MENU

quinta-feira, 31 de março de 2016 - 21:51Fusca & cia., One comment

ONE COMMENT

Porto de Roterdã, Holanda, foto publicada na página de Mário César Buzanfan no Facebook. Fico feliz que os europeus gostem de nossos carrinhos.

meudeos

30 comentários

  1. PG Cruz disse:

    Em toda essa história, infelizmente o que sobra para nós são preços absolutamente fora da realidade para os carros anunciados no Brasil.
    Explicarei. Quando um europeu compra uma Kombi, paga por ela 20 a 25 mil euros. Ao se fazer a conversão o preço dessa Kombi passa a ser 80 a 100 mil reais.
    Consequência? As Kombis no Brasil em bom estado passaram a ser anunciadas por 70, 80 até 120 mil reais (há uma anunciada por 320 mil!!).
    Só que os vendedores ao anunciar seus carros por aqui, esquecem (esquecem?) que os compradores europeus ganham em euros´. Se o câmbio fosse 1 para 1, seria o mesmo que pagássemos (como os europeus pagam em euros) 20 a 25 mil reais em uma Kombi perfeita. O melhor dos mundos não?
    Para as outras marcas a “praga” já está se disseminando.
    Um SP2 há não muito tempo atrás custava cerca de 45 mil reais (12 mil euros). Hoje já temos SPs sendo vendidos em sites especializados a 110 mil reais!
    Um boa Brasília custa (ainda) em torno de 12 mil reais. Aquela da foto pode ter custado 3 mil euros. Molezinha né? Só que não. Já começam a aparecer Brasílias de 30, 40 mil reais.
    Infelizmente, enquanto os vendedores continuarem praticando o raciocínio de que – “ah, se o carro dele está anunciado por esse preço, o meu também vale isso” – mesmo que o preço seja totalmente fora da realidade brasileira, ainda teremos Kombis a preço de marajá, réplicas de Porsche a preço de Porsche e por aí vai.
    Repetindo a frase lá do início, o que sobra prá nós é o preço $$urreal.

  2. Sydnei disse:

    Se os Detrans desse Brasilzão fizessem leilões, nós teriamos muita historia pra contar. Mas eles preferem deixar apodreçer nos pátios, criando mosquitos da dengue, zika e chikungunya.

  3. Carlos Aboudib disse:

    Meu corôa teve um SP2 de 1976 até 2002!
    Hoje mantemos um bugre 1983!

  4. Zeca disse:

    Pessoal,
    Se pensarmos em termos de “obras de arte”, a verdade é que nao importa quem as preservem ou onde as preservem. O importante é que fiquem para as geracoes futuras. E os europeus em geral sabem fazer isso melhor que ninguem.
    A questao maior é o Brasil voltar a ser competitivo economicamente e os impostos para importacao de bens culturais (inclusive carros antigos) nao serem abusivos, que as obras de arte voltarao.
    Nos anos de 2009 a 2014, que a economia esta melhor quantos automoveis antigos foram importados e quantos foram exportados?
    Simples assim.

  5. JT disse:

    Também tem MP Lafer deixando o Brasil para ir morar na Europa:
    http://www.mplafer.net/2016/04/dudek.html

  6. antonio sricagnolo disse:

    Essa turma é mesmo muito engraçada,tudo é precioso,raro,etc e tal,tem ate quem chama uma venda de lesa patria sendo que tem gente que faz isso muito mais bem feito do que apenas vender um carro,enfim o que mais interessa é que na hora de pagar pela mão de obra pra fazer essas “preciosidades” ai tudo deixa de ser poesia e a choradeira começa,ai as palavras mudam para absurdo,muito caro,não vale tudo isso,então o negocio é vender para quem sabe quanto vale lixar os dedos para deixar um carro zero,o que não é bem o estilo da maioria das preciosidades que andam por aqui.

  7. Nilson Carvalho disse:

    Faz algum tempo que vi uma Kombi 68 linda perto da escola de meu filho. Deixei o pequeno na aula e fui puxar papo com o sujeito que estava no volante.

    A Kombi tinha recém saído de uma restauração e estava indo de Brasília para a Europa, Holanda se não me engano. O cara já tinha mandado umas dez outras Kombi para o outro lado do mundo..

