QUEBEQUIANAS (3)

Pressão de Sainz no final: gelado, Max resistiu

SÃO PAULO (normal) – Max Verstappen ganhou de novo. Deu um pouco de trabalho, por causa de um safety-car no fim. Mas nada que arranhasse seu favoritismo no Canadá. Foi a sexta vitória dele no ano, 26ª na carreira – deixando Clark e Lauda para trás nas estatísticas, colocando-se isoladamente como nono maior vencedor da história. Carlos Sainz terminou em segundo e Lewis Hamilton completou o pódio.

Fernando Alonso, atração maior do sábado com o segundo lugar no grid, terminou apenas em sétimo. Depois da corrida ainda levou uma punição de 5 segundos por ziguezaguear numa defesa de posição e foi rebaixado para nono. De quebra, ainda teve problemas no motor a partir da volta 20 e disse que passou a perder 0s8 por volta — a bateria não estava armazenando energia direito.

Acontece.

Max: 26 vitórias na carreira, mais que Lauda e Clark

A meteorologia acertou na previsão e a chuva do sábado ficou no passado. Montreal teve um domingo de sol e céu azul, temperatura agradabilíssima de 21°C, aquele ambiente festivo do verão canadense que dura mais ou menos uns dois dias.

Os pneus médios para a largada foram a opção da maioria. Bottas, Pérez, Norris, Stroll e Leclerc, todos mais para trás no grid, escolheram os duros para adiar a parada até onde fosse possível.

A largada foi das mais civilizadas, sem toques, refregas, encontrões, provocações ou desavenças. Verstappen pulou na frente e Alonso não deu moleza para ninguém, sustentando-se em segundo. Hamilton e Magnussen chegaram a se tocar levemente, mas o inglês não estava nem um pouco disposto a perder o quarto lugar no grid obtido às custas de sangue, suor e lágrimas na véspera. Sobrou para o dinamarquês.

Alonso persegue Sainz no início: problemas no motor

No fim da terceira volta, Sainz passou por Alonso sem muita dificuldade, assumindo o segundo lugar. Max estava 3s à frente, tranquilo e solitário. O pau iria comer longe dele, com Hamilton se aproximando de Alonso para buscar uma rara – neste ano – briga pelo pódio.

Quem esperava um Leclerc no início devastador, passando todo mundo lá no fundão a partir da última fila no grid, não teve grandes motivos para se empolgar nas primeiras vltas. Na sexta, ele só havia conquistado três posições. Mas foi só um começo discreto. Depois, o monegasco passaria a escalar o pelotão com ousadia e alegria.

Vettel e Gasly, também da turma de trás, fizeram paradas precoces na volta 7 para colocar pneus duros. Magnussen, que vinha em quinto, parou na volta seguinte para trocar o bico do carro, também, avariado no ligeiro toque com Hamilton.

Hamilton, terceiro: animado com a melhora da Mercedes

Logo depois, Pérez quebrou. O câmbio deixou de engatar as marchas e o mexicano estacionou na área de escape. Com o safety-car virtual acionado na volta 9 para tirar o carro do companheiro, Verstappen parou e trocou os pneus. Hamilton fez o mesmo. Sainz e Alonso ficaram na pista e assumiram primeira e segunda colocações. Max voltou em terceiro. Hamilton, em sexto. A bandeira verde foi mostrada na volta seguinte e Lewis não perdeu muito tempo para passar Ocon e subir para quinto.

Fernandinho não conseguia acompanhar o ritmo da Ferrari de Sainz, que na volta 14 já tinha 4s6 sobre o asturiano. Verstappen, por sua vez, se aproximava do #14 da Alpine e preparava o bote. Passou fácil na volta 15 sem nenhuma necessidade de fazer cara feia para o adversário. Alonso não dificultou, mais preocupado em fazer sua corridinha para buscar um troféu no final da tarde, tarefa que seria abirtada quando o ERS, que acumula energia na bateria, começou a falhar.

Sainz: pressionou no fim, mas não deu

Leclerc foi entrar na zona de pontos pela primeira vez na volta 20, quando Mick Schumacher abandonou e o safety-car virtual foi acionado de novo. Russell, que estava em quarto, correu para os boxes e voltou em quinto. Outros carros pararam e Charlinho subiu para oitavo com os pit stops. Sainz entrou na volta seguinte, a bandeira verde liberou a retomada da prova e o ferrarista voltou em terceiro, atrás de Verstappen e Alonso – entre os ponteiros, o único que não tinha feito nenhum pit stop. Hamilton, Russell e Ocon vinham atrás deles.

Com pneus já bem gastos e carro falhando, El Fodón não resistiu muito tempo e foi ultrapassado por Sainz na volta 22. Hamilton fez o mesmo na 23, deixando o espanhol em quarto. Lá na ponta, Max voltava a desfilar sem incomodar vizinhos com o barulho de seu carro – o mais próximo estava a 9s de distância, a Ferrari #55.

Alonso acabou parando na volta 29. Caiu de quarto para sétimo, pagando o preço pelo pit stop tardio e pelo carro defeituoso. Mas com pneus novos tentou uma aproximação para cima de Leclerc, empacado atrás de Ocon. Charlinho sofria com uma borracha já desgastada contra pneus mais novos do francês. “Não consigo passar”, lamentava o ferrarista pelo rádio.

Sainz e Verstappen no papo pós-corrida: nova vitória do holandês

Na metade da corrida, Leclerc, Bottas e Stroll, que largaram de pneus duros, eram os únicos que ainda não tinham visitado os boxes. Lá na frente Max reclamou da perda de aderência de seus pneus e Sainz começou a descontar segundos valiosos em relação ao holandês. Os 9s de algumas voltas antes caíram para 7s5. Nada muito assustador, mas preocupante. A Red Bull passou a considerar uma segunda parada, algo que também não estava totalmente fora do radar da Ferrari, embora os pneus de Sainz fossem 11 voltas mais novos que os do líder do campeonato.

Leclerc finalmente parou na volta 42. A parada foi lenta e ele caiu para 12º no fim de uma fila que tinha, pela ordem, Stroll, Zhou, Tsunoda e Ricciardo. Mas, com pneus médios novos, voltou a remar vigorosamente para recuperar as posições perdidas.

Na volta seguinte, a Red Bull chamou Verstappen. Colocou pneus duros em seu carro e o holandês voltou em terceiro, colado em Hamilton. Sainz assumiu a ponta, mais de 11s à frente. Max passou Lewis sem dificuldade e o inglês também foi para os boxes para fazer seu segundo pit stop. Voltou em quarto. Russell parou em seguida e Lewis retomou sua posição de pódio.

Segundo pódio de Hamilton no ano: “Estamos chegando”, disse

Max, com pneus novos, começou a pulverizar a diferença que o separava de Sainz. Na volta 47, o cronômetro apontava uma distância de 8s7. Na 49, 7s7. Foi quando Tsunoda bateu pateticamente, na saída dos boxes. O safety-car foi chamado e Sainz parou para ter pneus novos na parte final da prova. Colocou duros. A Ferrari disse que não tinha médios novos para usar. Poderia ter arriscado os macios, mas não o fez. Max assumiu a ponta e mais gente aproveitou o momento para novas paradas.

A condição de pneus de Verstappen e Sainz era semelhante – os do rubro-taurino, seis voltas mais velhos; o que no caso dos compostos duros não faz tanta diferença assim. Max, Sainz, Hamilton e Russell, todos com esses pneus, eram os quatro primeiros colocados. Ocon, Alonso, Leclerc e Bottas vinham atrás, todos de médios.

A relargada aconteceu no final da volta 54. Não houve hostilidades. Mas quando a asa móvel foi liberada, com distâncias ínfimas entre quase todos os carros, foi um festival de ultrapassagens. Zhou passou Vettel. Leclerc atropelou Alonso e calibrou a mira para o alvo seguinte, Ocon, que também foi superado pela Ferrari #16. Sainz partiu para cima de Max com decisão. Valia vitória. O holandês tinha de se defender sem abrir asa, porque era o único sem ninguém na frente.

Com sua proverbial frieza, Verstappen se manteve à frente até a bandeira quadriculada, mesmo sofrendo uma pressão insana do espanhol – a diferença entre eles, da relargada até o final, nunca chegou a 1s. Foram 16 voltas assim, com três trechos de asa móvel para Sainz tentar alguma coisa. Não passou. Max mostrou por que é campeão mundial. E por que será de novo, neste ano.

