LECLERC & ERICSSON | Blog do Flavio Gomes | F1, Automobilismo e Esporte em geral
MENU

sábado, 2 de dezembro de 2017 - 14:52F-1

LECLERC & ERICSSON

novalfasauber

RIO (que insistência…) - A parceria Sauber-Alfa Romeo foi apresentada hoje oficialmente no museu da marca em Arese (norte da Itália) com novidades. Primeiro, a dupla de pilotos para o ano que vem. Como se esperava, o monegasco Charles Leclerc (não tinha um cabeleireiro de novela com nome parecido?), campeão da F-2 e protégé da Ferrari, será um deles. O outro é o sobrevivente Marcus Ericsson, de parcos recursos técnicos e fartos recursos financeiros, que encaminha ao caixa da equipe através de seus patrocinadores suecos. Antonio Giovinazzi, italiano que também vive sob o guarda-chuva de Maranello, será o reserva e terá de esperar mais um pouco.

Quem dançou nessa história toda, como também se imaginava, foi o tedesco Pascal Wehrlein — pupilo da Mercedes. A F-1 meio que acabou para ele, creio, embora seja jovem e talentoso. Por absoluta falta de vagas. Pode ser que os alemães o empreguem como terceiro piloto, só para mantê-lo com carteira assinada. Pode ser, também, que comecem a prepará-lo para ser o representante da marca na Fórmula E, já que os planos de Stuttgart são de estreia entre os elétricos na temporada #5, 2018/2019. Aguardemos.

A verdade é que a Mercedes tinha dois moleques muito bons, Wehrlein e Ocon, e só o segundo emplacou — por mera disposição das peças no tabuleiro, sendo deslocado para a Force India em vez da Sauber, e agarrando a chance com categoria.

A outra novidade foi a nova pintura dos carros, que nas últimas temporadas ostentaram o azul como dominante. Na apresentação do projeto, meteram no palco um carro branco e vermelho com um enorme logotipo da Alfa Romeo na tomada de ar. Ficou bem elegante — o vermelho da Alfa é diferente do vermelho da Ferrari, mas não me peçam para explicar porque não sei –, embora ninguém deva imaginar que este será o layout definitivo. Até começar a temporada 2018, muita água deve rolar por debaixo das pontes ítalo-helvéticas, inclusive para acomodar os patrocinadores de Ericsson, que ajudam a pagar a conta.

A Sauber, assim, passa a ser em definitivo um time B da Ferrari, usando seus motores atualizados (neste ano, a equipe só pôde dispor das unidades de 2016) e servindo como laboratório para formação de pilotos e desenvolvimentos paralelos que possam ser transferidos para a matriz. Um esquema muito parecido com o que a Red Bull utiliza desde a compra da Minardi para transformá-la em Toro Rosso. Numa categoria em que os testes são controladíssimos, ter uma equipe-satélite é de grande utilidade.

Muita gente pergunta se a história de usar o nome Alfa Romeo é apenas marketing, se os motores serão Alfa, se Farina vai ressuscitar, se o arcebispo de Milão vai abençoar os cockpits, se a cobra está engolindo um sarraceno ou dando à luz um homem, o que é verdade e o que é mentira nessa volta da famosa marca do cuore sportivo à principal categoria do automobilismo mundial.

Não há grandes mistérios. A Alfa Romeo, assim como a Ferrari, é uma marca/fábrica sob controle, há séculos, da Fiat. Aliás, a simbiose entre as duas é antiga. Enzo Ferrari começou a vida como piloto da Alfa Romeo. Depois foi criar sua equipe.

Alfa e Ferrari são a mesma coisa, então? Não. Mas por fazerem parte do mesmo grupo, têm estreitas e seculares relações. Técnicas, inclusive, em muitos setores. É óbvio que uma corporação do tamanho da Fiat usa o que tem de melhor para alimentar seus diversos tentáculos, intercambiando engenheiros, tecnologia, peças, desenvolvimento, pessoal técnico e tudo que se puder imaginar em todas as marcas que administra.

Assim, colocar o nome Alfa Romeo no cabeçote de um motor feito pela Ferrari não é nenhuma aberração. Faz muito mais sentido, por exemplo, do que chamar os Renault da Red Bull de TAG Heuer, que é marca de relógio. Anos atrás, quando a Ferrari vendia motores para a Prost (sucessora da Ligier), eles eram rebatizados com o nome de uma marca de computador, Acer. Petronas já foi nome de motor. Playlife e European, também. Vocês são capazes de dizer quais eram esses motores de verdade e quais equipes os aproveitaram para fazer propaganda de alguma coisa? Pesquisem por aí e desfilem sua erudição aqui.

Por fim, é claro que alguns funcionários da Alfa Romeo, que tem vasta tradição em corridas, serão alocados na fábrica da Sauber na Suíça. Ou mesmo pessoal da Ferrari, que terá de ser deslocado para Hinwil para reforçar o time, tirando o cavalinho do peito e colocando no uniforme a serpente que engole gente — o Biscione do emblema, um dos mais belos e clássicos da indústria automobilística mundial.

No fim das contas, é Alfa, sim, pero no mucho ao menos por enquanto — porque a estrutura básica segue sendo a da Sauber, e os motores serão feitos pela Ferrari. Os alfisti chegarão aos poucos e, certamente, vão exibir com orgulho as cores de Milão, a Cruz de São Jorge vermelha sobre o fundo branco, a cobra faminta e toda a gloriosa história da Anonima Lombarda Fabbrica Automobili, fundada em 1910 e controlada a partir de 1916 pelo simpaticíssimo Nicola Romeo — que passou a fabricar bombas, carabinas, baionetas, espoletas, bacamartes e sei lá mais o quê para vender aos aliados na Primeira Guerra; em 1919, com o fim do conflito, voltou a fazer automóveis.

Longa vida à Alfa. E à Sauber, também, porque é uma peça de resistência aos novos tempos, essa equipe.

42 comentários

  1. Daniel disse:

    Jacques Léclair. Costureiro arqui rival de Victor Valentin. Personagens vividos respectivamente pelos impagáveis Reginaldo Farias e Luis Gustavo, na primeira versão de Ti-Ti-Ti, novela das 19hs da Rede Globo, exibida em 85/86. Coincidentemente os anos do Bi-campeonato de outro Francês, Alain Prost, alguém já ouviu falar?

  2. GINO PAVAN NETO disse:

    Pelo que andei lendo a Ferrari esta em um processo de se desvincular do grupo FIAT (Família Agnelli). Será um processo gradativo de vendas das ações da Ferrari para não criar uma especulação no mercado. Hoje, a Ferrari não precisa mais do apoio da FIAT é alto suficiente. A FIAT por outro lado precisa de caixa para pagar a compra da Chrysler. Uma jogada estratégica – quanto se desvincula da Ferrari o Grupo FIAT começa a voltar a Formula 1 através da Alfa Romeu, marca que já teve prestigio na categoria. Se a Ferrari vai sair ou não da Formula 1, para mim parece mais joguinho de sena para conseguir algum beneficio da FIA. O que eu gostaria de ver, mesmo é as marcas italianas digladiando-se nas pistas. Flavio Gomes, abração !!!

  3. Anselmo Coyote disse:

    A tampa do motor desse carro ficou primorosa. O resto deveria ter seguido o mesmo padrão, mas deve ter gerado inveja na matrona.
    Então fiquemos com esse frankeinstein mesmo. Sem problemas. Isso não é nada perto das panteras cor de rosa. Nada a ver como homofobia ou qualquer coisa do gênero. Da mesma forma que não achei os rosas bonitos também não acharia se fossem beges e não achei o Alfa.
    Que pena.
    Abs.

  4. Brabham-5 disse:

    Eu até me empolguei em saber que a Alfa Romeo estava de volta á F1.
    Agora, sabendo que Sauber vai manter o Magnussen, acho que a Alfa Romeo vai ter prejuízo de imagem com a Sauber.
    Será como a Mercedes na Williams? Desperdício de bom motor.
    Esse sabugo do Magnussen na Sauber é tão intocável quanto aquele espantalho estabanado do Rodrigo CAIo no meu SPFC! Meo deos!
    Azar da Sauber.

  5. Ricardo disse:

    O vermelho é metálico, com uma pitada de laranja. Bonito demais.

  6. CHAGAS disse:

    Temos que entender que precisavam do sueco para a conta fechar, mas que é ridículo ele mais um ano na F1…… Leclerc será mais um a dar uma surra.

  7. Murio Cico disse:

    Com a saída de Palmer e o bom serviço mostrado por stroll no fim deste ano, o sueco Ericsson desponta fortemente como favorito ao posto de “braço duro preferido ” da F1. Aguardo pra ver os Paddock GP de 2018.

  8. Augusto Gibim disse:

    Com o Marchionne botando a Alfa, começa a fazer algum sentido suas ameaças do de a Ferrari picar a mula?

    • luigi disse:

      Eu percebi a algum tempo que Marchione diferentemente do Luca Cordero era simpático a Alfa Romeo.
      Só que eu como Alfista, acho que essa nunca será veramente una Alfa, só poderia vir a ser se tivesse um cappo com a inteligência, brilho e conhecimento técnico de um Carlo Chiti.mas o melhor engenheiro ítalo/português, que talvez seja o melhor engenheiro de motores(ou unidade motriz) que o playboy ,Montezemolo,em um de seus arroubos destemperado de estrelismo deu de presente para tedesca Mercedes.
      Alfa sendo Ferrari genérica, ofende aos Alfista mais ortodoxos, pois a Ferrari saiu da Alfa e não o contrário. Mas também é sabido que genialidade construtiva dificilmente anda junto com capacidade administrativa.Por isso que Porsche e Ferrari merecem respeito, pois nasceram como fabricantes de esportivos no pós guerra e se mantém firmes, ditando tendências automotivas e ganhando competições importantes.

  9. Rafael Lima disse:

    A Mercedes podia muito bem ter comprado a Manor. Salvaria uma simpática equipe da morte, preservaria centenas de empregos e ainda poderia acomodar seus jovens pilotos lá.

  10. Zano disse:

    Esse Ericsson tem “padrinhos ” fortes, para manter um piloto ruim como ele na F1.

  11. EduardoRS disse:

    Sei lá, nunca achei o Wehrlein grande coisa. É bom, mas para por aí. Acho o Ocon muito mais piloto. O Ericsson é bem fraquinho, e o Wehrlein deveria ter DESTRUÍDO o sueco nesse ano. Mesma situação que o Nasr – não fez o suficiente. Mas certamente será um bom nome para defender a Mercedes na F-E.

    Sobre a Alfa: “ben tornata”, sempre é bom ver marcas clássicas em evidência, mesmo que por enquanto seja apenas a marca mesmo. A Alfa é capaz de despertar paixões assim como a Ferrari. Isso é bom para o esporte.

  12. Paulo Pinto disse:

    Olhem o lado bom, o sobrenome dos pilotos soam bonito e se destacarão na carroceria dos “bólidos”.

  13. Amadeu Calisto disse:

    Só lamento pelo Cascão Werhlein. Vai acabar voltando pro decadente DTM ( tal qual Paul di Resta um) ou quem sabe na Fórmula E pela Mercedes. Para muitos pilotos, oportunidades de ouro. Mas no caso dele, acho pouco. Ainda merece estar no topo do automobilismo.

  14. Raphael Gallo disse:

    Sauber Petronas (se não me engano era Ferrari, tinha até Nicola Larini como piloto), Benetton Playlife (Renault) e European rebatizando os motores (Cosworth, se não me falha a memória) da Minardi. Também Williams Mecachrome (Renault), além de Prost e Jordan Mugen Honda. Certo?

  15. R. CASAGRANDE disse:

    Pintura bonita, história bonita, tudo certo. Tudo, menos o Ericsson. Engolir um piloto que é, no máximo, mediano, em detrimento ao Wehrlein é um balde d’água gelada do mar Báltico. Ter no grid pilotos só por causa das estrelas nas folhas de cheque quase sempre é deprimente (só gostava do Maldonado, esse era legal)

  16. Robertom disse:

    E a Sauber-Alfa fica com o “maravilhoso” Ericsson e dispensa Wehrlein, que sua 1ª temporada marcou 5 pontinhos no Campeonato contra Zero do sueco (3ª temp.), também em vantagem de 11 x 7 na disputa de Grid.
    É Foda…
    Quanto ao Charles Leclerc, o nome de personagem de novela parecido era Jacques Leclaire, (Reginaldo Faria) que era costureiro e não cabelereiro…

  17. Minoru disse:

    Esse Museu é muito legal mas andou abandonado e quase acabou.

    Quando eu fui (com visita agendada pela internet) o engraçado é que chamaram a mulher da limpeza para abrir a porta e acender a luz para mim hehehe!

    Entre as diversas preciosidades em exibição, eu topei com o Brabham do Pace!

  18. moisesimoes disse:

    - Pois é, teimosia da Sauber com o sueco. Enfim, não tinha percebido que de repente a Mercedes F-E pode ser uma alternativa não tão ruim assim pro Pascal. Mas ele, um piloto com talento pra F1, não vai querer assim de cara. Ele queria demais a vaga de Bottas, dizendo-se pronto.

    Pra mim soa meio esquisito Sauber que não é Sauber e Alfa que não é Alfa , mas vá lá. Tem história, tem tradição, soa bonito – que contradição tola! – tem a tal da cobrinha com a língua de fora e tem torcida, sim. E sem dúvida, ouvir RedBull-TAG Heuer (argh!) é o mesmo que ouvir Monster Energy Drink-Rolex. Sobre a pintura, espero muito mais! Essa ficou clássica: https://www.motorsport.com/f1/news/alfa-romeo-return-sauber-blessing-todt-carey-984819/amp/ . Nem notei o tal do halo.
    E sobre os motores, acho que entra no balaio a Mecachrome e a Mugen.

  19. Matheus Mossmann disse:

    OFF Topic:

    Aproveitando o embalo das equipes antigas, não sei se já falaste aqui no blogue deste desenho animado japonês dos anos 1970 em que aparecem diversos pilotos e máquinas do passado. Chama “Grand Prix no Taka”, em que o “Niki Lauda” é um dos protagonistas. No Brasil saiu apenas em um DVD fuleirinho, uma compilação de alguns episódios. Aqui um link bem detalhado sobre as aparições:

    https://rutaflashback.blogspot.com.br/2015/08/grand-prix-arrow-emblem-grand-prix-no.html

    Existe outro desenho em que Niki Lauda (agora com seu nome real) apareceu. Foi na série Lupin III, em um episódio situado no Grande Prêmio de Monaco.

    http://lupin.wikia.com/wiki/Wager_on_the_Monaco_GP

    Fica registrada a curiosidade, caso interessar.
    Abraços

  20. João Gabriel disse:

    O cabeleireiro era Jacques Leclair, personagem de Alexandre Borges na novela Ti-ti-ti.

    Fonte: http://gshow.globo.com/novelas/ti-ti-ti/personagem/jacques-leclair-andre-spina.html

  21. Luiz Carlos Barbosa disse:

    Seria ótimo ver todas essa marcas famosas de volta a formula um, mas parece que a tendência infelizmente é investirem na formula E que até agora não me seduziu !!!

  22. Leandro disse:

    É uma pena que o dinheiro tenha falado descaradamente mais alto, segundo piloto nos últimos dois anos que fica pelo caminho e prol do aporte financeiro, mesmo sendo responsável pelos pontos da equipe.

  23. Diego Ximenes disse:

    Mas Flávio, o que impediu a Haas de ser a Ferrari B, já que a Haas utilizou vários equipamentos e peças da Ferrari?

  24. Paulo disse:

    Pô, num tinha uma carro pelo menso doa ano pra apresentar?

