganhar campeonato, essa corrida em SPA já mostrou que a unidade da Mercedes é suprema, a Ferrari não chega perto, a Renault então nem ensaia chegar, o Alonso é tóxico a equipe e até a Renault fechou as portas pra ele, é melhor ele ir procurar outra categoria para correr.

    • Segafredo says:

      Concordo contigo Alfredo, o que mais se vê por aí nos blog são coxinhas acreditando em merda! E vc pra mim já virou empadão………..

      • Paulo Pinto says:

        Schumacher conquistou seu sétimo título com 35 anos. Alonso tem 36 anos e continua com dois títulos, e este ano já foi para o vinagre.
        Com as três grandes equipes completas (alguém acha que Bottas não continuará na Mercedes?), sobram as equipes do meio do pelotão para o espanhol esbanjar o seu propalado valor.
        A situação é bastante desfavorável para o “Príncipe das Lamúrias”: ou fica na “McLata” ou vai para a Indy.

        Torço para que fique na F-1. É diversão certa!

    • Gabriel P. says:

      Exato, age como um canalha.
      Toda uma equipe se esforçando e ele, o que faz?
      Elogia o trabalho e incentiva.?
      Não.
      Despreza e arrasa o trabalho de todos.
      Quem quer alguém assim numa equipe ????

  21. J Alves says:

    Opa, probleminha com o post, alguma coisa foi comida no começo:

    “Escolhi a foto acima como a mais representativa do fim de semana em Spa, porque achei realmente emocionante ver aquele carro de 1994 nas mãos do menino que pode dar s

    Talvez eu não tenha elogiado o suficiente as últimas dez voltas do GP da Bélgica, Hamilton e Vettel andando em ritmo de classificação sem que um errinho sequer fosse cometido, por um ou por outro.”

  22. Pdr Rms says:

    Engraçado que, diferente das opiniões em geral e até da declaração do próprio piloto, eu fiquei com a impressão de que o erro maior foi do Ocon (não estou contestando até pq o próprio Perez já admitiu o erro). O Perez fechou sim mas ainda tinha direito a uma mudança de trajetória e o Ocon não tinha colocado metade do carro (como a própria foto mostra). O correto seria o Ocon ter freado quando foi espremido.

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *