MENU

quinta-feira, 27 de dezembro de 2018 - 18:04DKW & cia.

FINAL TRISTE

lizziRIO (máximo respeito) – Em maio deste ano, postei aqui um vídeo do argentino Orlando Raúl Lizzi, que aos 103 anos ainda acelerava seu DKW na Argentina em competições de carros antigos.

Pois recebo do Jason Vôngoli a triste notícia de que na semana passada ele cometeu suicídio na cidade de Arrecifes, onde vivia. Segundo informações publicadas pela imprensa argentina, Lizzi estava deprimido porque nos últimos meses problemas de saúde o impediam de dirigir.

Ficam aqui todas as nossas homenagens.

6 comentários

  1. Ulisses disse:

    Não discuto decisões desse porte com alguém de 100 anos de idade, e que aparentava estar absolutamente lúcido.
    E que cara bacana devia ser ele … !!!

  2. Alexandre disse:

    Entendo essa escolha dele. Com 103 anos vc fica atemporal. Fora de sua época. Seus amigos já morreram e às vezes até seus filhos se foram antes de vc como ocorreu com Oscar Niemaier que enterrou a filha de 84 anos. Vc começa a subverter a ordem da vida. Viver é sofrer. Infelizmente. Mas acho que ele aproveitou bem se isso serve de consolo. Sds.

    • Mika disse:

      Meu amigo suas palavras me fizeram refletir muito, enxerguei com outros olhos o ato que ele cometeu!
      Jamais irei julgar alguém, mas realmente suas palavras me mostraram digamos o outro lado da moeda que eu não tinha visto ainda!
      Muito obrigado!
      Abraços!

  3. Pablo Munoz disse:

    No fundo consigo entender o desfecho escolhido. No fundo mais triste é viver, depois de mais de um século de vida, sem ganas. E, sem poder dirigir.

  4. Amaral disse:

    Com mais de um século de vida, lúcido, ativo e que fazia o que amava? Só isso seria digno de capa em qualquer jornal do mundo.
    Mas é triste ele ter atentado contra a própria vida. O que nos traz um alerta.
    Depressão não dá só em gente nova. Pode ser em qualquer idade. Atenção como tratamos os mais velhos, principalmente a aqueles que de alguma maneira estão próximos a nós. E também atentar a mudanças de comportamento.
    Isso me fez lembrar meu sogro, que já tem mais de 80 anos, e ainda dirige sua Parati. Não vai mais pra longe, mas vai. Tirá-lo do volante? Só se ele realmente querer por vontade própria ou se ele claramente não demonstrar mais condições físicas ou mentais para tal, e o prazer se demonstrar um risco. De resto, a gente deixa ele curtir esses momentos. São inestimáveis.

  5. Ricardo Bigliazzi disse:

    Bem triste, que a Família fique bem .

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *