MAIS VETTEL

M

RIO (por quanto tempo?) – E quem achava que Vettel iria pegar sua mochila e voltar ao interior da Alemanha para cuidar da prole e de suas motos antigas, pode tirar o cavalinho da chuva. De acordo com a imprensa italiana, o tetracampeão já fechou com a — atenção! — ASTON MARTIN para o ano que vem. Aston Martin, se os desavisados não sabem ou os desmemoriados não lembram, será o nome da Racing Point a partir do ano que vem.

A equipe foi comprada no ano passado por Lawrence Stroll, pai de Lance Stroll, que é também acionista da marca de carros ingleses famosos por carregar James Bond para lá e para cá. Hoje, a Aston Martin patrocina a Red Bull. Um consórcio liderado por ele comprou 16,7% das ações da montadora no começo do ano e a primeira medida anunciada foi a de mudança de nome da Racing Point para 2021.

Vai dançar Sergio Pérez, claro, já que o outro piloto é filho do dono. O mexicano, porém, deve se arranjar numa Haas ou Alfa Romeo da vida, porque sempre ajuda na vaquinha para completar o orçamento com os patrocínios que traz de seu país.

Quanto a Vettel, o que será capaz de fazer num time de segundo escalão como é a atual Racing Point futura Aston Martin? A equipe vai copiar o carro da Mercedes deste ano? A resposta às duas perguntas é “não sei”. Sebastian é um piloto de carreira curiosa. Quando surgiu, molequinho ainda, nem barba tinha, foi um estouro. Até ganhou corrida com a Toro Rosso, em Monza/2008. Aí as coisas se encaixaram na Red Bull e ele enfileirou quatro títulos seguidos.

Em 2014, quando começou a era dos motores híbridos, foi batido por Ricciardo na mesma Red Bull. Foi meio esquisito, não pegou muito bem, mas ele tinha quatro faixas de campeão penduradas na parede e a fama seguia intacta. Então se mudou para a Ferrari como uma espécie de novo Schumacher, enchendo a torcida italiana de esperanças.

Embora muita gente considere sua passagem pelo time de Maranello, que se encerra no fim do ano, um fiasco, não foi tanto assim, não. Os números podem não ser impressionantes, não foi campeão, mas estão longe de ser um desastre — ainda mais para quem corre por uma equipe que enfrenta a maior hegemonia da história da F-1, o incrível domínio da Mercedes, que só deixa migalhas para os adversários. Vejam, ano a ano, desde 2015:

  • 2015 – 3º no Mundial, 3 vitórias, 13 pódios, 1 pole
  • 2016 – 4º no Mundial, 0 vitória, 7 pódios, 0 pole
  • 2017 – vice-campeão, 5 vitórias, 13 pódios, 4 poles
  • 2018 – vice-campeão, 5 vitórias, 12 pódios, 5 poles
  • 2019 – 5º no Mundial, 1 vitória, 9 pódios, 2 poles

Só o fato de ter derrotado um dos carros da Mercedes em 2017 e 2018 já seria algo digno de aplausos. Mas vamos além. Nas estatísticas gerais da Ferrari, essas 14 vitórias desde 2015 fazem dele o terceiro maior vencedor da história da equipe, perdendo só para Schumacher (72) e Lauda (15) — posição que dificilmente vai se alterar, considerando o carro deste ano e sua desmotivação visível. Em poles, Sebastian aparece num discreto quinto lugar com 12 — pela ordem, à sua frente, estão Schumacher (58), Lauda (23), Massa (15) e Ascari (13). Mas, nos pódios, a posição é ótima: terceiro colocado com 54 troféus, atrás apenas de Schumacher (116) e Barrichello (55).

O problema é que na F-1 a última impressão é mesmo a que fica, e Tião Não Mais Italiano fez um campeonato ruim no ano passado, sendo batido pelo bebê Johnson Leclerc, e nesta temporada está ainda pior. Chegará à Aston Martin cheio de desconfianças, para encarar, pelo menos em 2021, um campeonato que já tem dono. Em 2022, sabe-se lá. Mas por mais que o novo regulamento deixe algumas portas abertas, é difícil acreditar que esse time repita a trajetória da Red Bull, que começou do nada, comprando a Stewart, e em alguns anos se transformou numa das gigantes da categoria.

A ver. Continuo achando Vettel um pilotaço. Ninguém ganha quatro campeonatos à toa. Só não sei se ele voltará a ser o que já foi numa F-1 que, ultimamente, mais o aborrece do que anima.

Sobre o Autor

Flavio Gomes

Flavio Gomes é jornalista, mas gosta mesmo é de dirigir (e pilotar) carros antigos.

82 Comentários

  • Ferrari é um moedor de talentos, parecido com a Red Bull/Toro Rosso
    Vettel também reclama desde que começou a era híbrida ele nunca curtiu motores nem nada….enfim. vai se arrastando.
    Acho que terá sobrevida na Aston, pode ser legal.

  • A Ferrari acabou pro Vettel faz tempo, o Vettel parece dez anos mais velho e virado de cabeça pra baixo na sua situação atual na Ferrari, se não houver uma reviravolta o Vettel parece chegar ao Fim de sua carreira em 2020.

  • Vocês n]ao entendem nada de F!. Principalmente depois dos anos 2000, equipes que chegam ao topo permanecem por alguns anos, os detalhes técnicos são tão grandes que não se resolve um carro apertando uma porca aqui ou ali. A hegemonia da mercedes acabará quando uma equipe engatar um novo pacote excelente e permanecerá no topo por 3/4 anos…Além da carro ser fenomenal a mercedes conta com um time onde todos sabem exatamente o seu papel e são todos extremamente competentes: Toto, Allison, Bottas, Hamilton…a Ferrari está uma baderna isso é visivel, a red bull continua redonda: Horner, Newey muito adaptados ao Honda, falta hora de voo, 2022 vem forte, as do meio continuam sendo as do meio….sem esperanças para alonso a renault contimuará sendo uma draga, aston martin…vettel vai levantar uma grana lá e o resto é resto…………

  • FG, o maior advogado do Vettel. Ganhou 4 títulos numa Red Bull praticamente imbatível na F1 da aerodinâmica, tendo a seu dispor os super carros projetados pelo mago Adrian Neyel. Sem contar que tinha um companheiro de equipe fraco e que vez por outro era sabotando dentro da equipe. E ainda disputava contra uma mc Lauren em.processo de queda e uma Ferrari que nem chega aos pés das que Vettel teve pra ser campeão em 17e 18. Uma cara que é multicampeao do mundo e leva pau de dois novatos e pra deixar os entendidos e imparciais em automobilismos de orelha em pé.
    Vcs da mídia se assemelham em parcialidade ao senso comum. Detonam o Alonso( dessa vez vou te poupar FG…rsrs) e se esquecem que o cara não errava na pista. Esse tipo de estatística vcs não mostram.para o público. A vdde e que o alemão teve mais carro e estrutura pra ser campeão na Ferrari que o espanhol. Eu já perdi a conta do número de erros que o vettel cometeu em sua passagem.pela Ferrari.
    E vcs ficam aí com papinho de injustiçado, de humilhação. O cara ganha milhões de euros por ano, comete erros básicos, perde dois títulos, e batido pelo companheiro de equipe e vcs ainda querem sair na defesa dele? Brincadeira né?! A verdade é que o Vettel teve suas oportunidades e não soube aproveitar, aí apareceu um jovem e o desbancou. Simples assim…

    • Ninguém perdeu títulos ou perderá títulos no reinado da Mercedes, e nós estamos vivendo para assistir a esse rolo compressor! A equipe Mercedes é imbatível. Tá falando bobagens, cara! É cada um que aparece…
      O que Vettel conseguiu foi uma brecha nas duas bobeadas das Flechas, mas logo depois das férias de verão, o domínio absoluto voltou.
      Quem desbancou quem? O jovem tem que ganhar CINCO títulos para desbancar Vettel, e até agora nem um terceirinho no mundial conseguiu! E ainda fez aquela lambança na Estíria, tirando os dois carros da competição.
      E pra finalizar: A Red Bull só foi dominante em dois anos dos quatro faturados.

      Simples assim!

  • Notícia já esperada. Tião Alemão em uma equipe que ressurge, depois de uma longa ausência, será o mais novo desafio para o quatro vezes campeão.
    Será que teremos os velhos duelos, desta vez sem disputa de títulos, entre ele e Alonso que voltará pela Renault?

  • a bem da verdade, embora tenha conquistado 04 títulos mundiais seguidos, vettel nunca mais me empolgou, após a conquista de seu segundo títulos de F1, ……é como se o “…encanto…” tivesse acabado e vettel somente tenha conquistando seus dois ultimos títulos “…por inércia…”

    • MS, você assistiu a conquista dos títulos de Vettel? Acho que não!

