MENU

segunda-feira, 4 de novembro de 2019 - 12:29Gomes, Grande Prêmio

GP ÀS 10: BONITO DE VER

5 comentários

  1. CRSJ disse:

    O Hamilton estava destinado a ser vencedor desde a sua estreia na McLaren em 2007 onde foi Vice, e no ano seguinte Campeão. O Hexa não podia passar dos Estados Unidos, tudo já estava no esquema para festa até com uma vaga reservada.

  2. Samuel Barrocas disse:

    Se não fosse pela “intromissão” do Rosberg em 2016, seriam apenas dois campeões em uma década inteira: Hamilton e Vettel. Isso nunca aconteceu na história da Fórmula-1. E mesmo assim, nesta década inteira, apenas duas equipes dominaram a Fórmula-1: Red Bull e Mercedes, duas equipes novas que sequer eram grandes na década anterior. Além disso, pela primeira vez na história, nem Ferrari, nem Mclaren e nem Williams tiveram pilotos campeões.

    Definitivamente, os anos 2010 foram uma década muito peculiar na história da F1…

  3. Pedro Moral disse:

    Concordo com o escriba, é um privilégio assistir aos principais atletas da história em atividade. Um pouco mais velho (mas não muito), vi inclusive Pelé em ação. E todos ao vivo, nos campos e/ou nos autodromos. Realmente Hamilton é diferenciado e torço para que alcance os números de Shumacher, não pq não gostasse do Dick, mas pelo simples efeito “raise the bar”, ou seja, o próximo a alcança-lo terá que ser “pica das galaxias”.

  4. Joel Lima disse:

    As voltas que o mundo dá. A F1 era um dos poucos esportes de ponta se não o único que não boicotava a África do Sul nos anos 80, antes do fim do Aparthaid. Lembro até hoje dum JN o Cid Moreira lendo uma nota do governo pedindo que os pilotos não disputassem a prova, isso em 85, acho. E hoje a maior estrela da F1 e um dos melhores de todos os tempos é um piloto negro. Estou na casa dos 40 e gostaria de ver, antes de morrer, um piloto japonês campeão do mundo, como forma de retribuir a imensa contribuição do Japão a F1. Já imaginou esse piloto japonês conquistando o título em Susuka. Não haveria saquê que daria conta da festa deles.

    • Carlos disse:

      Verdade, pouco destaque se dá às contribuições do Japão a F1. Já o racismo dos tempos do boicote (que a F1 nunca aderiu) ainda continua, velado, disfarçado, mas continua. A repercussão deste 6º título de Lewis esta sendo muito menor do que se fosse um piloto branco alemão.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *