ONE COMMENT

Mick Schumacher, 21, estreia num fim de semana de GP fazendo um treino livre pela Alfa Romeo em Nürburgring. Não vai ser fácil carregar esse sobrenome na carreira. Mas boa sorte a ele.

Comentários

  • Só falta esse schukrutezinho derrotar o meu querido espanhol, que vai retornar à f-1 ano que vem.

    Como se já não bastasse as surras seguidas que o Tião Alemão aplicou nele…
    Se continuar assim, eu volto pra Matrix.

  • também torço pelo moleque! ele tá se saindo muito bem na f2 – quando não vence, está sempre entre os primeiros, comete poucos erros – e merece uma chance na f1. que ele consiga construir a própria história e seja forte o bastante pra suportar as críticas que virão.

  • Parem de falar merda. Acompanho a GP2, desde o ano passado. Mick evoluiu muito. No começo achava ele lento, mas muito seguro. Não era muito de arriscar. Note como as corridas dele sempre eram mais seguras, e ele com o tempo evoluiu na velocidade mas com a mesma firmeza. E por isso está vencendo o campeonato. Grande habilidade em não se meter em enroscos na pista, toca firme e segura, sem arriscar demais. Os resultados estão aí. Achei engraçado o comentário do Victor MArtins, dia desses – “Está em primeiro sem fazer merda nenhuma”. Acho que o pessoal precisa acompanhar um pouco mais a GP2, eu particularmente acho muito divertido e não perco uma corrida. Mick evoluiu muito e ja merece um lugar na Alfa Romeo. E com certeza em um ou dois anos estreia na Ferrari. Leclerc que mostre serviço. Precisa pelo menos igualar os 2 vices de Vettel com a Scuderia, senão vai ficar feio pra ele.

    • Sem falar do pleonasmo no seu nick, GP2 é uma categoria que não existe, se está a falar da F2, Nick foi muito mal em 2019, melhorou em 2020, mas infelizmente, e por causa do regulamento exdrúxulo, temos uma bela oportunidade de não saber se ele é bota mesmo. VM tem razão, é uma categoria legal de assistir, mas ganha-se ou perde-se sem fazer porra nenhuma, regulamento… Latifi define.

  • Claro que ele tem todo o apoio e mais um pouco, mas parece que é bom. Seria legal vê-lo na F1, bem como o Pedro Piquet, só que aí parece que o buraco é mais embaixo. O herdeiro da família Piquet não demonstra tanta aptidão. Como também tem grande apoio financeiro e político (claro que não tanto quanto little Schumi, principalmente pelas controvérsias do papai) talvez chegue lá.

  • Ticktum piloto rápido e hábil, pupilo da Red Bull disputava a F3 européia ao lado de Mick. Estava dando um baile no alemãozinho, porém na metade final do campeonato o “filho do homem” engoliu todos e foi campeão. Ticktum chegou a soltar que estavam privilegiando Mick, que o equipamento dele melhorou demais de uma hora pra outra, buá buá buá.
    Mick ano passado entrou na F2 e pra todos fez um campeonato apagado. Pra ele foi um aprendizado. Este ano começou de novo tomando baile, e na metade final do campeonato engoliu o grid. O moleque é um baita estudioso não dá pra negar isso, aprende rápido e fácil.
    Como todo estudioso, não é um pole man, mas em largadas é disparado o melhor do grid, nas corridas quando assume o top 3 não perde nem que a vaca tussa. Piloto que pensa a corrida e cuida da borracha como poucos.
    Anos atrás a história do Ticktum quase me pegou, comecei a ver o alemão como um piloto mediano com um sobrenome de peso. Não é, e o sobrenome dará tempo de mostrar seu valor na F1.

  • O cara foi campeão da F3 e lidera o campeonato da F2. Se for para a F1 ano que vem, ninguém poderá dizer que foi apenas pelo sobrenome. Daí, a ser campeão, ou mesmo para ganhar uma corrida, são outros quinhentos.
    A F1 está cheia de campeões de categorias de acesso, mas é uma categoria muito complexa. São 7 anos de domínio da Mercedes, sem previsão de mudança no cenário, mesmo com o novo regulamento que entrará em vigor em 2022. Basta ver que Verstappen, com todo seu talento, não foi e não será campeão tão cedo.
    Por fim, Mick faz parte da academia de pilotos da Ferrari, que é a sexta colocada no Mundial.

  • Claro que o sobrenome facilita por um lado e aumenta terrivelmente a pressão pelo outro.
    Ele merece um lugar na F1 por que está com a mão na taça no campeonato da F2, só uma completa tragédia nas últimas provas da temporada em Sakir roubariam seu título. Além disso ele está em franco crescimento, começou mais ou menos e seus resultados cresceram muito nas últimas corridas, ao contrário do Ilott, o maior rival, que começou com tudo e vem caindo.
    Aposto alguns reais que estará na Alfa Romeo na próxima temporada.