MENU

segunda-feira, 16 de fevereiro de 2009 - 16:51F-1

SEM BR

SÃO PAULO (acho que já usei esse título, mas ele é ótimo!) – Ninguém tem falado muito no assunto, mas acho que merece os comentários da blogaiada. Por conta da desistência da Honda de correr na F-1, a Petrobras sai junto na categoria, depois de 11 anos com a Williams. Não, não é novidade. Estava na cara, porque afinal o contrato novo era com uma montadora que pulou fora, e não com uma equipe cujo formato ninguém sabe ao certo qual será.

Não faria sentido para a Petrobras permanecer na categoria apenas como patrocinadora, para estampar sua marca num mercado que ela não atinge globalmente. O projeto da estatal na F-1, e isso posso falar sem medo de errar porque conheço toda essa turma, tinha como objetivo principal o desenvolvimento de combustíveis e lubrificantes — mais até do que fazer publicidade.

Foram 11 temporadas de enormes progressos, a ponto de outras equipes terem se interessado pelos produtos nacionais nesse tempo todo. Com uma equipe enxuta e muito competente, liderada pelo engenheiro Rogério Gonçalves na parte técnica e Cláudio Thompson no marketing, a Petrobras se igualou a concorrentes de peso como Elf, Mobil e Shell num ambiente ultracompetitivo, e foi aprovada com louvor.

É possível que da lista de despesas da Honda com o fechamento de sua equipe faça parte uma gorda indenização à empresa brasileira. Afinal, um contrato foi rompido unilateralmente, e a Petrobras tinha planos para o time e verba comprometida com pessoal e pesquisa. Seria bom que viesse a público para esclarecer o desfecho desse episódio em termos financeiros, inclusive.

27 comentários

  1. Juliano disse:

    Flavio eu discordo um pouco sobre isso, acho que se a Petrobras preocupasse so com o desenvolvimento ela nao teria a marca no carro da Williams daquele tamanho, e o investimento nao precisaria ser tao grande e nao faz diferenca ser motor honda ou algum outro, para vc desenvolver tecnologia, afinal o intuito e o mesmo, e a variacao de motorizacao ate ajudaria no desenvolvimento
    Eu acho que a saida da Williams foi para entrar com o Senna na F-1, e algo deve ter dado errado nesse meio tempo, ai a Petrobras para nao ficar por baixo justificou isso.
    Com certeza existe algo que nao sabemos, e me desculpa comparar Mobil, Elf, etc com Petrobras ? Esquece o marketing da Petrobras e horrivel, eles fugiram da escola de mkt ou nao assistiam as aulas, Voce acha que uma gasolina chamada Senna em vez de Podium, nao venderia um trilhao de vezes mais, no nosso Pais e em qualquer outro lugar?
    “Politica da empresa nao patrocinar piloto apenas”?
    Imcopetencia total, eles patrocinam Teatro, Bale, e nao patrocinam a Stock Car por exemplo Qual a logica??
    E voce ainda elogia??
    A Elf, Mobil estao em todas as categorias do mundo praticamente, e eles nao Patrocinam teatro e o Caraio… a quatro.
    Ta na hora de descobrir o que rola por tras desse patrocinios, e renovar essa turma do mkt da Petrobras..
    Uma hora a casa cai…

  2. josé disse:

    A Petrobras atraves de suas propagandas dá a entender que a gasolina usada na F1 é a mesma usada nos nossos carros o que não é verdade ,foi isso que eu quis dizer,tem toda a razão o blogueiro Rodrigo, a nossa gasolina é diferente da usada no resto do mundo,motores modernos não são eficientes por aqui justamente pela meleca que colocamos nos tanques.Carros com injeção direta de combustível não alcançam os mesmos níveis de consumo e desempenho quando usam a “nossa”gasolina.
    Quanto a um F1 usar essa mistura acho que seria bem interessante,estouros, fumaça,engasgos e labaredas a vontade.

  3. Rodrigo ferrerira disse:

    O colega blogueiro José está equivocado…. Na página da FIA na internet tem o regulamento técnico da categoria e o artigo 19 é específico sobre gasolina. Não existe fórmula qualquer, apenas limitações das propriedades da gasolina. As gasolinas são desenvolvidas como quiserem apenas respeitando aqueles limites.

    Quanto à gasolina comercial brasileira, ela nunca poderia ser utilizada nos motores da F1 atualmente. A gasolina brasileira é diferente de qualquer gasolina do mundo devido ao alto teor de álcool exigido pelo governo. Para cada litro de combustível na bomba, apenas 750ml são gasolina, o resto é álcool….. Nem precisa ir tão longe, pede a um argentino ou uruguaio que vem passar as férias no Brasil qual o comportamento do motor e como fica o consumo enquanto está em terras brasileiras!!!

    Já fui para a Argentina de carro e tive problemas sérios nas velas do motor, no meio de um deserto. Os carros brasileiros deviam vir com a recomendação: “Recomenda-se não circular em outros países com gasolina diferente da brasileira”. Nem mesmo os motores flex funcionam com gasolina pura, eles são calibrados para combustível entre 25 e 100% de álcool.

  4. josé disse:

    Interessante que tem pessoas que defendem essa empresa dizendo que fornecer gasolina para a F1 aprimora a tecnologia da dita.Ora,todo mundo sabe que quem fornece a gasolina recebe a receita pronta obedecendo especificações do regulamento.
    Mas gastar milhões em propaganda e financiar campanhas é o forte da empresa,agora a gasolina é uma vergonha,gostaria que a F1 experimentasse o combustivel vendido no pais,seja ele comum,aditivada,podium etc…só para ver onde iria toda a “tecnologia” tão defendida por alguns.

  5. MSM disse:

    A Petrobrás se deu mal nessa história, foi enganada pela Honda, deixou o contrato com Williams e agora ficou de fora do circo.
    Tem mais é que entrar na justiça e pedir uma compensação financeira por essa falta de comprometimento.
    Imagina se fosse com a Shell, ou a Elf.

  6. ALEX B. disse:

    Coitada da PETROBRAS! Putz, não pode falar mal da poderosa! Olha que já matou até jornalista famoso!

  7. Rogerio Goncalves disse:

    A gasolina PODIUM agora é colorida por causa do corante do álcool! O álcool anidro comercializado para adição à gasolina foi adicionado de corante laranja e por isso a Podium mudou de cor. Mais uma vez a gasolina é que leva a fama….coitada…

  8. CorredorX disse:

    Eu acho é pouco. A Williams é a única equipe genuinamente independente que ainda está na F-1. Frank e Patric não eram ultramilionários que simplesmente vieram variar os seus investimentos. Daí os caras vão pra Honda, uma equipe que, de tão arrogante com o seu dinheiro volátil (que não era dela, era dos investidores que pularam fora), nem patrocinador ostentava em sua carenagem. Tomaram, no rabo, as duas.

  9. Professor Fábio disse:

    Engraçado a imprensa…. Alguns veículos vem insinuando que a Petrobras se recusou a salvar a coitadinha da Honda… Isso é ridículo! Ainda bem que não entraram nessa equipe falida….como contribuinte eu me sentiria lesado.

    Também não acho que ela deveria apoiar o Bruno. Não há diferenças entre Bruno, Piquezinho, Massa, Barrichello, Di Grassi ou Zonta, Pizzonia, Bernoldi…… O que a estatal justificaria para apoiar um em detrimento dos outros? Estou com a Petrobras – patrocínio pessoal ZERO!

    Quanto à fazer parcerias tecnológicas ou de marketing não vejo nada demais. Todas as empresas do mundo tem que anunciar e fazer publicidade. Se não divulgar sua marca não vende e não cresce e se não crescer acaba sucumbindo. Depois que entrou na F1 a Petrobras aumentou sua visibilidade mundo afora e como brasileiro me orgulho disso.

    Já que é necessário fazer a publicidade que o faça junto com a utilização de seus produtos como é na F1. Melhor do que patrocinar eventos de música eletrônica fazendo apologia a drogas, boxe, micaretas, escolas de samba ligadas a bicheiros, etc.. Tem uma vertente social de patrocínios culturais, esportivos ambiental e de ajuda às populações carentes que acho que vem sendo realizadas, pelo menos é o que vejo por aí.

    Não concordo muito com o patrocínio ao Flamengo (apesar de eu ser Flamenguista) e, embora toda semana vemos a marca estampada na capa dos jornais, perdendo ou ganhando, acho que seria mais útil aplicar os estimados 15milhões para patrocinar todo o futebol brasileiro que é o que dá alegria a esse povo. Seja na seleção brasileira, seja no campeonato brasileiro.

    Gostaria de ver a Petrobras fornecendo gasolina à uma grande equipe de Fórmula 1, mas acho que falta oportunidade. Se eles ainda estivessem na Williams eu estaria satisfeito. Como dizem por aí, a última das garagistas, uma equipe simpática com um dono dedicado, uma equipe sem qualquer torcedor reativo, focada no desenvolvimento.

    A Honda deve ter prometido algo à Petrobras e por isso eles sairam da Williams. A Honda deveria SIM, indenizar a Petrobras por ter induzido (ou seduzido) eles a saírem da Williams e depois deixá-los na mão.

    Como brasileiro e defensor das causas nacionais me sinto prejudicado.

    Uma lástima….

  10. Eric disse:

    Leonardo,disse que a Podium é batizada porque como o Dú falou ela era branca….parecia agua.

    Hoje é vermelha a bosta….

  11. Francisco Amaral disse:

    A Petrobras não é estatal, é economia mista, possui acionistas, dentre os quais, o governo é o maior deles.

  12. Leonardo disse:

    Eric
    A gasolina brasileira já é batizada por lei. Aquele monte de álcool que colocam nela piora o desempenho e o consumo.

    ___

    Uma Estatal pode sair patrocinando Zeus e o mundo assim como a Petrobras faz? Eles patrocinam curta de maconheirinho da ECA até surfistas calhordas, passando por clubes cariocas mal administrados e categorias do automobilismo.

    Não haveria um ministério específico pra cada caso?

