MENU

sábado, 7 de setembro de 2019 - 14:34F-1

MONZEANAS (2): PASTELÃO ITALIANO

RIO (mas foi divertido) – A sequência de fotos acima ilustra o que aconteceu na classificação para o GP da Itália, agora há pouco em Monza. Na verdade, mostra o último capítulo da comédia em que se transformou o Q3. Da esquerda para a direita, a cambada chegando à Parabólica com o cronômetro quase zerado; Sainz e Leclerc passam antes das luzes vermelhas e os outros sete não conseguem abrir volta; Charlinho, com o tempo que já tinha da primeira tentativa, garante a pole; quando chega ao Parque Fechado para comemorar, fica sabendo que a direção de prova tinha decidido investigar todo mundo.

Tudo corria mais ou menos dentro da normalidade na sessão que definiria o grid da última corrida europeia da temporada. Depois da primeira saída da turma do Q3, Leclerc virou 1min19s307 e se colocou em primeiro, com Hamilton, Bottas e Vettel na sequência. Em tese, pelo que haviam combinado os pilotos da Ferrari, na segunda tentativa Leclerc sairia na frente para dar o vácuo para Vettel. Na primeira saída, foi o inverso. Quando Charlinho fez seu tempo, tinha à frente Vettel e os dois carros da Renault. Aproveitou muito bem o vácuo que, em Monza, é essencial: ganha-se meio segundo na volta quando se está atrás de alguém.

Mas aí Raikkonen bateu e causou uma bandeira vermelha — impedindo alguns pilotos de fecharem suas voltas, como Albon e Stroll. Bottas passou no limite, chegou a ser investigado, mas a direção de prova informou que ele fechou a volta antes de a equipe ter sido comunicada eletronicamente da bandeira vermelha — embora ela, a bandeira, já estivesse visível na pista antes de o finlandês passar pela linha de chegada.

Quando a pista foi liberada, ficou todo mundo nos boxes esperando alguém sair para encarar o vento (sequência abaixo) na segunda tentativa. Ninguém queria ser o primeiro a ir para a pista justamente pela necessidade de andar no vácuo de outro carro para conseguir uma volta boa.

Com o tempo no limite, sob o risco de ninguém abrir volta rápida antes da quadriculada, Hülkenberg saiu e puxou a fila. Faltavam menos de dois minutos para o fim do Q3. A galera veio atrás. Mas quando chegou na primeira chicane, o alemão da Renault, espertinho, saiu da pista pela área de escape para deixar os outros passarem. Stroll era quem vinha logo atrás.

Ninguém passou. Todos tiraram o pé reduzindo a velocidade a quase nada, para deixar o carro da Renault de novo à frente da procissão. E o tempo passando. Hulk voltou à pista, mas aí o que se viu foi uma confusão danada. Uns aceleraram, outros diminuíram, e quando o grupo chegou perto da Parabólica, o cronômetro estava quase zerado. Só Sainz e Leclerc passaram pela linha antes das luzes vermelhas. O resto ficou chupando o dedo.

E de nada adiantou para os dois únicos que puderam abrir volta. O espanhol da McLaren — que chamou a situação de “ridícula” — não tinha ninguém à frente para pegar o vácuo e não mudou sua posição. Charles já tinha o primeiro lugar garantido e tirou o pé. Assim, comemorou sua quarta pole no ano, segunda seguida.

Mas não sem críticas. As maiores, de Vettel.

Leclerc, de fato, saiu dos boxes na frente de Vettel como havia sido acordado pelo time. Mas na redução de velocidade da primeira chicane, quase parou o carro. Sebastian não teve outra alternativa e passou. Só no fim da volta Charlinho se colocou à frente do companheiro, mas aí não havia mais tempo de abrir volta. Ele pode argumentar que cumpriu o combinado. Mas, digamos, o fez um pouquinho em cima da hora. Há um vídeo circulando com os áudios da equipe insistentemente pedindo para que ele passasse Vettel e puxasse o companheiro. Charles ignorou olimpicamente a orientação. De santo não tem nada.

“Ele deveria ficar na minha frente o tempo todo. É algo que temos de discutir internamente. Fiz minha primeira volta sem ninguém na frente, sem vácuo. Eu deveria estar atrás na segunda”, queixou-se Vettel. “Com o vácuo, talvez fizesse a pole.” Seu tempo na primeira saída foi 0s150 pior que o do companheiro.

“Eu realmente deveria estar na frente de Seb”, explicou Leclerc. “Mas ele me passou naquela confusão da primeira curva e só quando a gente chegou do outro lado da pista a equipe me falou para ultrapassá-lo. Só que aí não houve tempo para mais nada.”

Se não dá para afirmar com 100% de certeza que o monegasco fez tudo de caso pensado, os tais áudios indicam que sim. Ele jura que não, mas só se defendeu quando acusado por Hamilton, segundo no grid, de “matar” a segunda tentativa do Q3, atrasando todo mundo. “Não foi nada intencional”, falou o ferrarista, evitando comentar as queixas do companheiro de equipe. “Só vão mudar as regras quando alguém bater feio. O que aconteceu foi muito perigoso”, rebateu o líder do Mundial.

Mas Hamilton pode ter dirigido sua artilharia para o alvo errado, mesmo. Se alguém tinha de reclamar de Leclerc era Vettel, não ele. Hülkenberg, Sainz e Stroll foram os primeiros que tiraram o pé, atrasando o resto. Os comissários abriram investigação contra os três por reduzirem a velocidade de forma exagerada. Vettel também correu o risco de perder seu tempo de volta porque chegou a sair da pista com as quatro rodas na Parabólica em sua primeira tentativa. A direção de prova, porém, o inocentou porque as imagens não eram conclusivas para determinar que ele tirou vantagem de eventual irregularidade.

ita192

O pastelão do Q3 pode ter ser encarado como um anticlímax, mas acabou sendo legal porque nessas horas a polêmica toma conta do paddock. “Nunca vi isso na vida, parecia coisa de categorias de base”, resmungou Toto Wolff. “Todo mundo fez papel de idiota. Isso não é Fórmula 1″, completou o chefe da Mercedes.

Christian Horner jogou a culpa toda em Hülkenberg. “Foi ele que cortou a chicane, não?”, perguntou. Foi, mas neste caso os comissários esportivos o absolveram, alegando ser impossível determinar se o alemão o fez de forma deliberada. Analisaram sua telemetria e concluíram que estava numa velocidade igual à da volta anterior e em terceira marcha. Hulk se explicou dizendo que se atrapalhou com os carros atrás e passou direto para evitar um eventual acidente. Colou.

A Red Bull de Horner, porém, não perdeu muita coisa. Verstappinho trocou tudo que podia no motor e terá de largar na última fila de qualquer maneira. Projeta um quinto lugar na corrida. Albon, sim, que se qualificou ao Q3, acabou não tendo chance de fazer tempo. Na primeira saída, pela bandeira vermelha. Na segunda, por não conseguir abrir a volta. Larga em nono.

Ferrari e Mercedes dividem as duas primeiras filas com Leclerc, Hamilton, Bottas e Vettel. A Renault foi a surpresa do dia com Ricciardo e Hülkenberg em quinto e sexto. Sainz Jr., Albon, Stroll e Raikkonen fecharam o top-10. Daí para trás, nenhuma grande novidade. Giovinazzi, Magnussen, Kvyat, Norris e Gasly foram os degolados no Q2. No Q1, ficaram Grosjean, Pérez, Russell, Kubica e Verstappen.

Há uma boa possibilidade de chuva amanhã, de acordo com os serviços meteorológicos locais. Seja como for, pode-se esperar uma largada bem agressiva de alguns pilotos que estão razoavelmente putos com o que aconteceu hoje — a saber, Vettel e Hamilton. A primeira chicane é aquela balbúrdia que todos conhecem. Freios e pneus frios, neguinho tentando ganhar alguns metros, a turma de trás chegando embalada, receita perfeita para pancadas, toques e refregas de todos os gêneros.

Acho que teremos um GP da Itália dos mais interessantes.

29 comentários

  1. Bola da Vez disse:

    A f1 precisa mudar. É muita frescura pra pouca emoção. Assim não dá!

  2. lagerbeer disse:

    Tem o dna dos grandes …. tem e deve ser ardiloso de vez em quando …. todos foram em algum grau

  3. Paulo Rickli disse:

    Leclerc malandrinho e dissimulado !

  4. Fernando disse:

    Este treino no principio. “Se eu näo consigo, ELE NÃO”

    Em monza, no seco, espetaculo seria melhor caso não tivesse asa movel. Evitaria algumas ultrapassagens muito faceis ja ocorridas na belgica. Mas se chover …

  5. Gabriel P. disse:

    Afinal….?
    Uma hora dizem que ter um carro na frente durante a corrida causa turbulência e prejudica a dirigibilidade.
    Agora dizem que é bom porque causa vácuo.
    Afinal…..
    É bom ou ruim ????

  6. Clayton Araujo disse:

    E o Max não passará ileso da primeira chicane. E a Ferrari vai ganhar essa. E espero que chova. Eu quero ver bagunça. Kkk

  7. CRSJ disse:

    Leclerc que se cuide na primeira curva que o Hamilton está mordido por não ter tido a chance de conseguir a Pole naquele engarrafamento.
    Verstappen pode dar um Show largando lá atrás, vamos ver.

  8. Jonny'O disse:

    Achei bem feito pra FIA, toda palhaçada só aconteceu por causa do ridículo sistema de qualy , deveriam investigar a sanidade do criador destes Qs todos .

    Monza pela sua peculiaridade poderia ter uma qualy estilo indy500 , dentro dos 60 minutos cada carro sai sozinho e faz 2 voltas , pronto, acaba o chororó!

