DESAFIO DO DIA

Tudo que sabemos é que se chamava Falcão. Espero que vocês descubram algo!

desafiofacao (2)

 

Comentários

  • Esse é o Falcon! Carro feito no Rio de Janeiro – em Cascadura, se não me engano – e, que foi concorrente do Bugre M150. Tinha a proposta de ser um esportivo barato e espartano, acessível aos que gostavam dos Puma VW e, ainda não tinham grana para comprar um. sua característica mais relevante era o uso dos chassis de VW a ar, sem corte. Por isso, era baixo e longo. O Bugre M150, por ser mais bonito, fez algum sucesso, mas o Falcon, desapareceu, lá pelo inicio dos anos 80. Há um “teste comparativo” publicado em uma edição da revista Autoesporte, onde fotografaram um um Falcon na cor prata e, um Bugre M150, na cor preta. Só não lembro do número da edição…

  • Cheguei a andar em um destes carros e não eram bugs porque pesavam muito sendo péssimos na areia além baixos nem carro esporte dada o design e a falta de desempenho. O acabamento era rustico como bug. Imagino que quiseram fazer um bug mais confortável e esqueceram as demais características necessárias.

  • Flavio,

    Há dois anos fotografei um carro de fibra aqui em Recife, mas na época não descobri do que se tratava. Ao ver seu post não tive dúvidas, era um Falcão! A carroceria é idêntica a esse dos seu post, porém não está com essa cobertura.

    Te enviei as fotos por email.

    • Caramba, é capaz de ter sido de meu tio-padrinho. ele era um dos poucos daqui do Recife que tinha um falcão (até hoje é fã de carros de fibra, teve puma, mp lafer, buggys diversos que eu, como afilhado, aproveitei devidamente na minha juventude – ele tinha vários, e nós sobrinhos, todos na faixa dos 18 a 25 anos, fazíamos a festa, teve fim de semana que ele emprestou vários dos carros de uma vez pra nós. meu preferido era uma puma branca conversível 1978, andei pouco no falcão).

      nunca vi nenhum outro falcão além do dele aqui em recife. era vermelho bem berrante, rodas gaúchas, bem espartano mesmo. mas o dele tinha kit, o motor era 1.8 e andava direitinho.

      cordiais saudações

      Ricardo
      Recife.