Verstappen, Sainz, Hamilton, Russell, Leclerc, Ocon, Bottas, Zhou, Alonso (já com a punição) e Stroll fecharam a zona de pontos. Palmas para a Alpine e para a Alfa Romeo com suas duplas nos pontos – embora para os franceses tenha tido um gostinho amargo, sem que o segundo lugar de Alonso no grid fosse convertido em algo mais marcante.

Max foi a 175 pontos no Mundial. O vice-líder segue sendo Pérez, com 129. Leclerc foi a 126. Daqui a duas semanas, Silverstone. A primeira de uma série de sete provas seguidas em autódromos de verdade. Depois tem uma de rua, em Singapura, e o resto em pistas permanentes. A fatura está liquidada.

Subscribe
Notify of
guest
32 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments
Alfredo Ramos
9 dias atrás

Ninguém disputa título sem ter um carro à altura. É compreensível o que está acontecendo com Hamilton. O que não se entende é um heptacampeão levar olé de um garoto munido do mesmo equipamento.

Um Dick Com Classe
Um Dick Com Classe
Reply to  Alfredo Ramos
7 dias atrás

Não é nenhuma novidade! O inglês vigarista já foi derrotado por outro garoto em 2016 e com o mesmo carro.

Luiz
Luiz
11 dias atrás

Acabou a temporada.
Max Bi campeão.

Quem não vê que a fatura está liquidada, está com muita vontade de torcer.

lagerbeer
lagerbeer
12 dias atrás

Até tentamos dar uma forcinha na torcida, mas esse Tsunoda não ajuda…

CHAGAS
CHAGAS
12 dias atrás

Verstappen, Sainz, as Mercedes, Ocon e as Alfa Romeo se salvaram no GP.
O GP também se salvou. A corrida foi boa.
Leclerc poderia fazer mais.
O resto foi um show de horrores.
Gasly e Norris fizeram uma corrida digna de Latifi.
Vettel terminando novamente atrás de Stroll. Uma vergonha.
Alonso me decepcionou. Na última volta escorregou na saída do grampo, seria presa fácil para Bottas. Perderia uma posição, mas não, jogou sujo e foi “premiado” também perdendo posição para a outra Alfa Romeo de Zhou. Alonso bestamente municiando o rival.
E Magnussen? Quer passar Hamilton à força com uma Hass? O dinamarquês não perde oportunidade de nos lembrar por que foi demitido. Um bobão.
Tsunoda é muito fraco. Cometeu um erro juvenil ontem.
Latifi nas últimas 15 voltas tomou 15 segundos do Albon. É inexplicável ele estar na F1.

Clayton Araujo
Clayton Araujo
12 dias atrás

Corrida morna. E o Max vai controlando cada corrida e caminhando a passos largos rumo ao bi campeonato. E a Red Bull vai dominando a nova era da F1 e provando que não existe essa historinha de melhor piloto de todos es tempos apenas pelos números. Sem carro de ponta ninguém faz milagre. O LH é apenas mais um piloto no grid. Os números falam isso.

Manuel Gamallo
Manuel Gamallo
12 dias atrás

El Picareton das Asturias foi pego no fraga fazendo o que faz melhor trapacear, ele já tinha estragado a classificação do Albon e de quem vinha atrás, no grande premio anterior ziguezagueando e depois com a saída mandrake da pista, dessa vez dançou.

Tales Bonato
Tales Bonato
12 dias atrás

Verstappen 2022 está repetindo Schumi e Hamilton. Conjunto tão superior que resta apenas a disputa pelo segundo lugar.

Danilo A.
Danilo A.
13 dias atrás

Ainda teremos 13 corridas, mais de 330 pontos em jogo. Verstappen tem 49 pontos de vantagem. A Red Bull, como a Ferrari, não vem sendo um primor de confiabilidade. O desempenho dos carros é bastante semelhante. Atualizações ocorrerão ao longo do ano. Mas “a fatura está liquidada”, segundo o vidente Flávio Gomes. O mago escreve essa frase com apenas uma mão. A outra repousa sobre um palantir.

Tenha a santa paciência.

Last edited 13 dias atrás by Danilo A.
SulIvan
SulIvan
Reply to  Danilo A.
12 dias atrás

D.nilo claro que tens razão em afirmar que há muuitos pontos em jogo e matematicamente até o Lafiti poderia se tornar campeão. Mas eu atmbém penso como o Flávio porque veja bem: o desempenho das RBRs é melhor nas corridas, Ferrari nos treinos vão bem mas depois da largada só dá RBR, os próximos GPS são pistas que não são favoráveis à Ferrari, são no maximo neutros, Verstappen é o melhor piloto do grid e esta cada prova melhor, Lecler não é páreo pra ele, e quebras de equipamentos e acidentes são uma loteria, resumindo, teria que haver mudanças drasticas nos resultados para a fatura não estar liquidade, vamos VER o que vai dar.na proxima corrida será SILVERSTAPPEN.

Antonio Seabra
Antonio Seabra
13 dias atrás

Minha visão da corrida:

-O acerto da Ferrari para Leclerc não funcionou: com pouca asa, o carro tinha excelente velocidade de reta, mas não tinha donwforce nas curvas, o que fazia que não tivesse tração nas saídas de curva. Logo, entrava nas retas muito longe dos que iam na frente e não conseguia aproveitar a velocidade para ultrapassar. Tanto o acerto não era bom que ele nunca foi tão rapido quanto Max e Sainz.
– O acerto do carro de Russel também não era o ideal, ele ficou sem velocidade de reta. E foi nitidamente menos rapido que Hamilton.
– Alonso, apesar do problema de bateria, foi bem rápido, e merecia que a equipe tivesse tirado Ocon da frente dele. Fez jus ao sexto lugar e foi melhor do que o francês a prova toda. No final não ia adiantar nada chegar em sexto, porque acabou usando um de seus “truques”, e foi devidamente punido.
– Pergunta que não quer calar: as Mc Laren correram ???

No final das contas, o personagem do final de semana no Cadadá foi mesmo a Marmota…

Celio Ferreira
Celio Ferreira
13 dias atrás

Apenas um comentário : Hoje foi provado que os novos carros pode andar
próximo do outro sem turbulência , Sainz que o diga . Agora precisa de tração
na saida de curva para ultrapassar.

Welton
Welton
13 dias atrás

Flavio,

Depois que o Sainz falou que não queria ser o Rubinho parece que perdeu o brilho…

E o Leclerc ainda vai ser campeão mas hoje não está no nível do Verstappen.

E apesar do título ganhado no apito amigo, o Verstappen está com a pilotagem firme digna de um grande campeão.

Abraço

Um Dick Com Classe
Um Dick Com Classe
13 dias atrás

Hamilton nem se aventurou a disputar a ponta. Não tem equipamento para tal. O inglês vigarista não é tudo o que se pensava dele. Será que os foguetes da Mercedes ficaram no passado?

Edson
Edson
Reply to  Um Dick Com Classe
12 dias atrás

Um hater sem classe…. só falta fazer arminha com a mão

Um Dick Com Classe
Um Dick Com Classe
Reply to  Edson
12 dias atrás

O teu reizinho ficou nu e você não gostou? E levando pau do companheiro que chegou ontem na categoria?

Edu Zeiro
Edu Zeiro
Reply to  Edson
12 dias atrás

Prezado, não vale a pena dar palanque pra papagaio. Esse aí só sabe repetir “Silverstone, Silverstone, Silverstone”.

Um Dick Com Classe
Um Dick Com Classe
Reply to  Edu Zeiro
12 dias atrás

Ih, pronto! Chegou o advogado de defesa…

Edu Zeiro
Edu Zeiro
Reply to  Um Dick Com Classe
11 dias atrás

Assim falou sérgio moro.

Um Dick Com Classe
Um Dick Com Classe
Reply to  Edu Zeiro
9 dias atrás

Interessante! Questionar o que eu escrevo, ninguém questiona.
Só ficam de mimimi.

Edu Zeiro
Edu Zeiro
Reply to  Um Dick Com Classe
8 dias atrás

Interessante e conveniente, mas sua memória é curta, né sérgio moro? Já lhe demos muito palanque, pra um papagaio.

Um Dick Com Classe
Um Dick Com Classe
Reply to  Edu Zeiro
7 dias atrás

E o mimimi continua. Depois sou eu o papagaio…

Edu Zeiro
Edu Zeiro
Reply to  Um Dick Com Classe
6 dias atrás

Tens razão. Um papagaio é mais coerente que você. E menos metido a besta.

Edu Zeiro
Edu Zeiro
Reply to  Um Dick Com Classe
6 dias atrás

Ah, tens razão em outra coisa: quando os argumentos acabam, vem com essa de mimimi.

Marcus
Marcus
13 dias atrás

McLaren segue sendo a nulidade do ano.

Afonso
Afonso
13 dias atrás

Vitória tranquila

Torcedor Tedesco
Torcedor Tedesco
Reply to  Afonso
11 dias atrás

Tranquila?

SulIvan
SulIvan
13 dias atrás

MONTREAL – MAX MAX MAX !!!
Poxa Flávio tu tá rápido no gatilho, só deu tempo de assistir a premiação no pódio (já tô enjoado de ouvir os hinos (Holanda/Austria) , ir ao banheiro desaguar 3 latas de Redebulls ingeridas durante a corrida e quando vi já tinha teu texto, que bom !!! Na F1 depois das corridas o que mais eu vejo é este blog, Corrida boa, como sempre é no Canadá, e o Safety Car, Carro Madrinha como vocês dizem aí no Brasil né FG, deixou as ultimas 20 voltas disputadíssimas como poucas vezes se vê nos GPs, MAX VERSTAPPEN foi superior a tudo e todos na corrida(outra vez) mas o driver do dia pra mim foi o espanhol jovem CARLOS SAINZ, pilotou como gente grande, ele chegou perto do Holandês Voador e ficou com pressão até a última volta, se MAX bobeasse já era… LECLERC nunca fez isso, então acho que a Ferrari apostou no cara errado como primeiro piloto, o velhote espanhol ALONSO também pilotou bem, tirou o máximo possível mas a Alpine é do grupo médio pra baixo e não é páreo nem mesmo para uma saltitante Mercedinha meia boca… LERCLERc ganhou muitas posições sim mas só passou as lesmas… já vi muitos caras bom de braço sair em último e vencer a corrida, então vamos dizer que LÉOCLERC só o mínimo mesmo…. E PEREZ? Que se pasa contigo muchacho? Simplesmente nada deu certo pra ele na Canadá, mas a quebra da REDBULL lembra-nos que o mesmo pode acontecer com o Carro Nº1 e daí manter acesa alguma brasa na luta pelo campeonato porém acho que nem a Ferrari acredita mais… E o Lewis Hamilton e Russel parecem que estão correndo sentados num vibrador de gesso deve machucar as costas e o bumbum também porque quem já andou a galope num cavalo sabe como dói e eles parecem cavalgar um garanhão indomável, vamos ver que atitudes a FIA vai tomar. Valeu FG e demais amigos apreciadores de F1! E vamos VER em Silverstone como será, a tendência é de Vitória do MAX porém nada é garantido antes da bandeira quadriculada, tomara que chova no treino e na corrida também. Um Grande Abraço a Todos!!!

Afonso
Afonso
13 dias atrás

Tadinha da Haas

Afonso
Afonso
13 dias atrás

Foi um GP sem grandes emoções.

SAI
SAI
13 dias atrás

16:47 de 19/06/2022.
Ninguém escreve tão rápido sem escorregar. Estou de olho.

Marcelo
Marcelo
13 dias atrás

Se o Alonso tivesse parado como todo mundo fez em um dos dois primeiros safety cars virtuais as chances dele conseguir algo melhor seriam maiores na minha opinião, achei esquisito o fato de a Alpine mantê-lo na pista.

Leclerc e Sainz fizeram boas corridas, mas pena que o campeonato já está muito difícil pra eles dado o que Verstappen e Red Bull vem mostrando, uma pena essa queda de rendimento da Ferrari nas últimas etapas.

Corrida excelente da Alfa Romeo e péssima da Haas. A Mercedes mesmo com quiques e tudo está sempre ali no pódio, não é tão rápida, mas também não quebra e só de ir comendo pelas beiradas já garantiu no mínimo um terceiro lugar nos construtores. A Ferrari já não pode ignorar os alemães.