  9. Guto disse:

    E eu que não via o treino de classificação há uns dois anos.
    Resolvi ver hoje. Dei sorte dessa vez!
    E que sorte….

    Quero ver o circo pegar fogo!

  10. Ferrarista disse:

    Charlinho fazendo charminho.

  11. Leonardo disse:

    quando a pista foi liberada todos tinham mais de 6 minutos pra fazer seus tempos… seus vácuos… deixaram pra sair com menos de 2 minutos… culpa deles mesmos.

  12. Fernando disse:

    Pensando aqui em como Hulk eve coragem de dar uma desculpa tão esfarrapada. Pior ainda, como os comissários compraram a desculpa. Hulkenberg quis dar uma de malandro e nem ele conseguiu abrir volta.

  13. Mistral disse:

    Alguém se lembra do café a vácuo? O bicho era mais caro do que o café dito “normal” e ninguém conseguia explicar convincentemente o por quê.
    Aí está. Vejam como o vácuo se tornou importante. E será que é mesmo?
    No mais, segue o baile. A Ferrari é a campeã de sacripandices com segundos pilotos. Leclerc, este ano, foi vítima de algumas delas.
    Monza é uma pista diferenciada e este ano foram inventar este tal de vácuo, outrora não tão importante.
    Resultado: ficou parecendo perseguição de ciclismo.
    Vão correr e tomar seus cafés sem vácuo, caramba!

  14. Mistral disse:

    Alguém se lembra do café a vácuo? O bicho era mais caro do que o café dito “normal” e ninguém conseguia explicar convincentemente o por quê.
    Aí está. Vejam como o vácuo é importante…
    No mais, segue o baile. A Ferrari é a campeã de sacripandices com segundos pilotos. Leclerc, este ano, foi vítima de alguns deles.
    Monza é uma pista diferenciada e este ano foram inventar este tal de vácuo, outrora não tão importante.
    Resultado: ficou parecendo perseguição de ciclismo.
    Vão correr e tomar seus cafés sem vácuo, caramba!

  15. Raul disse:

    Todos com culpa no cartório. Quiseram bancar os espertos e se f…

  16. Enasc disse:

    Ninguém tem que reclamar de nada. Um esperou pelo outro. Lamentável para o público.

  17. Dênis lima disse:

    Na boa criticar o leclerc não faz o menor sentido se qdo o cronômetro zerou ele conseguiu abrir sua volta se o Vettel tivesse próximo ao invés de chorar teria abrido sua volta tbm

  18. EGARLET disse:

    Vettel foi bonzinho com LECLERC na corrida passada. Foi bonzinho puxando o FrancÊs para a pole (0,5 s de ganho por volta). MAs na hora da devolução da gentileza o “Francês” (Vamo parar com esse negócio de Mônaco, pois esse é sobrenome da nobreza francesa, nutelinha mesmo o garoto), deu uma furadinha de olho. Agra se queimou com o Vettel. Amizade acabou vai vendo.

  19. regis disse:

    parecia F3…tb com um monte de moleques, vai querer o que????

  20. Henrique disse:

    E mais uma vez no mundo, áudios polêmicos fazendo história. Glenn está fazendo escola.

  21. Carlos disse:

    Ou dos mais arriscados. A conferir…

  22. Alfredo Aguiar disse:

    Monza. A Ferrari em festa e o monagesco vindo da ultima e única vitória Ferrarista do ano. Já se acha estrela e claramente sacaneou o cara que lhe deu a vitória em Spa.
    Resta saber o que o time vai fazer, internamente.
    Até hoje nunca soube se a saída do Arrivabene foi uma vitória ou derrota de Vettel. e acredito que essa equação seja determinante no que vai ocorrer na garagem vermelha.
    O faveladinho de Mônaco só esqueceu que a corrida ainda é amanhã e entre largar em primeiro e chegar na frente pode depender do outro carro novamente.

  23. Rafael Rego BH disse:

    Eu não vi tanto problema no que o Leclerc fez… Quando a mensagem era “margem zero” ele acelerou num bom ritmo. Ele tirou o pé antes da parabolica, mas o cara naquele momento tinha dito “margem de 1s”. Tinha uma gordurinha. Acho que foi uma cagada generalizada, não da pra botar tudo nas costas do Charles.

  24. perna quebrada disse:

    Charlinho em dia de Senna…

    Ele não ia perder a oportunidade de ser pole em Monza na frente da torcida da Ferrrari.

  25. Flavio padilha disse:

    Saudações!!! criticar os melhores do mundo por um vexame jamais visto, só me resta esperar a corrida…Go! Hamilton…abs

  26. WESLEY ANDRADE disse:

    Eu ri da lambança na hora. E acho que Vettel e Hamilton vão se vingar do Leclerc (que não cumpriu com o acordo).

  27. J. Fernando disse:

    Minha esposa, curiosa: “por que você está rindo de corrida de F1?”. Eu esclareci que não era corrida, era treino e que os pilotos fizeram uma lambança hilária.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>