Loucos 70

SÃO PAULO (longa é a noite) – Hora de ir embora, mas ainda dá tempo de um singelo tributo aos VW de corrida. Há uns meses, o blogueiro Fábio Henrique me mandou essas fotos, sabedor do meu apreço pelos Passat. Fábio acabou confundindo um pouco as bolas, porque na verdade trata-se de um Scirocco, que correu as 24 Horas de Spa em 1978.

O carro das fotos foi pilotado pela dupla Ickx-Redman, e Jacky ainda era piloto de F-1, da Ensign. Mas naqueles tempos, nem tão remotos assim, piloto de F-1 brincava em outras praias, também.

Spa enchia de gente até a tampa para ver carros de turismo na pista, pilotos de nível, marcas conhecidas. A dupla correu pela equipe do Clube Belga de VW. As arquibancadas cheias, os campings também. Só em Spa isso ainda acontece de verdade na F-1, ainda hoje. E na Alemanha também, vá lá.

Tinha de tudo, e acho que isso atraía torcedores. Os mesmos carros que o cara podia comprar na loja estavam lá, na pista, naquele palco sagrado de Spa-Francorchamps, suas enormes retas e curvas perigosas. Se resistissem àquilo por 24 horas, digamos que qualquer um poderia ser uma boa compra…

De lado, o Scirocco lembra nossos Passat, até mesmo o Gol, claramente inspirado nesse modelo “bunda cortada” da VW. Não sei o resultado dessa corrida. Mas nossos matusaléns hão de descobrir. Bom descanso a todos.

Comentários

  • Os pegas aqui – Serra Gaúcha – eram em um longo declive com uma super curva de alta com amigáveis eucaliptos dos dois lados da pista como guardrails. Não era raro em uma descida dessas o Tempra Turbo arrancar do alto e chegar ao seu final com o ponteiro do velocímetro apontando incríveis 240 km/h, com o caracol um dedo aberto (1,0 bar), pressurizando com força o antigo bloco oriundo dos Alfa-Romeos…., tempos loucos!!!

  • Juca, se fosse no Alto, sempre acabava no Postinho e se fosse na Serra, sempre acabava na Cabana. Ainda rolava na Av. das Américas e o pessoal ia depois pro Osvaldo ou pro Bar do Cumpadre.
    Irresponsabilidade total.
    Esculacho eram os Mavecão, Dojão e SS tomando dos Passat no Alto… Potência não é nada sem controle…

  • Valeu Veloz,
    segundo sua descrição de um SP2 fazendo uma curva, (devia parecer um pato bêbado) deu para ter uma idéia do porque dele não ter vingado nas pistas, fora obviamente do maior peso em comparação com os pumas, lorenas e afins.
    Uma pena já que o carro é lindo demais, deixei de comprar um, estalando de novo, por R$4500,00 no encontro anual do Veteran no forte copacabana a uns 3 ou 4 anos atrás, se arrependimento matasse hj estaria sequinho dentro do caixão.

  • Ao Toivonen e ao Galto,
    Caras, minha iniciação automobilística foi em corridas de rua, porisso nunca liguei muito para rachas. Mas lendo aí o papo de vcs, me sinto no Postinho, Rio (não vou explicar o que era, perguntem aos pais de vocês), ouvindo o papo de dois rachadores depois da refrega. Beleza pura!!!

  • Olá Filipe W, boa noite.
    Sim, já houve corrida em Interlagos com SP-2, eu ví várias delas e sempre era de estreantes e novatos Div. 1 classe D, onde só corriam os ditos “esportivos” como o SP-2, Karmman-Guia e TC, somente os com carroceria em chapa de aço, portanto os Pumas, Malzones e Berlinetas Interlagos, teoricamente correriam em outra categoria, os “fibrosos”.
    Os Karmman-Guias ganharam todas as provas que ví, e creio que a relação peso/potência e distância entre eixos fazia uma enorme diferença, principalmente nas curvas onde o SP-2, comparado aos Karmman era horrivel, começava de frente e terminava de traseira, um horror.
    Se você tiver revistas brasileiras dos anos de 1973 a 1975, certamente haverá alguma dessas corridas retratadas, pois foi nesse período que elas aconteceram.
    Vou dar uma olhada nas minhas coleções, quando encontrar, te aviso.
    Abraços.

  • Sim, o santana é mais seguro nas curvas mais radicais, o modelo quadrado escapava de frente com muuuiitttto abuso, mas sempre é mais fácil corrigir – mesmo sendo menos “divertido” – uma fuga de dianteira do que traseira. Na chuva também ele passava mais segurança pelo seu peso maior, já os modelos depois de 91 eram mais moles e menos confiáveis nas curvas.

