MENU

quarta-feira, 23 de julho de 2014 - 1:39Futebol

SÓ TRÊS ANOS

SÃO PAULO (só esperando) – Fico me perguntando como é possível, em apenas três anos, um time sair da glória absoluta para pegar a ladeira rumo ao fim. A Portuguesa de 2011 encantou o Brasil. É um clube que tem dessas coisas. De tempos em tempos, encanta e comove. Em 1996, foi a namoradinha do país. Em 1998, todos se indignaram com o roubo no Morumbi e as lágrimas dos meninos ajoelhados de dor. Em 2006, alívio nacional com a fuga da terceira divisão na última rodada, no Recife. Cinco anos depois, a volta por cima com alegria, gols e simpatia. Ninguém tem raiva da Lusa. Ninguém quer vê-la mal. Ao menos aqueles que têm alguma noção do que é o futebol, de sua história, daquilo que realmente importa.

E foram dois anos, 2012 e 2013, dignos na Série A. Num futebol em que torcidas comemoram verba de TV, se manter entre os 10 ou 12 primeiros sem recurso algum é quase um milagre. Até a sacanagem do ano passado, ainda por ser explicada. E a indiferença de quem poderia ajudar, apoiar, investigar, fazer qualquer coisa, é o que mais dói.

Acabei de ver este vídeo pela primeira vez. Faz só três anos. Parece inacreditável. De novo, teremos de nos reinventar, nos superar, sofrer.

Ah, futebol, como te odeio.

39 comentários

  1. Flávio, estive no Canindé no sábado, para o jogo contra o Ceará (fui eu que tuitei a foto antes do jogo). Não torço para a Portuguesa e nem fui lá movido pelo tal “sentimento de pena” que alguns citaram acima. Eu gosto de futebol, gosto de ir a estádios e fui por isso. Torcer, mesmo, só para o meu time e, como segundo time, para o Nacional, frequentador que sou do Nicolau Alayon. Depois do meu time e do Nacional, a Lusa é o time que mais vi em estádios, a gigantesca maioria desses jogos sem ser contra o meu time.

    A coisa que mais me chamou a atenção nesta incursão ao Canindé foi o preço dos ingressos.: quarenta reais para a arquibancada e sessenta para a numerada. É preço de Série A, e não estou querendo desmerecer a Série B. No ano passado, o São Paulo estava numa posição tão ruim quanto e baixou o preço dos ingressos muito antes. Começou a levar grandes públicos ao seu estádio. Não sei qual é a capacidade atual do Canindé, mas acredito que seja perfeitamente possível levar muito mais gente lá em um sábado de sol como foi o último. Tive a impressão de que a torcida do Ceará representava quase metade do público presente.

    Por falar nela, acho (não foi a primeira vez que percebi isso) muito incongruente que a torcida adversária tenha a entrada (muito) mais próxima do metrô, além de ficar em setor onde praticamente não bate sol no horário do jogo. ok ser tradição (no primeiro jogo a que fui lá, contra o Remo, em 1993, era assim, se não me engano), mas é estranho.

    Voltando ao preço do ingresso, ele foi cobrado nesse valor para um estádio que não está em seus melhores dias. O banheiro (ao menos o da numerada que usei) parecia recentemente reformado e bem cuidado, mas com os mesmos problemas de outros estádios, como falta de papel (especialmente o para secar as mãos) depois de determinado ponto do jogo e ausência completa de sabonete para lavar as mãos. Eu nem ligaria muito para isso normalmente, mas estava com meu filho de cinco anos, e, claro, como toda criança, ele sujou-se com o sorvete de chocolate… Aliás, meu filho teve de pagar ingresso, coisa que ele não faz em outros estádios da cidade — em Itu, sim, ele teve de pagar ingresso, e só entrou no estádio por ter feito aniversário dois meses antes, já que lá não podem entrar crianças com menos de cinco anos.

    Além do banheiro e das cabines de imprensa, o resto parecia mal cuidado demais. Não estou comparando com “arenas”, mas com o Nicolau Alayon, aonde fui no dia seguinte, para assistir a Nacional 6×0 Assisense. Por mais que eu goste do Nacional, é inconcebível que o estádio da Portuguesa esteja mais mal cuidado que o do NAC. Além disso, o preço da água era de extorsivos quatro reais pelo copinho.

    Mas não quero só falar mal. Como eu disse, vou a estádios pela experiência, e o “clima de futebol” estava presente. A torcida é apaixonada como sempre, mas deve estar afastada não só pela fase atual, mas também pelo preço dos ingressos. Esse foi, de longe, o menor público que vi no Canindé. Não tenho o público da partida contra o União São João em junho de 1995 (devia estar mais cheio que isso, porque era a fase semifinal do Paulista), mas o menor total que eu já tinha presenciado foi contra o Náutico, em novembro de 1995 (4.112 pagantes). É claro que não fui a tantos jogos assim no Canindé, mas já dá para servir como alguma referência. Isso sem falar que, no domingo, assisti ao jogo do Nacional e depois ao do meu time e gastei, na soma de ambos, um quarto do que pagara para assistir à Lusa.

    Não sei direito por que escrevi este texto, mas queria externar o que vi lá, como a visão de alguém “de fora” que se importa com o futebol e suas tradições. Talvez você já esteja me xingando desde o antepenúltimo parágrafo, sei lá. Mas eu gostaria de ir mais ao Canindé. Mas, com os preços atuais, infelizmente não vou conseguir ir muitas vezes, ainda que eu vá de arquibancada.

  2. Ana disse:

    Eu penso nisso todos os dias… mas fazer o quê?! Amo a Lusa, mais que futebol…

  3. Giobonno disse:

    A Lusa só faz mal a ela mesma! Sobe e desce. Ainda bem que a toada é essa nos últimos anos. Já pensou se só desce?

  4. Marcelo Araujo disse:

    O futebol brasileiro acabou, meu chapa.

    Não é apenas a tua Lusa que está sofrendo, é toda a estrutura do nosso futebol.

    E os caras vão e colocam o Dunga na seleção.

    Todos aos botes.

  5. Elvidio Rui Farina Junior disse:

    Off: Tudo bem Flávio Gomes! Tem foto sua na quatro rodas deste mês!!! Bem bacana a matéria sobre a “Classic Cup”!!!

  6. Ricardo Bigliazzi disse:

    Segue o jogo…

    A unica coisa que não dá para entender é como o Dirigente da Portuguesa escala um sujeito que estava sendo julgado?????

    Se o Advogado não falou nada… não deveria correr esse risco… o jogo era apenas para cumprir tabela… não valia nada… era apenas um fim de festa… festa de um ano espetacular para a Lusa (se manter na Série A diante da realidade da Lusa era a maior demonstração de um trabalho bem feito)… e os Gajos fazem uma besteira dessas????

    Nem no time de basquete mini-mirim do campeonato escolar de Santo André na década de 70 cometíamos um deslize desses… era conferido uniforme, carteira de identidade, carteira escolar, capitão, assinatura de sumula, técnico, diretor da escola e tudo o mais… eramos crianças… mas setecentas vezes mais comprometidas e responsáveis que esse pessoal da Lusa.

    Nada explica essa falta de cuidado dos dirigentes da Lusa. Esses cidadãos deviam ser defenestrados da vida da Portuguesa.

    É nessa hora que surge o “fantasma” do dirigente envolvido em falcatrua, mal intencionado, do advogado comprado por outros, do sujeito que prejudica o clube em troca de favores milionários, resumindo, “fantasmas”, porém, como todos sabem, fantasmas não existem.

    Sofre o torcedor da Lusa. Tenho duvidas se a Diretoria da Lusa esta esquentando a cabeça na mesma proporção do que sua torcida

  7. GUSTAVO RANGEL disse:

    Vc falou INVESTIGAR? Sério? Pq que vcs jornalistas não fizeram isso de verdade, ao invés de desde o primeiro instante, preferirem atacar o FLUMINENSE quando o óbvio batia a parto de vcs em VERMELHO E PRETO? A torcida tricolor tb adoraria que vcs, “jornalistas investigativos”, investigassem. Mas vcs preferiram outro caminho……

    • Ricardo Bigliazzi disse:

      Investigar o que? A CBF?? Essa entidade possui imunidade diplomática perante o governo brasileiro e pelo que ando percebendo perante todas as Federações Intergaláticas ainda por serem descobertas.

      Já disse em outro post que nenhum Clube Brasileiro é capaz de levantar a voz contra a CBF para ajudar um Clube “Co-Irmão”. É um pega pra capar dos mais violentos, quem pode mais paga menos (ou vice e versa dependendo do favor solicitado).

      No futebol rola muita grana, e tem gente muito graúda interessada na “bolada” que esta em jogo.

      Nunca antes na historia desse Pais correu tanto dinheiro nas mãos dos dirigentes que organizam o nosso futebol… e a grande maioria dos Clubes se diz “falido”.

      Como diz o Zé Simão: “O Brasil esta repleto de Estadistas… basta conferir o numero de Estádios Bilionários construídos a base de dinheiro publico”

  8. Rubens Bueno disse:

    Na série A lampejos de times pequenos “sem recurso algum” têm muito mais a ver com a extrema falta de qualidade técnica e tática dos times brasileiros atualmente. Normalmente assistir jogos do Brasileirão tem sido uma tortura. Impressionante como a bola é maltratada sem dó. As goleadas sofridas pelo Santos dão uma boa medida do ponto ao qual chegamos. Não é por acaso que a única emoção do campeonato é a briga da parte de baixo da tabela na tentativa de fugir do rebaixamento.

  9. Ronald disse:

    Falou tudo, sacanagem o que aconteceu no ano passado… Sou Gremista e me lembro com muito respeito da disputa de 1996. Tempos em que o campeonato permitia esse tipo de coisa… lindo ver a Portuguesa, honrosamente disputando uma final (o que é isso mesmo?) de campeonato Brasileito.

    Abraço!

  10. Celio Ferreira disse:

    A luzinha meu segundo time, é a explicação para o atual estágio do
    futebol brasileiro, mas ela sempre da um jeito.

  11. J Fernando disse:

    A Portuguesa é aquele time “bonachão”, que todo mundo gosta, todo mundo torce a favor.
    Menos quando é jogo contra o meu Cruzeiro.
    Eu lembro do Alex Alves que vestiu a camisa da Portuguesa e depois a do Cruzeiro..
    E ficamos todos tristes em saber que o erro da Portuguesa no ano passado beneficiou o clube que mais viradas de mesa já protagonizou.

  12. Thiago disse:

    Ninguém tem raiva da Lusa porque ela é um time, digamos assim… inofensivo. Não é rival de ninguém. Eu não acharia legal se vissem meu time dessa forma.

  13. Em resumo: ainda que diariamente eu viva da profissão que escolhi exercer, a de advogado, o caso Portuguesa é, junto com a Ação Penal 470, minha grande crise existencial profissional.

    Como certa vez colocou um amigo, tanto esforço, estudo e aprendizagem, de contagem de prazos, inclusive (nós advogados vivemos de prazo), para que um tribunal privado (o STJD não é Poder Judiciário) nos fizesse ter sensação de perda de tempo num julgamento transmitido ao vivo em que se viu uma instituição já condenada antes do veredito.

    Na Ação Penal 470, a “ilustre” citação de Rosa Weber a partir da dita teoria do domínio do fato: “Não tenho provas, mas vou condenar porque a literatura jurídica me permite”.

    Até agora nenhuma prova de que a Portuguesa foi subornada para escalar um jogador supostamente irregular.

