Bug no blog

SÃO PAULO (o que é “cibernético”?) – Como até o blogueiro menos atento deve ter percebido, todos os comentários desapareceram. Ao menos agora, quase meia-noite. Me informam no iG que está havendo uma mudança de plataforma, “acontecem alguns bugs”, mas depois tudo volta ao normal.

Os comentários não sumiram de vez, vejo todos eles na tela que uso para atualizar o blog. Portanto, fiquemos todos sossegados. Vamos dormir, que amanhã tudo estará bem.

E bug bom tem motor VW a ar, 1.600 cc com dupla, é branco e com os faróis saltados. E é buggy, não bug. E enquanto o bug não vai, vá de buggy.

Comentários

  • a primeira corrida de Buggy foi relizada na praia do Leme RJ, O Buggy que tirou o segundo lugar foi um Kadron que estava dentro do regulamento conduzido por Alessandro C. Ponce Leon um dos poucos pilotos que não era profissional e não tinha nenhum patrocinador (fabricas de Buggy do RJ).

    • A vitória foi de Norman Casari, um dos ícones do automobilismo brasileiro, pilotando um Bugre da equipe oficial de fábrica, que obteve também o terceiro e quarto lugares.Não foi registrado nenhum acidente e nenhum concorrente foi desclassificado por estar fora do regulamento.

  • Peraí … Hoje de manhã o banner entrava em silêncio e, depois de acessar uma notícia, voltando a página principal, ele tava lá!
    Será que é assombração no meu computador?
    Por enquanto, Gomes pra Vice-prefeito!

    Eh, eh, eh …

  • off topic

    a Globo é ridicula, o Massa liderou o dia (com o tempo na primeira sessão) e eles falam que o cara ficou em 17o.

    Parece aquela palhaçada que fazem com a IRL, que quando brasileiro vence, não falam nada, mas quando é cacetada, falam nos dois jornais

  • OI Flávio,

    náo fiquei te pentelhando com isso, afinal o site é seu, e vc bota o que bem entender, ainda mais com um banner de publicidade que é pago, justamente para manter o Grandepremio que todos nós gostamos de acesar, mas que o som era chato isso era, valeu !

  • Grande Veloz,

    essa corrida foi no Leme e o Norman acabou ganhando, inclusive o Bob Sharp tb participou, o que me espantou nessa prova foram os prêmios, um Bug “zero” para o primeiro, prêmios em dinheiro até o terceiro colocado e pasagens aéreas mais estadia para ver o gp da argentina de f1 para o quarto, e o quinto recebia tb passagem aerea e estadia em Sp para ver tb a F1, tanto que foram mais de 40 inscritos, mas nas três baterias só participaram efetivamente 20 inscritos, deve ter sido a maior farra, tenho uma QR ou auto esporte que fala sobre a prova , vou ver se acho e mando as fotos para o Gomes.

  • É verdade Filipi W, inclusive me lembro de umas corridas que haviam aí, se não me engano na Praia de Ipanema, onde juntava uma galera enorme e contou até com a participação do Norman Casari como piloto.
    Grandes tempos.

  • Ivan, o do meu pai tinha painel digital.
    Era Fyber Star, se não me engano.

    Askjão, era legal mesmo de se fazer curvas! A 1a vez que senti ele saindo de traseira eu tomei um susto. Depois ficou bem divertido!

  • Voces estão esquecendo do Buggy Kadron, desenhado pelo Anisio Campos e um dos mais bonitos na minha opinião.
    Me lembro de um verde limão nos anos 60 e alguma coisa, em que foi colocado um motor de Corvair (boxer 6 cilindros), andava muuuuuiiiiitoooo!
    Vitão, o Edú já jurou de pé junto que não perde o próximo almoço, falta o Panda, que só não foi ainda porque foi “mal cantado”…

  • Grande Veloz-HP, brigadão pela dica. Vou agendar um outro almoço com os mais fanáticos do GPTOTAL e ver se desta vez a gente carrega o Edu e o Panda; (o FG não vai porque ele só como burger do Ritz; é edas zilities,rsrsrsrs) o qual vc já está intimado. Vamos contar boas histórias das pegas da marginal pinheiros e da castelão (vc conheceu um brasinca com motor offy?) . Abz

  • Sei que é chato falar sobre assuntos off-topic, mas só agora vi a sua resposta em relação ao MF1. Na verdade só quis tirar uma e aliviar um pouco o pessoal da Globo, pois a FIA também usa RBR e STR. Antes de não fazer propaganda gratuita os caras de lá gostam de seguir padrões oficiais. Apenas gostaria de ser justo com eles usando o bom humor.

  • Grande Vitão, você tocou num assunto importante nesse blog, que é onde comprar revistas específicas para os fanáticos por máquinas como nós.
    Essa banca, na Av. Europa com a Groelândia é um desses ótimos lugares e então, vou sugerir mais dois nessa mesma avenida seguindo em direção ao Morumbi, que são a Banca Jardins em frente a concessionária Stutgard da Porche e seguindo em frente pela Av. Cidade Jardim até a Livraria Siciliano que fica após a ponte que cruza a Marginal Pinheiros no início da Av. dos Tajurás, sentido Morumbi.
    Existem muitos outros pontos, é claro, e se algém quiser mandarei mais dicas por aqui.
    Abraços.