  8. Fabio Rogers disse:

    No meu VW 1600 TL ano 75 e no meu Monza SL/E 1.8 ano 87, ninguém mexe…pego a espingarda e boto os gringos pra correr kkk…agora falando sério,feliz porque acredito que serão bem cuidados,mas triste por ver que o povo aqui cada vez tem menos cuidado em preservar sua história.Por um mundo com mais Antigos nas ruas!

  9. BRUNO disse:

    A vantagem é que os gringos valorizam os antigos daqui. Gostei de ver a Variant ali junto.

  10. Rodrigo Moraes disse:

    Não tenho opinião formada sobre a exportação de antigos. O Flavio acha bacana, o Roberto Nasser, outro dia, escreveu numa coluna que os exportadores são lesa-pátria.

    • Zé Colméia disse:

      Concordo com o Nasser, aqui não falta dinheiro ou interesse de quem realmente gosta de antigos. Falta mesmo é as pessoas fazerem as coisas corretamente, sem fugir do foco.

  11. Uma pena não embelezarem as ruas daqui.

    Uma boa terem um boa vida por lá. É o que importa.

  12. luis felipe disse:

    um absurdo isto nós perdemos este patromônio

  13. sinval disse:

    considero triste e sombrio.
    carros como o TC e SP2.
    são raros aqui pra gente
    e cada vez mais caros.
    ou seja tao levando nossos
    tesouros e binguem toma conhecimento.
    vai la nos EUA tentar tirar um Corvette com mais de
    trinta anos…
    enfim so nos resta engolir.

    • Pedro Wolthers disse:

      E os Pumas então ?

    • Zé Rodrix disse:

      Sinval, acho que você se confundiu. Trazer uma Corvette com mais de 30 anos para cá é super fácil, só precisa ter a grana. Todas as Corvettes que entraram aqui nos últimos tempos tem mais de 30 anos,
      Com a grana, você olha no Ebay, compra e inicia o processo de importação, algum tempo depois ela chega nas sua casa.

  14. Paulo F. disse:

    Não vai sobrar nada!!!!!!

  15. José Geraldo disse:

    Ainda vai chegar o dia em que se verão réplicas do SP2!

  16. “Fico feliz que os europeus gostem de nossos carrinhos”.
    E eu fico triste que os brasileiros, a MAIORIA, NÂO GOSTEM de nossos carrinhos…
    O legal hoje é curtir HB20, HR-V e Evoque. SP2 e Kombi é coisa de velho saudosista.
    Lamentável.

  17. Gustavo disse:

    Adjetivar Karmann e SP2 de “carrinhos”?
    Tá de sacanagem?

  18. Garlet disse:

    Euro 4/1 tá fácil……………

  19. Reinaldo Bascchera disse:

    O caminhão cegonha poderia entregar toda essa mercadoria lá em casa.

  20. João Henrique disse:

    Não são apenas as Kombis que estão na mira dos colecionadores de lá, pelo jeito.

  21. Zé Rodrix disse:

    Perdão, mas o fato de termos alguns poucos carros (sim, são pouquíssimos) antigos indo para o exterior em nada atrapalha a nossa memória, ou a nossa história. Pelo contrario, amplia os limites da nossa história.

  22. Riacardo Bigliazzi disse:

    Os carros são “placa preta”?

    Bom saber que a nossa memória esta sendo preservada, mesmo que parte dela esteja do outro lado do Atlântico.

  23. TSC disse:

    Fico triste que os europeus levem nossos carrinhos!

  24. Zé Maria disse:

    País sem memória!
    País sem história!
    Sorte dos outros, azar nosso!

    • Marcelo Couto disse:

      Tem razão. De qualquer forma, melhor isto do que ficarem aqui definhando ou sendo tunados da pior forma possível. Lá, servirão como prova do talento daquela geração de projetistas brasileiros e dos belos carros que desenharam.

      • Zé Colméia disse:

        Não me parece que há alguém esquecendo em uma garagem ou tunando um SP2 ou mesmo esse KG TC, até porque hoje até os manolos sabem que esses carros tem valor quando estão originais. O sofrimento deles foi nos anos 80 até começo do 2000 quando valiam quase nada e caía na mão de quem só podia comprar isso, e de vez em quando fazia uma imitação de ferrari, com farol de Celta e etc.

        Hoje eu acho que todos que restaram em bom estado estão sendo bem cuidados, e quem sabe estejam certos os americanos em proteger os seus históricos da esportação. Já tem uma boa quantia de VW brasileiros em museus e abonados donos pela europa, acho que já está bom, não quero precisar ir para lá para ver um.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>