24 EM 25

SÃO PAULO (e a pré?) – Saiu o calendário da F-1 de 2025, com grande antecedência. Sem novidades quanto às corridas: serão as mesmas 24 deste ano. Mas a ordem de algumas mudou. A temporada volta a ter sua abertura na Austrália no meio de março, duas semanas depois do começo do campeonato deste ano. Melbourne abriu o Mundial pela última vez em 2019. Seria a primeira corrida de 2020, também, mas ela foi cancelada na sexta-feira, com todo mundo na pista e carros montados nos boxes. Foi naquele fim de semana que descobrimos que estávamos numa pandemia. É meu marco pessoal. A pandemia começou em Melbourne/2020. Parece que foi em outra vida. Obrigado, ciência, por salvar as nossas.

Os GPs do Bahrein e da Arábia Saudita, que neste ano aconteceram em dois sábados por causa do Ramadã, voltam a ser disputados em dois domingos. A única prova de sábado será o noturno GP de Las Vegas. Sprints? Serão seis, como neste ano, mas as pistas ainda não foram definidas. A propósito, a primeira Sprint de 2024 acontece já no GP da China, próxima etapa do Mundial.

Agora falta saber onde será a pré-temporada, que nos últimos anos foi realizada no Bahrein por questões práticas, logísticas e climáticas. Em Melbourne não dá para fazer pré-temporada. A pista fica num parque e é muito perigosa — muros próximos, características muito próprias que pouco ajudariam no desenvolvimento de carros novos.

Já o grid, oficialmente está como na ilustração abaixo. Pouquíssimas confirmações e um monte de gente tentando arrumar um lugar para correr ou manter o que já tem.

Subscribe
Notify of
guest

24 Comentários
Newest
Oldest Most Voted
Inline Feedbacks
View all comments
Diogo
Diogo
1 mês atrás

Ficaria muito surpreso se o companheiro do Afonso mudasse!

Carlos Jose Pimenta Franco
Carlos Jose Pimenta Franco
1 mês atrás

Pré-temporada? Sugestão: RIO 40 GRAUS. Vamos todo mundo para Jacarepaguá, naquele verão Carioca escaldante, mulher bonita, carro veloz e cidade maravilhosa. Velhos tempos, Belos dias. Quem viveu não esquece. Jamais.
Bons tempos onde a F1 fugia daquele inverno enfadonho e desembarcava em Terras Tupiniguins, com desculpa de testar pneus rsrs, mas a galera queria mesmo era sol, praia, gente bonita rsrs e cidade espetacular.

Carlos Jose Pimenta Franco
Carlos Jose Pimenta Franco
Reply to  Carlos Jose Pimenta Franco
1 mês atrás

Tupiniquins

Edissom
Edissom
1 mês atrás

Três corridas nos states é demais, ainda mais sendo duas em pistas de rua.
Mas é isso aí… o dinheiro manda e o resto que se f….

lagerbeer
lagerbeer
1 mês atrás

E nada de Hokkenheim ou Nurburgring… snifs

Megas Alexandros
Megas Alexandros
Reply to  lagerbeer
1 mês atrás

Nem Magny Cours…

Diogo
Diogo
Reply to  Megas Alexandros
1 mês atrás

Passo

Leonardo
Leonardo
1 mês atrás

Flávio, boa tarde! Se tiveres tempo e paciência, por favor, faz um post sobre o que você esperaria para as vagas em aberto no grid de 2025.

Eu, que me divirto com as corridas mas não entendo nada de bastidores, chutaria algumas coisas.

Red bull mantém Perez. Haas mantém a dupla atual. AM continua com Stroll naturalmente, a não ser que ele tenha uma epifania e resolva vazar da F1. Sainz, pelas últimas notícias que li, assume na Mercedes; caso contrário, tira a vaga do Zhou na Sauber/Audi (não vejo motivo para tirarem Bottas) e a Mercedes fica com o menino que estão falando bastante (não lembro o nome dele, desculpa). Lawson assume na crédito ou débito? junto com Tsunoda (ou vai promovido direto para red bull e ai sobra uma vaga, mas não vejo motivo pra fazerem isso). Alpine não tem motivo pra mudar nada (a não ser que fosse vendida pra Andretti, mas qual a chance disso?). E aí sobra uma vaga na Willians pra fazer parceria com Albon.

Enfim, esses seriam meus palpites furados. Abraços, bom fim de semana.

Anderson Leite de Campos
Anderson Leite de Campos
1 mês atrás

As vezes acho que é só nostalgia de um tempo que não volta mais. Mas acho tudo tão artificial, desde o exagero de corridas, até o exagero de pontos…
Antigamente era mais difícil pontuar, mas haviam mais carros e pilotos… Acho que se a Liberty não por o pé no freio, vai estragar o “produto”…

Kiko
Kiko
1 mês atrás

Engraçado o seu comentário do Marco pessoal do início da pandemia ter sido o fim de semana de Melbourne. Eu lembro que comentei com a minha esposa algo similar. “A F1 não para pra nada… isso deve ser sério.”

Leon Neto
Leon Neto
1 mês atrás

A ciência é importante e salvou muitas vidas, mas quem acabou com a pandemia foi o próprio virus. Isso mostra nossa fragilidade.

Leon Neto
Leon Neto
Reply to  Flavio Gomes
1 mês atrás

A vacina evitou mortes, ótimo! Viva a ciência. Mas, o fim da pandemia veio pela redução de patogenia da variante ômicron.

Last edited 1 mês atrás by Leon Neto
O crítico
O crítico
Reply to  Leon Neto
1 mês atrás

Putz, o sujeito está vivo hoje certamente por causa da ciência, mas infelizmente ela, sozinha, não consegue abrir as cabeças e dotar as pessoas de conhecimento verdadeiro e pensamento crítico. Daí sermos obrigados a ler aberrações como essas, em todos os lugares.

Carlos Jose Pimenta Franco
Carlos Jose Pimenta Franco
Reply to  Leon Neto
1 mês atrás

Fonte da informação: TIMES NEW ROMAN

Emerson Stray
Emerson Stray
Reply to  Leon Neto
1 mês atrás

Calma gente não briguem e não discutam no mal sentido, discussões só é boa quando se vai pra frente, censcia não é algo estatico, emgessado e que se consegue no grito e bem ao contrário tai os cientistas todo dia trabalhando por novidades e as vezes há revez e não é facil e simples mas precisa ser organizado

Diogo
Diogo
Reply to  Emerson Stray
1 mês atrás

Você está correto. E sim, por mais que eu odeie o Bozo e sua turma de generais de armário, sim o cara de cima pode estar correto também. A variante Ômicron pode ter contribuído. Isso nada tem a ver com o Boçal-mor joalheiro. Paz gente, já passou, precisamos voltar as conversas civilizadas.

Julio Bastos
Julio Bastos
1 mês atrás

Boa noite Flávio, o pessoal da Liberty e da FIA fala tanto em economia e logística mas tem uma coisa que não entendo. Talvez você possa esclarecer.

Depois da quinta etapa, Arábia Saudita, tem a prova de Miami, depois Itália, Mônaco e Espanha, daí volta para o Canadá e depois volta para a Áustria.

Não seria mais coerente e lógico, colocar as provas de Miami e Montreal juntas, ao invés de fazer esse zigue-zague entre América do Norte e Europa em menos de 45 dias?

Sergio Trancoso
Sergio Trancoso
1 mês atrás

Acabamos nos acostumando com 24 e talvez 25 corridas no futuro. Mas acho qud o ideal seriam 18

Luis felipe Ziriba
Luis felipe Ziriba
1 mês atrás

Quando eu era garoto sonhava com um calendário recheado desse. Hoje vejo o exagero que é..

Diogo
Diogo
Reply to  Luis felipe Ziriba
1 mês atrás

Como dizia vovó, tudo que é demais é sobra!

Gustavo Serpa
Gustavo Serpa
1 mês atrás

Realmente, parece tudo muito igual. Se continuar como parece que será este ano, quando chegar em Interlargos o campeonato já estará, praticamente, decidido.
E viva a ciência, que produz vacinas e carros velozes!