OUTROS TEMPOS

RIO (não lembrava disso…) – O Henrique Almeida Silva Júnior mandou o vídeo abaixo e a mensagem que divido com vocês. Volto depois dela:

Olá Flavinho tudo bom? Desejar bom 2020 pra você e agradecer ao livro que adquiri e ofereci ao meu pai de presente de aniversário (“O Boto do Reno”). Gostaria de compartilhar um vídeo que achei no Vocêtubo com uma corrida no Estoril em 1989 a bordo do carro do Berger. Fico me perguntando se a FIA de fato desligava a transmissão ou se esses vídeos estão disponíveis dentre as inúmeras câmeras a bordo que choveram na F-1 no começo da década de 80.

Marquei alguns pontos interessantes para você ver que são: 1) o alinhamento da Ferrari e a largada aos 3min40; 2) o primeiro retardatário aos 30min22 (ou seja, em meia hora de prova); 3) Berger sinalizando para a equipe que iria entrar no box, hilário como ele precisa levantar o braço, aos 49min; 4) a vitória tranquila e a última volta tirando o pé, em 1h39min; e 5) na volta da comemoração, o piloto vai tirando as luvas, capacete e tudo. Não lembro dessas coisas nessa época, mas o esforço físico era algo incrível. Sem contar o motor Ferrari e esse som delicioso de ouvir, sempre em alta rotação, durante toda o vídeo de quase duas horas.

Voltei. Bem, ninguém precisa ver a corrida toda, até porque Gerhard ganhou de ponta a ponta. Foi uma das três da Ferrari naquele ano. As outras foram de Mansell, no Brasil (primeira vitória de um carro com câmbio semiautomático) e na Hungria. O campeonato, vocês lembram, foi vencido por Alain Prost. Boutsen, da Williams, venceu duas provas. Nannini, da Benetton, uma — o famoso GP do Japão. Senna ganhou seis e Prost, quatro.

[bannergoogle]

De fato é intrigante ver uma corrida inteira naqueles tempos gravada na câmera on-board, e é claro que imediatamente todos vão se perguntar das imagens do carro de Senna em Imola cinco anos depois — que a FIA e a FOM juram não existir, porque só existem aquelas que estavam no ar. Não tenho resposta para isso.

No mais, é realmente divertidíssimo ver Berger arrancando luvas e capacete enquanto leva o carro de volta para o modesto Parque Fechado do Estoril — que nada mais era que um pequeno pátio ao lado da sala de imprensa. Alguém imagina algo parecido hoje em dia?

Subscribe
Notify of
guest
13 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments
Zé Alonso
Zé Alonso
2 anos atrás

e alguns (muitos) anos antes de 1989 lembro de assistir a uma prova em que Emerson Fittipaldi passava na reta dos boxes apontando qual o pneu para trocar na próxima, e Luciano do Vale narrava essa indicação. Outros tempos mesmo.

Antonio
Antonio
2 anos atrás

Flavio, não foi de ponta a ponta. Mansell ultrapassou o Berger na volta 24, e só perdeu a posição por causa da lambança no box.

Kaike
Kaike
2 anos atrás

Fiquei curioso, resolvi pesquisar e achei o GP do Brasil de 2012 todo em câmera onboard de diversos pilotos:

https://www.youtube.com/watch?v=jxkV7Ehqw9s

Paulo
Paulo
2 anos atrás

Sensacional

Victor Penteado
Victor Penteado
2 anos atrás

Me lembrou do Webber tirando o capacete em Interlagos, na sua despedida.

Léo Simas
Léo Simas
2 anos atrás

Me impressiona também a altura das zebras, tinham uns 50 cm :D

Aliandro Miranda
2 anos atrás

Engraçado que este vídeo apareceu como sugerido para mim no Youtube uns dias atrás. Eu assisti algumas partes e o que me surpreendeu, mesmo, foi a velocidade nos boxes.

Gustavo Lucena
Gustavo Lucena
2 anos atrás

Nos anos 80-90 as câmeras onboard ainda estavam em fase experimental. A cada corrida apenas uma equipe era escolhida para levar a câmera. Isso faz dessas imagens do Berger algo bem raro.

Victor
Victor
2 anos atrás

Cara, nao tinha limite de velocidade nos boxes nao?

Victor
Victor
Reply to  Flavio Gomes
2 anos atrás

Rapaz, que loucura, que delicia. Fiquei meio impressionado com o Berger trancando o pe logo que o mecanico liberou…

Silvestre Zanon
Silvestre Zanon
2 anos atrás

Temos que tirar o chapéu pra esses caras….correr nessa época tinha que ter culhão.
Mas o Berger queimou a largada….hehe!!

Saima
Saima
Reply to  Silvestre Zanon
2 anos atrás

Ele não queimou. Como parou antes da linha da posição, ele pode avançar até ela antes que o sinal fique verde, e aí sim acelerar para valer. Fazia isso, deu errado no Canadá em 90 e foi punido.
Quanto a tirar capacete e luvas, também costumava fazer isso. Fez em Adelaide, em 87.