HOT HOT HOT (3)

Verstappen: 55 vitórias na carreira, oitava seguida, tetra à vista

SÃO PAULO (com o pé nas costas) – A 55ª vitória da carreira de Max Verstappen, oitava seguida (venceu as últimas sete do ano passado), foi das mais tranquilas de sua vida. O holandês desfilou pelo circuito de Sakhir, no Bahrein, abrindo a temporada 2024 com um recado muito claro: será campeão de novo. Fez a pole, liderou todas as voltas, ganhou e fez a melhor volta da corrida. Isso se chama Grand Chelem, alguns chamam de Grand Slam. A gente diz que é barba, cabelo, bigode e, sei lá, sobrancelha. Passar a régua. Foi a quinta vez que Max fez isso na F-1. O recordista é Jim Clark, com oito, seguido por Hamilton, com seis. Verstappen está, agora, ao lado de Schumacher e Ascari nessa estatística.

As coisas são como são, não adianta inventar. Ano passado, no Bahrein, Verstappen venceu e Pérez foi o segundo, também. Na ocasião, o mexicano ficou 11s987 atrás do parceiro. Essa diferença hoje dobrou. A melhor Mercedes do ano passado, de Hamilton em quinto, terminou 50s977 atrás. A melhor hoje, de Russell também em quinto, a 46s788. A melhor Ferrari de 2023 em Sakhir foi a de Sainz, em quarto, a 48s052 de Max. Hoje, o mesmo Sainz ficou em terceiro 25s110 atrás. Alonso, terceiro no ano passado, recebeu a bandeirada 38s637 depois de Verstappen. Hoje, 1min14s887.

A conclusão? Seguem todos batendo cabeça, o cenário é idêntico ao de 2023 e o tricampeão será tetra. Fácil.

Mas vamos contar a historinha desse GP do Bahrein, sempre tem o que contar.

Sainz: terceiro, pódio para a Ferrari

Na largada, um toque de Hülkenberg em Stroll foi o único incidente a ser relatado. Verstappen pulou bem, seguro e firme, e foi embora. Na terceira volta, apenas, começaram os primeiros movimentos de ultrapassagens: Norris para cima de Alonso, assumindo a sexta colocação, e Russell passando Leclerc, pulando para segundo.

Max, em seis voltas, já tinha 4s de vantagem para o educadíssimo inglês da Mercedes. Leclerc vinha atrás deles, com Pérez em quarto e Sainz em quinto. Os dois carros da McLaren já haviam superado Alonso, que caiu para oitavo. Hamilton e Tsunoda fechavam a turma dos dez primeiros.

Todos os pilotos largaram com pneus macios, prevendo uma prova de pelo menos duas paradas. O asfalto come-borracha do Bahrein demandaria uma primeira janela de pit stops não muito tardia.

Quando a prova foi encontrando seu ritmo, Pérez, sem muita dificuldade, passou Leclerc e foi para terceiro. O monegasco começou a cometer erros bobos que, mais tarde, seriam certamente atribuídos aos seus pneus. Velho problema da Ferrari: andar bem na classificação, mal na corrida.

Na altura da décima volta, uma dobradinha da Red Bull já se desenhava com contornos nítidos. Verstappen tinha 7s de vantagem para Russell, com Checo se aproximando pouco a pouco. Atrás deles, a dupla ferrarista começou a se pegar perigosamente até Sainz passar Leclerc, que caiu para quinto. De segundo na largada para quinto em dez voltas. Não, não era um bom início de prova, de campeonato, de ano para Charlinho.

Na 12ª volta Russell e Leclerc foram para os boxes e colocaram pneus duros. Verstappen e Pérez se estabeleceram, então, em primeiro e segundo. Entre eles, um intervalo de 10s. A 29ª dobradinha da história da Red Bull estava consolidada.

Aberta a janela de pit stops, na volta 13 mais uma leva de carros foi para os boxes. Naquele momento, o que interessava era ver como voltariam à pista Pérez, que também parou, e Russell. O britânico retornou ainda à frente. Mas, agora, muito pressionado pelo #11 da Red Bull. Que precisou de apenas uma volta para ganhar a posição. Passou para sexto, mas era um segundo virtualmente. À frente dele e atrás de Verstappen, Sainz, Alonso, Tsunoda e Albon ainda não tinham trocado pneus.

Sainz parou na 15ª volta e perdeu a posição para seu companheiro. Teria de enfrentá-lo de novo na pista. Verstappen, enquanto isso, passeava. Na 16ª volta, todos tinham parado, menos ele – o único com pneus macios na corrida.

Depois das trocas (esqueçam Max, a corrida dele era contra ele mesmo), Verstappen tinha 30s sobre Pérez, com Russell em terceiro. Sainz passou Leclerc e voltou à quarta posição. O holandês, finalmente, parou na volta 18. “Poderiam trocar meus pneus?”, pediu. “Claro, amigo, alguma preferência?” “Pode ser esse com a faixa branquinha.” “Quer dar uma calibrada? Quantas libras o senhor coloca? 32?” “Pode colocar o de sempre, aí.”

Enquanto Verstappen voltava à corrida sem preocupações, mais atrás um endiabrado Sainz partia para cima de Russell. E passou, saltando para terceiro. “Tem certeza que vão me mandar embora e ficar com esse menino chorão aí?”, perguntou pelo rádio. “Como?”, espantou-se o chefe Frédéric Vasseur, com seu adorável sotaque francês. “Nada, nada, perguntei se o menino que entrega o pão está fora de hora ou já chegou ao Pari!” Ficou um silêncio no rádio. “É que às vezes penso em espanhol e falo em inglês e me confundo com as palavras”, justificou-se Sainz. “Oh, oui”, tranquilizou-se Vasseur.

Vasseur: sempre muito delicado com seus pilotos

Na volta 25, uma mensagem chamou a atenção. Hamilton, que se arrastava em oitavo longe de ameaçar alguém ou ser ameaçado, avisou pelo rádio que seu banco estava quebrado. Ninguém lhe respondeu nada. “O banco, pessoal, meu banco está quebrado!” Toto Wolff, então, suspirou e chamou um ajudante. “Diz pro cara aí que se ele quiser um banco novo, é só pedir lá naquele box que tem as paredes vermelhas. E diga também que estamos ocupados lutando por um pódio com George, que costuma respeitar contratos.” O ajudante arregalou os olhos. “Vai lá e diz isso tudo, rapaz, e não esqueça da parte do contrato, agora me deixe em paz!”

As segundas paradas começaram na volta 28, com o pessoal do fundo do pelotão. Nada que mudasse a cotação do petróleo no mercado internacional. Na 30ª, Verstappen tinha 15s de vantagem para Pérez, que não era atacado por Sainz, o terceiro. Russell, Leclerc, Norris, Piastri, Hamilton, Alonso e Tsunoda seguiam nas dez primeiras posições. O tédio imperava.

Na 32ª volta, Russell parou e colocou um novo jogo de pneus duros. Uma tentativa de dar o pulo do gato quando Sainz fizesse sua troca. Mas não deu muito certo, não. Voltou no tráfego, perdeu tempo, acabou se enrolando.

Hamilton parou na 34ª. “E o banco? Meu banco quebrou!” Toto Wolff, lá de dentro da garagem, chamou o ajudante de novo. “Diz pro bonito aí que se ele quebrou o banco, vai ter de pagar. Que no contrato dele não diz que temos de trocar as coisas que ele quebra, e que respeitamos contratos.” O ajudante arregalou ainda mais os olhos. “Vai! Diz logo! E não esqueça da parte do contrato. Depois veja se George está precisando de alguma coisa e me avisa.”

Hamilton: “Estamos mais atrás da Red Bull do que esperávamos”

Carlos parou na volta 36 e, como se imaginava, voltou à frente de Russell com alguma folga. Ambos seguiram nos pneus duros. Já Pérez foi para os boxes na volta seguinte e colocou pneus macios. Na volta seguinte, foi a vez de Verstappen. Fez o mesmo. Ah, não colocou duros porque a equipe gastou tudo e não tinha nenhum, né? Precisou improvisar, né?

Não. Bobagem. Na verdade, a Red Bull foi a única que economizou pneus macios pensando na corrida, e não em fazer voltas voadoras nos treinos livres. Está explicado por que Max e Checo não lideraram a folha de tempos na quinta e na sexta, exceto na hora em que precisava? Espero que sim. A estratégia era exatamente essa: ter dois jogos de macios novos para a corrida, um para começar a prova, outro para terminar, com seus carros mais leves e em condições de fazer duas dezenas de voltas sem se preocupar com o desgaste da borracha menos resistente, mas mais veloz. Simples e brilhante. As ideias mais simples são as mais brilhantes.

Em sétimo entre os dois carros da McLaren, na volta 41, Hamilton entrou no rádio de novo. “Esses caras estão rápidos, parceiro!” Toto Wolff nem deixou o engenheiro responder. Apertou o botão e falou: “Você que é lento!”. Lewis não entendeu. “Como?”, perguntou. “Nada, Lewis, foi linha cruzada”, tentou abafar Bono, o engenheiro. “Ele disse lento?”, insistiu o piloto. “Não, Lewis, ele falou vento”, mentiu o engenheiro, disparando um olhar de censura em direção ao chefe, que devolveu com um gesto de mão como se dissesse “não me enche você também”.

Tinha motivos para estar irritado, o comandante da Mercedes. Era uma noite em que nada dava certo. Na volta 46, Russell, em quarto, já estava longe de brigar pelo pódio com Sainz e passou a ser atacado por Leclerc. Acabou perdendo a posição para a Ferrari #16 na entrada da reta dos boxes.

Na volta 52, lá no fundo do pelotão, a É de Aproximar? ordenou que Tsunoda trocasse de posição com Ricciardo. Eles estavam em 13º e 14º. Ordem que deixou o japonês irritadíssimo. “Vocês estão brincando?” Não deu mesmo para entender direito, nada estava em jogo ali. Azar deles. Arrumaram uma treta interna logo na primeira corrida do ano. Tsunoda ficou até o fim da corrida reclamando pelo rádio: “Valeu, hein? Adorei. E aí? Ele tá rápido, hein? E aí? Não vão falar nada?”. Ninguém falou nada.

Mas era algo absolutamente irrelevante. Verstappen, da equipe matriz, horas à frente, recebeu a bandeirada com impressionantes 22s457 sobre seu companheiro Pérez, o segundo colocado. Sainz completou o pódio. Pelo rádio, mandou ver: “Estão vendo, né? Eu aqui arrebentando, vocês ficam com o garotinho de Mônaco e contratam o Lewis que já tem quarenta anos, é um disparate!” “Como?”, assustou-se Vasseur novamente pelo rádio. “Nada, nada, disse apenas que estou pensando em arrebentar as paredes do meu apartamentinho em Mônaco e que quem vai fazer o serviço é o seu Luís que trabalha com isso há quarenta anos e sempre leva seu alicate.” “Oh, oui”, acalmou-se o chefe com seu encantador sotaque francês.

A zona de pontos teve ainda Leclerc em quarto, Russell em quinto, Norris em sexto, Hamilton em sétimo, Piastri em oitavo, Alonso em nono e Stroll em décimo. Todos os carros completaram a corrida.

Resultado final: domínio absoluto de Verstappen e nenhum abandono

Uma corrida ruim, diga-se. Mas mais uma aula de competência da Red Bull e de Verstappen. Uma ducha de água gelada em quem apostava num campeonato disputado e competitivo, aqueles que acreditam em qualquer besteira que escrevem por aí e se comunicam através de emojis e gritos histéricos em letras maiúsculas nas redes sociais.

Quem acompanha a coisa por aqui sabe que a realidade é bem diferente. A gente pode até torcer para que mude. Mas, como escrevi lá em cima, as coisas são como são. Semana que vem em Jedá vai ser igual.

Subscribe
Notify of
guest

69 Comentários
Newest
Oldest Most Voted
Inline Feedbacks
View all comments
Chupez Alonso
Chupez Alonso
1 mês atrás

A imagem da corrida:

IMG_1506.jpeg
Chupez Alonso
Chupez Alonso
1 mês atrás

Acontece nas melhores famílias de Londres.

IMG_1638.jpeg
O crítico
O crítico
Reply to  Chupez Alonso
1 mês atrás

Repetindo-se, hein, fase oral?

Feer Kesnault
Feer Kesnault
1 mês atrás

Caramba amigo, depois de tanto tempo cá estou novamente para ver suas excelentes opiniões sobre diversos assuntos e nada vejo sobre a prova da WEC no Qatar com sua 1.812 Kms. Sua escrita está em ótima e bela fase, mas a seu olhar continua na fechadura do quarto do Automobilismo, so a enxegar f-1 e deixa de lado uma outra categoria ( como exemplo ) que conta com 9 marcas automotivas na Hypercars e 18 carros e 8 marcas automotivas e 18 carros na classe LMGT3. O que é isso?? Falta de curiosidade ou obrigatoriedade financeira somente com essa categoria sem graça??? A pensar, meu amigo, a pensar…

Ricardo Bigliazzi
Ricardo Bigliazzi
1 mês atrás

Segue o jogo… melhor… segue a corrida. São por essas e outras que sempre disse que se fosse o Hamilton já teria ido para a Ferrari nessa temporada de 2024… seria a unica chance de alguém tentar se opor a Redbull em 2025. Como isso não aconteceu, vamos ficar na torcida para que os motores sejam mais equilibrados em 2026 e que os novos chassis/aerodinamica embaralhem os carros. Como acompanho essa bagaça de F-1 desde 1972 fica claro que a atual dinastina (Redbull) só deve mudar mesmo em 2026 (se mudar).