  25. Largebeer disse:

    Para comemorar … https://youtu.be/AP5fSbI_xwE ( não achei o Indiana Gomes mostrando o Alfinha … vai o Belotte mesmo .. )

  26. Largebeer disse:

    Muito linda esta 2300 Ti da foto aí …

  27. Vanni Rebonato disse:

    Flavio,

    boa noite !
    Resumindo rapidamente, e a memoria, a historia dos vermelhos diferentes.
    Depois cada um pode pesquisar.

    Antigamente, nos anos ’50, os carros de F1 tinham a cor do pais onde a escuderia tinha sido inscrita ou seja:
    - branco para Alemanha
    - vermelho para Italia
    - verde para Reino Unido
    - azul para Franca
    - amarelo para Belgica
    etc. etc

    Os italianos, eu sou italiano, que gostam exageradamente dos detalhes quase inúteis … e depois se perdem nas coisas principais como vimos nesse ano… concordaram um vermelho especial para todas as escuderias inscritas na Italia e chamado ” ROSSO CORSA”.
    Quando essa regra sumiu cada equipe tomou rumos diferentes na escolha da tonalidade que na Alfa Romeo virou logo para um vermelho mais escuro como vimos hoje e a Ferrari inicialmente manteve o Rosso Corsa mas depois ao longo dos anos mudou varias vezes um pouquinho tambem para questão de marketing como a parceria com a Marlboro e uma questão de televisão, as primeiras tv’s a cores mudavam um pouco o tom sobretudo do vermelho, até chegar ao vermelho lindo de hoje.
    Eu gostaria de ter uma Ferrari 50% por causa do vermelho…. mas tambem o da Alfa eu acho muito bonito… mas ai é outra historia, são os carros de rua que tem que melhorar e que, na minha opinião, hoje não chegam aos pés dos alemães…. mas que o vermelho é bonito… é !

    Um grande abraço

    Vanni Rebonato

  28. Leonardo Monteiro disse:

    Se por milagre ganhar uma corrida o hino no pódio para equipe vai sr qual? Italiano ou Suíço?

  29. Emerson disse:

    Pelo amor de Deus! Coloquem nos carros os míticos números 22 e 23!

  30. Lemon S. disse:

    A F1 atual se tornou destruidora de carreira de jovens pilotos. Pascal Wehrlein é mais um que se aposenta do topo do automobilismo ainda bem novo.
    Deve dar um desanimo enorme, você saber que é bom (muito melhor que o Ericsson) e mesmo assim, terá que aceitar acelerar carros de categorias inferiores. Trocar F1 por FE é pra ficar chocado (sem trocadilhos).

  31. perna quebrada disse:

    Nada a ver com o post.

    Um vídeo do Ernesto Varela no GP Brasil de 84 entrevistando o jovem Niki Lauda, Boutsen, Cheever e Piquet.

    https://www.youtube.com/watch?v=YVZdNXYx_jQ

  32. bruno disse:

    “(não tinha um cabeleireiro de novela com nome parecido?)”…. kkkkkkkkkkkkkk.

    Independente de ser apenas uma Sauber, motor Ferrari e um emblema sobre o motor e alguns na carenagem, o monegasco e a equipe têm minha torcida! Mas não tinha ninguém melhor que o Ericsson pra colocar como piloto/patrocinador?!
    Mesmo assim, avanti quadrifogli!

  33. Filipe disse:

    Acho que faz bastante sentido Werhlein na FE pela Mercedes. Já o segundo carro, tenho a sensação que será pilotado por um tal de Felipe Massa.

  34. Rafael Rego Bh disse:

    Lembra um pouco a BAR de 2003.

  35. Fabrício Passos disse:

    Ferrari já não é mais parte da Fiat-Chrysler Automobiles (FCA), apesar da Família Agnelli permanecer com sócia majoritária ao lado do filho de Enzo Ferrari

    http://revistacarro.com.br/noticias/especiais/ferrari-nao-pertence-mais-a-fiat-chrysler

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>