      O terceiro título, que consta pra você como um dos conquistados por inércia, foi aquele em que Vettel recebeu uma batida por trás de Bruno Senna na largada. O alemão ficou com o carro avariado e invertido na pista e voltou à corrida em último e foi ultrapassando todos á sua frente.
      Teve pista seca e chuva e várias trocas de pneus. Deu problema na comunicação e ele ficou sem falar com o box. Teve troca em que ele entrou e nem pneus a equipe tinha de prontidão.
      E, por, fim ele levou mais um título!

      Se você acha que os dois últimos títulos de Vettel perderam o encanto por terem sido conquistados por inércia, o que não é verdade no terceiro título, o que você acha então dos títulos que estão sendo conquistados por Hamilton?
      Devem ter perdido também o encanto pra você, já que estão sendo conquistados por inércia…

  • Tá 2 a 2 em classificação este ano meu filho… E a penultima corrida que ele chegou em 6° e Leclerc em 12°, sendo que nada aconteceu de errado, aliás, mesmo Vettel na frente, pararam o Leclerc antes e na parada de Vettel, a Ferrari o presenteu com box de 9 segundos.

    • Exato, a única corrida em que ele não teve nenhum problema mecânico ou não foi acertado por outro piloto (no caso o próprio Lecrerc) ele chegou na frente mesmo com a parada no box ridícula. Na primeira corrida do ano o carro tava ingiavel, depois o acidente , aí na Hungria parada de boxe com falha, depois na primeira prova da Inglaterra o cara teve problema nos pedais, parecia aquelas Andrea Moda, Life, Onyx dos anos 90, esse final de semana já teve motor estourado, tudo isso é coincidência?? Concordo 100% com o que disse o Américo Teixeira Jr, ele devia rescindir o contrato e cair fora

  • Interessante esse fim de carreira na ferrari, último, na vdd penúltimo, ano de regulamento e ele se arrasta tomando meio segundo do piloto contratado para ser o novo líder. Alonso, na msm situação, destruiu seus companheiros de equipe, na ferrari e na mclaren.
    Vettel, pela primeira vez com um carro mediano, vai se mostrar aquilo q sempre foi, limitado e chorão. Stroll vai ser conhecido por aposentar o tetracampeão. E Alonso vem aí pra colocar os pingos nos i’s.

    • Tudo bem, Francisco? Andou sumido… é a volta de Alonso ano que vem, que animou você? Animou a mim, também! Viu? Temos algo em comum.

      Alonso destruiu seus companheiros de equipe? Aconselho a sair da Matrix.
      Alonso levou pau de um estreante em 2007 na McLaren, e levou pau de Button em 2016 na mesma McLaren.

      Alonso vai voltar para colocar os pingos nos i’s? Ele já colocou, sua alonsete derrotada. Marina Bay/2008 e Hockenheim/2010 possuem i’s respingados de trapalhada e vigarice do espanhol e suas equipes mafiosas!

      E aí, o que você diz a respeito, se é que vai dizer alguma coisa que não enverede para o lado tendencioso.

      • Não sou o maior fã do espanhol, embora o veja como um pilotaço. Mas justiça seja feita: Alonso só ficou atrás de seu companheiro de equipe em três ocasiões: 2001, 2007 e 2015. Em nenhum das vezes levou pau, na minha opinião.
        Ficou atrás pelo critério de melhor posição conquistada em 2001 (0x0 contra Tarso Marques) e 2007 (109×109) contra Hamilton.
        Em 2015, ficou atrás de Button (11×16).
        Alonso é competente mas, com uma Renault em 2021, o que teremos de mais relevante serão frases como “Foi a melhor corrida da minha carreira”, após chegar em 9o., 10o., e um bom material para Netflix.

    • Alonso teve de companheiro de equipe na Ferrari o Felipe Massa já em péssima fase, se fosse o Massa até 2008 antes do acidente não acho que teria tanta facilidade não, fora o fato de ser segundo piloto claramente, não vamos esquecer do “Fernando is faster than you“

    • Lance na Mercedes seria a grande bola fora do Toto, caso acontecesse. Tendo o próprio Bottas, o Russell, e o Nick de Vries na F-E (é piloto Mercedes lá), trazer o riquinho rico seria bem esquisito.