Luciano Moreno
Luciano Moreno
1 mês atrás

E que fim levou o tal banco do Hamilton?KKKKK

Maurilyn
Reply to  Luciano Moreno
1 mês atrás

Permanecerá quebrado até o fim do ano. Ao menos que o próprio faça a troca!

GUs
GUs
1 mês atrás

A parte mais legal da F-1 2024 será, certamente, acompanhar os teus textos sobre as corridas. Ao menos temos isso, bom humor e inteligência temperando esse prato frio e monótono que será o campeonato desse ano.

Gustavo
Gustavo
1 mês atrás

Boa noite.
É muita criatividade. Seus textos são infinitamente melhores que a F1 atual. Já sabemos o campeão, deste e do ano vindouro. Pior ainda do que essa previsibilidade, é a possibilidade do mesmo piloto subir no lugar mais alto, em todas as 30 corridas, nas 24 etapas.

Hilton Vaz Pezzoni
Hilton Vaz Pezzoni
1 mês atrás

De longe (fora o binóculos do Max), o melhor da corrida é o texto do FG !

Afonso Salvio
Afonso Salvio
1 mês atrás

No ano passado antes da primeira corrida eu comentei aqui q o Max seria TETRA de tão bom q é esse carro. É o resto, resto é muito ruim.

Jader
Jader
1 mês atrás

Podiam trocar o Pérez por um piloto um pouco melhor, pra dar alguma emoção.

José Maurício Nunes
José Maurício Nunes
1 mês atrás

Sempre que leio aqui os “sinceros” diálogos entre os chefes de equipe e seus rebeldes pilotos, me lembro de Chicó do Auto da Compadecida: “Não sei…Só sei que foi assim!”

danir
danir
1 mês atrás

Algo que me chama a atenção, e o fato que quando o Schumacher ou o Hamilton dominavam ao ponto de hegemonia, todos festejavam. Hoje porque o Verstapen esta levando todas, a f1 vai acabar. Sera que não existe um pouco sei lá de preconceito? Ano passado, mesmo com a superioridade da Red Bull e do Verstapen, tivemos alguma corridas ótimas e outras muito ruins. Isto faz parte do jogo. É um privilegio ver um piloto com o melhor carro dar um show de pilotagem e de dominância. Era o que o brasileiro pensava quando o Aírton estava no auge. Ninguem ficaria triste se ele ganhasse todas, fizesse todas as poles e as melhores voltas. Houve épocas melhores na f1, por que havia mais equilíbrio entre os carros, menos frescuras e sempre tínhamos vários pilotos geniais em condições de tirar leite de pedra, sem necessidade de asa móvel, carros madrinha, Safety cars virtuais e outros adereços. Sem muita frescura.
Quantos pilotos hoje, conseguiriam o mesmo desempenho do Verstapen se lhe dessem um carro igual? O que faz do Verstapen um hegemonista, é o fato de que no momento ele e o melhor, sem um adversário à altura, nem Hamilton, nem Alonso, nem Leclerc, nem os outros 16 no grid. Ele está em seu momento mágico. O melhor carro é um adereço, que apenas garante que ele possa mostrar toda sua categoria. A única forma de brecar esta trajetória, é baní-lo da f1 ou esperar a decadência natural que ocorre com todos os pilotos, mais cedo ou mais tarde. E que ás vezes, e acelerada pelo erro do projeto do próximo carro. Se derem para ele um Williams de hoje, ele vai dar show de pilotagem, mas não vai dominar a categoria, mas se derem uma Ferrari ou Mercedes, ele vai fazer melhor do que os atuais pilotos e vai andar na frente.
É isso ai.

CHAGAS
CHAGAS
Reply to  danir
1 mês atrás

“Se der pro Max uma Mercedes ou uma Ferrari ele vai andar na frente”.
Nem o Jos pensa assim camarada.

Danilo
Danilo
Reply to  danir
1 mês atrás

Danir o preconceito q vc mencionou é pq vc e fã dele e em razão disso é normal vc se incomodar achando q a turma persegue… nas outras hegemonias tbem havia muitas críticas, com exceção da Mclaren na época do Senna q aí os patriotas adoravam e até hj o colocam como melhor piloto do universo. O Max é um ótimo piloto e já está na história – q ainda está sendo escrita – como um dos maiores…. mas se ele estivesse na Mercedes ou Ferrari – daria alguns shows – mas não seria campeão. Ter o melhor carro e o Max contribuiu para isso, e a melhor estrutura – estrategistas e mecanicos com os irritantes pit stop sem erros – não é demérito algum, no fundo merecem o sucesso, mas deixa o campeonato sem graça, hj já sabemos o campeão e o vice. Nas outras hegemonias tbem havia quebras, erros da equipe… o q não acontece com a RB pela excelência conquistada.

