MENU

quarta-feira, 14 de março de 2018 - 20:51Enigmas & desafios, F-1

ENIGMA DO DIA

RIO (cada uma…) - Não sei as razões, mas o indigitado Fábio Seixas me telefonou (ele ainda FALA no telefone) para tentar desvendar o que considera ser a maior dúvida de sua vida: por que no pódio do GP de Mônaco de 1984 Stefan Bellof não aparece em imagem alguma?

Pior é que é verdade. O alemão, que terminou aquela corrida em terceiro — e, para muita gente, guiou mais que o brasileiro no piso encharcado do Principado –, não é visto nem no vídeo da corrida (abaixo) nem nas fotos disponíveis por aí.

O que teria acontecido?

Bellof corria pela Tyrrell, que acabaria sendo desclassificada ao final daquele ano por usar um engenhoso sistema de lastros falsos em seus carros — verdade absoluta no automobilismo: todo mundo rouba. A equipe era a única que não tinha adotado os motores turbo naquela temporada, e por isso seus carros eram mais leves que os demais. Para atender ao peso mínimo pedido pelo regulamento, teria de colocar lastros no carro.

Mas o time, malandrão, largava com o carro mais leve e ao final das corridas, antes da vistoria técnica, podia recolocar água nos seus tanques de refrigeração. Só que em vez de água, injetava a alta pressão uma poção mágica que tinha até bolinhas de chumbo, aumentando o peso do carro em até 60 kg, dizia-se na época.

Às vezes as bolinhas rolavam pelo asfalto dos boxes. Desconfiaram, claro, e a FIA tirou todos os resultados do time no ano, seus pontos e a grana para bancar o transporte no ano seguinte. A Tyrrell começou a morrer aí.

De qualquer modo, Bellof fez um corridão em Mônaco, na prova vencida por Alain Prost depois da interrupção por conta da chuva, quando Senna se aproximava rapidamente do francês da McLaren. Como não tinham sido percorridas 75% das voltas previstas, a pontuação foi contada pela metade. Prost levou 4,5 pontos em vez de nove, e perderia o título para seu companheiro Niki Lauda por meio ponto, o que não deixa de ser uma ironia do destino.

O diretor de prova, Jacky Ickx, tomou a decisão sozinho e até hoje alega que os parâmetros de segurança da F-1 foram modificados a partir daquela corrida. Antes, segundo o belga, corria-se em qualquer condição de pista, mesmo se elas fossem uma ameaça à vida dos pilotos. Senna, disso eu lembro, concordou com a interrupção da prova.

Mas nada disso explica a ausência de Bellof do pódio monegasco. Alguém tem ideia do motivo?

64 comentários

  1. CRSJ disse:

    Eu notei isso nas imagens e na foto na época a ausência de Bellof no pódio, vai ver que ele previu que o seu Terceiro Lugar seria Cassado desistindo de ir ao pódio, outra hipótese foi ele ter brigado com o dono da equipe Ken Tyrrell e desistiu, ou o seu carro enguiçou lá no Cassino não dando tempo de chegar ao pódio, não encontrar o pódio para a cerimônia é impossível em Mônaco. Eu não acredito 100% que Jacky Ickx interrompeu a corrida por conta própria, deve ter tido uma ligação do seu Balestre. Ayrton Senna se conformou com a interrupção da corrida, mas isso dias depois. Se Prost pudesse voltar no tempo, ele ia até o final dessa corrida sem apelar pro fim antecipado podendo chegar até em terceiro sabendo que Bellof ia ser desclassificado, e lá em Portugal viria o primeiro campeonato, mas isso são águas passadas de 1984.

  2. Paulo disse:

    Amigos, se quiserem ver Bellof em atividade, é só ligar a TV no GP da austrália. Agora ele se chama Max Verstappen, e 12 anos após seu desencarne foi lhe dado uma nova chance de continuar sua missão como piloto. Peguem a foto dos 2 e reparem na semelhança, inclusive nas orelhas. São o mesmo espirito. Tive essa informação de um amigo a alguns dias atrás e na hora soube que era verdade. Inclusive Max nasceu em um local próximo ao seu desencarne, uma cidade a 90 km de spa…

  3. Zé mcz disse:

    Independentemente do Tyrrell está burlando o que ficou evidente foi o talento puro de um piloto que com certeza seria um dos melhores da F1. Passar dos limites, arriscar sem medo só os grandes fazem. Um outro Jim Clark.
    Stefan Bellof, o melhor piloto alemão de todos os tempos.

  4. Marcelo Chichanoski disse:

    Tem esse outro vídeo das voltas finais da prova no VocêTubo: https://www.youtube.com/watch?v=ZxYX2RZ4Ei8 com a narração da BBC (James Hunt e Murray Walker) em que citam “os novos garotos” em 2º e 3º mas ignoram completamente toda ação acontecendo abaixo do Senna. Falam também claramente que a chuva estava piorando rapidamente e que ão acreditavam que a prova iria até o fim com o Murray Walker falando na pior condição meteorológica por ele vista em sua longa carreira. E podemos também ouvir o ronco grave do motor Porsche claramente…. Vale a pena!

  5. ms disse:

    beloff assim como todo piloto arrojado (e bom) que se preze era “louco de pedra” pilotava “pacas” e morreu cedo fazendo fazendo suas estripulias pelas pistas mundo a fora…..se continuasse vivo seria uma baita pedra no sapato de muitos pilotos que se consagraram depois de sua morte……

  6. Juliano disse:

    Certamente precisou dar uma cagada de emergência.

  7. ian disse:

    Há uma teoria que recai sobre a guerra de Balestre e Ecclestone com a Tyrrell por ser o unico carro aspirado do grid, o que consideravam uma afronta. Havia claro direcionamento, por aspectos comerciais como sempre, para os motores turbo. Essa questão inclusive explica o rendimento absurdo de Bellof naquele GP de Monaco – o pessoal sempre lembra que Senna tirava 1 segundo por volta do Prost mas esquece que o Bellof tirava 2! Provavelmente ajudado pela reação mais linear da curva de potencia do motor aspirado, naquelas condições extremas. Voltando a guerra – dizem que a propria desclassificação foi uma grosseria – tirariam todos os pontos e resultados da Tyrrel naquele ano, por conta de peso irregular e uma malandragem na utilizacao de combustivel com cristais congelados(algo do genero). A teoria diz que todos esses videos e fotos são protegidos por direitos da F1 e que teriam sido editados sob supervisão do Balestre para tirar qualquer referencia a resultados da Tyrrel.

    abs,

  8. Luciano Balarotti disse:

    Até este dia só o vencedor ia para a tribuna real. O Senna, até por se considerar o verdadeiro vencedor da prova, quebrou o protocolo

  9. Albert disse:

    O que mais impressiona é o autor do texto ter tido o trabalho de escrever detalhes (Tyrrell desclassificada só ao final da temporada, esferas de chumbo, Bellof não aparece no pódio, link das fotos, etc.) e o povo sequer ler e comentar coisas do tipo “cadê as fotos?”, “foi desclassificado, por isso não aparece”, “esferas de chumbo pra quê?”.

    Definitivamente, estamos cada dia mais fadados à burrice generalizada.

  10. Marcelo mpgArte disse:

    Vendo essas imagens me lembro como era fantástica a pilotagem de Ayrton Senna. Assistir a corrida hoje, depois de Ayrton ter sido tricampeão e etc. é uma coisa, mas na época, o seu arrojo era realmente empolgante e viciante, queríamos a próxima corrida para vê-lo ultrapassar com a roda no guard- rail.. Lembrei-me de uma corrida a qual ele passou por debaixo da arquibancada, alguém sabe qual foi esse GP?

  11. Maurício disse:

    A única explicação é a bagunça que eram as cronometragens naquela época.
    Realmente até 1981 só o vencedor subia ao pódium em Mônaco.
    Em 1982 naquela corrida caótica, onde choveu no final, e a vitória trocou de mãos várias vezes na últimas voltas (Prost, Patrese, Pironi, De Cesaris, etc), o pódium teve 3 pilotos, mas não o primeiro, segundo e terceiro.
    Foram ao pódium Patrese, o vencedor, De Cesaris, o terceiro, e De Angelis, o quinto!?
    Isto porquê não se sabia quem era o vencedor. Só sendo entregue o troféu para Patrese depois de uma checagem.
    Em 1983, uma corrida mais normal, aí sim os 3 primeiros foram ao pódium
    Já em 1984, em outra corrida caótica, com chuva, e sendo interrompida antes do final, com uma mistura de bandeira vermelha, com bandeira quadriculada, eu acho que novamente houveram problemas de comunicação.
    Tanto é que o Prost já estava no Pódium quando o Senna chegou (atrasado).
    Por isso o mais provável é que não tenha havido uma comunicação adequada de Bellof com a equipe, e a direção de prova.
    Além do que, a situação foi tão confusa que na narração da Globo, e em outras narrações da corrida, ficou a dúvida se o Ayrton tinha ganho a prova pelo fato do Prost parar antes da bandeirada.
    O Reginaldo Leme inclusive fala que “o Senna festeja como vencedor da prova”.
    Por isso o Ayrton deve ter parado o carro na frente da tribuna junto com o Prost, e o Bellof pode ter parado o carro nos boxes, e não ter tido tempo de chegar ao Pódium para a comemoração.
    É a única explicação que eu vejo

  12. Paulo Henrique Vicente disse:

    Num outro vídeo mais completo, aparece a Tyrrell #4 parando ao fundo da imagem de Prost descendo do carro. Portanto ele não se envolveu em acidentes.
    Aí fico com duas teorias a de que Bellof saiu do carro e passou mal, indo ao centro médico, tal qual Senna em Kayalami 1984, ou da hipótese de que sua equipe ainda acreditasse em uma relargada chamou o piloto para os boxs .
    Sobre só o vencedor ir ao pódio está regra já não estava em vigor pois no GP de 1983 Alboreto vai a tribuna do Príncipe acompanhado pelos segundo e terceiro colocados na corrida.

  13. Peter von Wartburg disse:

    tenho o vídeo completo dessa corrida. vou averiguar.

  14. Giovenardi disse:

    Se minha memoria senil nao falha ..
    Piquet. Agua. Tanques de lastro.
    Carros eram pesados antes da largada.
    Durante a corrida ele esvaziava a agua dos lastros.
    Eh isso?

    • Czar disse:

      Se não me engano nesta situação com o Piquet o regulamento previa a pesagem dos carros somente no início da corrida. No final, não. Então houve apenas interpretação do regulamento, e não descumprimento.

      Por outro lado, encher o carro com bolinhas de chumbo depois da corrida finalizada por saber que a regra estava sendo infringida me parece muito mais descarado.

      Se tudo isso cabe interpretação? Lógico, mas é conversa para a noite inteira.

      É bom lembrar que desde sempre todos os mecanismos revolucionários da F1 vieram de interpretações espertas do regulamento – como o duplo difusor da Brawn GP que fizeram Button ser campeão.

    • Abdo disse:

      Isso mesmo, Piquet foi excluído do resultado final do GP do Brasil junto com Keke. Enchiam os tanque de água escondidos para chegar ao peso mínimo antes da corrida, depois ia esvaziando e deixando o carro mais rápido. Como não era consumo do carro foi entendido que era falcatrua.

  15. Fabio disse:

    Taí um negócio que sempre me intrigou também… Os resultados da Tyrrell naquele ano só foram cassados após o GP de Detroit; até o julgamento da FIA os resultados eram válidos. Procurei na Motorsport e na Autosport para ver se encontrava alguma coisa, mas não há nada. Protesto pela interrupção da corrida, será? Enfim, se descobrir, divida conosco.

    • Rodrigo Brayner disse:

      isso mesmo mano… foi depois de Detroit… até pq em pistas travadas o carro era muito regular e funcionava muito bem, nessa corrida, Nelsão tava sobrando na frente, de repente o brutamontes BT53 começou a perder ritmo e o Brundle foi chegando chegando… e por pouco não passou… terminou muito perto… e esse truque, tb tinha uma parada no assoalho, fazia o carro ter um desempenho mais próximo dos rivais turbinados… esse motor M12/13 da BMW já fazia mais de Mil cavalos… (Beleza, mas era detroit, rua, curvas em 90º graus, cansativo pra porra..quase 2 horas de corrida – uma cingapura daqueles tempos)

  16. Felipe Fugazi disse:

    Um dos grandes mistérios da humanidade…quase o terceiro segredo de Fátima.