  • Toivonen, o Gol GTI era um carro que os limites chegavam cedo e se fossem ultrapassados seria bem complicado de segurar. Com o Passat nunca cheguei ao limite, era mais do que eu podia chegar, ainda mais nas ruas.
    Na época do Gol, tinha um Santana 2000, do modelo quadradão, também e diferentemente do que se pensava, ele não tomava poeira do Gol não. Era bem mais pesado, claro, mas dava muito mais segurança. Em reta, andava mais que o Gol. Cheguei a meter ele na pista de Jacarepaguá mas fiquei com pena dos pneu$$$$.
    Agora o que faltou mesmo era um Passat GTI, igual ao da história que se conta por aí… Ou um Audi Quattro daqueles das antigas, os primeiros Quattro…

  • Certo Galto, nunca dirigi nos limites um passat pointer mas já tomei vários sustos de gol, o GTi 92 inclusive me surpreendeu ao sair com as 4 rodas em uma curva um pouco antes do que pensava, a carroceria se aprumava nos amortecedores e molas rígidas, mas você sentia o carro um pouco arisco como se fosse mais leve do que ele é. Talvez resultado inverso do motor 2 litros que te fazia chegar na curva antes e com mais velocidade do que estava acostumado….na verdade, com uma Saveiro Summer 1.8s em minha perseguição (irresponsabilidade eu sei) – em estrada dupla sinuosa – entrei jogando a quarta para baixo com o motor cheio e entrei acelerando em uma curva de média-alta, mesmo sentado rente ao solo nos belos bancos recaros, e com as mão já bem posicionadas no aro mais grosso (em couro excelente) do belo volante do GTI, ao fazer a curva moldando o comportamento do carro com o acelerador, senti uma tênue fuga das quatro rodas em direção ao acostamento, não quero pensar se eu tivesse que aliviar o pé, com certeza a traseira iria derrapar e só um contra golpe no volante e pressão no acelerador iria traze-lo de volta…..mas, com um gol ls md-270 1.6, não consegui e fui pra capoeira….realmente, os gol’s quadrados são mais ariscos que passat’s e santanas…..quanto a saveiro summer??? ….mesmo o ap 1.8s empurrando a carroceria mais leve da Saveiro, o motorista que grudou no aerofólio do GTI não conseguiu acompanhar o golzim no limite extremo (claro que eu conhecia centímetro por centímetro a estrada), a saveiro sumiu!

  • Toivonen, troquei meu Pointer 89 por um Gol GTI 94, em 98. O Gol era um monstro mas não tinha estrutura pra aquele motor, além disso era apertado, duro e barulhento. Além disso fazia bem menos curva que o Passat.

  • Primeiro, da corrida. Pra mim, ISSO que é corrida de carros. Posso comparar o carro que tenho em casa com qualquer outro que esteja na pista!! Isso não acontece em monomarcas, fórmulas, e nem em LeMans. O único lugar onde esse tipo de corridas ainda rolam é nas 24hs de Nurbur… Por isso me amarro nas Mil Milhas, claro que do meio do pelotão prá trás.
    Quanto ao Passat, bom sou extremamente suspeito de falar sobre ele…
    O Toivonen mandou muuuito bem!! Assistí a vários rachas desses e, confesso, participei de alguns. Tive dois Passat Pointer, um 84 álcool, 4 marchas (que tinha o PRIMEIRO motor AP 1.8, junto com o Gol GT) e outro 89 última série. Aqui no Rio rolavam uns rachas, por volta de 1990, 91, no Alto da Boa Vista ou na serra Grajaú-Jacarepaguá. Nunca tomei pau com os Passat. Por favor não me entendam mal, tenho total noção de que isso é extremamente perigoso e errado e acho que meu anjo de guarda trabalhou por umas três gerações mas quando se tem 18, 19 anos a gente se acha imortal ou invencível… Eu não era mas o Passatão sim!!! Ainda vou comprar outro!!

  • Valeu o elogio Joaquim, tenho na cabeça ainda uma lembrança em que eu fui protagonista com um Gol GTI em meados dos anos 90 – se alguem quiser ler, eu escrevo em rápidas linhas (já que o tema é VW performance…).

  • O scirroco é demais, desenhado pelo Giugiaro que inclusive desenhou o substituto dele, o Corrado, que não ficava atrás em beleza e com motores interessantes, como o VR6 que devia garantir a diversão da galera européia.
    Tenho uma MOTOR 3 com o teste feito pelo grande Marazzi, dos passat hot car do Negrão e de um outro que não me lembro de quem, vou tirar uma foto e mandar pro Gomes.
    Se não me engano tinha alguem ai em SP corria com um Scirroco laranja, alguem confirma ?