Edward Fernandes
Edward Fernandes
Reply to  Danilo
1 mês atrás

Schumacher venceu várias corridas na criatividade e no controle da Ferrari sobre Rubinho, Já Hamilton sofreu mais com seus companheiros, principalmente Rosberg, a Mercedes foi dominante, Hamilton nem tanto. Senna foi só tri.

Afonso Salvio
Afonso Salvio
Reply to  danir
1 mês atrás

Vc estava indo tão bem, mas quando foi para tirar um DEZ veio essa..”Se derem para ele um Williams de hoje, ele vai dar show de pilotagem, mas não vai dominar a categoria, mas se derem uma Ferrari ou Mercedes, ele vai fazer melhor do que os atuais pilotos e vai andar na frente.”

danir
danir
Reply to  Afonso Salvio
1 mês atrás

Olá Afonso. Mantenho o que escrevi. Se ele pegar uma Williams, vai dar show de qualidade de pilotagem, mesmo que fique em decimo primeiro. Quanto a guiar uma Ferrari ou Mercedes ou outro carro do primeiro time eu não disse que ele ganharia, eu disse que ele faria melhor do que os pilotos atuais, A Red Bull ainda esta na frente no quesito qualidade do carro, muito a frente.
Algumas pessoas não captaram corretamente o que eu quis dizer.
Saudações.

Ricardo Bigliazzi
Ricardo Bigliazzi
Reply to  danir
1 mês atrás

Caro Danir, isso sempre foi assim na F-1, quando do dominio do Schummy ou do Hamilton sempre houve o pessoal que criticava os pilotos, “ganha pois tem o melhor carro”. A F-1 é assim, o Max é tão bom quanto qualquer outro grande campeão da F-1, e se tiver um carro competitivo nas mãos fara sempre um grande campeonato, tendo chances reais de se sagrar campeão. O resto é meramente torcida de cada um. Eu mesmo torço pelo Max e estou felizão com a atual situação… eu também sofri com o Hamilton durante 07 anos de dominio da Mercedes… sempre é assim… e digo mais para o resto do grid, “sete anos passam rapido”…hahahaha.

danir
danir
Reply to  Ricardo Bigliazzi
1 mês atrás

Tambem gosto do estilo de pilotagem do Verstapen. Não aprecio muito o Hamilton, e penso que ele está em decadência. E um grande piloto, mas não me o melhor, embora seu cartel impressione.

Fabio Santana
Fabio Santana
1 mês atrás

Hoje mais do que nunca já podemos afirmar que Hamilton tomou uma decisão acerta e Ferrari mantendo Leclerc errou feio.

Ricardo Bigliazzi
Ricardo Bigliazzi
Reply to  Fabio Santana
1 mês atrás

Na minha opinião, devia ter feito essa transição para o ano de 2024, correndo nessa temporada seria a melhor chance de acertar o carro para tentar uma disputa real em 2025, ultimo ano desse atual regulamento. Hoje tem que confiar que o Leclerc (Alesi remixado) e o Sainz acertem as bases de evolução do atual carro para 2025… tenho duvida que o Alesi… ops… Leclerc seja capaz de fazer isso.

Bento
Bento
Reply to  Ricardo Bigliazzi
1 mês atrás

Hamilton, em que pese seu talento como piloto (até eu que não torço para ele nem para a Mercedes, reconheço isso) nunca foi um bom acertador de carros!!

Wbj
Wbj
1 mês atrás

Em 1978 Chapman fez o carro-asa chamado Lotus 79 que tinha essa designacao por estar 1 ano à frente da concorrencia em evolucao, como de fato estava. A RB tem estado assim desde o ano passado e se permite, ja em meados do ano, ao luxo de virar a chave para o carro do ano seguinte enqto os demais mortais gastam tempo, $ e tunel de vento nos modelos do ano pra tentarem extrair alguns decimos a mais – como se isso fosse mudar o cenario ate o final do ano. 2024 repete 2023.
Assistimos a um brilhante Sainz que dou a mao a palmatoria pois ja o critiquei por aqui enqto o monegasco continua a fazer as suas patacoadas, assistimos tbem incredulos os Sargeants, Strolls, Magnussens e Bottas da vida tomarem o lugar de gente muito mais promissora, interessada e capaz do que eles, assistimos à Alpine afundar seus otimos pilotos e nao sei o pque deles insistirem ainda na F1, vimos um japones de m…. adolescente dar seu enesimo showzinho impunemente e iremos assistir, por fim, em 2024 ate o seu final, um enredo que o proprio Alonso ja cantou a bola de como ira terminar.

Last edited 1 mês atrás by Wbj
Paulo
Paulo
1 mês atrás

Os textos do Flávio são melhores que a vida real das corridas. Vai ser difícil para a equipe da Band manter o entusiasmo do público pela disputa do segundo lugar mais um ano, se bem que se o Perez for um pouquinho mais competente com esse carro, nem isso vai ter.

André
André
1 mês atrás

A F1 está chata há muito tempo, mas como dizia uma personagem da Escolinha do Professor Raimundo, a gente “góstia”.

Leon Neto
Leon Neto
1 mês atrás

Tudo perfeito ontem. Torço para continuar assim e que o Max ganhe todas as corridas com duas voltas de vantagem para o segundo colocado. Tomara!

O crítico
O crítico
Reply to  Leon Neto
1 mês atrás

Tomara no seu.

Barreto
Barreto
1 mês atrás

Melhor volta de Max 1,5s mais rápida que a segunda, carros que não abandonam nem com enrosco na largada.
Restou assistir o comportamento de Sainz, o desempregado no modo Full pistola.

Eduardo Ortiz
Eduardo Ortiz
1 mês atrás

Sem novidades, equipe dominante e melhor piloto da atualidade vencem de novo…
Corrida chata mas como gosto de F1 ha muito tempo não consigo não ver. Será um massacre!

Fernando
Fernando
1 mês atrás

Vou torcer para que mude, então, mesmo sabendo que na prática, Verstappen já pode contar com o 4º título no bolso.

André Frej
André Frej
1 mês atrás

A gente só não pode dizer que foi um passeio dominical de Max por causa do ramadã. Falando nisso, a corrida num país árabe próximo de onde tá ocorrendo uma catástrofe humanitária, inclusive com o assassinato de pessoas famintas na “fila do pão”, e não vimos uma bandeira da Palestina, nenhum gesto de solidariedade. A F1 , e a imensa maioria dos pilotos, só se interessa pelos negócios, business, money.

O crítico
O crítico
Reply to  André Frej
1 mês atrás

Concordo totalmente contigo, o problema é que nem mesmo os ditadores desses países árabes estão se manifestando como deveriam contra o genocídio. E teriam uma carta preciosa nas mangas para pressionar, se não o atual governo criminoso israelita, os Países ocidentais cúmplices, que é o tal do ouro negro. Mas aí, o$ interesse$ são outro$, e a solidariedade é com o próprio bolso. Pobre Povo Palestino…

Danilo
Danilo
1 mês atrás

Pegando no detalhe para ser rabugento…, só discordo do nobre jornalista no que se refere q esse ano sera idêntico a 2023, a RB esse ano está sobrando ainda mais e aproveito para uma correção de opinião, antes achava que a briga seria do segundo para trás, mas depois dessa lavada da RB creio q a briga será do terceiro para trás, sei lá posso estar com a memória curta, mas a impressão é q essa hegemonia da RB é maior do q as outras q tivemos no passado… O campeonato tende a ser bem chato. Pitacos da minha insignificante bola de cristal, o Sainz esse ano vai jantar o Leclerc, o ano será muuuito longo para o Hamilton, a Mclaren apesar do pessimismo dos testes terminará em segundo, será divertido ver os próximos capítulos de Ricardo X Tsnoda (sacanearam o japonês hj, mas ele é sem noção), a Renault digo Alpine vai contratar o Bernardinho, o Guardiola ou o Tom Brady para um arghhh choque de gestão? A paciência com o Sargeant irá até a próxima reencarnação?

Last edited 1 mês atrás by Danilo
Eduardo inacio
Eduardo inacio
1 mês atrás

Me diverti muito mais vendo as duas corridas de fórmula 2 do que a fórmula 1 infelizmente. Tudo bem, que parte da diversão na fórmula 2 foi pela presença de um brasileiro.. mas fazer oque? A fórmula 1 não tem conseguido proporcionar nada de empolgante há 2 anos.

Se o dono da Redbull entendesse que contratando um piloto “muito bom” para o lado de verstapen ia criar um fato novo, um campeonato e aumentar a audiência, quantidade de pessoas falando da f1 e redbull.. então talvez fizessem um esforço para ter um segundo piloto melhor. Qual o benefício para a empresa redbull de ganhar tudo mas ter uma audiência caindo em geral na f1. A briga Senna x Prost por exemplo faz a maclaren ser lembrada mais do que o fato deles terem ganho X campeonatos seguidos..