    #SomosTodosPortuguesa

  14. josé disse:

    A pior coisa prá um clube é chegar ao estágio de “ninguém ter raiva dele”. Isso significa que ele se tornou inofensivo (“não faz mal prá ninguém”). Daí vem a indiferença a que vc se refere. Pena …

  15. Sergio Andrade disse:

    Caro Flavio,
    Realmente algo muito estranho vem acontecendo com a Portuguesa, culminando com a escalação de um jogador em situação no mínimo de risco na última partida do campeonato brasileiro de 2013, quando poderia perder de goleada sem qualquer risco.
    Fico a me perguntar: a quem interessava aquela situação? Somente ao Flamengo que tinha feito corrido o mesmo risco, sem sentido, ao escalar um atleta na mesma situação daquele da Portuguesa na véspera.
    Teria alguma mala da Gávea sido levada até o Canindé e aceita por alguns da diretoria da Lusa????
    La-men-ta-vel!!!!!!!
    Abs

  16. Johelmyr disse:

    Me desculpe Flávio Gomes e demais torcedores da Portuguesa.
    Mas tem gente sim, que quer ver a Portuguesa mal.
    E sabem quem são eles?
    Os próprios dirigentes do clube.
    O que fizeram ano passado com o clube é mais robusta prova disso.
    Venderam o clube pela permanência do Flamengo na série A.
    Uma vergonha.

  17. Rafael disse:

    Bom Dia Flavio,

    É triste ver um time da tradição da Portuguesa em uma situação como a de hoje, mais isso é o retrato das administrações esportivas no Brasil. Portuguesa sempre se destacou pela formação de ótimos jogadores, mais hoje os dirigentes só pensam em grana e nem ligam pra situação dos clubes. E outra os outros clubes de SP foram muito sacanas no caso do STJD ano passado e não ajudaram em nada pra que essa sacanagem não acontecesse.

  18. Fernando disse:

    Eu sempre gostei da Portuguesa. Ela á a alternativa em SP aos times “Grandes” e da mídia bairrista. Ela é simpática, tem um uniforme dos mais belos do país entre outras coisas…Mas a estória do ano passado está muito mal explicada!!! Na minha modesta opinião a diretoria de merda da Lusa fudeu tudo. O Éverton não sabia? Cá entre nós, qual o jogador que não procura saber o resultado do seu julgamento? O técnico? Muito estranho. Queria ver o FluminenC rebaixado, mas a Lusa fez merda!!!

  19. Marcelo Rangel disse:

    Flávio, sou Bugrino, entendo e compartilho de 100% do que você escreveu. Se o futuro do futebol brasileiro tiver que exterminar os times com menos recursos, sem dar a eles a chance de continuar existindo com alguma dignidade, ao seu lado também vou odiar o futebol.

  20. retka disse:

    na minha modesta opinião, time que não leva mais que 3.000 pessoas por jogo, ou seja sem torcida, tem que fechar as portas! é a realidade! ou estou errado? esses times só servem para completar tabela. e não adianta me xingar FG, vc sabe que estou certo.

  21. LH Alves disse:

    Embora eu seja Palmeirense, eu respeito muito a Lusa e torço sempre pelo melhor para ela. Doí no peito ver o que fizeram com vocês ano passado Gomes, isso mostra o nível que chegou o futebol brasileiro. A Portuguesa merecia um lugar eterno na série A, a Lusa nunca merece cair. Respeito de verdade o amor que você sente por ela, porque poucos torcedores sofrem como palestrinos e lusitanos. Um abraço Gomes e força Lusa!!!

  22. Rodrigo Santiago disse:

    Com a demissão do André Santos agora pelo Flamengo, quem sabe ele resolva falar o que sabe com mais detalhes, pois na época vazou uma entrevista dele dizendo que jogou aquela última partida sabendo que estava suspenso, e que tentou avisar aos dirigentes do Flamengo.
    Quem sabe o assunto volta à tona?