  • Buggy realmente é bem legal, principalmente para se fazer besteiras e sair de traseira em todas as curvas… Aproveito para deixar o palpite do jogo do bicho de hoje…9746… a placa do buggy!

  • Meu pai tinha um buggy Fyber azul.
    Uma vez quase capoto o bixinho descendo uma ribanceira na praia.
    Passei uns 10 minutos sendo espancado pela minha namorada que ficou apavorada.
    Como se eu também não tivesse ficado!

  • Esse buggy da Gasplac era lindo, (o da foto está sem o santo-antônio cromado, não sei por que) e tinha um concorrente de peso que era o buggy Tropi, na minha opinião mais bonito, com o santo-antônio estilo Targa e os farois redondos meio embutidos no capô.
    Por serem muito leves aceleravam uma barbaridade e no início dos anos 70 era comum vê-los nos pontos de “racha” em São Paulo, e o mais famoso dos bugges nessa época era um Tropi côr amarelo Puma, que tinha motor 2000 c.c., 2 Weber 48, carter seco, câmbio longo, suspenção totalmente rebaixada e pasmem, pneus Dunni Bug que faziam o carro ter uma velocidade final altíssima e até hoje não sei como o cara segurava aquele carro em alta.
    Eu, com meu furioso Opala, tinha uma dificuldade enorme em abrir distância desse bugge nos rachas que disputávamos na Via Anchieta ou na Castelo Branco.
    Era incrivel olhar no retrovisor e ver a caranguinha colada na trazeira do Opala, ziguezagueando como louca a duzentos e trálálá por hora com o maluco agachado no volante para melhorar a aerodinâmica e um sorriso de kamikaze-suicida.
    Parecia eu, pegando o vácuo do ônibus Cometa na Via Dutra com a minha Suzuki cinquentinha preparada.
    Quanta loucura, não sei como sobrevivi, e nem sei do paradeiro do maluco do Buggi. Se não morreu, hoje deve estar dando uma bronca no filho por ter estourado o motor turbo do carro num pega.

  • FG, li na car&driver de junho (comprei na banca da Groelandia, perto da Via Europa; vc devia falar dos locais para achar revistas e livros de carros) que o fundador da empresa esta relançando o Buggy na California, mas agora com motor do Subaru imprenza WRX. A encrenca deve ter mais de 260 CV, e deve vir junto com uma caixa de cuecas ou fraldas descartáveis, porque deve ser um dançarina de rumba mais frenética que a brasilia .

  • Há uns 15, 16 anos atrás meu pai alugou uma casa de veraneio em Natal/RN juntamente com uns colegas de trabalho. Era uma casa grande, pra umas 4 famílias… Como quem mora em Brasília quando vai pra praia quer desfrutar todos os segundos, o velho resolveu comprar um Buggy. Idéia genial, fora o fato de ter comprado o mesmo aqui em bsb e ter rebocado o bicho pelo nordeste afora numa Caravan 4100 autmática a álcool! Acho que fazia uns 4 km/l na estrada… Eu tinha de 14 pra 15 anos e me diverti demais com aquele Buggy esquisito (só tinha o meu daquele modelo rodando pela praia, os outros eram todos novos e bem mais modernos…). Qual era a marca? Glaspac, igualzinho esse do anúncio, só que vermelho!

  • Tive um bugre Emis vermelho, para mim o mais bonito e um dia desse vi um destes numa agência de carros e fiquei doido para comprá-lo. Me lembro desta prova de bugres na areia que o Norman ganhou que foi transmitida pela TV.

    Pedro/Brasilia

  • Em tempo: seu Flávio, os post não estão entrando (êpa!), a gente manda em duplicata e aparece em outro lugar… estamos pagando mico e aí então a moçada cai de pau em cima da gente… que tipo de Blig é êsse, seu Flávio Gomes? SDS.

  • “Dune buggy…mais de mil hp…’
    Beleza, o buggy Glaspac, o primeiro lançado aqui lá por 68, inspirado nos dune buggies californianos ( se desconsiderarmos a primeira versão do Gurgel, lançada lá por 66). Há uma sequência famosa com um similar a esse em “Crown, o Magnífico”, com Steve MacQueen ao volante. Deu inicio a uma moda no Brasil e à criação de vários outros, inclusive o modelo Bugre, creio que no Rio, e que foi sucesso no Norte e Nordeste, daí o nome como é conhecido nessas regiões.
    “Dune buggy…dune buggy…”

  • Bugre era uma marca de buggy feita aqui no Rio. A primeira corrida de buggy, na areia, acho que foi aqui na praia do Leme. O Casari ganhou. aliás, recado para o dono do botequim aqui. Um amigo me disse que o Casari tinha na sua casa em Itaipava o volante original do Carcará pendurado na parede…

  • ha ha ha ha ha

    “Meia paquera andada”

    Só se era naqueles tempos, hoje em dia as “minas” querem saber de, no minimo, Focus, Astra, Stilo, 307 e por aí vai

    Sei disso porque tenho diversos conhecidos (que alem de chatos, ruins de papo, não primam pelo “aspecto exterior privilegiado”, digamos assim) que pegam varias “minas” bonitas (e interesseiras, of course) por terem algum desses carros

    Mais uma constatação de que os tempos mudaram, e muito