TESTANDO N’AREIA (2)

Magnussen, P1: assim se volta

SÃO PAULO (na cara) – É óbvio que o resultado vai servir para pouco mais que tirar um print, mandar na loja de molduras e fazer um quadrinho. Mas é isso que a história registrará nesta sexta-feira, 11 de março, nove dias antes da corrida que abre o Mundial de F-1: o melhor tempo no Bahrein, no penúltimo dia da pré-temporada de 2022, foi de Kevin Magnussen, da Haas.

O dinamarquês, que na semana passada recebeu um telefonema de Gene Haas e rompeu seus contratos com a Chip Ganassi, nos EUA, e com a Peugeot, na França, voltou à F-1 com estilo. Ele assumiu a vaga aberta pelo proscrito Nikita Mazepin, vítima das sanções políticas, econômicas, sociais, gastronômicas, culturais e esportivas impostas à Rússia desde o início da guerra com a Ucrânia, 16 dias atrás.

A Haas ganhou uma hora extra nos treinos de hoje em relação às outras equipes, porque chegou atrasada para o início dos testes — problemas técnicos com o avião que trazia seu equipamento. K-Mag aproveitou que estava sozinho na pista, colocou os pneus C4, mais macios, e fez sua melhor volta em 1min33s207. Até ali, quem iria fechar o dia em primeiro depois de oito horas de atividades na era Carlos Sainz, da Ferrari, com 1min33s532. Ano passado, Mazepin fez 1min33s273 na classificação para o GP do Bahrein.

Os tempos de hoje, com K-Mag em primeiro: treinos acabam amanhã

O tempo de Magnussen pode não representar muita coisa, mas levanta o moral do piloto e da equipe. Muita gente torceu o nariz para a escolha da Haas, especialmente nas hostes patrióticas brasileiras nas redes sociais — que “exigiam” Pietro Fittipaldi no lugar de Mazepin. Kevin sentou no carro, mais de um ano depois de pilotar um F-1 pela última vez, e mandou o sapato sem muita conversinha. Imaginem como estariam as mesmas redes hoje se o primeiro-neto colocasse um carro da Haas no topo de uma folha de tempos…

Muito vento e pista bem suja de areia foram as marcas do dia no deserto do Sakhir hoje, que teve 15 pilotos na pista. Os que andaram de dia, com sol e calor, foram francamente prejudicados. A pista ficou muito mais rápida quando anoiteceu.

E o que mais de importante aconteceu? Às nossas notinhas policromáticas, elas são um sucesso neste blog secreto!

DOENTE – A McLaren continua com problemas de freios e de saúde. Daniel Ricciardo, doente, não treinou de novo e também está fora amanhã. A equipe não dizia o que ele tinha, apenas que “estava se sentindo mal”. Mas o australiano fez teste para Covid hoje e deu positivo. Lando Norris segue trabalhando sozinho. Não está certo ainda se Ricciardo vai correr no dia 20. Tudo depende de como vai se recuperar e dos protocolos de isolamento, quarentena e testagem adotados pela F-1. Daniel estava com os colegas nas fotos contra a guerra, anteontem. Junto de todos, sem máscara. Claro que está todo mundo vacinado. Mas a pandemia não acabou.

BAIXA A BOLA – Depois de acusar a Mercedes de fazer um carro ilegal, com asas disfarçadas de suporte de espelho e “sidepods” indecentemente magros, Christian Horner, chefe da Red Bull, voltou atrás e disse que a equipe rival não está fazendo nada que agrida as regras e elogiou a criatividade dos engenheiros da F-1. “Se vai dar certo, é algo que veremos depois”, disse.

Hamilton com a esbelta W13: nada de ilegal

FERRARI NA FRENTE – Até agora, em dois dias de testes no Bahrein, a Ferrari lidera o ranking de voltas completadas, com 230. Depois vêm Red Bull (224), AlphaTauri (223), Mercedes (216), Aston Martin (205), Alfa Romeo (193), Alpine (177), Haas (130), Williams (116) e McLaren (110).

MENINO DE ROSA – A Alpine trocou a cor de seu carro de ontem para hoje e andou de rosa com Ocon. Como se sabe, nas duas primeiras corridas do ano o time francês, azul por natureza, vai com a cor de sua nova patrocinadora principal, a austríaca BWT — ex-parceira de Force India, Racing Point e Aston Martin (três nomes para a mesma equipe nos últimos anos). Depois, volta a ser azul com toques de rosa, para desespero da ministra que viu Jesus na goiabeira.

