XING-LING (3)

Max desfila por Xangai: seis poles seguidas, quinta no ano

SÃO PAULO (absoluto) – Uma vitória e uma pole foram o saldo do sábado para Max Verstappen hoje na cinzenta Xangai. O holandês venceu a Sprint na abertura dos trabalhos do dia, foi almoçar e, algumas horas depois, cravou a pole-position para o GP da China, quinta etapa do Mundial de F-1. Foi a 37ª pole de sua carreira, quinta no ano, sexta seguida. Terá ao seu lado na primeira fila um sereno e, neste ano, eficiente Sergio Pérez. A Red Bull ainda comemorou a 100ª pole de sua história. O terceiro no grid é Fernando Alonso, o interminável, com a Aston Martin.

Não houve nenhuma gigantesca surpresa nas primeiras posições, com exceção de Alonso. A vitória arrebatadora de Verstappen na Sprint já fazia dele um claro favorito à pole, deixando as migalhas para o resto. E ele começou a confirmar tal condição fechando o Q1 com o melhor tempo, 1min34s742, seguido de Leclerc. O vexame da primeira parte da classificação ficou por conta de Hamilton. Horas antes, tinha sido o segundo colocado na corrida curta. Acabou eliminado ao cometer um erro primário em sua última tentativa e ficou em 18º. Uma vergonha absoluta, daquelas de sair do autódromo sem dar entrevista. Mas ele deu, e disse que a Mercedes fez mudanças drásticas no acerto de seu carro, nem estava tão ruim, mas o erro na freada na penúltima curva estragou sua volta, seu sábado, seu jantar e o café da manhã de amanhã.

Hamilton: patética 18ª colocação

Zhou, frustrando a torcida chinesa, abriu a lista dos degolados, que teve ainda Magnussen antes de Lewis e Tsunoda e Sargeant nas duas últimas posições. Aqui, alguns lembretes: na Vai Querer Sua Via?, Ricciardo, que vinha tomando tempo de Tsunoda, avançou ao Q2 com um chassi novo que o time colocou a sua disposição. Pode ser – vejam bem: pode ser – que seu carro original tivesse algum probleminha de construção. O japonês, por seu turno, reclamou muito. “Não é possível ficar em 19º, tem alguma coisa errada com o carro! A volta foi boa!”, indignou-se pelo rádio. E o americano da Williams rodou sozinho de novo. Nada mais justifica sua presença na F-1.

O Q2 começou com Verstappen voando outra vez, cravando 1min33s946 logo em sua primeira volta voadora. Logo depois, a pouco menos de 7min do final, Sainz rodou e bateu na entrada da reta dos boxes. Foi o primeiro erro sério do espanhol no ano. A bandeira vermelha foi acionada, interrompendo a sessão. Sainz conseguiu fazer o carro funcionar e com a frente toda estropiada voltou aos boxes para tentar prosseguir na classificação.

Foram necessários alguns minutos para varrer a pista e tirar a brita espalhada pelo asfalto. Deu tempo para a Ferrari arrumar o bico de Sainz, que foi à luta. A tarefa dele e de todos, de chegar perto de Verstappen, era cruel. Max fez 1min33s794 na sua segunda volta, deixando o segundo colocado naquele momento, Lando Norris, a 0s666 de distância. O número da besta. Pérez, Sainz e Leclerc, nos segundos finais, também superaram o menino maluquinho da McLaren. Ficaram na cancela da eliminação Stroll, Ricciardo, Ocon, Albon e Gasly. Hülkenberg e Bottas foram as boas surpresas que seguiram para o Q3.

Na fase derradeira da classificação, 1min33s977 foi o tempo de Verstappen na sua primeira volta – não muito espetacular. A pista parecia um pouco mais lenta. Alonso fechou a primeira bateria de voltas em segundo, com Pérez em terceiro. A Ferrari foi mal, com Sainz em sexto e Leclerc em sétimo. A folga de Max era considerável, embora tivesse feito uma volta melhor no Q2: 0s394 em cima do espanhol da Aston Martin.

O grid em Xangai: destaque para Alonso em terceiro

E quem tinha mesmo a obrigação de melhorar na segunda saída era a dupla ferrarista. O que aconteceu no cronômetro, mas não nas posições. Quem estava à frente dos carros vermelhos também andou melhor. Max fez sua última volta em 1min33s660. A equipe festejou mais do que o normal, pela marca centenária e, mais ainda, porque no apagar das luzes Pérez conseguiu o segundo lugar, a 0s322 do companheiro. Alonso, Norris, Piastri, Leclerc, Sainz, Russell, Hülkenberg e Bottas fecharam as dez primeiras posições.

Xangai verá um novo passeio do holandês amanhã. Atrás dele a corrida deve ser boa. A largada para as 56 voltas do GP da China está marcada para as 4h de Brasília.

Subscribe
Notify of
guest

3 Comentários
Newest
Oldest Most Voted
Inline Feedbacks
View all comments
Diogo
Diogo
1 mês atrás

Pergunta: Esses americanos já tiveram algum piloto realmente decente na vida fora o Mário Andretti que é meio americano(segundo a mania deles mesmos)? Veja bem, sem questionar o pioneirismo dos hermanos/brotherz com Indianápolis e tal, mas e a mão de obra do volante?

Wbj
Wbj
1 mês atrás

A Red Bull esta 1 ano a frente das demais. Enqto todo mundo comeca a atualizar no modo copy and paste seus carros da temporada, eles ja estao na 5a corrida com novos sidepods agressivos e seguramente poderao desenvolver com calma seus pacotes de atualizacoes, sem atropelos como as demais. Isso tudo pra piorar sendo executado pelo Adrian. Note-se, por fim, que pra mim pelo menos eu noto claramente que o Max sequer chegou ate agora ap limite do carro e de sua pilotagem.

Last edited 1 mês atrás by Wbj
Diogo
Diogo
Reply to  Wbj
1 mês atrás

Ah, passeia né? Claro que ele é naturalmente um foguete, mas com certeza tá dirigindo com uma mão!