MENU

Friday, 27 de September de 2019 - 17:57F-1

LADA É VIDA (1): VEM ÁGUA

Verstappinho: melhor do dia no seco, mas deve chover amanhã

RIO (vai começar) – Falarei pouco sobre o primeiro dia de treinos em Sochi porque, a julgar pelas declarações — e esperanças — de muitos pilotos, chove amanhã. E, se chover, nada do que aconteceu hoje na pista faz muito sentido para analisar o que será a classificação.

A corrida, no entanto, dá para desenhar a partir dos resultados no seco. Viu-se uma Red Bull forte com Verstappen e seu novo motor Honda. Viu-se uma Ferrari consistente com Lec-Lec (menos, com Vettel). E viu-se uma Mercedes perdidinha da silva.

Agora as notícias do dia, por ordem de relevância — da menor para a maior:

  • Kvyat quer usar um capacete com pintura especial para correr em casa, mas o regulamento só permite uma troca de desenho por ano. E ele já usou um casco diferente em Monza, já que a Toro Rosso é italiana.
  • A regra, claro, é uma estupidez danada. Faz tempo que ninguém reconhece piloto pelo capacete, e eles ficam escondidos debaixo do Halo e afundados nos cockpits cada vez mais largos e altos.
  • A FIA restringe as trocas em nome, justamente, desse “reconhecimento” por parte do público. Foi-se o tempo, porém, em que realmente a cor do capacete era uma “assinatura” do piloto. Hoje as pinturas são feitas muito em função dos patrocinadores das equipes e dos pilotos. Responda rápido: qual o capacete mais identificável dos 20 rapazes que estão hoje na F-1? Nenhum.
  • Outro teste: desenhe três capacetes usados na atual temporada. Depois, tente desenhar mais três, digamos, dos anos 90. Conseguiu lembrar de algum atual? Agora, se voltar uns 30 anos no tempo, vai ser fácil lembrar dos capacetes de Senna, Prost, Mansell, Piquet, Patrese, Berger, Alboreto, Schumacher, Irvine, Barrichello, Christian… A lista é infinita.
  • Resumindo, se a FIA punir Kvyat com alguma multa pecuniária por uso do terceiro desenho diferente de capacete no ano, vai passar vergonha.
  • A McLaren está flertando com a Mercedes para voltar a usar seus motores a partir de 2021.
  • O recente casamento com a Renault não é exatamente um mar de rosas. Não que haja conflitos ou reclamações. Apenas é sem graça.
  • A McLaren usou motores Mercedes de 1995 a 2014. Nesse período, foram 78 vitórias, 76 pole e os títulos mundiais de 1998 e 1999 (Hakkinen) e 2008 (Hamilton).

10 comentários

  1. Fernando says:

    Bem, é preciso decidir, ou se concorda que a pintura do capacete não deve mudar porque é “identidade” do piloto – com o que concordo -, ou se reclama só porque um russo não pode mudar o capacete na corrida russa por causa das regras, o que significa concordar com a zona de se mudar toda hora o grafismo do capacete, uma régua só por favor.

  2. André Fonseca says:

    Atuais, lembro do capacete dos campeões, Vettel e Hamilton, que hj possuem a cor branca com o cavalinho da Ferrari e as cores da bandeira alemã descentralizada para o Vettel e do branco brilhante com o rosto de um felino, com a parte traseira nas cores do Senna, com o Cristo Redentor e a inscrição “Still I Rise” do Hamilton…

    Sobre Mercedes e Mclaren, só digo uma coisa: PICARETONSO deve tá se roendo de ódio!!!

    HUAHUAHUAHUAHUA

    Pegou motores de mentira (GP2 engine) e regulamentos de mentira (WEC)!!!

    HUAHUAHAUHAUHAUHUA

  3. Ed says:

    Será que a Mercedes vai querer ser fornecedora de um possível adversário?

  4. Tiago Oliveira says:

    Só o vettel mesmo que tem um capacete simples e bonito, até o hamilton que tinha um casco maneiro virou algo indistinto.
    O Hulkenberg é um dos poucos que ficou mais simples e legal.
    A minha memória o primeirp piloto a trazer essas pinturas inspiradas por pilotos da Moto GP, com manchas que mais parecem grafismos de jet ski dos anos 90 foi o Raikkonnen.

  5. David says:

    Até agora no seco Ferrari e RBR se mostraram plenamente capazes de desafiar a Mercedez numa pista onde só esta última venceu desde 2014. Particularmente queria um treino e corrida sem chuva! Assim ratificaria a grande evolução de RBR e principalmente Ferrari. Poxa o Leclerc realmente é um cara que dá gosto de assistir não só pelo talento como também pela pessoa que ele é!

  6. Alfredo Aguiar says:

    “O recente casamento com a Renault não é exatamente um mar de rosas. Não que haja conflitos ou reclamações. Apenas é sem graça.”
    Tipo: O sujeito acaba de separar-se e já sai correndo pro altar com a primeira outra que vê pela frente, depois da empolgação, descobre que aquela namoradinha da adolescência é que dava liga, rsrsrs
    Esse casamento McLaren/Mercedes é realmente possível? Não ficaria a Mercedes com muitos clientes? Ou dançaria a Force Point India, já que a Williams estendeu a parceria até a eternidade? Alias nesse namoro, já contaram pra outra parte que existe uma relação? A McLaren tem meio que essas coisa de agir de modo estabanado.

    • Renato F1/FE Mercedes says:

      A Mercedes-Benz já afirmou que pode fornecer motores para quatro equipes ao mesmo tempo: a própria equipe Mercedes, a Racing Point (antiga Force India), a Williams e a Manor. Como esta última deixou de existir, a McLaren pode receber o motor como quarta cliente da Mercedes-Benz.

  7. Allan da Cunha Luz says:

    Quanto aos capacetes, concordo contigo, hoje eles estão cada vez mais feios, poluídos, sem graça, gosto de linhas retas, como os da década de 80 e 90, onde identificavamos facilmente os pilotos.

  8. Victor says:

    A questão é a Mercedes repassar o motor “atualizado” para as outras equipes… :(

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *