MENU

terça-feira, 29 de outubro de 2019 - 19:24F-1

SOBRE DOMINGO À TARDE

Mais uma: num GP em que a Mercedes era a terceira força, Hamilton brilhou de novo

RIO (serei breve) – A Mercedes achava que o GP do México seria um dos piores da temporada para a equipe. Saiu com uma vitória e um terceiro lugar. Mais uma vez, seus adversários entregaram a corrida de bandeja, especialmente a Red Bull — leia-se Verstappen. Não fosse sua arrogância no sábado, ao encher a boca para dizer que não tirou mesmo o pé quando viu Bottas batido, teria largado na pole. E venceria, provavelmente. Aprendeu mais uma. E vá reclamar na cama que é lugar quente.

Hamilton foi o nome da prova porque mesmo com o carro avariado pelo toque do mesmo Verstappinho na primeira volta, soube administrar seus pneus duros por 47 voltas. “A gente tinha de arriscar alguma coisa”, explicou Toto Wolff. O que nos leva à…

FRASE DE HERMANOS RODRÍGUEZ

Binotto: arrisca que dá

“Eles fizeram uma aposta e deu certo. Mas esse tipo de risco assume quem está atrás, não quem está na frente. Estávamos na primeira fila e não podíamos arriscar.”

Mattia Binotto, chefe da Ferrari, que se arriscasse alguma coisa talvez conseguisse vencer a prova

O público no México foi mais uma vez espetacular, com os organizadores contabilizando nada menos do que 345 mil almas no autódromo nos três dias do GP. Os esforços da Liberty na América do Norte são intensos. Amanhã, Verstappen, Bottas e Ricciardo estarão acelerando seus carros nas ruas de Los Angeles, para promover a prova de domingo. Ano passado, o festival aconteceu em Chicago. 

E vai ter F-1 na rua no Brasil, também. Será no dia 9 de novembro em São Paulo, na região do Ibirapuera. Mas, como tudo por aqui, tiveram de arrumar um jeito de enfiar Ayrton Senna na parada. É uma ação da Heineken que vai render milhões ao instituto que leva o nome do piloto e atua de maneira, hum, difusa na área educacional. Criaram uma hashtag qualquer e a cada postagem do distinto público com a dita cuja o instituto leva cinco mangos. Segundo os promotores, é para celebrar o que chamam de “25 anos do legado” de Senna. 

Legado. Sei.

O fato é que o homem segue sendo uma fábrica de dinheiro, 25 anos depois de sua morte.

O NÚMERO DO MÉXICO

…vitórias atingiu a Mercedes domingo, sendo nove delas na Antiguidade da F-1 (entre 1954 e 1955) e 91 na era Moderna, a partir de 2010. Foi também o centésimo pódio de Hamilton pelo time alemão, que ele defende desde 2013.

Hamilton precisa de quatro pontinhos para conquistar o hexacampeonato, mas as duas próximas corridas serão difíceis para ele. Porque acontecem em territórios, digamos, hostis às boas relações humanas. Foi a leitura do nosso brilhante cartunista oficial Marcelo Masili. 

Dispensamos comentários de bolsominions.

Seguindo, vale registrar o mau-humor de Vettel depois da corrida. Ele reclamou dos troféus — que ostentavam a estrela da marca de cerveja que patrocinou o GP, a mesma Heineken — e deu um chega-pra-lá nesse cabra aí embaixo, que quis tirar selfie com os pilotos no pódio. 

O cara de capacete tentou aparecer o tempo todo, mas Vettel não curtiu muito

E vamos terminando com nosso tradicional…

Pérez: bom 7º

GOSTAMOS Do sétimo lugar de Sergio Pérez >>>, que largou em 11º e conseguiu sua melhor posição correndo em casa. Foi valente a corrida toda, especialmente na briga com Ricciardo. Mereceu o resultado.

McLaren: zerou

NÃO GOSTAMOSDa <<< McLaren, que zerou pela quinta vez no ano, depois de quatro provas seguidas nos pontos. Foi bem na classificação, mas mal na corrida. Sainz disse que os pneus duros não funcionaram. E Norris teve um problema no pit stop que acabou com sua prova.

4 comentários

  1. CRSJ disse:

    O Hamilton acabou ganhando de forma absoluta mesmo com um pit stop, e com os pneus limitados próximo do final, só falta mesmo o carimbo do Hexa.
    Se faltava a centésima vitória pra Mercedes, já não falta mais!
    Pódio mais bacana da história da F-1 até aqui, o vencedor junto de seu carro, e foi logo com o Hamilton na centésima vitória da Mercedes!
    Gostamos: Pro Sergio Pérez que foi sétimo ficar completo em casa, fica faltando pra ele ao menos um pódio.
    Não Gostamos: Pra McLaren foi um festival de erros, assim como algumas outras equipes também.

  2. Bola da Vez disse:

    O cara do capacete branco pertence à Academia Brasileira de Letras?

  3. Amaral disse:

    Leitura perfeita do panorama atual. Mais uma vez o cartunista roubou a cena.
    Quero ver o Hamilton no Brasil, ele se colocando numa postura mais ativista num momento em que alguns consideram que ativistas só falam bobagem e não são bem vindos…

  4. Edison Jr disse:

    Mercedes, terceira força? Acho que não era para tanto

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *