SPGP (1)

Verstappen faz a pole: depois, o mundo acabou

SÃO PAULO (salve-se quem puder) – Max Verstappen larga domingo na pole para o GP São Paulo, antepenúltima etapa do Mundial de F-1. O holandês garantiu a posição de honra da prova de domingo antes que o mundo acabasse com uma tempestade que se abateu primeiro sobre a zona sul, se espalhando depois por outras regiões da cidade. Ela veio na metade do Q3, interrompendo os trabalhos no autódromo. Foi a 11ª pole do tricampeão no ano, 31ª na carreira. Amanhã é dia de Sprint em Interlagos. Se houver sobreviventes do furacão, eles voltam ao autódromo para a minicorrida que começa às 15h30. O grid desta será definido a partir das 11h.

Max & Adriano: o rei da hora e o imperador de sempre

A classificação começou com céu nublado e tempo abafado, na casa dos 28°C, enquanto chovia forte em alguns bairros paulistanos. E com 15 minutos de atraso. A pista teve de ser limpa com caminhões-vassoura pelo excesso de terra e pedriscos que, depois do treino livre, chamaram a atenção de Alonso. “Não é uma pista no nível da F-1”, exagerou o espanhol, subindo um pouco o tom.

A Ferrari tinha feito 1-2 no único treino livre, pela manhã. Mas a McLaren, no fim da sessão, deu pintas de que seria rápida, com seus pilotos fazendo as melhores parciais nos dois primeiros trechos do traçado, e abortando as voltas no fim. Por isso, ninguém se espantou quando Norris fez 1min10s623 logo de cara. As equipes trabalhavam com a possibilidade de chuva a qualquer momento, por isso era importante registrar tempo o quanto antes. Leclerc baixou o tempo de Landinho em 0s151. Piastri, na sequência, também jogou o inglês para trás.

Enquanto isso, Verstappen reclamava. “Meu carro está pulando que nem um canguru, como no México!”, falou, pelo rádio. “Perneta?”, perguntou o engenheiro. Max não entendeu a piada – a maioria dos que nos leem também não, provavelmente.

Sessão interrompida: Stroll em terceiro no grid

Como de hábito, os tempos em Interlagos ficaram muito próximos. Todos os pilotos no Q1 ficaram no mesmo segundo – 0s935 do primeiro ao último; até o 19º, 0s695. Qualquer milésimo conta. Isso se dá porque a pista é curtinha, com voltas muito rápidas – na casa de 1min10s. No final da primeira parte da classificação, Russell acabou com o melhor tempo: 1min10s340. Max reagiu e foi o segundo, a 0s096 do mercêdico que, no ano passado, venceu no Brasil. Tsunoda, Ricciardo, Bottas, Sargeant e Zhou foram os eliminados.

Verstappen abriu bem o Q2 com 1min10s162. Sua volta só foi batida por Norris a 3min30s do final: 1min10s021. Havia mais de um candidato à pole, isso era claro. Qualquer um de Red Bull, Ferrari, Mercedes ou McLaren poderia ficar em P1. Tudo dependeria de acertar tudo numa volta no Q3.

A proximidade dos tempos se repetiu no Q2, com menos de 0s4 separando o líder da tabela do décimo, o último a passar para a fase final da classificação. Ficaram fora Hülkenberg, ocon, Gasly, Magnussen e Albon.

Os tempos em Interlagos: Aston Martin reage

Cinco equipes levaram suas duplas ao Q3: McLaren, Red Bull, Aston Martin, Ferrari e Mercedes. Sem surpresas, pois. Aí o céu fechou de vez. Nuvens muito escuras se aproximaram do autódromo, vindo da represa, claro, e alguns torcedores – que encheram as arquibancadas, numa sexta-feira festiva e colorida – começaram a vestir capas. Só que chuva, mesmo, daquelas de molhar o asfalto, não vinha. Na dúvida, os pilotos formaram uma fila na saída dos boxes para pegar pista seca. E faltavam três minutos para a luz verde.

Daria tempo para todos fazerem voltas no seco, só que daquele jeito: com pressa e sem se preocupar muito com a perfeição. O mundo desabaria sobre as cabeças de todos em breve, justificando os temores de Asterix e Obelix, quando terminasse a classificação. (Se não entenderam também, leiam.)

Stroll com Verstappen: melhor desde pole em 2020

Verstappen fez 1min10s727 na sua primeira volta rápida. Não era um tempo bom, mas ninguém conseguiu nem chegar perto na primeira saída dos boxes. O vento forte, vindo de várias direções, impediu os pilotos de fazerem voltas minimamente aceitáveis. E essa saída acabou sendo a única. Piastri rodou. Sainz escapou. O vento soprou. A chuva chegou. O asfalto molhou. A luz sumiu. A classificação acabou. Uma tempestade assustadora despencou sobre Interlagos e a direção de prova deu bandeira vermelha a 4min19s da quadriculada, suspendendo as atividades e recomendando que todos fugissem para as colinas.

Verstappen e Leclerc formam a primeira fila do GP São Paulo, domingo. O monegasco ficou a 0s294 do holandês. Na segunda, uma surpresa: Stroll em terceiro, Alonso em quarto. Para o canadense, uma espécie de remissão dos pecados. É sua melhor posição de largada desde a inesperada (e solitária) pole que fez para o GP da Turquia em 2020, ainda pela Racing Point. Hamilton e Russell ficaram em quinto e sexto, terceira fila da Mercedes, pois. Norris, Sainz, Pérez e Piastri fecharam os dez primeiros.

Às posições de Russell, Gasly e Ocon, que estão um pouco acima na tabela de tempos, acrescentem duas. Os três foram punidos porque enrolaram para entrar na pista, atrapalhando outros pilotos na saída de box. Assim, Russell caiu para oitavo, Ocon para 14º e Gasly para 15º.

Caixinhas, agora, para arredondar a semana.

Alonso: mentiras de redes sociais

FAKE NEWS – A cascata da semana passada, disseminada nas redes sociais, foi: Alonso vai para a Red Bull em 2024 e Pérez, para a Aston Martin. Mentira pura, mas o público de F-1 hoje, sobretudo os mais novos, se alimenta disso. Sai espalhando e, depois, jornalistas de verdade são obrigados a desmentir o que nunca publicaram. Isso irrita a imprensa profissional, claro, mas não só ela. Alonso mesmo, ontem, disse que “vai tomar providências” contra o que chamou de “mentiras para dar audiência na internet”. A origem dessa bobagem foi a postagem de um “influencer” que se intitula “jornalista freelancer” – inglês, irlandês ou coisa que o valha – e se baseou numa “informação” publicada num site amador da… Polônia!

Lindeza em Interlagos: Porto segue com Drugovich (foto: Rodrigo Berton)

TESTING, TESTING – Ontem, também, só que agora a notícia é real: Felipe Drugovich renovou com a Aston Martin, segue como piloto de testes e desenvolvimento em 2024 e está procurando alguma coisa para fazer além de trabalhar em simuladores no ano que vem. Ficou tarde, porém. Equipes que disputam campeonatos de alguma relevância já fecharam seus pilotos para a próxima temporada – WEC, Indy, Fórmula E. Drugovich falou que teve de distribuir “nãos” aos convites que recebeu porque sua prioridade é a F-1. O brasileiro, que tem 23 anos, terá como última tarefa em 2023 a participação no primeiro treino livre em Abu Dhabi, prova de encerramento da temporada. Vai no carro de Alonso. Em 2024, Drugovich continua com patrocinadores fortes que bancam seu lugar na Aston Martin, como a Porto Seguro e a XP Investimentos.

Interlagos: chove, mas a gente gosta

MAIS SETE – Hoje, a boa notícia para paulistanos e Interlagos’ lovers foi a da extensão do contrato da cidade com a F-1 por mais sete anos. O GP do Brasil, agora chamado de GP São Paulo, segue no nosso querido templo pelo menos até 2030. Gostaria de lembrar que em 2019 o tosco asqueroso, nojento, com tendências genocidas e golpista vagabundo, ao lado de um picareta que desapareceu, anunciou que a F-1 iria para o Rio no ano seguinte, num autódromo que seria construído em Deodoro. Parte da imprensa brasileira comprou essa lorota, dando-a como fato consumado. Fui dos poucos a denunciar a mentira cabeluda — de vez em quando falo bem de mim. O governador de São Paulo à época, João Doria, renovou o contrato com Interlagos alguns meses depois. O tal autódromo de Deodoro nunca saiu. Ainda bem, porque a ideia dos pilantras era fazer a pista numa área de floresta preservada. O abominável perdeu a eleição, hoje não pode se candidatar nem a síndico de condomínio na Barra. Pesada. O malandro que apresentou o projeto da pista sumiu. E Interlagos segue firme e forte.

COM MUITO ORGULHO – Hamilton, que no ano passado ganhou o título de cidadão brasileiro, apareceu na quinta com uma jaqueta e uma calça pintadas com as cores do Brasil e o rosto de Senna. Hoje, entrou no autódromo com agasalho da CBF da Umbro, antigão – de 1994. E fez um capacete especial para a corrida, lembrando o de Ayrton. Ele é muito fã de Senna e ama o Brasil, como todos sabem. Mas continua falando apenas duas palavras em português: “Oi” e “obrigado”. Nos eventos promocionais pré-corrida, o que de mais importante Lewis disse foi que, nestes últimos dois anos, redescobriu o prazer de terminar uma corrida em segundo lugar.

SEM MASSA – Registrando que, até agora, Felipe Massa não apareceu no autódromo. A FIA não o proibiu de nada. Mas ele sabe que seria meio constrangedora a presença, porque todos só perguntariam a ele sobre a reivindicação do título de 2008. Um encontro casual com Hamilton, já pensaram? Aliás, na coletiva de quinta, Leclerc, Sainz, Bottas, Sargeant e o próprio Hamilton foram perguntados sobre o desejo de Felipe e o processo que pretende mover contra a FIA e a F-1. Ficaram em silêncio. Não tinham nada a falar sobre o assunto.

PAVOR – A tempestade que atingiu Interlagos derrubou o teto de uma arquibancada da Porsche, levou parte da cobertura da tribuna da Porto, arrancou uma tenda da Heineken, sumiu com a bandeira do Brasil gigante que havia sido hasteada em orgulhosos mastros no meio da semana e inundou boxes e paddock. Até agora, a organização do GP diz, oficialmente, que não há feridos. Mas já recebi relatos de gente em Interlagos saindo de ambulância, outros de pessoas sendo levadas em macas e pânico em certos setores. Aguardemos, torcendo para que tudo esteja bem. O negócio foi pesado. Às 20h, um comunicado foi emitido com o seguinte teor: “As equipes do GP São Paulo avaliaram os acontecimentos ocorridos no autódromo de Interlagos nesta sexta-feira, 3 de novembro, em função dos fortes ventos e chuvas na cidade. Foram identificados alguns pequenos incidentes com espectadores, atendidos prontamente pelas equipes do evento. Verificaram, ainda, que algumas áreas foram danificadas, mas não houve comprometimento das suas estruturas, que já estão sendo reparadas para o evento de amanhã”.

Subscribe
Notify of
guest

29 Comentários
Newest
Oldest Most Voted
Inline Feedbacks
View all comments
Edson
Edson
8 meses atrás

O stroll precisa ser estudado, o cara é limitado, vive dando suas estroladas, mas aí do nada arranja um resultados surpreendentes, geralmente quando as condições não são as ideais.
Ele largando em terceiro no domingo é promessa de fortes emoções, bem que ele podia dar uma strolada para cima do verstapen, só para animar a corrida, do contrário a gente já sabe quem vai ganhar com larga vantagem, com toda a justiça, diga-se de passagem (como diria o craque neto)

Bianco
Bianco
8 meses atrás

Viva LANDO POLE POSITION
Viva PARMEIRA CAMPEÃO
VIVA NÓIS

Edson
Edson
8 meses atrás

Parabéns para a organização do evento que conseguiu deixar o autódromo em condições para o sábado, a tempestade foi absurda, estava com medo de terem que cancelar a sprint hoje

MOSSOLIN
MOSSOLIN
8 meses atrás

Nós LBGT somos Hamilton, ela

É nossa

Berol
Berol
Reply to  MOSSOLIN
8 meses atrás

Nada a ver cada um faz o quer,,

Barreto
Barreto
8 meses atrás

Engraçado foi a emissora oficial ficar buzinando sobre o clima em quase metade do treino e quando o pau quebrou eles ficarem com cara de concha.
Não sei porque a tara com a chuva na F1. Fica aquela esperança de que haverá alguma façanha quando na verdade o piloto mais talentoso é também um dos mais habilidosos na chuva.
Fico a pensar se estão narrando uma corrida de nuvens com carros de F1 inclusos no evento principal.
Finalizando, pqp, já estamos na antepenúltima corrida de um extenso calendário e o narrador não aprendeu que a Mercedes com numeral e detalhes amarelos marca texto são do Hamilton e os azuis são do Russel?

Leon Neto
Leon Neto
8 meses atrás

Gostei do título. SPGP é nome de carro.

Luiz
Luiz
8 meses atrás

Sobre o “caso Massa”. Acho que não é sobre o piloto, e sim sobre uma das atitudes mais anti esportivas que já tive o desprazer de presenciar pois, ao episódio, já suficientemente deplorável, soma-se a “operação abafa” que envolveu a cúpula do esporte que, até agora, permanece longe do noticiário…

Neuri Lauri Becker
Neuri Lauri Becker
8 meses atrás

Só o cú do Hamilto gosta do Brasil

Edson
Edson
Reply to  Neuri Lauri Becker
8 meses atrás

Piquet é vc?

Nelson
Nelson
Reply to  Edson
8 meses atrás

Sim como sabe

Chupez Alonso
Chupez Alonso
8 meses atrás

Sobre Versttapen, vou ser sucinto hoje:

Existe ele………….um longo gap……………e existem os outros.

Rumo ao 8cta………….

IMG_6029.jpeg
O crítico
O crítico
Reply to  Chupez Alonso
8 meses atrás

Baba, lady, baba. E o melhor entre ruins é só medíocre. Esse é o seu two and a half champion.

Chupez Alonso
Chupez Alonso
8 meses atrás

“Ele não está nos padrões da FIA nem da Fórmula 1, já está muito velho e bem gasto, o tempo não lhe fez bem, já foi melhor antes, mas nada espetacular. Espero que logo seja trocado por um mais novo e com mais capacidade.”

Soube que o diretor do autódromo deu essa declaração aí sobre o Alonso, ontem, após o treino.

IMG_6026.jpeg
Ricardo
Ricardo
8 meses atrás

O Drugovitch parece estar complicando uma carreira promissora com essa bitola de F1. Tudo bem ser prioridade, mas dá pra buscar lugar ao sol se divertindo, vencendo corrida e fazendo história numa Indy da vida – ele teve convite até do Chip Ganassi.

Paulo Eduardo Szwec
Paulo Eduardo Szwec
8 meses atrás

Que eu me lembre era o rei da aldeia que tinha medo do céu cair um dia na cabeça dele. E caso você vá ao autódromo, já sabe qual o carro da sua garagem é o eleito para ir? Abraço

O crítico
O crítico
Reply to  Paulo Eduardo Szwec
8 meses atrás

Chefe, não rei. E toda a aldeia tinha esse medo, exceto Panoramix, o druida.

Mario HP
Mario HP
8 meses atrás

Alguém aí mete um Cala a boca Magda! pra esse Alonso boquirroto

Chupez Alonso
Chupez Alonso
8 meses atrás

Legal que nosso herói local está achando o máximo terminar uma corrida em 2º lugar.

De nos emocionar.

Enquanto isso…

Na rua, na chuva, na fazenda
Ou numa casinha de sapê…

O melhor está sempre na frente.

C’est la vie!

Rumo ao Octa!

IMG_5853.jpeg
O crítico
O crítico
Reply to  Chupez Alonso
8 meses atrás

Ti lindo! Baba, lady, baba!

EMERSON MOSSOLIN
EMERSON MOSSOLIN
8 meses atrás

Flávio, texto excelente, mas fiquei decepcionado com o título… SPGP é muito óbvio, esperava um “Garoa´s Land”, he, he, he… Abraço!!

Adolfo
Adolfo
8 meses atrás

Não entendi uma coisa, esse ano já era para a corrida ser em Deodoro, afinal estava 99% certo, certo ?

Ou foi só mais uma fake news ? Viva Interlagos !!!

Marcus
Marcus
Reply to  Adolfo
8 meses atrás

Eu imagino os nomes dos pontos do circuito lá: laranja, chocolate, reta rachadinha, 89k etc.

Marcus
Marcus
8 meses atrás

O bom de ser realista, ou pessimista mesmo, é nunca se decepcionar por expectativas irreais não se cumprirem. Brasileiro na F1, só depois de 2026, e é improvável.

Emerson Moraes
Emerson Moraes
8 meses atrás

Sai de baixo, cangurú!!😃😃

Rodrigo
Rodrigo
8 meses atrás

Canguru perneta = Sai de baixo. Da mesma leva da girafa de gola rolê hehe

Fernando
Fernando
8 meses atrás

Excelente Flávio. Obrigado pelas impressões aí do autódromo.

Chupez Alonso
Chupez Alonso
Reply to  Flavio Gomes
8 meses atrás

Faz bem.

Não convém sair de casa na chuva.