  17. João Ferreira de Souza Neto disse:

    Foi abduzido pelos Alienígenas…

  18. Bruno Carlo disse:

    A Tyrrell não foi desclassificada no dia da corrida. Aconteceu uma investigação, e apenas meses mais tarde desclassificaram o time. O Bellof deveria estar sim no pódio.
    Será que se o carro estivesse “legal”, com o peso certo, ele teria feito o que fez?

  19. Pedro Perez disse:

    Estava ajudando a equipe a colocar as bolinhas!

  20. PLP disse:

    “No pódio, o Príncipe Rainier III, com uma capa de chuva cinza, recebeu apenas Senna e Prost. O brasileiro está com a cara fechada. Bellof nunca apareceu na transmissão para receber o troféu, mas é de se acreditar que ele também não tenha visto a bandeira quadriculada, pensando que haveria outra largada, se dirigindo aos boxes e perdendo a cerimônia. Chega a ser cômica a falta de organização de um evento como o Grande Prêmio de Mônaco.”

    Não é a explicação oficial mas faz bastante sentido já que vários pilotos pensavam que haveria o reinicio da prova

    Texto retirado daqui: http://memoriaf1.blogspot.com.br/2017/06/gp-memoravel-4-monaco-1984_3.html

    • Leo Lago disse:

      Se isso aqui fosse o “Yahoo Respostas”, elegeria esta como “a melhor resposta”.

      Não, minto, No “Yahoo Respostas” o povo sempre elege uma resposta estapafúrdia como a melhor. Então não poderia ser esta…

  21. Fred Pereira disse:

    Se não me engano a decisão de finalizar a prova de deu ao fim da volta 32 e pelo regulamento valia a posição registrada na última volta anterior (31). Neste meio tempo houve (na volta 32-33 e, portanto, fora do resultado oficial) algum acidente no meio da pista que bloqueou a passagem dos demais competidores. Somente Senna e Prost (que estavam bem próximos, aliás, com Senna já na frente de Prost) conseguiram passar ilesos e chegaram a tempo ao pódio. Eu me recordo vagamente da história e provavelmente não há muitos registros pois as imagens naquele momento obviamente se preocupavam em focar no vencedor da corrida.

  22. Jose Brabham disse:

    Porque só quem subia no pódium em Monaco era o vencedor. Senna aparece nas fotos porque deve ter subido de araque, ou por desconhecimento ou por birra, para mostrar que contestava o resultado e que ele deveria ter sido o vencedor. Bellof, como bom europeu, seguiu a regra. Depois eles mudaram a regra e passou aos tres primeiros lugares subirem.

  23. José disse:

    Irônico o fato do Prost perder o título por meio ponto, lógico que é. Mas é um auê com essa história que vou te dizer, viu? A corrida tinha prevista 77 voltas e só foram completadas 31. Como podem dizer que Prost perdeu por meio ponto por causa disso? “Ah, mas se o Senna tivesse passado e vencido, ele marcaria 6 pontos pelo segundo lugar”. E quem garante que Senna chegaria ao final? E Prost? E qualquer dos outros pilotos? Numa época que a confiabilidade dos carros era muito menor do que hoje e naquelas condições, qualquer piloto poderia não terminar a corrida. Senna pedia o fim da prova no Brasil em 91 por causa de uma garoa perto do que foi o dilúvio de Mônaco/84.

  24. Marcelo Saldanha disse:

    Acho que até 1985 só o vencendor subia ao pódio do GP de Mônaco, não me lembro de ver o Piquet no pódio do GP de Mônaco em 1980, quando terminou em segundo lugar, nem o Senna em 1984. Posso estar enganado, se estiver me desculpem.

  25. Denis disse:

    Se olhar nos resultados oficiais da corrida no site da F1, o nome dele nem aparece:
    https://www.formula1.com/en/results.html/1984/races/471/monaco/race-result.html

    No Racing Reference ele aparece como desclassificado:
    http://racing-reference.info/race/1984_Grand_Prix_of_Monaco/F

    Além sabe pq ele foi desclassificado?

