YES, MARINA (3)

Alpine bem em Yas Marina: e daí?

ITACARÉ (alternativos) – Tinha um tipo de jornalista que cobria Fórmula 1 antigamente que a gente chamava de “outrista”. Era aquele que chegava ao restaurante com o jantar já iniciado, todo mundo discutindo Senna, Prost, Mansell, Schumacher, McLaren, Ferrari, Benetton, futuro de Piquet, situação da Williams, Renault, Honda, Balestre, Briatore, e ele pedia a palavra, ainda de pé, exigia silêncio da mesa, escolhia algum infeliz em quem fixava o olhar penetrante e lançava a questão primordial: “Tu viste as Minardi?”. Um legítimo outrista, o cara que sempre inventa de colocar outro assunto em pauta por considerá-lo mais relevante e julgar que todos os demais só falam abobrinhas. Há muitos outristas no mundo.

Contei o breve caso para explicar a imagem acima. Hamilton x Verstappen, a disputa de título mais extraordinária desde a invenção do automóvel, Lewis em primeiro na tabela de tempos hoje, Max muito para trás, a Mercedes toda tranquilona, a Red Bull perdida, e o cara vem com uma foto da… Alpine?

Bom, foi a melhor que consegui até este momento. E o Ocon ficou em segundo, então não encham. Às vezes sou outrista. Falando nisso, tu viste o Grêmio?

Os tempos do segundo treino livre: pista muito mais rápida

Como se nota acima, a Mercedes começou melhor o fim de semana da decisão em Abu Dhabi. Hamilton foi 0s641 mais rápido que o holandês da Red Bull. A pista ficou bem melhor. E os tempos caíram mais do que os 10s previstos nos simuladores em relação ao traçado anterior. Ano passado, a pole de Verstappen foi feita em 1min35s246, com a média de 209,923 km/h. Hamilton, hoje, foi quase 12s mais rápido e a média de velocidade saltou para 227,164 km/h.

No geral, os pilotos gostaram das modificações feitas no traçado de Yas Marina. Não era difícil. O anterior era chato demais, travado, cheio de esquinas e curvas feitas para trás, um porre. Os tempos vão cair mais ainda amanhã e teremos um circuito 20 km/h mais rápido, na média. Finalmente fizeram algo que preste, além de espalhar luzes coloridas por todos os lados.

F2oWX0AI0o-g-1024x576.jpg" alt="" class="wp-image-184839" srcset="https://flaviogomes.grandepremio.com.br/wp-content/uploads/2021/12/FGQF2oWX0AI0o-g-1024x576.jpg 1024w, https://flaviogomes.grandepremio.com.br/wp-content/uploads/2021/12/FGQF2oWX0AI0o-g-300x169.jpg 300w, https://flaviogomes.grandepremio.com.br/wp-content/uploads/2021/12/FGQF2oWX0AI0o-g-768x432.jpg 768w, https://flaviogomes.grandepremio.com.br/wp-content/uploads/2021/12/FGQF2oWX0AI0o-g-1536x864.jpg 1536w, https://flaviogomes.grandepremio.com.br/wp-content/uploads/2021/12/FGQF2oWX0AI0o-g.jpg 1920w" sizes="(max-width: 1024px) 100vw, 1024px" />
Lewis na frente: bom começo em Abu Dhabi

Sobre o resultado em si, melhor não tirar grandes conclusões ainda. Claro que Verstappen não será mais de meio segundo mais lento que Hamilton. Claro que Ocon e Alonso não serão as estrelas improváveis do fim de semana. Mas, mesmo assim, os rubro-taurinos ficaram preocupados com o desempenho de Max. Ele reclamou que está faltando “pace”. Paz? Alguma peça? O espírito do Moco? Não, senhoras e senhores. Falta ritmo, falta desempenho, falta performance, falta velocidade, em resumo.

A ver.

Raikkonen no muro: única batida forte do dia

Um único acidente digno de nota no primeiro dia da nova pista abudabiana. Raikkonen bateu no finalzinho do segundo treino para dar algum trabalho aos mecânicos da Alfa Romeo em seu último fim de semana como piloto de Fórmula 1. Nada demais, não se machucou e, apesar de a imagem assustar um pouco, a pancada não foi forte.

Ah, uma última informação: hoje, em Paris, Jean Todt se despediu dos funcionários e colaboradores na FIA. Ele assumiu a presidência da entidade no final de 2009 e ficou à frente dela por 12 anos. Com discrição, diga-se. Bem menos espevitado que Max Mosley, seu antecessor. Domingo passado, em Jeddah, foi a um GP de F-1 como presidente da FIA pela última vez. Todt está com 75 anos. A imprensa italiana especulou que ele poderia voltar à Ferrari. O time negou.

Eu, se fosse ele, iria descansar numa casa bonita feita de pedras no interior da França e compraria um 2CV.