Ocon com a Alpine rosa: azul volta na terceira etapa

SEM DOMÍNIO – Uma curiosidade na pré-temporada até agora: foram cinco dias de testes (três em Barcelona e dois no Bahrein) e cinco equipes diferentes ficaram em primeiro lugar. Na Espanha, deu McLaren no primeiro dia, Ferrari no segundo e Mercedes no terceiro. Ontem foi a vez da AlphaTauri. Hoje, da Haas. A Red Bull ainda não cravou um P1.

PREOCUPADO – A frase de hoje é de Hamilton e não tem nada de fluxo de ar. Quando soube que Sainz disse que a Mercedes estava escondendo o jogo, o inglês respondeu: “A gente teria se ser muito bom pra fingir tão bem que nosso carro sai de traseira do jeito que está saindo… Se a corrida fosse hoje, a Ferrari faria uma dobradinha”.

E é isso, por enquanto. Às 19h estaremos ao vivo para mais um “Fórmula Gomes”, analisando os treinos no nosso canalzinho no YouTube.

Subscribe
Notify of
guest
10 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments
CHAGAS
CHAGAS
2 meses atrás

Eu era um dos que estavam torcendo para Pietro ficar com a vaga, puramente por ser brasileiro. Atenção na palavra “puramente”, por que ser brasileiro hoje, torcer pra brasileiro hoje, ser patriota hoje (95% dos frequentadores do blog) confundem com a besta quadrada que esta no governo. E pensar que somos desgovernados desde que eu me conheço por gente. Enfim algumas palavras perdidas falando da merda que é a política, vimos hoje um Magnussen totalmente diferente daquele esboço de piloto que conhecemos. Magnussen pilotou parecido com seu inicio de carreira na Mc Laren. Andou bem com todos os compostos colocando a Hass no meio do pelotão e no fim fez milagre, mesmo que seja sem combustível bater a Ferrari com uma Hass é digno de aplausos.
Um detalhe não mencionado pelo blogueiro é que Mick fez seu melhor giro em 1’37″846, Pietro em 1’37″422. Pietro não é o rei da cocada, porém é mais piloto que alguns titulares do grid.
Pranto derramado, torcer para que Magnussen continue bem e coloque a Hass em briga direta com Williams e Alfa Romeo.

Jeferson Araújo Pereira
Jeferson Araújo Pereira
2 meses atrás

Se o Daniel Ricciardo não se recuperar rápido da Covid, fica a dúvida de quem será o piloto reserva que irá substituí-lo no primeiro GP do ano: Stoffel Vandoorne ou Nyck de Vries? Penso que o ideal seria que, nesse sábado, dia 12, um piloto reserva já participasse do último treino.

Lívia Nepomuceno
Lívia Nepomuceno
2 meses atrás

Adorei as notinhas coloridas. =]

Marcos Bassi
Marcos Bassi
2 meses atrás

Consegui pegar só seu tchau no Fórmula Gomes agora a pouco. Sentindo falta de ver ao vivo. Mas vejo todo dia um pouco mais tarde. Como comecei a rever e logo de cara você fala da “intrépida” voz do Brasil, que servia pra gente saber que estava na hora de ir pra casa tomar banho e jantar e dormir pra escola do dia seguinte, duvido que alguém escutava, resolvi vir só pra dar um dica literária. Um dos livros menos conhecidos do incrível Rubem Fonseca, é uma biografia de Carlos Gomes: O Selvagem da Ópera. Vale a leitura…

paulo maia
paulo maia
2 meses atrás

AHAASOU

Pedro Moral
Pedro Moral
2 meses atrás

Com um pouco (de muita) boa vontade, dá pra dizer que a Mercedes copiou o Copersucoar … da cintura pra trás …

W13-FD01.png.jpg
Leandro
Leandro
Reply to  Pedro Moral
2 meses atrás

Eu notei isso, comentei antes na outra postagem, que bom que não foi só uma “viagem” minha kkk

Mas me lembrou por causa das laterais e da cor cinza.

Rafael Rego
Rafael Rego
2 meses atrás

Se o Pietro tivesse andado, terminaria em ultimo e todos ficariam: meu deus, que grande resultado, é um começo muito promissor, vai evoluir muito ainda.

Eu tenho a impressão que o Pietro fica só turistando na F1 e fazendo foto pra instagram. Acho que ngm lá leva ele muito a sério como piloto. E no fim das contas, os pilotos de testes hoje são só figurantes.

Pedro Moral
Pedro Moral
2 meses atrás

A melhor do texto: “Alpine volta a ser azul com toques de rosa, para desespero da ministra que viu Jesus na goiabeira.”

Rafael
Rafael
2 meses atrás

Depois de toda a confusão com Force India, Force Point, Racing India, agora temos a Alpine India…Quero ver não confundirem o nome da equipe.