  26. Eduardo Britto disse:

    Legal rever a corrida (o Prost recebeu a bandeirada??). Engraçado ouvir o Galvão dizer: “Olimpíadas 84, cobertura total aqui na Globo”…

  27. Rodrigo Moraes disse:

    O Bellof não aparece nessa edição tupiniquim, que foi feita para valorizar o feito do Senna. Não cai bem mostrar outro piloto azarão fazendo o mesmo. Mas há videos que mostram o Bellof, como esse, dele passando Arnoux: https://www.youtube.com/watch?v=uqdM6RtqZ4Y

    Curioso ver os anunciantes da F1 na Globo: Kolynos, tênis Daytona, Golden Cross e Esso. Só a Golden Cross ainda existe. Pensei em anunciar na F1, mas depois dessa, desisti!

  28. zempa disse:

    Oficialmente o terceiro lugar ficou com Renne Arnoux. A Tyrrell foi desclassificada.

    https://pt.m.wikipedia.org/wiki/Grande_Prêmio_de_Mônaco_de_1984

  29. Pablo Habibe disse:

    Em 1984 já não era permitido o reabastecimento de combustível… creio que a proibição valia para qualquer fluido…

  30. Levi disse:

    Essa não foi a última vez em que Jacky Ickx esteve presente na vida de Stefan Bellof. No acidente em Spa que tirou a vida do alemão, quem disputava posição com ele na subida da Eau Rouge era, justamente, Ickx, acusado por alguns de ter sido o responsável pela morte de Bellof.

    Só que, se por um lado o belga já era um velhaco no mundo do automobilismo, por outro o alemão era meio maluco, até mais do que o Gilles Villeneuve. Então não dá pra dizer com certeza se houve ou não culpa de Ickx no acidente. Se tivesse seguido carreira na F1, Bellof teria sido um dos grandes da época, sem dúvida, embora o WSC fosse um campeonato igualmente relevante, com maior envolvimento das fábricas alemãs.

    • Paulo disse:

      Tem videos desses acidente em Spa por ai.. O Bellof tentou passar o Ickx por fora no fim da descida/entrada da curva e deu ruim.. a pancada nem parece de longe ter sido fatal.. mas foi..

      • Danilo Candido disse:

        Como “nem de longe” ? Desintegrou a frente do 956K…
        Sem contar que a lateral incendiou-se com o rompimento do tanque. O fogo rapidamente se alastrou pelo carro, o que contribuiu para a morte do alemão, já que o resgate demorou longos minutos para conseguir remover Bellof (agonizando, ams ainda vivo) dos destroços.

  31. Thiago Azevedo disse:

    Bem legal a indagação do Seixas.

  32. Adilson disse:

    Nesse mesmo vídeo, (que é editado, há outros mais completos), mostra-se uma bandeira preta exatamente antes do pódio. Ela foi dada a Belloff, que, por conseguinte, não poderia ir ao pódio pois já havia sido desclassificado. Está bem no finalzinho desse vídeo.

    • Cristiano disse:

      Aparecer aos 11:04 do vídeo a bandeira preta, mas sem indicar o número do carro. Mas aí surge outra dúvida, por quê o Arnoux não foi ao pódio, só Prost e Senna? Ou ele só herdou a posição depois da desclassificação da Tyrrell? Lembro de ter lido em algum lugar um ou outro caso estranho antigo da F1 onde se desclassificava algum piloto e ninguém herdava a posição.

      • Cristiano disse:

        Desclassificação sem ninguém herdar a posição foi o 2ºlugar do Rosberg do GP Brasil de 1983. Encontrei ainda notícias da época dizendo que Senna (contrário do que vc disse) e Bellof entenderam como decisão política o encerramento, será que foi algum protesto dele? A desqualificação da Tyrrell de todo o campeonato foi depois.

    • eduardo disse:

      A desclassificação do Bellof só ocorreu bem depois, quando descobriram as irregularidades (pelo que entendi, na corrida em Detroit). Ou seja, oficialmente, era para ele mesmo ter ido para o pódio, e não o Arnoux.

  33. Davi B C Silva disse:

    Não tenho informações, mas achei o assunto bem intrigante!

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>