A eleição para o novo presidente da FIA acontece daqui a uma semana, dia 17. São dois candidatos. Pela situação, por assim dizer, o braço direito de Todt, Graham Stoker, advogado inglês especializado em direito esportivo. É vice-presidente de esportes da entidade desde a chegada do francês ao comando. Tem ao seu lado Tom Kristensen, nove vezes vencedor de Le Mans. O outro candidato é Mohammed Bin Sulayem, 60. Nascido em Dubai, nos Emirados Árabes Unidos, é ex-piloto de rali e vice-presidente da FIA para assuntos do Oriente Médio. A brasileira Fabiana Ecclestone, casada com Bernie, está na chapa.

Comentários

  • Na gestão Todt meteram asa móvel, pneus farofas, padronizaram circuitos com áreas de escape a não acabar mais, halo (eu sempre vou achar um lixo e parei de ver Indy e F1 regularmente por conta dessas trapizongas, simplesmente me nego), carros gigantescos e os motores elétricos, que representaram além da perda da qualidade sensorial do espetáculo um aumento de custos estrondoso afastando montadoras e potenciais equipes da Fórmula 1.

    Os tempos não são fáceis para o automobilismo, o mundo mudou depressa e inclusive essas mudanças vieram acompanhadas de demandas desse novo mundo do qual não gosto muito, mas, seja como for, a gestão do Todt ficará marcada como uma era de descaracterização da Fórmula 1 assim como a era do Mosley ficará assinalada nos anais como o período da tomada do negócio pelas montadoras (o que, curiosamente, Max sempre tentou evitar, mas acabou falhando).

    Como amante da F1, não esse arremedo que está aí hoje, não tenho motivos para sentir saudades da gestão Todt. Que seja feliz em algum lugar, de preferência longe das corridas.

  • Todt é um vencedor!
    Caso voltasse à Ferrari seria um dos trabalhos de Hércules!
    Mas o ano que vem com rodas de aro 18 e outras xunagens quem sabe o que será da F1!
    Todt poderia juntar-se ao Prost e realizar o sonho garagista gaulês e ressuscitar a Liger.
    Ps: F1’s usam rodas de aro 13 desde há muito tempo. Só o Tyrrel de 6 rodas usava aro 10 na frente e não encontrou um única empresa de pneus com vontade de desenvolver pneus adequados.

  • Como é comum nessas provas, o treino livre 2 foi mais representativo e importante. Temperaturas menores, transição do dia para a noite. Mercedes e Red Bull adotaram abordagens distintas. Tanto Hamilton como Bottas fizeram as simulações de corridas com pneus médios. O mesmo ocorrendo com Perez. Entretanto, Verstappen fez tal simulação com pneus macios. Tempos de voltas de Hamilton e Perez foram em torno de 1m29,1s, em média. Verstappen, por sua vez, registrou tempos médios de 1m28,4s. Pode ser apenas um ensaio, mas aparentemente a Red Bull pode considerar uma estratégia com duas paradas, iniciando a corrida com pneus macios. Isso porque, em termos de classificação, a Mercedes parece imbatível. Mas, também, pode ser uma grande cortina de fumaça. Mas o próprio Verstappen admitiu que estão um pouco atrás da Mercedes.
    De resto, com muitas posições, tanto no campeonato de pilotos como de construtores já definidas, a novidade é a Alpine, com Ocon com o segundo melhor tempo, e Alonso em sexto. Aproveitando e fazendo a xepa nesse final de campeonato.

  • Alpine? Really?
    No mais quando for falar de time de futebol, fale do maior de todos, o glorioso Avai.
    Todo mundo escondendo o jogo. Mas a Mercedes deve lembrar que Budabi não tem aqueles muros colados pro Verstappen errar no qualy.
    Será que alguém troca o motor? Será que é tudo jogo de cena?
    Que ano bom desse esporte pra gente que ama Formula 1 e agora tem que discutir nas redixsociash com essa molecada que sequer sabe quem foi Pace.
    O rapaz piloto das latinhas devia estar pedindo por pás. Quem sabe pra abrir uma trincheira e fazer uma pegadinha pro Liuiz.

  • Graande Flávio, boa tarde!!!

    Nesta parte do texto: “…Um único acidente digno de nota no primeiro dia da nova ‘posta’ abudabiana…”. Seria “pista” ou “bosta”??

    E, estou ansioso para ser o ganhador do Escort!!!!

    Abraço!

    ps1.: NUNCA desista deste blog. É a minha principal fonte de informação sobre F1.

    ps2.: sinto falta do “GIRA MONDO GIRA”. Fuck the haters!!!

  • Prezado Flavinho ! saudações cordiais…

    Que texto legal ! e os outristas, personagens que vagam pelo seu Blog, com um tal de Costa, que vai dormir com a 3a. via assada de domingo pra segunda, visto que o campeonato acabou.

    Lewis, o melhor, o maior de todos, não vai dar mole nesta última prova para um moleque de rua, Vigarista, que usa de artifícios advindos de seu pai, um merdalhão…

    Hoje o Dick, já viu meia pemba entrar e domingo, hospital. como muitos dos seus seguidores…

    Abração