    Juro que nunca entendi. E à primeira vista me parece lógico que isso não está certo, afinal, estatal é do Estado. E se é do Estado usa $ público. E se aquele clubinho da Gávea recebe eu também quero! Não sou piloto pq não tenho $, mas se a Petrobras dá pra todo mundo, eu também quero um pedaço desse bolo.

  13. Gláuber Baldi disse:

    A BR vai patrocinar o Meianov que participará da categoria R2D2 que tem como grande rival o Darth Vader que é pilotado pelo filho do dono da construtora de Tupã que ganhou a licitação para fazer a obra na praça que quase destruiu o símbolo da DKW-Vemag.
    Fonte: Sci-Fi News

  14. Estevão disse:

    Agora vai!!!! Agora o preço da gasolina BAIXA!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!
    Abs.

  15. hahaha
    O capacete do BR Boy é um Peels Mach 5!!!! hahahahahaha

  16. Aleixo disse:

    Flavio, pelo jeito você não tem a menor idéia do porque a BR patrocinar equipes de Fórmula 1; querer que ela vá a público contar detalhes do contrato e pedir dinheiro de volta? Por favor, não seja ingênuo!

  17. Rodrigo Kenobi disse:

    Bem legal essa informação de que a Petrobrás estava na F-1 pra desenvolvimento tecnológico. Uma pena que ela vai sair da categoria.

  18. Henrique Dolabella disse:

    Putz, essa foto tá excelente.

  19. jorge roberto alves pereira disse:

    Desculpe-me Flávio, pois o que vou escrever, nada tem a ver com o post, mas creio que é o único canal de comunicação com você. No Grande Prêmio, na matéria sobre a Seletiva Petrobrás de Kart, o reporter colocou que o campeão da última edição, foi o piloto Felipe Nasr. Porém, quem venceu foi o piloto joseense Leonardo Cordeiro.
    Mais uma vez, me desculpe por oculpar o espaço e obrigado pela atenção.

    P.S.: se vocês acham que é privilégio de vocês da SUPERCLASSICS, a bagunça e abandono por parte da F.A.S.P., deêm uma olhada no campeonato paulista de kart, outrora o campeonato mais organizado e disputado da América Latina, agora é de dar dó um campeonato que fez surgir Emerson, Wilsinho, Cambacáu, Pace, Rubinho, Kannaan…

  20. Renan do Couto - SP disse:

    Se a Honda continuar a Petrobras fica também?

  21. Rodrigo ferrerira disse:

    Acho que eles deveriam se dedicar à USF1. Alguém tem idéia de qual motor vai equipar aquelas baratas? Seria Cosworth?

  22. disse:

    Desculpe falar FG.
    A gasolina “Podium”, custava em 2005, R$2,99.
    Tanto no caminho do Bar da Praia em Jaguariúna, na Pedroso de Morais aqui em Sampa, ou então hj. em Caxias do Sul, onde o diesel batia R$1,89.
    Isso depois em 2006. Hoje a tal, custa,…..R$2,99!!!!
    Quando falavam que a Gasolina foi derivada dos investimentos da F1. Que foi “elaborada no Paraná”
    Putz, se estiver louco, corram nos postos BR, se acharem algum que ” trocaram os tanques” para vir a Podium, e comprem por R$ 2,99 na data de hoje, 16/02.
    Era branca, evaporava tipo 10 segundos depois da de aviação.
    Hj. a “MERDA” da R$ 2,99 é engana trouxa, é vermelha……..
    Maior respeito ao “MKT” do Rogério, quero ver se a Honda F1, vai idenizar o Sr. Rubens, pois creio ser isso que ele está agitando………
    Tudo Mané.

  23. Claudemir Freire disse:

    Calma, ainda existe a possibilidade de a Honda ser comprada por uma montadora, e se isso acontecer ela poderá fornecer a gasolina.
    E assim acabaria com a saga da Fry-F1-Rancing, que seria uma piada, igualmente a seu dono.
    Sujeito de de péssima personalidade, que fritou o de Ferran e depois, acabou com os patrocinios da equipe com a saída da Lucky Strike. Fazendo os japas torrarem todoa a grana do dois ultimos campeonatos com a balela de green car. Ô, sujeitinho.
    Passeando pelos sites especializados tudo indica que a proposta foi de uma empresa séria, e melou a Fry-F1-Rancing.

  24. João Paulo (se preparando para o IRC / WTCC) disse:

    Acho que a BR tinha na Honda uma entrada para os EUA na Indy e outras categorias que usam motores Honda desenvolvendo lubrificantes e principalmente o “Etanol”. Pelo visto miou.

  25. VaaaaLNeeeeY disse:

    Se a Petrobras avançou tanto assim em desenvolvimento de combustíveis, porque o que é vendido no Brasil é de tão ma qualidade!?

  26. márcio x-burger disse:

    Com a saida da petrobras, os cabras que estão querendo enxugar a categoria, agora vão montar kit a gás….

  27. Eric disse:

    Acho do cacete como desenvolvimento e afins a BR na F1.

    O duro é encontrar um posto que “deixa” o combustível certo……até Podium tá sendo batizada……

    Esse é o Brasil.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>