Zebras São Cavalos Terríveis
Zebras São Cavalos Terríveis
1 mês atrás

E pensar que o regulamento que a FIA ficou anos elaborando para finalmente tornar a categoria equilibrada produziu o domínio mais absoluto de todos os tempos…

Ron
Ron
1 mês atrás

Ótimo texto como sempre, Flavio.

A corrida foi chata, mais do mesmo. Se o status desta primeira corrida se mantiver, Verstappen será tetra com sobras de novo (umas cinco provas antes do fim).

Nesse ano, o Leclerc que se cuide porque o Sainz, “de aviso prévio longo”, não vai mais afinar para ele. Pérez é outro que tem que ficar esperto (com o fim do contrato).

A hierarquia das forças:
1) Red Bull com Verstappen;
2) Red Bull com Pérez e as Ferraris;
3) Mercedes e McLaren;
4) Aston Martin;
5) o resto.

O ano começou terrível para alguns:
1) a Alpine desandou total: além da ruindade, está ratificando a reclamação à FIA com relação ao upgrade do motor Renault;
2) o climão na “É de Aproximar” por causa da troca de pilotos: entendo a insatisfação do Tsunoda com a estratégia da equipe (Ricciardo poderia ter sido legal e devolvido a posição no final da prova), mas não a birra de quase bater no companheiro no retorno aos boxes, após a bandeirada.

marcos
marcos
1 mês atrás

a esperança agora está no caro do Horny Horner.. se der ruim a RB pode dar uma bagunçada.. se nada acontecer, serão 24 vitórias seguidas

Heriank
Heriank
1 mês atrás

Confesso que por um motivo bobo eu não terminei de assistir essa corrida. Foi um tédio absoluto. Na oitava volta o Verstapen estava a 6,7 a frente do segundo. Uma pena !

Celio Ferreira
Celio Ferreira
1 mês atrás

Caraca o ano inteiro vamos ouvir : ce ta loco Verstapen…
Ca pra nós : Sainz ta ca faca nos dentes , Leclerc que se cuide..
Mercedes vai cumprir tabela ..
Maclaren só fêz fuasca ..não vai dar em nada..
Alonso, acho que se aposenta ,tamem com o carro que tem..
Resumo : tudo como dantes , no quartel de abrantes..
Acompanhamos F1 , porque gostamos da categoria top
do automobilismo , mas que esta chato , está..

PowerGuido
PowerGuido
1 mês atrás

Nenhum abandono, nenhum carro queb8.
Essa F1 está muito Nutella

Adriano Silva
Adriano Silva
1 mês atrás

Hoje começou uma emocionante jornada de superação do Perez até o título de 2024

Paulo Dantas Fonseca
Paulo Dantas Fonseca
1 mês atrás

GP Bahrein 2024, a consistência de Super Max com uma vitória linda, Sérgio Pérez jogou para o time da Red Bull, Carlos Sainz focado em sua capacidade de administrar os pneus soube superar as dificuldades de Charles Leclerc, o piloto da Mercedes-Benz George Russel, fez uma corrida para colher alguma quebra dos adversários que estavam a frente, mas nada aconteceu. A Mclaren com Lando Norris vem com a vontade de evolução . Lewis correu de banco quebrado mas conseguiu superar as adversidades . Oscar de Piatri tem mostrado uma eficiência constante . El Fodón corre essa temporada de olho em boas vagas ao passo que Lance Stroll precisa colher todos os novos ensinamentos de Ferando Alonso para resolver no final da temporada segue ou para . Por fim Yuki em decisão acalorada passa por Ricardo em situação que nada valia, mas para ele o que vale e chegar a frente, mostra que falta jogo de equipe para ser tratado como piloto profissional . Sim foi positivo o GP do Bahrein sem qualquer tipo de incidente comprometedor.

CHAGAS
CHAGAS
1 mês atrás

Nada muda.
Max em primeiro e o grandioso Logan Sargeant em ultimo.

João Cunha
João Cunha
1 mês atrás

Verstappen ganhou… Uau, quem poderia imaginar? A corrida foi tão boa que o UOL fez isso:

imagem_2024-03-02_191428313.png
BISPO
BISPO
1 mês atrás

Acachapante a superidade dos taurinos… oh dó.. rs

Chistian Horny
Chistian Horny
1 mês atrás

Pensei que a Red Bull ia chamar o CH pro podium pra peitar a Fia e a Liberty

Paulo Teixeira
Paulo Teixeira
1 mês atrás

não me canso de perguntar ,desde o ano passado:

onde foi que a Red Bull acertou????

onde foi que o resto continua a errar????

