SORRY, PERIFERIA | Blog do Flavio Gomes | F1, Automobilismo e Esporte em geral
MENU

quinta-feira, 25 de setembro de 2014 - 20:12Antigos em geral, Encontros, Imprensa

SORRY, PERIFERIA

WSJSÃO PAULO (very proud) – Não sei vocês, mas eu assino o “The Wall Street Journal”, e hoje, quanto Totó me trouxe o jornal enquanto eu tomava café da manhã na varanda, qual não foi minha surpresa ao ver a primeira página. Pouco abaixo da manchete sobre a ação dos EUA contra o Estado Islâmico na Síria, o destaque com o título: “The Trabant Takes Manhattan On a Tour of East Bloc Nostalgia”. Nunca entendi essa paixão do “WSJ” por maiúsculas em seus títulos, mas já me acostumei.

A chamada da capa levava (destacada em vermelho por este que vos bloga) a uma ótima reportagem sobre um curioso fenômeno em solos americanos: o Trabant virou objeto de coleção entre os vizinhos do norte.

Demorou, mas invadimos e conquistamos a América.

Para ler a reportagem toda, é só clicar aqui. Está no site do “WSJ” com destaque na home, também. E como sói acontecer no jornalismo moderno, o texto é acompanhado por um vídeo, além das fotos.  Nele, o personagem escolhido pelo repórter dá umas voltas de Trabi por Nova York. É um 601 verde, 1985. Lindo, como todos.

Interessante notar que a matéria é muito bem escrita, sem graves erros de informação (uma ou outra data, nada sério) e, o que é ainda mais positivo, tira uma onda dos Trabis com respeito, sem caçoar desta maravilha da engenharia alemã-oriental — como costumam fazer, miseravelmente, jornalistas despreparados pelo mundo (sei onde moram todos, e onde estudam seus filhos).

A reportagem aproveita para anunciar a próxima parada de Trabants e Wartburgs (não citados, mas eu cito; até porque aparecem nas fotos) até o Spy Museum, de Washington, em 8 de novembro. No dia 9, não se esqueçam, faz 25 anos da queda do Muro de Berlim. estão esperando algum tipo de recorde de carrinhos dois tempos na capital americana.

E é isso. Quando seu carro sair na capa do “WSJ” você fala comigo, tá? Mas tem de ser 23 anos depois que ele parou de ser produzido, senão não vale.

9 comentários

  1. J disse:

    WSJ é um puta jornal de Republicano, sai dessa, hehe…

    Mas quem puder ir ao Spy Museum, não perca e chance. É muito legal, e uns Trabants lá com certeza vão se sentir em casa naquele clima de guerra fria todo.

  2. Andre disse:

    Leitor do WSJ “detected”…

  3. Sobre a “paixão por maiúsculas”, isso é bem comum nos EEUU. O “New York Times” também usa.

  4. Ricardo Bigliazzi disse:

    O carro é icônico. O carro tem que estar inserido num contexto único, o Trabi é um desses raros casos na industria automobilística mundial em que se torna um marco de uma era.

  5. Cassio Andrade disse:

    Dá uma olhada no olhar incrédulo do Obama ao dividir a front page com o Trabi.

  6. Moa disse:

    Mustangs nunca pararão de ser fabricados!! Podem virar 4 cil Turbo… Eletrico… A agua… Mais vão continuar firme e forte! :p

  7. AS disse:

    Awesome !!! Vou dar um pulo em DC nesse dia pra ver e entender o tamanho dessa paixao. Vou filmar e fotografar e mando pra vc o resultado.

    DC tem voo diario SP/DC/SP… pega e um também vem pra festa.

  8. Leonardo disse:

    Bom saber que o WSJ, único jornal que assino, passa pelo seu crivo. Infelizmente entre jornais e revistas brasileiros ainda não consegui achar algum que sirva para algo além de embrulhar peixe.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>