  • Com as mudanças do regulamento para 2022, talvez viveremos uma F1 mais inquilibrada com disputas no talento do piloto e não do carro.
    Uma F1 que teve os dominios absolutos das seguintes escuderias.
    05 anos Ferrari
    04 RBR
    07 Mercedes
    Escondeu muito a capacidades dos pilotos..
    Caso agora do Sebastian Vettel, um grande talento tão jovem que devido ao carro que teve na Ferrari fez milagre…
    Espero que ele conquiste muitos outras Grand Prix.

  • Dado que o Lance Stroll é “imechivel” faz muito sentido a contratação do Vettel.

    Podem falar o que for, mas Vettel tem muito mais a contribuir a uma Equipe com as pretensões de uma Aston Martin do que o Checo Perez.

    Ninguém na F-1 ganhou 4 títulos mundiais sendo um pangaré ao volante. Se alguém tem duvida se o Vettel é bom piloto, basta perguntar para o Hamilton que afirmará o quanto o Alemão é bom. Lembrando sempre que o Hamilton sabe o que é fazer figuração no Grid quando você tem um ótimo piloto no melhor carro do grid, ele viveu isso ao vivo por 4 anos contra a RedBull e o Vettel. (Obs.: Nessa época ninguém falava nada que o Hamilton era um péssimo piloto e que havia esquecido tudo o que fez quando ganhou o seu primeiro campeonato).

    • E Hamilton ganhou aquele título na última curva, porque o Glock tirou o pé por causa do aumento da chuva, porque estava perdendo até então, devido à ultrapassagem de Vettel com uma Toro Rosso meia-boca.

      • Claro que concordo. Se o companheiro do Bottas fosse qualquer um dos outros aí, ele seria líder do campeonato fácil. Talvez fosse ombro a ombro com o Verstappen ou Leclerc. O problema do Bottas é ser companheiro do Hamilton. Só isso.

  • O tempo foi cruel com Vettel, afinal, desmascarou o piloto mediano.
    Sua imagem já está bastante arranhada. Se fosse esperto, saia de vez esse ano, porque assim ainda terá alguns defensores…
    Mas a partir do ano que vem, será ainda mais ladeira abaixo. Será interessante ver o contorcionismo mental que será necessário para defender o shukrute. Hoje em dia já tá ficando difícil. 2013 já está muito longe… Que falta faz um Webber na vida do alemão.

    • A viúva metida a alonsete continua se escondendo atrás de nicks falsos, como falsa é a sua torcida de última hora por Hamilton.
      2013 ficou distante? Mais distante se encontra o ano de 2006, porque Alonso acabou a partir do ano seguinte devido à surra sem volta que levou de Vettel.
      O espanhol trapaceiro (vide Cingapura/2008 e Alemanha/2010) vai voltar ano que vem e pode ter certeza! Será mais uma surra aplicada do Príncipe das Lamúrias.

    • Pode chorar, ano que vem a Aston Martin dando um caldo na Ferrari quero só ver…
      Se o carro da Aston Martin do ano que vem for a Mercedes deste ano, Vettel lutará com Bottas pelo vice tranquilamente.

      • Dificilmente será a cópia do W!!, a FIA não vai deixar acontecer algo semelhante para 2021. A questão será como a Aston Martin seguirá no desenvolvimento do carro desse ano.

  • Vai fazer bonito dentre as restrições de uma equipe média que vai lutar pela terceira força com Ferrari, Mclarem e Renault.
    FG que tal uma reportagem com fotos sobre as sedes de equipe de F1 na Inglaterra que já mudaram de donos vérias vezes como por ex Tirrel BAR Honda Brown Mercedes ou Jordan Jaguar Redbul entre outras? boa deixa para 70 anos de F1! Vlw

  • É um piloto, pra mim, no mesmo nível do Hamilton. Bom, muito bom. Mas não aquele monstro que não deixa os demais nem sonharem. Fosse ele na Mercedes no lugar do inglês, estaríamos ouvindo só um hino no podium há anos e os mais afoitos diriam que é Deus porque acaba corrida com três rodas, mas no fundo é só um cara muito bom.

    Igual Hamilton perdeu pro Rosberg, ele perdeu pro Ricardo. Hamilton ganhou do Bottas, ele ganhou do Webber. Bom, sem ser supremo.

    Acho que o período em que começou a fazer cagada e a reclamar de tudo no rádio sujou um pouco a imagem.
    Uma pena. Torço por ele.