João Moniz
João Moniz
1 mês atrás

Óptimo texto como sempre. Acho que vai ser um passeio da redbull. Ferrari parece-me um pouco acima da Mercedes e da Mclaren. Num terceiro patamar Aston Martin e depois vem o resto (mau como sempre). Muita pena de a Andretti não ter sido aceite. Não faria pior figura do que 5 equipas da Formula 1 atual. Um abraço desde os Açores, Portugal

Guilherme
1 mês atrás

Quando o Hamilton falou que o banco dele quebrou, o pessoal do Itaú ficou um pouco assustado.

Fernando
Fernando
1 mês atrás

Putz, volta mais rapida da prova: 1:32.61 de verstapen. O segundo mais rapido 1:34.06 de Russell. Ninguem na casa dos 1:33… ?! Eu estou vendo certo mesmo esta diferenca brutal?!

Gilberto Carmo
Gilberto Carmo
1 mês atrás

É, eu sou um dos que esperava mais equilíbrio. Talvez seja realmente mais um ano chato pra F1. :(

PowerGuido
PowerGuido
1 mês atrás

A diferença da Red Bull para as demais aumentou.
O Perez nem vai precisar se esforçar para ganhar o vice campeonato.

Marcos Bassi
Marcos Bassi
1 mês atrás

Além da corrida ser muito chata…a Ferrari resolveu ser rápida e acertar nos pits…o que sobra de emoção pra gente pelamordedeus?

Marcos Bassi
Marcos Bassi
1 mês atrás

Independente do que sobra o carro 1 nesse momento…o que me preocupa é que foi uma corrida…chata pra burro (ops…chata pra inteligentes)…nada…57 voltas e meia dúzia de ultrapassagens que valeram a pena mais ou menos….o rádio do Tsunoda foi mais emocionante…se for assim…exatamente assim…vai ser complicado…e agora pra ajudar, nenhum carro quebra…lascou-se…

Luciano K
Luciano K
1 mês atrás

A única parte motivadora do GP foi esse seu texto maravilhoso sobre a corrida. Muito criativo 👏! Na minha opinião a F1 está caminhando para seu fim, se considerarmos a possibilidade de Max ter algumas temporadas nesse ritmo, muito provavelmente não existirá marketing digital ou criador de conteúdo que salve essa categoria da monotonia.

Markonikov
Markonikov
1 mês atrás

É, nem começou, acabou … parabéns Max Verstappen pelo seu 5º título.

lagebeer
lagebeer
1 mês atrás

Mercedes pode comprar pro Hamilton um banco procar dos anos 80

images (3).jpeg
Felipe Paulino
Felipe Paulino
1 mês atrás

Show de sabedoria do Flávio Gomes

LB1
LB1
1 mês atrás

Ontem perguntávamos pela carnificina, mal sabíamos que era hoje o dia da forra.

Kleber
Kleber
1 mês atrás

A corrida foi realmente chata, diferentemente do seu texto, obrigado!

Last edited 1 mês atrás by Kleber
Leon Neto
Leon Neto
Reply to  Kleber
1 mês atrás

Chata pra quem não torce pro Max.

Muchacho
Muchacho
Reply to  Leon Neto
1 mês atrás

Chata para quem gosta de corridas, muito previsível como um filme sem um bom roteiro.

Chupez Alonso
Chupez Alonso
1 mês atrás

O campeão voltou!

Vantagem de 22,5s em pouco mais de 50 voltas, o que confirma a diferença de 0,5s pro 2º colocado. Que é o Pérez!

Corridaça do Leclerc! Batizou uma curva ao vivo.

E corridaça também do Hamilton. Foi o único piloto da Mercedes a ganhar posições na corrida: largou em 9º e chegou em 7º. Bem diferente do Russel que largou em 3º e chegou em 5º.

Nada como o mundo voltando ao normal.

Chega logo 2025!

Rumo ao 8cta…

IMG_1494.jpeg
O crítico
O crítico
Reply to  Chupez Alonso
1 mês atrás

PQP, tá difícil dizer o que ou quem está mais insuportável nesse circo, se as corridas ou um ou outro “comentarista” deste blog… Se bem que pras corridas há sempre a possibilidade de mudar de canal ou desligar a TV.

Last edited 1 mês atrás by O crítico
PowerGuido
PowerGuido
Reply to  Chupez Alonso
1 mês atrás

Nossa que gozado

O crítico
O crítico
Reply to  PowerGuido
1 mês atrás

Puxa, que comentário!

Last edited 1 mês atrás by O crítico