  23. fernando duarte amaral disse:

    Prezado Flavio,
    infelizmente suas palavras sao muito verdadeiras…inacreditavel o que fazem com nosso clube, nossa paixao…
    Uma pergunta a voce, sempre direto e honesto na sua opiniao, o que poderia, ou deveria, ser feito para melhorar isso ?
    Vejo tanto comentario sobre futebol brasileiro em geral e sobre nossa Lusa mas nao vejo nada, ou ninguem, realmente fazendo algo…
    Sempre fu contra a reclamacao pela reclamacao, acho que, antes de alguem reclamar de algo, esse mesmo alguem deve tentar mudra ou fazer algo que mude o status quo….ja tentei me inteirar no Caninde de como participar mais, como tentar ser alguem la para gritar mas, infelizmente, senti que aquilo eh um clube restrito a alguns e, infelizmente, eu nao sou ninguem para pleitear algo….enfim, desisti…
    Assisti ao jogo ontem e, mais uma vez, bateu uma baita tristeza.
    abracos

    Fernando

  24. Apesar de palmeirense, estava naquela final da Lusa contra o Grêmio no Morumbi, junto com amigos são paulinos e corintianos. Todos torcendo pela Lusa!

    Que chuva!

    Naquela época as rivalidades eram intensas entre os 3 gigantes da capital, mas todos adoravam a grande Portuguesa.

    Aquele título não conquistado pela Lusa fez muita falta. Um mísero gol, poderia mudar o patamar da Lusa para “um dos campeões brasileiros”, o que conta muito pra sempre. Não, não muda demais o seu valor, mas ajuda politicamente.

    A situação da Lusa hoje, assim como de outros grandes que estão padecendo, é um misto de más administrações e desigualdade de cotas de TV.

    Primeiro, não dá para dois times receberem da TV 10 vezes mais do que outros times que jogam o mesmo campeonato.

    Não tiro o meu time da reta não, também acho um absurdo o Palmeiras receber muito mais que Chapecoense. É óbvio, uma distinção há de ser feita, mas não tão gritante. Principalmente a crueldade de só dar mais dinheiro a quem tem mais torcida. É uma exponencial negativa para o futebol.

    Outra coisa, os dirigentes tem que ser responsabilizados por seus atos. Não dá pra presidente de time grande afundá-lo em dívidas e depois que perde seu mandato ser visto andando de Ferrari por ai, com origem desconhecida do dinheiro.

    O futebol do Brasil está morrendo.

    Espero que o presidente atual do meu time, Paulo Nobre, consiga permanecer por mais um mandato, batendo de frente contra esse sistema que impera no futebol nacional.

    Grande parte da torcida exige contratações de impacto, mas ele não se abala, mesmo com o time numa posição mediana no campeonato, só fecha negociações por produtividade dentro do orçamento do clube. O time não está bem, mas está aceitável pelo momento financeiro que atravessa. Procurou outros mercados de menos especulação e vai se virando, apesar de fazer algumas besteiras pontuais.

    O problema é que quando Paulo Nobre negociava o melhor para o clube com o Kardec, mantendo a ética, veio outro clube, assediou o pai do jogador e atravessou a negociação com mais do mesmo, uma fortuna que não vale o jogador.

    O que mais deixou chateado foi ver grande parte da imprensa dizendo “A ideia do Paulo Nobre é boa, mas foi imaturo e juvenil, porque não é assim que funciona o futebol”. Esperava comentários que motivassem mais os presidentes a fazer o que o Nobre fez e não chamá-lo de imaturo e inocente.

    Tem muito moleque bom em categorias de base, mas os times grandes teimam em contratar medalhões, afinal, são altos salários, altos valores de contratação, excelentes comissões aos empresários e “boas recompensas” dadas pelos empresários para os presidentes.

    Os torcedores têm sua parcela de culpa. Exigem medalhões de seus presidentes e só facilitam o esquema.