  • Saudações Flavinho Gomes !
    Um piloto proferiu uma máxima: Na F1 quando nasce um filho, piora 0,4 de seg e o Vettel tem 3 filhos, : 1,2 …
    Acho que foi o Nelson Piquet o autor…
    Vai ser sempre um grande piloto mas vai pensar antes, ou não, de fazer de uma manobra arriscada. sabendo que tem uma criança com febre…

    Abs

  • Que vá ser feliz, ou pelo menos melhor tratado que agora. O moedor de carne é da Ferrari é um absurdo. Vão amargar muita fila, enquanto não trouxerem alguém não latino para comandar o time. Tal qual foi no passado.

    • Nossa! Então pessoas de língua de origem Latina não tem capacidade de liderança! Enzo Ferrari era uma besta…
      Se na época do império romano tivesse brasileiros eles diriam que este império só iria pra frente quando tivessem um imperador que não fosse de origem latina…
      Aí Júlio Cesar postaria em seu perfil: Risus Magna!

  • o cara pilota demais, 4 titulos e 3 vices não é para qualquer um, foi o primeiro a vencer de Toro Rosso, foi o primeiro a vencer de Red Bull que na época não era ainda, estava se tornando a equipe top 3 que é hoje. Esta no top de quase todas as estatísticas da categoria e da própria Ferrari, ainda é o campeão mais novo, acho que ele Hamilton e Alonso estão no mesmo nível, e estão entre os melhores da historia, quem deprecia o cara dizendo que ele perdeu 1 temporada pro Riccardo e 1 pro Lecrerc provavelmente esquece que o Hamilton perdeu temporadas também, para o Button ainda na McLaren e para o Rosberg na Mercedes, ainda que os dois sejam campeões duvido que qualquer um diga que Rosberg e Button são melhores pilotos do que Riccardo e Lecrerc, no minimo mesmo nível.

    • O Vettel venceu com a ToroRosso em Monza, enquanto o Massa, de Ferrari, largou e chegou em oitavo…lamentável!! Vettel é muito bom, mas a Ferrari cria um ambiente tóxico, de muita pressão e o cara acaba errando e se desmotivando! Será bom ver o Vettel em uma equipe que está crescendo! Será bom pra F1!!

  • A Racing Point(futura Aston Martin) não poderá copiar o carro da Mercedes de 2020 haja vista o congelamento previsto(e já adotado) de todos os projetos para este ano e o próximo.
    De qualquer forma Vettel ainda terá um bom carro em mãos, mais competitivo do quê a sua Ferrari atual(e que também será mesma na temporada seguinte).
    Se neste ano ele não lutará por pódios, ao que parece, em 21 é bem possível.
    Lembrando que a McLaren têm tudo para ser a segunda equipe mais forte ou, no mínimo, estará quase no mesmo nível da Red Bull Racing em 2021 mas acima da Force India Racing Point Aston Martin, vulgo, Mercedes Rosada.

  • O que dizer sobre o Vettel ? A motivação para continuar na Ferrari, neste momento, não deve de ser nenhuma. De certeza que não tem interesse nenhum em ajudar a desenvolver o carro, pois já não esta lá com a cabeça depois de ter sido tratado da maneira que foi.
    Uma coisa é certa, ele de certeza que não desaprendeu de pilotar e como o Flavio Gomes escreveu no texto, ninguém ganha quatro campeonatos por acaso.

    Abraço

    visitem: https://estrelasf1.blogspot.com/

  • Aquela punição no GP do Canadá quando ganhou a corrida em 2019, foi de lascar. Já vinha de erros bobos. Somado à escolha assumida da Ferrari e ao talento do Leclerc, é difícil se manter motivado.

    Não acho justo atribuir a péssima fase do alemão como piloto medíocre.
    Assim como Alonso, a F1 precisa de pilotos como Vettel que têm capacidade e talento confirmado no ofício, mas é preciso estar disposto a extrair tudo o que o carro permite.
    Kimi, por exemplo, é claramente o tipo de piloto que nunca ligou muito em se destacar na mídia, mas agrada por ser um piloto sabidamente capaz. Só que com a carroça que lhe entregam esse ano não sente o menor prazer em arriscar sua vida nas curvas dos GPs só extrair 3 décimos do carro e se classificar à frente do discreto Giovinazzi. Giovinazzi é fraco e não acho que mereça qualquer crédito por estar andando na frente de um piloto desmotivado.

    Ao contrário de Kimi, nunca admirei Alonso e nem Vettel, mas não reconhecer sua respectivas capacidades em pilotar um F1 é de uma falta de critério sem tamanho.