  • Indubitávelmente, caro Bifulco, belo carro. Pilotado pelo trio Fausto Wajschensberg/Vicente Correa/Valdir Silva, venceu as Mil Milhas de 83. Havia também um muito bonito, do Toninho da Matta. Na época, chamavam-se Hot-Cars. Sds.

  • Bom dia Flávio.
    Quando cheguei ao Brasil em 1999 pela primeira vez , espantei-me com a quantidade de VW Sciroco que vocês tinham e ainda têm!, só que aqui o apelido é Gol e os motores em vez dos ingetados são carburados!
    Dirijo-me ao seu Blig porque, ontem no dentista, folheando uma Quatro Rodas de 12/2004, vejo uma reportagem sobre o Fei-x14, construído para arrasar o record de velocidade do Carcará.
    Alguém sabe dizer o que
    aconteceu?
    Agradeço respostas.

  • ô Rubinho.

    E o passat hot Car patrocinado pela Costa Lyon e Eternit que venceu as mil milhas de 83? Era L I N D O. Nao sei se eh por que foi a 1a mil milhas que eu assisti,mas me apaixonei pelo carro. Ele tinha uma luz azul no teto e um ronco inconfundivel. Ah , claro, o traçado de Interlagos ainda nao havia sido assassinado…
    bons tempos!!!!!

  • Então, quer dizer que aqui no blog temos também os nossos “matusalinhos”? Concordo plenamente com o Rubinho, considerando que os dois Passat em questão eram da antiga Div-3.
    Agora, a descrição do Henri Toivonen, que perfeição!!! Dá prá sentir o cheiro da borracha de pneus queimando o asfalto. Perfeito!!!

  • Simplesmente fantastico !, que coisa mais linda ! Aqueles Psicologos que me desculpem quando eles fala que as pessoas do hoje acham que nascemos na epoca errada, mas como eu queria ter vivido nesses tempo, hoje é tudo muito robotico, odeio isso, o bom mesmo era quando tinhamos que fazer as coisa no braço e nao com essa tal de informatica hehehehe

    abs

  • Saudades de acompanhar em 1990 um racha entre um passat pointer gts 89 vermelho (ultima versão) e um gol gts 89 red too…Dois carrinhos nervosos, câmbio curtinho, saindo queimando em primeira e em um átimo se jogava a segunda com o pé no fundo, todo o trem de força dando uma pancada no monobloco, ponteiro do conta giros quase no vermelho e mais uma marcha atirada para cima na manopla “bola de golfe” (ainda a melhor) do gts, pé no fundo, marcha atirada com a velocidade de uma caixa de moto, mais uma pancada (mais tênue) nas homocinéticas e o passat pointer ganhando com vantagem de uma porta. Belos tempos dos “príncipes” – o rei era o gti azul mônaco – que com um motor de maior deslocamento, bastava pisar na casquinha do acelerador para a leve carroceria do gol se impulsionar com presteza em todas as marchas, sem as engasgadas dos ap.800 álcool, nem a aspereza desse em regimes mais altos….tudo mais suave, mais civilizado e mais rápido……

  • Putz , que saudades ! ! Tive 2 , bem o primeiro não era bem meu…mas do meu pai , hehe ! Muitos rachas em Curitiba , depois passei para as pistas de arrancada ( um ímpeto de bom senso , numa época de pouco bom senso ) . Época em que eu trocava o comando de válvulas ( em 50 minutos ) na quinta à noite prá “resolver” umas coisinhas…era um Berta MARAVILHOSO , 316 graus , acho que era alguma coisa de F-3 ou muito semelhante , antes das 4.000 RPM , o carro era mais fraco que um Fiat 1050 a alcool , mas depois … No domingo de manhã repunha o 049G prá poder trabalhar com o Passatinho na segunda… Nenhum carro me deixou saudades como o Passat ! !

  • Sr Flavio já que o Sr é um admirador
    confesso dos passat’ s de competições,lanço aqui um desafio.
    Que o Sr consiga a foto do passat mais bonito que eu já vi competindo até hoje. Trata-se deu um carro da antiga categoria Hot car , no qual era pilotado pelo Sr Edson Yoshikuma , equipe Marshal Lester . Era o mais bonito de todos, depois na minha opinião pau a pau com o passat do Yoshikuma, vinha o do Xandy Negrão e Jayme Figueiredo, aquele que na época já saia a frente inteira deixando exposto o chassi do carro e o cofre do motor, os dois carros eram lindos . O do Xandy eu ainda tenho a foto mas gostaria que o Sr publicasse a foto do passat do Yoshikuma. Abraços Rubinho.