    Por que não emprestar esses moleques da base para estes times como a Lusa que passam por problemas financeiros graves?

    Desculpe-me me alongar e incluir o Palmeiras em um assunto que o tema principal é a querida Lusa, mas é o que penso e vi neste post a oportunidade de me expressar.

    Abraços

  25. Murillo Sperandio disse:

    Digo a mesma coisa. Só fazem três anos que o meu Vasco era forte e respeitado. Só fazem três anos que ganhamos a Copa do Brasil e soltamos o grito de campeão que estava entalado na garganta. Hoje, amargamos a nossa segunda série B em cinco anos.

    Obrigado Dinamite! Pior presidente da história do VASCO. Ex-ídolo para 90% dos Vascaínos. E o pior de tudo é que nós Vascaínos não temos uma luz no fim do túnel. Dia 06 de Agosto Eurico Miranda retornará ao clube como presidente.

  26. Bruno Fernandes disse:

    Flávio..

    Escrevo não como palmeirense fervoroso que sou, mas um apaixonado por futebol, e respeitador das tradições e tradicionais. Digo que NÃO HÁ, no Brasil, alguém que deseje a derrota da quase centenária Lusa. Apenas uma sigla não respeita essa gigante do futebol nacional! Que não se importa com o brilho que ela pode trazer ao gramados.

    Sentimos muito por todas as vezes em que a Lusa foi “garfada” no BR-13. Assim como torcemos muito para que ele cravasse sua bandeira definitivamente na elite, em campo!!! O que de fato fez, se não fossem aqueles que usam gravata. Passou, lamentavelmente errado, mas passou.

    Atualmente, sentimos a dor daquele torcedor que vê a sua Lusa sofrer 2 gols em 5 minutos por um time chamado I com Casa, após um gol anulado de maneira pavorosa.
    Não suportamos ver a Portuguesa de Desportos lutar para fugir de zona que jamais deveria voltar. É triste. Porém, mais triste que isso, é notar a omissão, e principalmente a singularidade dos clubes paulistas (Aos clubistas e barristas, e todos os istas chatos que leem, o meu Verdão se incluí) Aqueles que de fato poderiam de alguma forma ajudar.

    Tenho 24 anos. Vi o seu time cair, subir de forma magistral, ser chamada de “Barcelusa”, se desmanchar, ser desrespeitada, e cair novamente..

    Neste Brasil futebolístico, existem 5 grandes clubes paulista, não 4. Como os veículos de comunicação preferem dizer.

    Veremos a Lusa no topo novamente, verei a Lusa com sua arena, e ser chamada de gigante novamente. Não importa o tempo que leve, nós veremos.

    Ao escrever isto, sinto que falo por muitos

    Divido com você e todos os torcedores da Associação Portuguesa de Desportos, a frustração, a revolta, mas principalmente o apoio, a torcida e o desejo de ver este clube ser tratado como merece: Um Gigante do futebol brasileiro.

  27. Ubaldir Jr. disse:

    É… torcer pra time “pequeno” é uma tarefa árdua, camarada. O meu Atlético Goianiense aqui não me deixa mentir. Nem sei se vale a pena, nesse nosso futebol de hoje, almejar disputar a série A. Times como Portuguesa e o Dragão só vão lá para se endividarem absurdamente para almejar não mais que o mero objetivo de se manter na “elite”. Tenho achado que ficar no meio da tabela da B já está ótimo. Fazer o que?

  28. Luciano disse:

    Faz uns 5 anos que leio seu blog e hoje simpatizo com a Potuguesa, por você. Só não posso votar na Dilma, não entendo que democracia é essa onde uns tem o dobro do horário eleitoral dos outros. Não entendo mandar dinheiro pra Cuba pra receber de volta na campanha eleitoral. Viva a Lusa.

  29. Leandro disse:

    Flávio: O Caxias em 2001 foi garfado no jogo do acesso a Série A, não subiu e nunca mais se recuperou. Hoje está penando na Série C.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>