MAXSTRUDEL (1)

Bottas roda nos boxes: experiências perigosas

SÃO PAULO(com creme) – Mais do que qualquer outra, a imagem do dia hoje em Spileberg foi a de Bottas rodando dentro dos boxes. Quase acertou os mecânicos da McLaren. Que ajudaram a colocar o finlandês de novo no prumo. O resultado da presepada: Valtteri já perdeu três posições no grid para a corrida de domingo na Áustria, o GP da Estíria — oitava etapa do Mundial.

A FIA puniu o piloto porque ele confessou que estava experimentando um jeito de ganhar tempo nos pit stops, saindo em segunda marcha. Não entendi a lógica — sempre que saio em segunda, com qualquer carro, ele perde torque e engasopa –, mas segundo Bottas foi por isso que ele deu uma rabeada e rodou, colocando em risco a segurança de quem estava por perto. Ferro nele.

Verstappen na frente: holandês liderou os dois treinos de hoje

A Red Bull começou o fim de semana na frente, para desespero da Mercedes. A equipe alemã procura demonstrar alguma calma, mas sabe que se levar dois cocos seguidos na pista da rival vai ser difícil reverter a situação no campeonato. A Red Bull vem de três vitórias seguindas, não nos esqueçamos.

É verdade que a melhor volta do dia foi de Hamilton, mas ela foi anulada porque ele passou dos limites da pista. De qualquer forma, internamente, é sinal de que o inglês carrega alguma competitividade para o fim de semana. E que pode sonhar com algo melhor do que chegar em segundo de novo — o que, na prática, seria desastroso em termos de pontuação.

Verstappinho liderou os dois treinos livres, e numa pistinha com voltas em 1min05s a diferença que ele abriu do segundo colocado à tarde, Ricardão, preocupa os adversários. A segunda sessão, hoje, começou sob ameaça de chuva, que acabou não vindo. Mas a previsão para amanhã e depois é de tempo muito instável, com boas chances de pista molhada. Ótimo, embaralha tudo e gostamos de pista molhada.

Ricciardo, segundo colocado: australiano começa a se entender com a equipe

Olhando a classificação do segundo treino livre, claro que chamam a atenção as posições de Ricciardo e Ocon, segundo e terceiro. Assim como o mau desempenho de Pérez, que precisa melhorar bem em classificação para ajudar a Red Bull na sua luta para quebrar a hegemonia da Mercedes. Vettel e Stroll também foram bem, mostrando que a Aston Martin começa a crescer depois de um péssimo início de campeonato.

Quem deve andar bem amanhã, em condições normais, é Gasly. Foi o segundo de manhã e não pôde treinar de tarde porque a Honda encontrou alguma coisa errada em seu motor e preferiu checar todos os sistemas, para não correr o risco de uma quebra indesejada.

Bottas, agora na pista: Mercedes precisa reagir

Dois assuntos técnicos dominaram o dia em Spielberg. O primeiro, mudança nas regras de pit stop a partir do GP da Hungria. A FIA quer proibir sensores nas pistolas que colocam as porcas nas rodas nas trocas de pneus. A Red Bull usa esses sensores, que acionam a luz verde que guia a saída do piloto e permite paradas fantásticas em menos de dois segundos. A Red Bull, claro, está puta com isso.

O outro tema diz respeito aos pneus. A Pirelli fornecerá dois jogos extras de pneus nos treinos livres do GP da Áustria, semana que vem, construídos de forma mais “robusta”. Eles serão testados e poderão ser usados no GP da Inglaterra. A Pirelli reconheceu que não tem como controlar a pressão dos pneus durante o uso em treinos e corridas — e quando resolve fazer pneus mais robustos, assume que os furos de Stroll e Verstappen em Baku podem ter relação com o tipo de construção do produto, e não com detritos na pista, como alegou.

No ano que vem, de acordo com a empresa, todos os carros terão sensores nos pneus com a adoção do TPMS — Tyre Pressure Monitoring System. A novidade será implantada para que ninguém use em seus pneus uma calibragem diferente daquela recomendada pelo fabricante.

E teve também outra notícia importante, a inclusão da Turquia no calendário para o lugar do GP de Singapura, dia 3 de outubro, cancelado por causa da pandemia. A Turquia iria entrar no lugar do Canadá em junho, mas acabou perdendo a vez porque o país está na lista de locais perigosos, de acordo com o governo inglês — a maioria das equipes tem sede na Inglaterra. A Liberty, no entanto, espera que até outubro a situação já esteja controlada no Império Otomano.

Hoje à noite tem “Fórmula Gomes” a partir das 19h para falar de todos esses assuntos no meu canal no YouTube, apareçam!

Comentários

  • Muitos anos atrás na Indy (onde também é proibido controle de tração) foi descoberto que uma equipe (não lembro qual) usava um mapa de aceleração diferente para cada marcha, sendo mais agressivo para cada marcha superior.
    Isso permitia saída de curvas lentas com menos riscos de rodada, e foi proibido também.
    Parece que a Mercedes tem algo parecido por ter uma saída mais agressiva em segunda conforme o próprio Bottas falou.

  • Bottas está em desgraça, essa rodada dele nos boxes foi sem querer não querendo, se fosse querendo o Bottas não ia conseguir fazer, com isso já perde três posições no grid.
    Mudar a regra do Pit Stop é um meio de procurar frear a Red Bull, com isso a Mercedes agradece.

  • Essa mudança nas regras de pit stop é um absurdo. A Red Bull deveria ser elogiada por essa tecnologia que usa sensores nas pistolas. A FIA, ao invés de elogiar, irá prejudicar a equipe.

    Sendo muito honesto.Sou fã do Hamilton, estou na torcida para que ele seja octacampeão, mas é preciso reconhecer que a Red Bull usa uma tecnologia que a Mercedes não tem. Se a FIA pretende mudar uma das regras do jogo, isso deveria acontecer só em 2022.

  • Legal a paridade entre companheiros de equipe no primeiro treino.
    Diferenças em alguns casos só de centésimos de segundo e, no caso da Ferrari, 1 milésimo! Isto sim que é equilíbrio.