    Na torcida por ele estar sempre motivado, mesmo que andando entre o meio do pelotão. Não será fácil.

    • Gosto e admiro muito mais o Kimi Raikkonen do quê Fernando Alonso e Sebastian Vettel.
      Em 2003 já havia feito um consistente campeonato ficando a poucos pontos do título.
      Ele, Kimi, poderia perfeitamente ter sido campeão em 2005 pela McLaren se não fosse o imponderável que lhe acometeu em algumas ocasiões durante as provas daquela temporada.
      Merecia mais que 1 título mas não será mais possível e nem ele se importa com isso.

      • É isso aí.
        Kimi ignora protocolos de socialidades. Agrada por ser realmente o que é. Na pista ele faz o serviço dele e foi constante a maior parte do tempo.
        Teria minha admiração mesmo que não tivesse ganho nenhum campeonato.

Por Flavio Gomes

Perfil


Flavio Gomes é jornalista, dublê de piloto, escritor e professor de Jornalismo. Por atuar em jornais, revistas, rádio, TV e internet, se encaixa no perfil do que se convencionou chamar de multimídia. “Um multimídia de araque”, diz ele. “Porque no fundo eu faço a mesma coisa em todo lugar: falo e escrevo.” Sua carreira começou em 1982 no extinto jornal esportivo “Popular da Tarde”. Passou pela “Folha de S.Paulo”, revistas “Placar”, "Quatro Rodas Clássicos" e “ESPN”, rádios Cultura, USP, Jovem Pan, Bandeirantes, Eldorado-ESPN e Estadão ESPN — as duas últimas entre 2007 e 2012, quando a emissora foi extinta. Foi colunista e repórter do “Lance!” de 1997 a 2010. Sua agência Warm Up fez a cobertura do Mundial de F-1 para mais de 120 jornais entre 1995 e 2011. De maio de 2005 a setembro de 2013 foi comentarista, apresentador e repórter da ESPN Brasil, apresentador e repórter da Rádio ESPN e da programação esportiva da rádio Capital AM de São Paulo. Em janeiro de 2014 passou a ser comentarista, repórter e apresentador dos canais Fox Sports no Brasil. Na internet, criou o site “Warm Up” em 1996, que passou a se chamar “Grande Prêmio” no final de 1999, quando iniciou parceria com o iG que terminou em 2012. Em março daquele ano, o site foi transferido para o portal MSN, da Microsoft, onde permaneceu até outubro de 2014. Na sequência, o "Grande Prêmio" passou a ser parceiro do UOL até maio de 2019, quando se uniu ao Terra por um ano para, depois, alçar voo solo. Em novembro de 2015, Gomes voltou ao rádio para apresentar o "Esporte de Primeira" na Transamérica, onde ficou até o início de março de 2016. Em 2005, publicou “O Boto do Reno” pela editora LetraDelta. No final do mesmo ano, colocou este blog no ar. Desde 1992, escreve o anuário "AutoMotor Esporte", editado pelo global Reginaldo Leme. Ganhou quatro vezes o Prêmio Aceesp nas categorias repórter e apresentador de rádio e melhor blog esportivo. Tem também um romance publicado, "Dois cigarros", pela Gulliver (2018), e o livro de crônicas "Gerd, der Trabi" (Gulliver, 2019). É torcedor da Portuguesa, daqueles de arquibancada, e quando fala de carros começa sempre por sua verdadeira paixão: os DKWs e Volkswagens de sua pequena coleção, além de outras coisinhas fabricadas no Leste Europeu. É com eles que roda pelas ruas de São Paulo e do Rio, para onde se mudou em junho de 2017. Nas pistas, pilotou de 2003 a 2008 o intrépido DKW #96, que tinha até fã-clube (o carro, não o piloto). Por fim, tem uma estranha obsessão por veículos soviéticos. “A Lada foi a melhor marca que já passou pelo Brasil”, garante. Por isso, trocou, nas pistas, o DKW por um Laika batizado pelos blogueiros de Meianov. O carrinho se aposentou temporariamente no início de 2015, dando o lugar a um moderníssimo Voyage 1989. Este, por sua vez, mudou de dono em 2019 para permitir a volta do Meianov à ativa no começo de 2020.
ASSINE O RSS

Categorias

Arquivos

TAGS MAIS USADAS

Facebook

DIÁRIO DO BLOG

agosto 2020
D S T Q Q S S
 1
2345678
9101112131415
16171819202122
23242526272829
3031